Meu problema com os críticos | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> Caí na besteira de ler Nietzsche
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Santa Xuxa contra a hipocrisia atual
>>> Há vida inteligente fora da internet?
Mais Recentes
>>> Um bebê em casa - um guia prático com informações, dicas e curiosidades, da gravidez ao primeiro aninho. de Chis Flores pela Panda Books (2011)
>>> O Pensamento Político De Érico Veríssimo de Daniel Fresnot pela Graal (1977)
>>> Sobre a Literatura de Marcel Proust pela Pontes (1989)
>>> Poemas Sacros de Menotti Del Picchia pela Martins (1992)
>>> O Grotesco Na Criação De Machado De Assis de Maria Eurides Pitombeira de Freitas pela Presença (1981)
>>> Machado De Assis Para Principiantes de Org. Marcos Bagno pela Ática (1998)
>>> A Barca Dos Amantes de Antônio Barreto pela (1989)
>>> O Tao da Respiração Natural de Dennis Lewis pela Pensamento (1997)
>>> O Aprendiz Da Madrugada de Luiz Carlos Lisboa pela Gente (1994)
>>> Vencendo nos Vales da Vida de Ray Conceição pela Holy Bible (1995)
>>> Eça, Discípulo De Machado de Alberto Machado Da Rosa pela Editora Fundo De Cultura (1963)
>>> Perdão A Cura para Todos os Males de Gerald G. Jampolsky pela Cultrix (2006)
>>> Em Quincas Borba De Machado De Assis de Ivan C. Monteiro E Outro pela Livraria Acadêmica (1966)
>>> A Liberação Da Mente Através Do Tantra Yoga de Ananda Marga pela Ananda Marga Publicaçãoes (2002)
>>> O Oráculo Interior de Dick Sutphen pela Nova Era (1994)
>>> Manual Do Terapeuta Profissional De Segundo Grau de David G. Jarrell pela Pensamento (1995)
>>> O Discurso Da Libertação na Sinagoga De Nazaré de org. Leonardo Boff entre outros pela Vozes (1974)
>>> O Pensar Sacramental REB 35 de org. Leonardo Boff entre outros pela Vozes (1975)
>>> Meditações Diárias Para Casais de Dennis e Barbara Rainey pela United Press (1998)
>>> Machado De Assis de org. por Luís Martins pela Iris
>>> Massagem Para Energizar Os Chakras de Marianne Uhl pela Nova Era (2001)
>>> O Mundo Social Do Quincas Borba de Flávio Loureiro Chaves pela Movimento (1974)
>>> Pensamento Diário de Elsa kouber (entre outros) pela Rádio Transmundial (2019)
>>> O Que É Esta Religião? de Ibps do Brasil (org) pela Ibps do Brasil
>>> Meditando a Vida de Padma Samten pela Peirópolis (2001)
>>> O Poder Da Paciência de M. J. Rayan pela Sextante (2006)
>>> Liberdade? Nem Pensar! de Aquino e Bello pela Record (2001)
>>> Desafio Educacional Japonês de Merry Whitte pela Brasiliense (1988)
>>> As Flores Do Mal Nos Jardins De Itabira de Gilda Salem Szklo pela Agir (1995)
>>> A Era Do Inconcebível de Joshua Cooper Ramo pela Companhia Das Lestras (2010)
>>> A Voz e a Série de Flora Süssekind pela Sette Letras (1998)
>>> Cure Seu Corpo de Louise L. Hay pela Best Seller (2004)
>>> História Viva De Um Ideal de Hélio Brandão pela Do autor (1996)
>>> Cure Seu Corpo de Louise L. Hay pela Dag Gráfica
>>> Índice Analítico Do Vocabulário De Os Lusíadas J-Z de Org. por A. G. Cunha pela Instituto Nacional Do Livro (1966)
>>> Sempre Zen Aprender Ensinar E Ser de Monja Coen pela Publifolha (2006)
>>> I Ching O Livro das Mutações de Não Informado pela Hemus (1984)
>>> Via Zen Reflexões Sobre O Instante e O Caminho de Monja Coen pela Publifolha (2004)
>>> Praticando o Poder Do Agora de Eckhart Tolle pela Sextante (2005)
>>> La Théologie De La Foi Chez Bultmann de J. Florkowski pela Du Cerf (1971)
>>> Quatre Vingt Neuf de Georges Lefebvre pela Sociales (1964)
>>> Haikai de Paulo Franchetti (e outros) pela Unicamp (1991)
>>> As Razões Da Inconfidência de Antônio Torres pela Itatiaia (1956)
>>> Estratégias e Máscaras de um Fingidor, Crônicas de Machado De Assis de Dilson F. Cruz Jr pela Nankin editorial (2002)
>>> Anjo Caído de Daniel Silva pela Arqueiro (2013)
>>> A Paz Interior de Joseph Murphy pela Nova Era (2000)
>>> A Pedra e o Rio ( uma interpretação da poesia de João Cabral de Melo Neto) de Lauro Escorel pela Livraria Duas Cidades LTDA. (1973)
>>> Como Utilizar O Seu Poder De Cura de Joseph Murphy pela Nova Era (1997)
>>> Os sete Crimes De Édipo de Pedro Américo Corrêa Netto pela Agir (1987)
>>> Transportes Pelo Olhar de Machado de Assis de Ana Luiza Andrade pela Grifos (1999)
COLUNAS

Sexta-feira, 1/3/2002
Meu problema com os críticos
Alexandre Soares Silva

+ de 3000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Li na Internet uma crítica do filme “Moulin Rouge”. Eu gostei de “Moulin Rouge” - um bocado, até. Mas na crítica o sujeito dizia que o filme “não funcionava” - e em seguida explicava por que, usando a poética de Aristóteles.

Não era um texto idiota. Não digo o nome do autor, justamente porque não é um idiota - tenho mais pudor para elogiar do que para ridicularizar. Se achasse ridículo, diria o nome. Infelizmente, não havia nada de ridicularizável no texto - mas havia isso que eu achei estranho: a expressão “o filme não funciona”.

Quem diz isso não está dizendo: “eu não gostei do filme”. Quem diz isso é como um piloto que examina um avião e diz: “esse avião não vai levantar vôo”. Não é um piloto que achou um avião feio. É um piloto tentando dar uma análise objetiva do avião, uma opinião técnica. “Esse avião tem tal e tal defeito e não vai sair do chão. Tentei e não consegui”.

Ué, mas pra mim funcionou. Entrei no avião, levantei vôo, fui até Piracicaba e voltei. E agora?

Se o avião não funcionou com ele, mas funcionou comigo, o problema obviamente não é com o avião, nem é comigo. É com ele.

Isso é freqüente. Estou vendo um filme; o filme me excita de alguma maneira; mas me viro para o lado, e meu amigo, o crítico - que não foi capaz de sentir essa excitação, como um leitor que não é capaz de fazer a escanção de um poema - está me explicando por que eu não deveria gostar desse filme. É como se você estivesse na cama com uma mulher, gostando de tudo, e de repente percebesse um homenzinho no canto do quarto, fazendo cara de nojo: “Está gostando? Mas e essas muxibinhas?”

Que não se diga, no entanto, que esse argumento serve para defender qualquer filme. Alguém há de ter gostado de Xuxa e o Segredo dos Duendes (é esse o nome? Não diga - não quero saber). Não posso, portanto, dizer que ele não funciona. Posso dizer que não gosto dele (estou sendo gentil); mas não que ele não funciona, ou corro o risco de ser contestado por uma garota gordinha de Brasília que respira com a boca aberta e está apaixonada pelo Justin Timberlake.

Sim, esse filme (o da Xuxa) é um avião que às vezes voa. Mas eu é que não me arrisco a entrar nele.

Com certeza!

Já se reclamou um bocado contra o uso excessivo de “com certeza!”, mas como isso não pára, aqui vai mais uma pedrinha para o apedrejamento desse cacoete (para quem foi poupado, o “com certeza!” tem que ser dito num crescendo, num tom animadinho - o tal “up-talk” dos americanos). O leitor Paulo Henrique M. de Oliveira me mandou por email um exemplo atroz, visto por ele na televisão. Perguntaram a uma “modelo”, dessas com silicone nos lobos frontais, se ela iria desfilar no carnaval de São Paulo. Ela respondeu: “Com certeza, talvez eu vá!”. Não é lindo? Não é horrível?

Meu problema com a Volkswagen...

Isto também é sobre o uso das palavras. Ou sobre o não-uso delas.

Estava eu sossegado na minha poltrona, mudando os canais. Passando rápido pelos canais abertos, com a espécie de frisson que a Clarice Starling deve ter sentido ao andar no corredor do hospício em O Silêncio dos Inocentes, e repetindo para mim mesmo: não pare, não pare, não pare. Eis quando – mais uma vez, como Clarice Starling - fui atingido por algo.

Tive que parar.

Trata-se do aviso de uma “convocação” feita pela Volkswagen do Brasil. Aparentemente, alguém vendeu carros com defeitos nos freios. A Volkswagen do Brasil está fazendo o tal do recall. Este é o texto que apareceu na tela, lido por um homem de voz empolada:

“A Volkswagen do Brasil convoca os proprietários de automóveis Gol, Parati, Saveiro, Santana e Kombi, ano de fabricação 2002, para comparecerem a um concessionário de sua preferência para verificação e, se necessário, fazer a substituição do conjunto 'cavalete/pinça' dos freios a disco desses veículos. Esta peça é fornecida pela Continental do Brasil Produtos Automotivos Ltda. para parte dos veículos Volkswagen e para outras montadoras.

Constatou-se que em algumas dessas peças o processo de cromação dos pistões pode levar à formação de bolhas de gás e contaminar os circuitos hidráulicos dos freios. Existe a possibilidade de que em alguns casos isso possa afetar a eficiência do freio do veículo e aumentar o espaço necessário para parar ou reduzir a sua velocidade.

A Volkswagen produziu 37.000 veículos no período de 9 de janeiro a 8 de fevereiro, conforme numeração de chassi abaixo. Desse total, 26.000 unidades não estão afetadas por utilizarem peças de outro fornecedor. Considerando os carros nos pátios da montadora e dos concessionários, cerca de 10% desse total estão nas mãos dos consumidores.”

Daí vem uma lista de números de série dos chassis de carros Gol, Parati, Saveiro, Santana e Kombi; e a informação de que um “esquema logístico” está sendo preparado para receber os carros defeituosos.

Meu problema nem é com a palavra “convocação”. Apesar do Dicionário Universal Online da Texto Editora definir convocar como

“do Lat. convocare
v. tr.,
(...)
mandar comparecer”, não é da conotação autoritária, ou pelo menos brusca, da palavra, que eu estou reclamando. Poderiam dizer que convocar também pode ser usado em circunstâncias mais gentis (embora ninguém convoque a namorada para jantar - a menos que use a palavra de modo irônico). Nem do tom, digamos, germânico do texto. Não. É de outra coisa que eu estou reclamando.

É da velha dificuldade em se dizer DESCULPE e POR FAVOR.

...E minhas saudades do Dr. Lecter

Por falar em O Silêncio dos Inocentes - a falta que Hannibal Lecter faz. Lembrem-se: ele só comia os rudes.


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 1/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crônica à la Caio Fernando Abreu de Elisa Andrade Buzzo
02. Championship Vinyl - a pequena loja de discos de Renato Alessandro dos Santos
03. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva
04. Ossos, mulheres e lobos de Eugenia Zerbini
05. Sobre e-books e caipiras de Yuri Vieira


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva em 2002
01. Polêmicas - 29/11/2002
02. Filhos de Francis - 15/11/2002
03. Quem Não Lê Não É Humano - 3/5/2002
04. Psiquiatra declara Japão Oficialmente Maluco - 31/5/2002
05. Grandes Carcamanos da História - 21/6/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
2/3/2002
17h55min
Alexandre, acho que os críticos estão perdendo a importância relativa de que desfrutavam na era A.A.I. (antes do advento da internet). Agora, quem deseja, pode colher impressões e informações de inúmeras fontes, reduzindo o monopólio opinativo dos antigos especialistas. Só que os críticos ainda não perceberam essa redução de status (problema deles) e continuam com a arrogância de sempre, decretando o que "funciona" ou não. Aqui no Rio, quando leio a opinião deles sobre os filmes em cartaz, no mais das vezes (acredite, não estou sendo irônico) a opinião deles me influencia com sinal trocado, ou seja, quando elogiam muito, fico desconfiado (geralmente não é um bom filme, é apenas politicamente correto) e quando procuram denegrir a película, já é um indício positivo de que o espetáculo é desprovido de lixo ideológico. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Toni]
5/3/2002
01h31min
Toni: também uso o seu método, mas com alguma reserva. O problema é que os críticos de cinema são tão imprevisíveis que, às vezes, e por acaso, dizem que é bom um filme bom, ou que é ruim o filme ruim. Um abraço.
[Leia outros Comentários de Alexandre]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CÉLULAS-TRONCO - UMA REVOLUÇÃO CIENTÍFICA
OIRÃ
OIRÃ
(2008)
R$ 18,00



SER JOVEM NUM BAIRRO DE HABITAÇÃO SOCIAL
MARIA CIDÁLIA QUIROZ MARIELLE CHRISTINE GROS
CAMPO DAS LETRAS
(2002)
R$ 36,84



UMA VIDA TRATANDO ÁGUAS
MANOEL HENRIQUE CAMPOS BOTELHO
ENGENHO
(2000)
R$ 10,00



TODO ESSE LANCE QUE ROLA
MAURÍCIO MURAD
RELUME DUMARÁ
(1996)
R$ 5,00



O PEQUENO FILÓSOFO
GABRIEL CHALITA
GLOBO
(2011)
R$ 5,00



O FIM DA LIDERANÇA
BARBARA KELLERMAN
ELSEVIER
(2012)
R$ 50,00



TRISTEZAS À BEIRA-MAR
PINHEIRO CHAGAS
TRÊS
(1973)
R$ 7,00



O HOMEM FÓSSIL
MICHAEL H. DAY
MELHORAMENTOS
(1979)
R$ 6,90



SONGBOOK DO CHORO CURITIBANO - VOLUME 1
TIAGO PORTELLA
OTTO PRODUÇÕES
(2012)
R$ 39,90
+ frete grátis



BIBLIOGRAFIA BRASILEIRA DE LITERATURA INFANTIL E JUVENIL VOL. 10
BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO
SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTU
(1999)
R$ 5,00





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês