Agora o mundo perde cotidianamente os seus ídolos | Guilherme Carvalhal | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
COLUNAS

Quinta-feira, 11/2/2016
Agora o mundo perde cotidianamente os seus ídolos
Guilherme Carvalhal

+ de 1800 Acessos

As notícias da morte de ídolos nas mais diversas áreas tem se tornado recorrente. Ettore Scola no cinema e David Bowie na música foram os principais esse ano, em uma lista que recentemente incluiu João Ubaldo Ribeiro, Ariano Suassuna, Lemmy Kilmister e muitos outros.

A geração que ficou conhecida através dos meios de comunicação de massa e que começou a ter grande notoriedade através da sua propagação na sociedade da informação começa a chegar à terceira idade e falecer. O grande crescimentos de rádio e TV no pós-guerra e mais recentemente da internet gerou o contato da população com novas formas de proximidade com o mundo e esses ídolos midiatizados se tornaram presença constante no cotidiano.

O século XX tem como uma de suas maiores características a ascensão da comunicação massiva, fruto do modelo a sociedade de massa que começou a se desenhar na Revolução Industrial. O crescimento das cidades a níveis exorbitantes, alavancado pelo processo de migração das zonas rurais e pelos avanços da medicina que reduziram a mortalidade deu origens a cidades com população que ultrapassa os milhões de habitantes.

A modernidade provocou alterações significativas nas formas de socialização. A Revolução Industrial levou o ser humano a um contato plenamente diferente com relação ao mundo, seja pelo desenvolvimento tecnológico, seja pelos novos afazeres inerentes ao novo modelo social. Objetos como televisão, automóvel, liquidificadores, pílula anticoncepcional, máquina de lavar, telégrafo, criaram um novo modo de perceber tempo e espaço. Os processos se tornaram mais rápidos, a distância diminuiu. A pressão capitalista exige metas de produção mais elevadas e os modelos administrativos levaram o tempo a ser controlado. Se uma pessoa na era medieval acordava quando findava o sono e a população majoritariamente agrária lidava com sua produção agrícola, hoje o despertador e o relógio dão a tônica do dia a dia com suas tarefas agendadas. Mulheres entraram para o mercado de trabalho e isso mexeu com o conceito de existência familiar. Os preconceitos, mesmo que ainda permanecendo, tiveram perdas em aspectos legais e grupos étnicos excluídos agora se veem inseridos com maior igualdade.

A ideia de modernidade começou a surgir em meados do século XVIII e encontrou solo fértil em tempos atuais. Em um aspecto individual, a modernidade representa uma construção fora dos padrões cotidianos das pessoas, significando mudanças na relação dele com a sociedade onde se insere. Em tempos antigos, o filho ou uma filha majoritariamente continuaria a trajetória de sua família. A descendência de um nobre manteria seu padrão social, a de uma guilda de artesãos manteria a profissão, a de um agricultor permaneceria na propriedade rural, a de um escravo continuaria presa aos grilhões.

Os tempos presentes inseriram uma expectativa diferenciada, em que a tradição se faz menos presente nas perspectiva de futuro. O mercado de trabalho mais fluído representa constantes mudanças profissionais, levando a alterações em questões de aprendizado, trabalho e de residência. Seguir a profissão dos pais não é mais uma regra, hoje a pressão por conseguir um bom emprego sendo mais relevante do que um apego afetivo a tradições. As possibilidades de educação abrem o leque, juntamente ao surgimento de novas categorias e com a obsolescência forçando a atualizações constantes.

Com relação a expectativas que não se enquadrem apenas em questões de trabalho, os choques forma igualmente drásticos. O choque de gerações cresceu à medida em que novas ideias e novas opções de consumo se propagaram. No século XIX, Ivan Turguêniev, em Pais e Filhos, já retratava o conflito que surgia a partir de um momento em que a juventude entra em contato com ideias diferentes daquelas na quais foi criada e isso gera um conflito familiar. Essa obra mostrou como a vivência familiar passaria por drásticas mudanças dali em diante.

O consumo foi um forte balizador da mudança de comportamento na época contemporânea. O sonho do carro, de viajar para conhecer o mundo, de embarcar em instituições de ensino diferente, pela moda, pelos novos produtos culturais como cinema e discos musicais, foram responsáveis por mais divergências. A criação da Indústria Cultural promoveu novos valores e jeitos de agir que levaram a mudanças comportamentais significativas.

A geração baby boomer começou a crescer sobre fortíssima influência da cultura de massa. Se a cultura do rádio e das revistas já influenciava comportamentos, agora a mudança se daria de forma mais abrupta. Diferenças comportamentais foram mais constantes e em pouco tempo começou a surgir uma sociedade mais fragmentada. Se no começo no século XX imaginamos um mundo mais homogêneo em padrões comportamentais, a heterogeneidade começou a prevalecer, em aspectos de moda e de gostos. Junto a esse processo, vale apontar a presença de grupos minoritários que começaram a ganhar destaque a se afirmarem.

Quando falamos da perda dos ídolos que acompanhamos com tanta constância recentemente, estamos falando de pessoas que divulgaram comportamentos e ideias que se reproduziram na sociedade. Foram Elvis e seu rebolado, Roberto Carlos e seus cabelos compridos, Leila Diniz grávida de biquíni, Caetano Veloso e seu brinco quem quebraram paradigmas e inseriram novos conceitos na sociedade. Uma influência que se mostrou muito significativa a partir da geração baby boomer, com a ascensão da TV e da cultura audiovisual. Os valores e os fazeres midiatizados começaram a atropelar os mais tradicionais, como família e igreja, e essa relação foi altamente abordada, como no filme Juventude Transviada.

A morte de David Bowie e de Lemmy Kilmister são a perda de figuras que representaram uma inovação não apenas em questões musicais, mas também estéticas, sendo um modelo para um determinado tipo de comportamento. Michelangelo Antonioni e Ettore Scola promoveram inovações no cinema que influenciaram a televisão. Até mesmo na literatura o modelo massificado ajudou na aproximação do público com autores, incluindo nisso a adaptação de muitas obras para cinema e TV.

A formação desses ídolos não necessariamente passa pelo talento, havendo aquelas figuras que são famosas apenas por serem famosas. A crítica à Indústria Cultural é forte, remetendo aos autores da Escola da Frankfurt. Tanto que é bastante comum nos depararmos com a morte de alguém em destaque nos veículos de comunicação sem saber porque ela teve relevância.

O que resta agora é conferir com frequência a morte de pessoas relvantes. Os rebeldes da década de 1960 já passam dos 70 anos e a tendência é que o obituário se torne cada vez mais um dos principais destaques da mídia. Muitos que nada fizeram de relevante serão lembrados. Outros de importância comprovada tendem a receber maior consideração. Caberá ao tempo separar o joio do trigo.


Guilherme Carvalhal
Itaperuna, 11/2/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A filosofia mínima de Luís Augusto Fischer de Marcelo Spalding
02. Saiba o que os astros não dizem sobre você de Adriana Baggio


Mais Guilherme Carvalhal
Mais Acessadas de Guilherme Carvalhal em 2016
01. Submissão, oportuno, mas não perene - 5/5/2016
02. Três filmes sobre juventude no novo século - 3/11/2016
03. Brasil em Cannes - 30/6/2016
04. Dheepan, uma busca por uma nova vida - 28/7/2016
05. Os novos filmes de Iñárritu - 17/3/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A VERDADE SOBRE PELÉ
ADRIANO NEIVA
LITHOGRAPHICA YPIRANGA
(1976)
R$ 3.000,00



GRANDE AMOR - UM OBJETIVO DE VIDA
LAMA MICHEL RINPOCHE; BEL CESAR
GAIA
(2016)
R$ 25,00



EXODONCIA
A. BERGER
LABOR
(1934)
R$ 13,84



MAHA GITA PURUSHAM DO BEM AVENTURADO
SRI MAHA KRISHNAS SWAMI
SMKS
R$ 25,00



TEORIA ELEMENTAR DAS CHARNEIRAS PLASTICAS 1
TELEMACO VAN LANGENDONCK
A. B. C. D
(1970)
R$ 130,00



A VIDA É UMA FÁBULA
JEAN DIDIER VINCENT
TEMAS E DEBATES
(1999)
R$ 17,19



VIAJE AL ESPAÑOL VOL. 2 - LIBRO DEL ALUNO
UNIVERSIDAD DE SALAMANCA
SANTILLANA
(1997)
R$ 25,00



DOUTRINA E PRÁTICA DO ARRESTO OU EMBARGO
OVÍDIO A. BAPTISTA DA SILVA
FORENSE
(1976)
R$ 15,00



O GRANDE PRESENTE DE NATAL
PE. RODRIGO HURTADO
LEGIONÁRIOS DE CRISTO
(2013)
R$ 6,50



MINHAS ORAÇÕES
MASAHARU TANIGUCHI
SEICHO-NO-IE
(2003)
R$ 9,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês