Meu problema com os críticos | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
62333 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 1/3/2002
Meu problema com os críticos
Alexandre Soares Silva

+ de 3000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Li na Internet uma crítica do filme “Moulin Rouge”. Eu gostei de “Moulin Rouge” - um bocado, até. Mas na crítica o sujeito dizia que o filme “não funcionava” - e em seguida explicava por que, usando a poética de Aristóteles.

Não era um texto idiota. Não digo o nome do autor, justamente porque não é um idiota - tenho mais pudor para elogiar do que para ridicularizar. Se achasse ridículo, diria o nome. Infelizmente, não havia nada de ridicularizável no texto - mas havia isso que eu achei estranho: a expressão “o filme não funciona”.

Quem diz isso não está dizendo: “eu não gostei do filme”. Quem diz isso é como um piloto que examina um avião e diz: “esse avião não vai levantar vôo”. Não é um piloto que achou um avião feio. É um piloto tentando dar uma análise objetiva do avião, uma opinião técnica. “Esse avião tem tal e tal defeito e não vai sair do chão. Tentei e não consegui”.

Ué, mas pra mim funcionou. Entrei no avião, levantei vôo, fui até Piracicaba e voltei. E agora?

Se o avião não funcionou com ele, mas funcionou comigo, o problema obviamente não é com o avião, nem é comigo. É com ele.

Isso é freqüente. Estou vendo um filme; o filme me excita de alguma maneira; mas me viro para o lado, e meu amigo, o crítico - que não foi capaz de sentir essa excitação, como um leitor que não é capaz de fazer a escanção de um poema - está me explicando por que eu não deveria gostar desse filme. É como se você estivesse na cama com uma mulher, gostando de tudo, e de repente percebesse um homenzinho no canto do quarto, fazendo cara de nojo: “Está gostando? Mas e essas muxibinhas?”

Que não se diga, no entanto, que esse argumento serve para defender qualquer filme. Alguém há de ter gostado de Xuxa e o Segredo dos Duendes (é esse o nome? Não diga - não quero saber). Não posso, portanto, dizer que ele não funciona. Posso dizer que não gosto dele (estou sendo gentil); mas não que ele não funciona, ou corro o risco de ser contestado por uma garota gordinha de Brasília que respira com a boca aberta e está apaixonada pelo Justin Timberlake.

Sim, esse filme (o da Xuxa) é um avião que às vezes voa. Mas eu é que não me arrisco a entrar nele.

Com certeza!

Já se reclamou um bocado contra o uso excessivo de “com certeza!”, mas como isso não pára, aqui vai mais uma pedrinha para o apedrejamento desse cacoete (para quem foi poupado, o “com certeza!” tem que ser dito num crescendo, num tom animadinho - o tal “up-talk” dos americanos). O leitor Paulo Henrique M. de Oliveira me mandou por email um exemplo atroz, visto por ele na televisão. Perguntaram a uma “modelo”, dessas com silicone nos lobos frontais, se ela iria desfilar no carnaval de São Paulo. Ela respondeu: “Com certeza, talvez eu vá!”. Não é lindo? Não é horrível?

Meu problema com a Volkswagen...

Isto também é sobre o uso das palavras. Ou sobre o não-uso delas.

Estava eu sossegado na minha poltrona, mudando os canais. Passando rápido pelos canais abertos, com a espécie de frisson que a Clarice Starling deve ter sentido ao andar no corredor do hospício em O Silêncio dos Inocentes, e repetindo para mim mesmo: não pare, não pare, não pare. Eis quando – mais uma vez, como Clarice Starling - fui atingido por algo.

Tive que parar.

Trata-se do aviso de uma “convocação” feita pela Volkswagen do Brasil. Aparentemente, alguém vendeu carros com defeitos nos freios. A Volkswagen do Brasil está fazendo o tal do recall. Este é o texto que apareceu na tela, lido por um homem de voz empolada:

“A Volkswagen do Brasil convoca os proprietários de automóveis Gol, Parati, Saveiro, Santana e Kombi, ano de fabricação 2002, para comparecerem a um concessionário de sua preferência para verificação e, se necessário, fazer a substituição do conjunto 'cavalete/pinça' dos freios a disco desses veículos. Esta peça é fornecida pela Continental do Brasil Produtos Automotivos Ltda. para parte dos veículos Volkswagen e para outras montadoras.

Constatou-se que em algumas dessas peças o processo de cromação dos pistões pode levar à formação de bolhas de gás e contaminar os circuitos hidráulicos dos freios. Existe a possibilidade de que em alguns casos isso possa afetar a eficiência do freio do veículo e aumentar o espaço necessário para parar ou reduzir a sua velocidade.

A Volkswagen produziu 37.000 veículos no período de 9 de janeiro a 8 de fevereiro, conforme numeração de chassi abaixo. Desse total, 26.000 unidades não estão afetadas por utilizarem peças de outro fornecedor. Considerando os carros nos pátios da montadora e dos concessionários, cerca de 10% desse total estão nas mãos dos consumidores.”

Daí vem uma lista de números de série dos chassis de carros Gol, Parati, Saveiro, Santana e Kombi; e a informação de que um “esquema logístico” está sendo preparado para receber os carros defeituosos.

Meu problema nem é com a palavra “convocação”. Apesar do Dicionário Universal Online da Texto Editora definir convocar como

“do Lat. convocare
v. tr.,
(...)
mandar comparecer”, não é da conotação autoritária, ou pelo menos brusca, da palavra, que eu estou reclamando. Poderiam dizer que convocar também pode ser usado em circunstâncias mais gentis (embora ninguém convoque a namorada para jantar - a menos que use a palavra de modo irônico). Nem do tom, digamos, germânico do texto. Não. É de outra coisa que eu estou reclamando.

É da velha dificuldade em se dizer DESCULPE e POR FAVOR.

...E minhas saudades do Dr. Lecter

Por falar em O Silêncio dos Inocentes - a falta que Hannibal Lecter faz. Lembrem-se: ele só comia os rudes.


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 1/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Carmen Miranda de Ruy Castro de Julio Daio Borges
02. Princípio ativo de Rafael Lima


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva em 2002
01. Polêmicas - 29/11/2002
02. Filhos de Francis - 15/11/2002
03. Quem Não Lê Não É Humano - 3/5/2002
04. Psiquiatra declara Japão Oficialmente Maluco - 31/5/2002
05. Grandes Carcamanos da História - 21/6/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/3/2002
17h55min
Alexandre, acho que os críticos estão perdendo a importância relativa de que desfrutavam na era A.A.I. (antes do advento da internet). Agora, quem deseja, pode colher impressões e informações de inúmeras fontes, reduzindo o monopólio opinativo dos antigos especialistas. Só que os críticos ainda não perceberam essa redução de status (problema deles) e continuam com a arrogância de sempre, decretando o que "funciona" ou não. Aqui no Rio, quando leio a opinião deles sobre os filmes em cartaz, no mais das vezes (acredite, não estou sendo irônico) a opinião deles me influencia com sinal trocado, ou seja, quando elogiam muito, fico desconfiado (geralmente não é um bom filme, é apenas politicamente correto) e quando procuram denegrir a película, já é um indício positivo de que o espetáculo é desprovido de lixo ideológico. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Toni]
5/3/2002
01h31min
Toni: também uso o seu método, mas com alguma reserva. O problema é que os críticos de cinema são tão imprevisíveis que, às vezes, e por acaso, dizem que é bom um filme bom, ou que é ruim o filme ruim. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Alexandre]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A JANELA DO TEMPO
IRAN IBRAHIM JACOB
NOVA ERA
(1996)
R$ 5,00



PISTOLAS SEMI-AUTOMÁTICAS - COLEÇÃO GUIAS DE ARMAS DE GUERRA
NOVA CULTURAL
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 9,90



UM ESTRANHO NO ESPELHO
SIDNEY SHELDON
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 9,00



MESTRES DA PINTURA: RENOIR
ABRIL CULTURAL
ABRIL CULTURAL
(1977)
R$ 6,90



OS AUTOS DAS BARCAS
GIL VICENTE
PUBLICAÇÕES EUROPA AMÉRICA
(1987)
R$ 5,00



AQUI ENTRE NÓS
MARINA COLASANTI
ROCCO
(1988)
R$ 6,99



COMO SE REALIZAM AS MUDANÇAS EM EDUCAÇÃO
A. M. HUBERMAN
CULTRIX
(1973)
R$ 5,90



A FALTA QUE ELA ME FAZ
FERNANDO SABINO
RECORD
(1980)
R$ 5,00



PRÊMIO CENTENÁRIO DE FERNANDO PESSOA, FERNANDO PERSONA
JOÃO DE CARVALHO
CASA DE PORTUGAL
(1993)
R$ 27,91



O CANDIDATO
FLETCHER KNEBEL
CIRCULO DO LIVRO
(1972)
R$ 5,00





busca | avançada
62333 visitas/dia
2,6 milhões/mês