Meu problema com os críticos | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Yassir Chediak no Sesc Carmo
>>> O CIEE lança a página Minha história com o CIEE
>>> Abertura da 9ª Semana Senac de Leitura reúne rapper Rashid e escritora Esmeralda Ortiz
>>> FILME 'CAMÉLIAS' NO SARAU NA QUEBRADA EM SANTO ANDRÉ
>>> Inscrições | 3ª edição do Festival Vórtice
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cenas de abril
>>> Por que 1984 não foi como 1984
>>> A dicotomia do pop erudito português
>>> Coisas nossas
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Apresentação autobiográfica muito solene
>>> Nem Aos Domingos
>>> Aprender poesia
>>> São Luiz do Paraitinga
>>> A Barsa versus o Google
Mais Recentes
>>> Dicionário De Espanhol-português de Porto pela French & European Pubns (2015)
>>> Os Fantasmas Da São Paulo Antiga de Miguel Milano pela Unesp (2012)
>>> Direito Civil Brasileiro 3 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2011)
>>> Um Grito de Socorro de Alcides Goulart pela Jovem (2014)
>>> Medicina de urgência de Elisa Mieko Suemitsu Higa pela Manole (2008)
>>> Expedição aos Martírios 15 edição de Francisco Marins pela Melhoramentos (1978)
>>> Todo Mundo Tem Uma História Para Compartilhar de Karen Worcman pela Museu da Pessoa (2014)
>>> Os Restos Mortais( com encartes 1994 das obras Ática ) de Fernando Sabino pela Ática (1994)
>>> Ana Cecília Carvalho; Robinson Damasceno dos Reis de O Ourives Sapador do Polo Norte: como fazer pesquisas e anotar informações pela Formato (1995)
>>> Livro Seu Zezinho - A Estrela Eterna de Sumaré de Claúdia Sabadini pela Cult (2016)
>>> Livro Alma Gêmea - Você está pronta para ser encontrada? de Rosana Braga pela Escala (2001)
>>> O Mistério da Fábrica de Livros 23 edição. de Pedro Bandeira pela Hamburg (2024)
>>> Panelinha: Receitas Que Funcionam de Rita Lobo pela Senac São Paulo (2012)
>>> A Crítica Da Razão Indolente. Contra O Desperdício Da Experiência de Boaventura De Sousa Santos pela Cortez (2011)
>>> Educação E Crise Do Trabalho: Perspectivas De Final De Século (coleção Estudos Culturais Em Educação) de Gaudêncio Frigotto (org) pela Vozes (2002)
>>> Era Dos Extremos - The Age Of Extremes de Eric Hobsbawm pela Companhia Das Letras (2003)
>>> A Volta dos Pardais do Sobradinho 3 edição. de Herberto Sales pela Melhoramentos (1990)
>>> O Mistério do Esqueleto - coleção veredas 13 edição. de Renata Pallottini pela Moderna (1992)
>>> Livro Na Vida Dez, Na Escola Zero de Terezinha. Carraher pela Cortez (1994)
>>> Livro Voce Verdadeiramente Nasceu De Novo Da Agua E Do Espirito? de Paul C. Jong pela Hephzibá (2002)
>>> Livro Luz no lar de Francisco Cândido Xavier por Diverso Espíritos pela Feb (1968)
>>> Livro As Perspectivas Construtivista e Histórico-cultural na Educação Escola de Tania Stoltz pela Ibpex (2008)
>>> Livro El Desarrollo Del Capitalismo En America Latina. Ensayo De Interpretacion Historica (spanish Edition) de Agustin Cueva pela Siglo Xxi (2002)
>>> O Fantástico Homem do Metrô 8 edição. - coleção veredas de Stella Carr pela Moderna (1993)
>>> Missão Ninok: se tem medo do futuro não abra o livro de Bernardino Monteiro pela Artenova (1980)
COLUNAS

Sexta-feira, 1/3/2002
Meu problema com os críticos
Alexandre Soares Silva
+ de 4100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Li na Internet uma crítica do filme “Moulin Rouge”. Eu gostei de “Moulin Rouge” - um bocado, até. Mas na crítica o sujeito dizia que o filme “não funcionava” - e em seguida explicava por que, usando a poética de Aristóteles.

Não era um texto idiota. Não digo o nome do autor, justamente porque não é um idiota - tenho mais pudor para elogiar do que para ridicularizar. Se achasse ridículo, diria o nome. Infelizmente, não havia nada de ridicularizável no texto - mas havia isso que eu achei estranho: a expressão “o filme não funciona”.

Quem diz isso não está dizendo: “eu não gostei do filme”. Quem diz isso é como um piloto que examina um avião e diz: “esse avião não vai levantar vôo”. Não é um piloto que achou um avião feio. É um piloto tentando dar uma análise objetiva do avião, uma opinião técnica. “Esse avião tem tal e tal defeito e não vai sair do chão. Tentei e não consegui”.

Ué, mas pra mim funcionou. Entrei no avião, levantei vôo, fui até Piracicaba e voltei. E agora?

Se o avião não funcionou com ele, mas funcionou comigo, o problema obviamente não é com o avião, nem é comigo. É com ele.

Isso é freqüente. Estou vendo um filme; o filme me excita de alguma maneira; mas me viro para o lado, e meu amigo, o crítico - que não foi capaz de sentir essa excitação, como um leitor que não é capaz de fazer a escanção de um poema - está me explicando por que eu não deveria gostar desse filme. É como se você estivesse na cama com uma mulher, gostando de tudo, e de repente percebesse um homenzinho no canto do quarto, fazendo cara de nojo: “Está gostando? Mas e essas muxibinhas?”

Que não se diga, no entanto, que esse argumento serve para defender qualquer filme. Alguém há de ter gostado de Xuxa e o Segredo dos Duendes (é esse o nome? Não diga - não quero saber). Não posso, portanto, dizer que ele não funciona. Posso dizer que não gosto dele (estou sendo gentil); mas não que ele não funciona, ou corro o risco de ser contestado por uma garota gordinha de Brasília que respira com a boca aberta e está apaixonada pelo Justin Timberlake.

Sim, esse filme (o da Xuxa) é um avião que às vezes voa. Mas eu é que não me arrisco a entrar nele.

Com certeza!

Já se reclamou um bocado contra o uso excessivo de “com certeza!”, mas como isso não pára, aqui vai mais uma pedrinha para o apedrejamento desse cacoete (para quem foi poupado, o “com certeza!” tem que ser dito num crescendo, num tom animadinho - o tal “up-talk” dos americanos). O leitor Paulo Henrique M. de Oliveira me mandou por email um exemplo atroz, visto por ele na televisão. Perguntaram a uma “modelo”, dessas com silicone nos lobos frontais, se ela iria desfilar no carnaval de São Paulo. Ela respondeu: “Com certeza, talvez eu vá!”. Não é lindo? Não é horrível?

Meu problema com a Volkswagen...

Isto também é sobre o uso das palavras. Ou sobre o não-uso delas.

Estava eu sossegado na minha poltrona, mudando os canais. Passando rápido pelos canais abertos, com a espécie de frisson que a Clarice Starling deve ter sentido ao andar no corredor do hospício em O Silêncio dos Inocentes, e repetindo para mim mesmo: não pare, não pare, não pare. Eis quando – mais uma vez, como Clarice Starling - fui atingido por algo.

Tive que parar.

Trata-se do aviso de uma “convocação” feita pela Volkswagen do Brasil. Aparentemente, alguém vendeu carros com defeitos nos freios. A Volkswagen do Brasil está fazendo o tal do recall. Este é o texto que apareceu na tela, lido por um homem de voz empolada:

“A Volkswagen do Brasil convoca os proprietários de automóveis Gol, Parati, Saveiro, Santana e Kombi, ano de fabricação 2002, para comparecerem a um concessionário de sua preferência para verificação e, se necessário, fazer a substituição do conjunto 'cavalete/pinça' dos freios a disco desses veículos. Esta peça é fornecida pela Continental do Brasil Produtos Automotivos Ltda. para parte dos veículos Volkswagen e para outras montadoras.

Constatou-se que em algumas dessas peças o processo de cromação dos pistões pode levar à formação de bolhas de gás e contaminar os circuitos hidráulicos dos freios. Existe a possibilidade de que em alguns casos isso possa afetar a eficiência do freio do veículo e aumentar o espaço necessário para parar ou reduzir a sua velocidade.

A Volkswagen produziu 37.000 veículos no período de 9 de janeiro a 8 de fevereiro, conforme numeração de chassi abaixo. Desse total, 26.000 unidades não estão afetadas por utilizarem peças de outro fornecedor. Considerando os carros nos pátios da montadora e dos concessionários, cerca de 10% desse total estão nas mãos dos consumidores.”

Daí vem uma lista de números de série dos chassis de carros Gol, Parati, Saveiro, Santana e Kombi; e a informação de que um “esquema logístico” está sendo preparado para receber os carros defeituosos.

Meu problema nem é com a palavra “convocação”. Apesar do Dicionário Universal Online da Texto Editora definir convocar como

“do Lat. convocare
v. tr.,
(...)
mandar comparecer”, não é da conotação autoritária, ou pelo menos brusca, da palavra, que eu estou reclamando. Poderiam dizer que convocar também pode ser usado em circunstâncias mais gentis (embora ninguém convoque a namorada para jantar - a menos que use a palavra de modo irônico). Nem do tom, digamos, germânico do texto. Não. É de outra coisa que eu estou reclamando.

É da velha dificuldade em se dizer DESCULPE e POR FAVOR.

...E minhas saudades do Dr. Lecter

Por falar em O Silêncio dos Inocentes - a falta que Hannibal Lecter faz. Lembrem-se: ele só comia os rudes.


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 1/3/2002

Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva em 2002
01. Polêmicas - 29/11/2002
02. Filhos de Francis - 15/11/2002
03. Quem Não Lê Não É Humano - 3/5/2002
04. Psiquiatra declara Japão Oficialmente Maluco - 31/5/2002
05. Grandes Carcamanos da História - 21/6/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/3/2002
17h55min
Alexandre, acho que os críticos estão perdendo a importância relativa de que desfrutavam na era A.A.I. (antes do advento da internet). Agora, quem deseja, pode colher impressões e informações de inúmeras fontes, reduzindo o monopólio opinativo dos antigos especialistas. Só que os críticos ainda não perceberam essa redução de status (problema deles) e continuam com a arrogância de sempre, decretando o que "funciona" ou não. Aqui no Rio, quando leio a opinião deles sobre os filmes em cartaz, no mais das vezes (acredite, não estou sendo irônico) a opinião deles me influencia com sinal trocado, ou seja, quando elogiam muito, fico desconfiado (geralmente não é um bom filme, é apenas politicamente correto) e quando procuram denegrir a película, já é um indício positivo de que o espetáculo é desprovido de lixo ideológico. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Toni]
5/3/2002
01h31min
Toni: também uso o seu método, mas com alguma reserva. O problema é que os críticos de cinema são tão imprevisíveis que, às vezes, e por acaso, dizem que é bom um filme bom, ou que é ruim o filme ruim. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Alexandre]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Brasil Nos Arquivos Britânicos E Irlandeses: Guia de Fontes
Oliver Marshall
‎ Centre for Brazilian Studies
(2007)



A Ciência da Cura
Dr. Luís Carlos Silveira
Gente
(2015)



A Árvore do Halloween
Ray Bradbury
Bertrand Brasil
(2014)



Expressões Que Curam
Daniel Júnior
Bvz
(2002)



Diccionário Oxford Escolar para estudantes brasileiros de inglês 596
Diccionário Oxford Escolar para estudantes brasileiros de inglês
Oxford University Press
(2010)



Livro Religião Viver o Ano Litúrgico Reflexões para os Domingos e Solenidades
Frei Alberto Beckhäuser Ofm
Vozes
(2003)



Paris é Para Sempre
Ellen Feldman
Vestigio
(2021)



Livro Saúde Eu não Consigo Emagrecer A dieta francesa que conquistou mais de 30 milhões de leitores
Dr. Pierre Dukan
Best Seller
(2014)



O Planeta Desconhecido
Peter Kolosimo
Melhoramentos
(1973)



As Mentiras Que Os Homens Contam
Luis Fernando Verissimo
Objetiva Ltda.
(2001)





busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês