Conto de amor tétrico ou o túmulo do amor | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
29794 visitas/dia
891 mil/mês
Mais Recentes
>>> CRIANÇAS DE HELIÓPOLIS REALIZAM CONCERTO DE GENTE GRANDE
>>> Winter Fest agita Jurerê Internacional a partir deste final de semana
>>> Coletivo Roda Gigante inicia temporada no Jazz B a partir de 14 de julho
>>> Plataforma Shop Sui dança dois trabalhos no Centro de Referência da Dança
>>> Seminário 'Dança contemporânea, olhares plurais'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> É cena que segue...
>>> Imagens & Efeitos
>>> Segredos da alma
>>> O Mundo Nunca Foi Tão Intenso Nem Tão Frágil
>>> João Gilberto
>>> Retalhos ao pôr do sol
>>> Pelagem de flor III: AMARELO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Copacabana-Paulista-Largo das Forras
>>> Palavras, muitas palavras
>>> Lula: sem condições nenhuma*
>>> Novos Melhores Blogs
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Historia de Hotmail
>>> Maria Rita: música em estado febril
Mais Recentes
>>> Em Busca de um Final Feliz de Katherine Boo pela Novo Conceito (2013)
>>> O Codigo Da Vinci de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> A Conquista da Confiança, A Conquista do poder de Michelle Celmer, Catherine Mann pela A Conquista (2015)
>>> Poder & Paixão - Atraente Desafio, Fruto de uma Noite - Edição 224 de Jennifer Hayward, Jennie Lucas pela Harlequin (2014)
>>> São Paulo 1975 - Crescimento e Pobreza de Vários pela Loyola
>>> Bagagem de Adélia Prado pela Record (2008)
>>> Futebol 2001 de José Ângelo Garsia pela Summus Editorial (2001)
>>> Preparar Apontar Fogo! Emoção em caça e pesca de Synesio Ascencio pela Troféu (1973)
>>> Fiesta - Curtindo Cada Segundo de Kate Cann pela Arxjovem (2003)
>>> Pesca Esportiva Maritima de Irineu Fabichak pela Nobel (1982)
>>> Diários do Vampiro - Confronto de L. J. Smith pela Galera Record (2010)
>>> ABC da Caça - Coleção Cultura e Tempos Livres de Fabiãn Abril pela Presença (1978)
>>> De Volta para Casa de Mary Sheldon pela Record (2004)
>>> Buracos Negras - Palestras da BBC Reith Lectures de Stephen Hawking pela Intríseca (2017)
>>> Poder Sexual Feminino de Márcia Goldschmidt pela Gente (2000)
>>> Iacocca – Uma autobiografia de Lee Iacocca e William Novak pela Cultura (1985)
>>> Voltando Para Casa com o Seu Bebê - Do Nascimento à Realidade de Laura A. Janna e Jennifer Shu pela Martins Fontes (2010)
>>> A Dominação Masculina - a Condição Feminina e a Violência Simbólica de Pierre Bourdieu pela Bertrand Brasil (2019)
>>> Pais Brilhantes, Professores Fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2003)
>>> Os Elementos - Capa Dura de Euclides pela Unesp (2009)
>>> Mauricio: A História Que Não Está No Gibi de Maurício De Sousa pela Sextante (2017)
>>> O Possuído - A besta toma posse de Tim LaHaye, Jerry B. Jenkins pela United Press (2010)
>>> Direita e Esquerda de Norberto Bobbio pela Unesp (2011)
>>> Sobre Educação, Política e Sindicalismo de Maurício Tragtenberg pela Unesp (2004)
>>> Mensagem do Outro Lado do Mundo de Marlo Morgan pela Rocco (2019)
>>> Dicionário de Políticas Públicas de Geraldo Di Giovanni/Marco Aurélio Nogueira (orgs) pela Unesp (2018)
>>> Zoom - Cinco Páginas Animadas de Chris Davis pela Ciranda Cultural (2010)
>>> Livro Nozes & Companhia - Um Livro de Receitas de Editora Lisma pela Lisma (2006)
>>> A Última Grande Lição - O Sentido da Vida de Mitch Albom pela Sextante (2010)
>>> A casa dos Bronzes de Ellery Queen pela Nova Fronteira
>>> Livro Coleção Fono na Escola de Márica Honora pela Ciranda Cultural (2009)
>>> Livro Irmãs vampiras - uma missão bem dentuça de Franziska Gehm pela V e R (2019)
>>> Infância dos Mortos de José Louzeiro pela Record (1981)
>>> Livro Dificuldades de Aprendizagem de Ana Maria Salgado Gómez pela Grupo Cultural (2018)
>>> O Misterioso Sr. Quin de Agatha Christie pela L&PM Pocket (2017)
>>> Rimbaud da América e Outras Iluminações de Maurício Salles Vasconcelos(Autografado) pela Estação da Liberdade (2000)
>>> Rimbaud da América e Outras Iluminações de Maurício Salles Vasconcelos(Autografado) pela Estação da Liberdade (2000)
>>> O Siciliano de Mario Puzo pela Circulo do Livro (1984)
>>> Cid-10 - Vol. 1: Classificação Estatistica Internacional de Doenças de Oms pela Edusp (2010)
>>> O Espírito de Liberdade de Erich Fromm pela Zahar (1981)
>>> Conversa na Catedral de Mario Vargas Llosa pela Circulo do Livro (1969)
>>> Livro Nada a perder 2 de Edir Macedo pela Planeta (2013)
>>> Livro Mundo Afora de Mel Lisboa pela Globo (2007)
>>> A Nova Ordem Mundial e os Conflitos Armados - Bilingue/ Capa Dura de Daniel Amin Ferraz/ Denise Hauser Coord. pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Livro Maternidade Tardia. Mulheres Profissionais em Busca da Realização Plena de Sylvia Ann Hewlett pela Novo Século (2008)
>>> El Domador de Monstruos de Ana Maria Machado pela Sm (2007)
>>> Desafios do Trabalho de Ladislau Dowbor , Odair Furtado , leonardo Trevisan ,Hélio Silva pela Vozes (2004)
>>> Livro Bênção Diária 2 de Max Lucado pela Thomas Nelson (2014)
>>> Livro O grande livro das parlendas de Paulo F Netho pela Ciranda Cultural (2015)
>>> Sucessões - Teoria, Prática e Jurisprudência...Na Vigência do Código Civil 1916... de Wilson de Oliveira pela Del Rey/ Belo Horizonte (2004)
COLUNAS

Terça-feira, 1/3/2016
Conto de amor tétrico ou o túmulo do amor
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2800 Acessos


"A única virtude que minha história tem é que de fato ocorreu". (G. C. Infante)



Eu a conheci aos 16 anos. Nós nos apaixonamos imediatamente. Tínhamos uma turminha bem animada, que se reunia para tomar vinho barato, tocar violão, ler Fernando Pessoa e fumar uns baseados.

Vivíamos numa cidade do interior de Minas Gerais. Muitas igrejas, muita fofoca, muita vigilância moral. A terra das beatas é algo muito próximo ao inferno para um jovem. Não bastasse a vigilância da família, os olhos de todos os cidadãos sobre nós era de condenação. Jovens com cabelos chegando ao ombro e com uma predisposição a nadar contra a correnteza, éramos suspeitos: “Não te vi na missa da manhã hoje, meu filho!”.

Aos 16 anos, depois de alguns troca-trocas, amar algumas bananeiras e desejar a própria irmã e suas amigas tomando sol de biquíni no quintal, descobri o amor nos lábios doces daquela menina com cara de sapeca, com um riso indescritível, que tocava violão e gostava de poesia.

Primeiro andamos de mãos dadas, depois nos beijamos e nos beijamos, depois nos tocamos nas partes do corpo que eram proibidas. Enquanto o calor subia, as fofocas também esquentavam na pequena cidade cheia de igrejas. No entanto, não nos apavoramos, éramos puros, amantes de coração, portanto livres para ir até o fim.

Nos divertíamos em grupo inicialmente. O violão mal tocado passava de mão em mão, como o baseado e a garrafa de vinho vagabundo. Alegres e plenos de poesia e música, nos separávamos do bando ao ir para casa. Eu a levava até o portão de casa, os beijos não queriam mais parar. Porque dividir o que nasceu para ficar junto? Chegando a hora de se recolher, ia cada um para sua casa, triste e feliz. Amanhã tem mais. Tem mais vida.

O sino das igrejas nos acordava bem cedo. Um poema para meu amor, preciso escrever, escrever, escrever. À noite trocávamos nossos poemas amassados, guardados o dia todo no bolso, lidos, relidos, corrigidos.

Estudávamos à noite. Acabava a aula, cada um trazia seu vinho, seu livro de poesia e era só encontrar um baseado. Cada um do grupo tirava sua pequena contribuição do bolso e o resto era fácil. De mãos dadas com meu amor, minha felicidade corria aquelas ruas de paralelepípedo de uma cidade cheia de igrejas do interior de Minas Gerais.

Para correr dos olhos vigilantes, descobrimos a escadaria do cemitério como ponto de encontro para a música, histórias de terror e poesia. O violão alimentava nossos corações com canções de Lô Borges, Beto Guedes e Milton. Além dos meus beijos, não é meu amor?

- “Nos vemos amanhã pessoal, vamos ficar namorando um pouco mais aqui, sob os cuidados das almas penadas”.

E foram tantos beijos (e mãos que invadiam a camisa e a calça e a minissaia e o perfume se misturava e nos apertávamos mais e mais e não conseguíamos parar de nos beijar nos esfregar e nos declarávamos apaixonados e nos amassávamos e nos desejávamos), que decidimos, por fim, entrar no cemitério. Não era fácil o acesso a um motel. Era impossível. Naquela cidade de igrejas por todo lado, olhos vigilantes e censores, pais quadrados e falta de dinheiro para tudo e nem carro tínhamos, como poderíamos ficar sozinhos? Só o cemitério era de graça (para nós, não para os mortos).

Entramos, afinal não se pode fugir do desejo de fusão amorosa. E o mais lindo túmulo era, para nosso deleite, o do poeta Alphonsus de Guimarães. Ele não iria se importar, comentamos. Ao contrário, ele teria assunto no céu ou no inferno para mais um poema simbolista.

Limpei o túmulo, que reluzia em sua negritude sob a luz de uma lua nova. Tirei minha camisa e forrei o mármore negro que, em seguida, viu deitar sobre ele a nudez total de uma menina de 17 anos. Não éramos mais virgens ao passar da meia-noite. Atravessamos as ruas da cidade mais felizes e brilhantes que um cometa, mais felizes do que um poeta quando encontra a palavra justa. Havíamos encontrado nossa morada do amor. E era ali que passávamos a maior parte de nossas noites juntos.

E também foi ali, um ano depois, sentado sobre o mesmo túmulo, que ouvi de sua boca a pior notícia de minha vida: “Não quero mais, vamos acabar com isso”. Porque? “Vamos nos despedir fazendo amor pela última vez”. Eu a penetrei chorando, com um rio de minhas lágrimas lambuzando o seu rosto e os seus seios. “Por favor, entenda, não quero mais, não dá mais...”.

Desci aquelas ruas sozinho, o coração trespassado por uma lâmina de aço, penetrante, dolorosa e amarga, enquanto a observava indo para casa também sozinha, com seus delicados passos que faziam sua minissaia balançar para lá e para cá. Um poema de dor para meus olhos.

Em casa, entrei no quarto do meu pai, abri o armário e do bolso de seu terno retirei a arma que eu sempre soube que estava ali. O meu Werther estava aberto sobre a mesa, era o alimento poético para meus dias de amor felizes e tristes como todo amor. Depositei sobre ele a arma. Peguei algumas folhas de papel e escrevi a minha história de amor, que dediquei a ela. Quando acabei, lá pelas 5 da manhã, acordei todos em casa com o barulho do tiro, que atravessou meu coração.

Toda a cidade ficou sabendo e se comoveu com a história, narrada no texto que apareceu na manhã seguinte impressa no jornalzinho local. Lido, lido, lido. O neto do poeta, um homem sensível às histórias de amantes, sugeriu que eu fosse sepultado no túmulo do amor. Toda a cidade aplaudiu a iniciativa. E assim foi feito.

Ela, a amada, inconsolável, passou a andar como uma louca pela cidade, corroída com a minha morte, à beira da insanidade e também da decisão final. Todos aguardavam atentos pelo desfecho, pois percebiam que o abismo a espreitava. Por isso, o túmulo era limpo diariamente, à espera do corpo da jovem que ali poderia encontrar a sua paz de espírito e seu amado perdido.

Enquanto a cidade esperava do lado de lá, eu esperava do lado de cá, no reino dos mortos, pelo reencontro.



(A imagem é obra do artista Elias Layon, feita especialmente para ilustrar o conto)


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 1/3/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Assum Preto, Me Responde? de Duanne Ribeiro
02. A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel de Renato Alessandro dos Santos
03. Dos sentidos secretos de cada coisa de Ana Elisa Ribeiro
04. Piada pronta de Luís Fernando Amâncio
05. Raio-X do imperialismo de Celso A. Uequed Pitol


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2016
01. Os dinossauros resistem, poesia de André L Pinto - 9/8/2016
02. O titânico Anselm Kiefer no Centre Pompidou - 5/4/2016
03. Tempos de Olivia, romance de Patricia Maês - 5/7/2016
04. A literatura de Marcelo Mirisola não tem cura - 21/6/2016
05. Conto de amor tétrico ou o túmulo do amor - 1/3/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A TORRE MAL-ASSOMBRADA
SUSANNAH LEIGH
SCIPIONE
(2006)
R$ 12,00



A CONSTITUIÇÃO COMO PRINCÍPIO
MÔNICA CLARISSA HENNIG LEAL
MANOLE
(2003)
R$ 7,00



LEE-LI YANG
CAMILA DE TOLEDO PIZA COSTA MACHADO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



PROJETO ARARIBÁ GEOGRAFIA 6ª SÉRIE
ORGANIZADORA EDITORA MORDENA
ED. MODERNA
(2006)
R$ 5,00



A LONGA NOITE
RAYMOND CHANDLER
CÍRCULO DO LIVRO
(1987)
R$ 12,00
+ frete grátis



O QUE E O FUTURO?
FRANCESCO MORACE
ESTAÇAO DAS LETRAS
(2013)
R$ 23,00
+ frete grátis



COMO E PORQUE SE FAZ ARTE
ELIZABETH NEWBERY
ATICA
(2011)
R$ 10,50



RUA DO MEDO A VIDENTE
R. L. STINE
ROCCO
(1999)
R$ 7,00



ELA SÓ QUERIA CASAR...
MARCELO CEZAR
VIDA & CONSCIÊNCIA
(2012)
R$ 15,00



A TRAVELERS GUIDE TO EL DORADOAND THE INCA EMPIRE: A SUPERBLY
LYNN MEISCH
PENGUIN BOOKS
(1984)
R$ 25,28





busca | avançada
29794 visitas/dia
891 mil/mês