Armando Freitas Filho, dossiê na Palavra | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
COLUNAS

Terça-feira, 3/11/2015
Armando Freitas Filho, dossiê na Palavra
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2800 Acessos


Palavra é uma revista editada pelo SESC Literatura em Revista. A revista tem publicado dossiês, ensaios, resenhas, contos, poemas e trabalhos de artes visuais. Além da qualidade de seus textos, a revista é notável em seu trabalho gráfico, apresentando vários formatos para seus ensaios, imagens e poemas, fazendo de cada publicação uma aventura visual.

Nesse sentido, quando a atenção sobre o projeto gráfico é tão importante quanto o conteúdo dos escritos, vale reproduzir trecho do texto "O corpo da linguagem", de Maurício Ianês, publicado no primeiro ensaio da revista desta edição:

"Pensar o corpo, ao se pensar em uma revista, é também pensar o corpo do leitor, em suas ações, nas mãos que folheiam as páginas, no seu toque, nos olhos que percorrem o texto, na performatividade da leitura, na voz que dá vida à matéria impressa. Pensar o corpo, ao se pensar em uma revista, é também pensar no corpo da linguagem, em seus corpos invisíveis, em sua matéria mais crua, em seus silêncios, em seus buracos e seus vazios, suas potências e suas meias palavras, seus pontos finais e espaços, sua matéria gravada em preto e branco."


Na edição de número 6 (2015), a revista traz um dossiê sobre o poeta Armando Freitas Filho, que é o que nos interessa aqui. Seguindo a ordem das páginas, a revista apresenta um artigo de Antonio Cícero, denominado "A poesia de Armando Freitas Filho e a apreensão trágica do mundo"; de Mariana Quadros, um artigo denominado "De corpo presente"; em seguida, a revista apresenta uma biografia sucinta de Armando Freitas Filho, dos idos anos de 1940 até 2015; também aparece uma entrevista que o poeta concedeu a Flavia Tebaldi e Frederico Girauta; após a entrevista, as páginas da revista publicam o longo poema "Suíte para o Rio", de Armando Freitas Filho; na seção "Depoimento" há textos sobre Armando Freitas Filho escritos por Laura Liuzzi, Eduardo Coelho, Eucanaã Ferraz e Mário Alex Rosa.


Como presente para seus leitores a revista ainda publica um encarte com o poema "A flor da pele" (do qual reproduziremos trechos no final do nosso texto), com fotos de Roberto Maia.

No texto de Antonio Cícero, o ensaísta aposta na ideia de que a poesia de Armando tende a uma profunda "apreensão trágica do mundo", consequência de uma poética em que é importante a relação entre vida e poesia. Assim, o ensaísta procura o embate entre Armando Freitas e João Cabral, tema que desenvolverá ao longo do seu texto.

Nesses termos, diz Antonio Cicero, para Armando "o inaceitável é o beletrismo, l´art pour l´art, o poema que não passa de repetição dos antigos artifícios, a negação da sujeira vital e da liberdade da poesia. Paradoxalmente, para salvar a vida do poema, vale até "abrir os pulsos/ as gavetas/ e cortar as veias": figurativamente abrir os pulsos e as veias, isto é, ir até o limite da vida, para que o sangue jorre e corra no próprio poema; abrir as gavetas para o que não passa de rascunho, de experimentação, de risco, passe para o poema."

No ensaio de Mariana Quadros, é a importância do corpo na poesia de Armando Feitas que é o problema a ser discutido. Desde os títulos de suas obras, a nomes de poemas, o corpo sempre foi uma temática clara na obra do poeta. Segundo a ensaísta, na poesia de Armando Freitas "o corpo individual nasce complexo, espécie de inimigo cúmplice a quem o eu é submetido". Para dar continuidade à sua análise, aprofunda a leitura de alguns poemas e os contextos nos quais foram criados. Como na leitura interessante que empreende do poema "A flor da pele", escrito durante a ditadura militar: "o evento que se noticia e, portanto, também o da linguagem em busca de tornar-se permeável para o momento histórico".

No ensaio de Mário Alex Rosa, "A máquina do poema", é a questão da palavra e sua importância ao ser transformada em concretude por Armando Freitas que é o tópico de sua análise. Buscando colar palavra e corpo, corpo da linguagem e corpo da vida, Rosa fala que "palavra e corpo são batalhas enfrentadas" por esse poeta.


Na pequena biografia de Armando Freitas, publicada entre as páginas 48 e 56, há o relato de seu encontro com Manuel Bandeira, que o aconselhou a procurar jovens poetas para comentarem seu primeiro livro "Palavra", conselho que o levou a José Guilherme Merquior que o incentiva a publicar o livro (1963), com capa do artista plástico Rubens Gerchman. Sob impacto do golpe militar, Armando participa junto com Mario Chamie da "Instauração Práxis" até 1975, movimento que estimula o poema engajado, com forte participação política sem abrir mão da dicção renovadora." Após estes anos, busca uma linguagem pessoal, publicando livros como "De corpo presente", "À mão livre", "Longa vida", "3X4", "De cor", "Duplo cego" e outros. Edita ainda, em 1985, o primeiro livro póstumo de sua antiga namorada, a poeta Ana Cristina Cesar, "Inéditos e dispersos". Recebe o prêmio Fundação Biblioteca Nacional por seu livro "Dever", em 2014.

A poesia de Armando Freitas torna-se tema de várias dissertações de mestrado e teses de doutorado, defendidos nas mais importantes universidades do Rio de Janeiro e São Paulo, por pesquisadores como Cristiane Lemos Rodrigues, Marcelo Diniz, Mariana Quadros Pinheiro, Mario Alex Rosa, José Felipe Mendonça da Conceição, André Barbugiani Goldfeder.

Na entrevista que "Palavra" publica, Armando fala da influência que poetas como Drummond e Bandeira tiveram na sua vida. Também fala da sua situação de poeta espremido entre a geração de 45 e os concretos. Sobre a poeta Ana Cristina Cesar e sua obra diz: "cuido da minha morta-viva há mais de 30 anos. Cuido porque ela quis assim. Cuido com raiva por ela ter feito o que fez. Cuido com o amor possível. No contexto brasileiro ela é um dos poetas mais vivos. Ela não parou de viver um minuto sequer".


Sobre seu processo de criação diz: "Sou um escritor trifásico e rápido e um reescritor lento: não é por acaso que gosto da fábula da lebre e da tartaruga". Sobre seus "eixos temáticos", ou temas, como o fazer poético, o tempo, a memória e o corpo, ele os considera "problemas e não temas, questões sempre presentes para quem escreve".

Os outros textos mereceriam um resumo aqui, mas o espaço é pequeno. No entanto, acho imperdível a oportunidade que a revista Palavra nos dá de entrar em contato com um dos mais importantes poetas brasileiros, autor de no mínimo 15 excelentes livros de poesia, o poeta Armando Freitas Filho.

Resumo do poema "Pele", de Armando Freitas Filho.

PELE. [Do lat. Pelle.] 1. Membrana mais ou menos espessa que veste exteriormente o corpo humano na hora da tortura do amor (e de outras torturas), bem como a dos animais vertebrados e de muitos outros seres sem nome ou feitio. 2. Fam. A camada mais externa da pele foi alcançada pela mão do carrasco. 3. Cútis em carne viva, tez: não é bonita, mas tem uma linda pele que eu, aos poucos arranco com carinhos, unhas e fúrias. 4. Pelanca que como e cuspo. 5. Couro que estendo no chão, debaixo dos passos das botas. (...) cair na pele de, com o cassetete em punho e espancar até a morte. Bras. Pop. Zombar ou escarnecer de você algemado no pau-de-arara; gozar! Cortar a pele de. Fazer mal (a alguém); torturar até morrer; tosar a pele de um suposto inimigo. (...).


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 3/11/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crônica em sustenido de Ana Elisa Ribeiro
02. Sobre o caso Idelber Avelar de Julio Daio Borges
03. O anoitecer da flor-da-lua de Elisa Andrade Buzzo
04. Em Tempos de Eleição de Marilia Mota Silva
05. A vida exemplar de Eric Voegelin de Celso A. Uequed Pitol


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2015
01. Daumier, um caricaturista contra o poder - 24/2/2015
02. Livro das Semelhanças, de Ana Martins Marques - 24/11/2015
03. Eu matei Marina Abramovic (Conto) - 17/3/2015
04. Fake-Fuck-Fotos do Face - 18/8/2015
05. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I) - 2/6/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MATEMÁTICA - CIÊNCIA E APLICAÇÕES - VOL. 2 / ENSINO MÉDIO
OUTROS; GELSON IEZZI
ATUAL
(2014)
R$ 110,00



ADMINISTRAÇÃO DE ALTO IMPACTO
MARK GOTTFREDSON - STEVE SCHAUBERT
BAIN & COMPANY
(2008)
R$ 12,00



FERNANDO PESSOA OBRA POÉTICA - VOLUME ÚNICO
FERNANDO PESSOA
NOVA AGUILAR
(1983)
R$ 85,00



LA LUZ ENTERRADA
MARÍA DEL CARMEN ELU
FONDO DE CULTURA ECONOMICA
(1993)
R$ 14,00



OBJETOS D`VERSOS (POESIA BRASILEIRA)
CLÁUDIA BRINO/VIEIRA VIVO
COSTELAS FELINAS
R$ 5,00



ANIMAIS EM PERIGO GUIA ILUSTRADO DESDOBRÁVEL FACTOS E ACTIVIDADES
EDITORA CONTEXTO
CONTEXTO
(1993)
R$ 17,70



COMO MUDAR O QUE MAIS IRRITA NO CASAMENTO
GARY CHAPMAN
MUNDO CRISTÃO
(2007)
R$ 27,00



NEGÓCIOS DE FAMÍLIA
VINCENT PATRICK
ESTADÃO
(1997)
R$ 4,00



REPORTAGEM SOBRE JESUS CRISTO
FRANCO ROBERTO
DOM BOSCO
(1983)
R$ 6,00



SUBSISTEMAS DIGITAIS E CIRCUITOS DE PULSO
JOÃO ANTONIO ZUFFO
EDGARD BLÜCHER
(1980)
R$ 10,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês