Três filmes sobre juventude no novo século | Guilherme Carvalhal | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
Mais Recentes
>>> Corpo de delito de Patricia Cornwell pela Paralela (2000)
>>> A Arte da guerra de Sun Tzu pela Pé da letra (2016)
>>> O fio do bisturi de Tess Gerritsen pela Harper Collins (2016)
>>> A garota dinamarquesa de Davdid Ebershoff pela Fabrica 231 (2000)
>>> Uma auto biografia de Rita Lee pela Globo livros (2016)
>>> Songbook Caetano Veloso Volume 2 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> A Sentinela de Lya Luft pela Record (2005)
>>> O teorema Katherine de John Green pela Intriseca (2006)
>>> Louco por viver de Roberto Shiyashiki pela Gente (2015)
>>> A ilha dos dissidentes de Barbara Morais pela Gutemberg (2013)
>>> Sentido e intertextualidade de Emanuel Cardoso Silva pela Unimarco (1997)
>>> Mistérios do Coração de Roberto Shinyashiki pela Gente (1990)
>>> Interrelacionamento das Ciências da Linguagem de Monica Rector Toledo Silva pela Edições Gernasa (1974)
>>> Sociologia e Desenvolvimento de Costa Pinto pela Civilização Brasileira (1963)
>>> O Coronel Chabert e Um Caso Tenebroso de Honoré de Balzac pela Otto Pierre Editores (1978)
>>> O golpe de 68 no Peru: Do caudilhismo ao nacionalismo? de Major Victor Villanueva pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/11/2016
Três filmes sobre juventude no novo século
Guilherme Carvalhal

+ de 2900 Acessos



Há dois filmes sobre juventude pós-ano 2000 bastante significativos. Um é dos Estados Unidos, Na Natureza Selvagem (2007, de Sean Penn). O outro é o alemão Os Edukadores (2004, de Hans Weingartner).

Essas duas obras são repletas de um romantismo juvenil que beiram a ingenuidade. No filme alemão, um trio de jovens se dedica a uma militância rebelde (anticapitalista, socialista, ou alguma terminologia do gênero). Eles invadem a casa de pessoas ricas, reviram seus móveis e deixam um recado politizado. Já Na Natureza Selvagem traz a história real de Chris McCandless, um jovem estadunidense de classe média e boa instrução que se cansa da vida em sociedade e viaja rumo ao Alasca por considerar que a vida em meio à natureza reserva maior felicidade para ele. Sujeito citadino, não consegue se virar em ambiente inóspito e morre.

Esses dois filmes se assemelham no ponto de mostrar uma pulsão juvenil por rebeldia canalizada por uma causa sem sentido, ou sem utilidade prática. Fazendo mais jus ao nome que o filme estrelado por James Dean, são rebeldes sem causa. Isso porque a geração de 1950 até 1970 ainda enfrentava uma relação forte de autoridade que seguia da casa ao governo. Foi a geração do movimento hippie, das revoltas de 1968, etc. Uma geração que se posicionou em vários extremas, da luta contra ditaduras na América Latina, contra a Guerra do Vietnã nos Estados Unidos, contra o regime socialista em Praga ou simplesmente contra o status quo na França.

Já a geração pós-2000 é de uma rebeldia bem menos direcionada, e até bastante conservadora, pode-se dizer. Foi uma juventude que cresceu beneficiada pelos ganhos da geração anteriores, pelas liberdades e pelos direitos. Também é uma geração que nasceu dentro de um mundo globalizado, tendo logo na infância um vídeo game japonês e brinquedos com o selo Made in Taiwan. É a geração que formou o público-alvo desses dois filmes: bem esclarecida, gozando de muitas vantagens em relação à geração de seus pais e com esse instinto de rebeldia sem um bom equalizador.

A essa lista adiciono um terceiro, Elefante (2003, de Gus Van Sant), também dos Estados Unidos. Aqui, a questão da juventude é problematizada com outra visão, mostrando as muitas relações em uma escola tendo como ponto chave dois garotos que entram armados e causam uma chacina. Claramente inspirado no massacre de Columbine, coloca no cerne as frustrações de uma juventude materialista em que o consumo se sobrepõe às relações afetivas e que essa troca resulta em um senso de desorientação que descamba em violência.

Se os dois primeiros nos ajudam a construir uma visão mais próxima à política da juventude posterior à queda do muro de Berlim, enfocando o âmbito das questões públicas, o terceiro tem uma abordagem mais próxima do íntimo, mostrando relações mais privadas. É a questão afetiva, a ideia de desencaixe social existente no adolescente, a relação com os mais velhos e as expectativas de vida que guiam o roteiro.

Esse tipo de abordagem não é uma novidade no cinema. Desde James Dean e Marlon Brando que essas histórias juvenis carregadas de drama começaram a ganhar espaço. Filmes como Amor, sublime amor, Hair e Sem Destino colocaram em evidência a existência de uma juventude ávida por aventura, discordando da “caretice” e querendo construir uma nova percepção de realidade.

Na década de 1980 essa ideia de juventude nos cinemas deu uma mudada. O tom dramático deu espaço a algo mais jocoso, como na série Porky's, em Clube dos Cafajestes, e nos filmes de John Hughes (criando um estilo de humor que existe até os dias atuais). Algumas exceções como Cristiane F. foram produzidas, mas a concepção de juventude na era Madonna e Michael Jackson esteve mais perto da exacerbação do estilo e do consumo do que na questão política.

A década de 1990 retomou essa ideia da juventude perdida e decepcionada. Do suicídio de Kurt Cobain ao sucesso de Kids, a evidência de uma juventude desnorteada começava a se fazer presente. Da politização dos tempos hippies à rendição do consumismo, nasceu um novo filho, o do jovem sem base e sem referência em um mundo em que drogas e violência abundam. Por outro lado, a juventude também é mostrada de uma maneira plastificada, como na indústria de vídeo clipe da MTV ou na série American Pie. Nesses casos, persiste o jovem quer vive por conta dos pais, atrás de sexo e dos prazeres mundanos, encarando um mundo capitalista à sua frente quando a vida adulta chegar.

Os três filmes mais recentes que citei trazem uma perspectiva interessante nessa abordagem de uma juventude e sua relação com o mundo, pois formam uma retomada de uma visão do jovem enquanto alguém também imbuído de um sentido de politização. Gus Van Sant é um cineasta que mescla paixão pela juventude com uma fina percepção de mundo. Sean Penn tem em seu currículo como ator o filme Picardias Estudantis, uma comédia adolescente da década de 1980, mas que traz dramas profundos, como aborto. De certa maneira, os anos 2000 levaram quem se formou durante os períodos anteriores a propor uma visão diferenciada desse tema nas telonas, indo além do pastiche e da visão de juventude perdida.

Essa mescla de rebeldia descambada com uma vida desencantada formam um painel interessante para notar-se movimentos que eclodem, até porque nos últimos anos surgiram movimentos juvenis por vários cantos do mundo. Das manifestações convocadas pelo Pussy Riot em Moscou à Primavera Árabe que descambou na queda de ditaduras como Ben Ali na Tunísia, Mubarak no Egito e Kadafi na Líbia, uma nova relação com a política se formou, boa parte dela movida pela capacidade de comunicação produzida pela internet e pela geração que cresceu com a globalização.

Falar dessa geração pressupõe pensar em jovens bem diferentes de suas gerações anteriores. É uma geração que cresceu com TV, internet e vídeo games, cuja formação de valores ultrapassa a esfera de sua família, igreja e escola, historicamente os baluartes da formação do indivíduo. Os anseios dessa geração extrapolam as barreiras fronteiriças e seus sonhos de consumo se ampliam, associando-se essa perspectiva individual a um mundo menos seguro para as realizações, em que a violência nas cidades é uma ameaça constante e um colapso financeiro como o de 2008 podem transformar carreiras e projetos financeiros em pó.

Outro ponto dessa relação da juventude pós-2000 com os três filmes é o fator anacronismo. Gus Van Sant apresentou um filme genuinamente retratando o momento presente, porém quanto aos outros dois vale uma ressalva. Chris McCandless viveu suas aventuras no começo da década de 1990. Já a história de Os Edukadores parece ter saído da Guerra Fria. Foram filmes que chamaram a atenção da juventude contemporânea, mas possuem um contexto muito forte de tempos passados. Isso reverbera ao notar-se que a simbologia dessa rebeldia juvenil atual é muito motivada pelo passado. Grupos feministas enaltecem Frida Kahlo e grupos de esquerda se valem de Che Guevara. Em um movimento de ocupação de escolas, os adolescentes cantavam Pra não dizer que não falei das flores. A juventude atual carece de ícones e, para supri-los, busca-os no passado.

É com esse mundo complexo que se formou após a queda do muro de Berlim, a chamada nova ordem mundial originada a partir do momento em que a União Soviética se desmantelou, que os três filmes se comunicam. É essa geração, que passou seu início de carreira em meio a uma crise econômica e que vê muitas das esperanças irem abaixo através de maquinações no mercado financeiro, que se encantou com o romantismo meio abobalhado de Chris McCandless. É sobre as frustrações de uma juventude desnorteada por uma época desprovida de utopias que Elefante se refere. E é a busca por utopias, mesmo que vazias, o tema principal de Edukadores.


Guilherme Carvalhal
Itaperuna, 3/11/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Abismo e a Riqueza da Coadjuvância de Duanne Ribeiro
02. It's evolution, baby de Luís Fernando Amâncio
03. Fique de cinto até a parada total da aeronave de Ana Elisa Ribeiro
04. O tipo que faz promessa de Ana Elisa Ribeiro
05. Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia de Duanne Ribeiro


Mais Guilherme Carvalhal
Mais Acessadas de Guilherme Carvalhal em 2016
01. Submissão, oportuno, mas não perene - 5/5/2016
02. Três filmes sobre juventude no novo século - 3/11/2016
03. Brasil em Cannes - 30/6/2016
04. Dheepan, uma busca por uma nova vida - 28/7/2016
05. Os novos filmes de Iñárritu - 17/3/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A ÚNICA ESPERANÇA - ENCONTRE O REAL SENTIDO DA VIDA
ALEJANDRO BULLÓN
CPB
(2013)
R$ 10,00



CONTOS GAUCHESCOS E LENDAS DO SUL
SIMÕES LOPES NETO
L&PM
(2012)
R$ 11,00



A VAGA DE CALOR
URBANO TAVARES RODRIGUES
PUBLICAÇÕES EUROPA - AMÉRICA
(1986)
R$ 15,63



O MUNDO DA CRIANCA
DIANE E. PAPALIA & SALLY WENDKOS OLDS
MCGRAW-HILL
(1981)
R$ 16,00



IPI - TEMAS CONSTITUCIONAIS POLÊMICOS
OSWALDO ORTHON DE PONTES E MARCOS AURÉLIO PEREIRA
FÓRUM
(2009)
R$ 9,99



QUÍMICA GERAL - COLEÇÃO SCHAUM
DANIEL SCHAUM; JEROME L. ROSENBERG
MCGRAW-HILL
(1975)
R$ 14,90



O BOM LADRÃO
FERNANDO SABINO
EDITORA ATICA
(1993)
R$ 8,00



MEDIDA CERTA - COMO CHEGAMOS LÁ!
RENATA CERIBELLI - ZECA CAMARGO
GLOBO
(2011)
R$ 8,90



PALAVRAS DE BOCAGE COL. PALAVRAS DE AUTORES PORTUGUESES
JOSÉ MANUEL FIGUEIREDO GRÁF. FRANC PEDRO LYON
LYON EDIÇÕES
(1997)
R$ 17,70



PELO SENHOR MARCHAMOS SIM
MARIA JOSÉ CORDEIRO DA SILVA
RABONI
(1994)
R$ 7,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês