Viena expõe obra radical de Egon Schiele | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
42220 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 2/5/2017
Viena expõe obra radical de Egon Schiele
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2700 Acessos



De Viena, especial para o digestivocultural.

A magnitude da pintura de Egon Schiele, um dos mais importantes artistas modernistas de Viena, está representada em duas grandes exposições em Viena. Os museus Albertina e o Leopold Museum (que agrupa a maior coleção de Schiele do mundo) expõem uma enorme quantidade de desenhos, aquarelas, pinturas e esboços que perpassam por toda a carreira do artista. Há cartazes por toda a cidade chamando o público para apreciar a desconcertante e impudica arte de Schiele.

Desde seus autoretratos, em que se metamorfoseia em um agrupamento de músculos esqueléticos e ossos com gestos retorcidos, angustiados e depressivos, até sua percepção do erotismo infantil e juvenil de meninas que expõem sua genitália despudoradamente, seja se masturbando ou apenas abrindo as pernas para o público, essas exposições reúnem a maior parte da obra do artista, com trabalhos pertencentes a coleções particulares e acervos dos próprios museus.



A relação entre erotismo e depressão parece ser a tônica maior de sua obra. A desconfiguracão do corpo através das posturas simplesmente retorcidas e contraídas para dentro de si mesmas ou causada pelo mergulho nos prazeres eróticos, marca uma ruptura drástica com a tradição do corpo asséptico, racional e ideal da representação clássica. Estamos na Viena de Freud, que descobriu a sexualidade infantil e o inferno do inconsciente (esse caldeirão fervente dos desejos reprimidos).

Para desvelar os universos da psique humana e liberar as forças irracionais do desejo, Schiele mergulha numa poética da erotização das linhas, do esmaecimento das cores, apelando para a fluidez tanto de uma como de outra. O resultado é espantoso. A aparente delicadeza das figuras faz transbordar a libido dos personagens, exibindo o traçado de corpos mergulhados em prazer e angústia sexual e existencial.

Diferente de Gustav Klimt, que cria atmosferas também sexuais, mas iluminadas por dourados decorativos e sutis que não nos perturba, Schiele apresenta a crise da consciência sexual diante da descoberta do corpo inibido e das limitações impostas a esse corpo pela finitude da vida biológica.

Era necessário uma nova pintura para representar a vazão da irracionalidade exposta por Freud à sua Viena fin de siècle. E essa pintura explodiu na arte de Egon Schiele e alguns outros pintores, como foi o caso de Oscar Kokoschca e também de poetas e romancistas vienenses (alguns declaradamente leitores e seguidores das ideias de Freud).



A beleza da obra de Schiele resplandece ainda hoje e nos perturba de igual maneira. Nos apresenta um desenho e uma pintura que é fruto de uma cultura que encarou a tensão entre desejo e civilização. A mesma civilização que Freud brilhantemente expôs em seu ensaio "A civilização e seus descontentes".

Não só a representação dos temas eróticos liberava ou tensionava o desejo contido dos espectadores reprimidos de Schiele, mas a qualidade de seus traços sinuosos e libidinosos e as cores das peles das mulheres rosadas e avermelhadas de prazer proporcionavam a mesma liberdade.

Junto com a representação da angústia da liberação dos corpos aos seus prazeres e a representação das práticas "perversas" que tanto a sexualidade livre como a culpada podem proporcionar, o modernismo de Schiele também se libertou da linha platônica que produzia um desejo metafísico em oposição ao mundo carnal solicitado por Nietzsche e Freud e que extravasou no expressionismo europeu.



A própria persona de Schiele tem um lugar especial na sua obra. As experimentações revolucionárias no domínio do autoretrato nos permitem ver a luta do artista consigo mesmo, a arte e o mundo.



Delicadeza, angústia, prazer e depressão encarnaram na forma da pintura de Schiele, como também passaram a existir no coração do homem moderno: aquele que se tornou ciente de sua finitude, de sua perversão, da sua brutalidade e violência como condição intrínseca ao animal humano. A arte estava pronta para olhar dentro da fera. E nós, quando estaremos prontos?


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 2/5/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ourivesaria fantasista: Saramago nas alturas de Renato Alessandro dos Santos
02. O massacre da primavera de Renato Alessandro dos Santos
03. Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo de Jardel Dias Cavalcanti
04. Liberdade de Ricardo de Mattos
05. A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone de Marcelo Spalding


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2017
01. A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri - 9/5/2017
02. Como se me fumasse: Mirisola e a literatura do mal - 26/12/2017
03. Amy Winehouse: uma pintura - 28/3/2017
04. A poesia afiada de Thais Guimarães - 3/10/2017
05. Meshugá, a loucura judaica, de Jacques Fux - 17/1/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SOCIEDADE DOS PAIS MORTOS (LACRADO)
MATT HAIG
RECORD
(2011)
R$ 31,00



OS COMEDIANTES
GRAHAM GREENE
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1966)
R$ 10,00



PARA SEMPRE
KRICKITT CARPENTER; KIM CARPENTER
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 10,00



ANTES QUE VOCÊ PENSE OUTRA COISA
BRUCE I. DOYLE I I I
CULTRIX
(2013)
R$ 19,95



O RAMO DE PRATA - VOL. 2
ROSEMARY SUTCLIFF
GALERA RECORD
(2012)
R$ 30,00



QUESTÕES DE PORTUGUÊS COM PREFÁCIO DE RUI BARBOSA
ASSIS CINTRA RUI BARBOSAPREF
MELHORAMENTOS
R$ 19,84



DA COAÇÃO COMO DEFEITO DO JURÍDICO
OROSIMBO NONATO
ED. FORENSE
(1957)
R$ 55,00



EXAME DE ORDEM: DIREITO PROCESSUAL PENAL
NESTOR TÁVORA E VILMAR VELHO PACHECO FILHO
IESDE BRASIL (CURITIBA)
(2009)
R$ 25,28



CRÔNICAS DA INSÔNIA
KLAUS K.S.
SOUL
(2018)
R$ 29,90



A INVASÃO CULTURAL NORTE-AMERICANA (CULTURA)
JÚLIA FALIVENE ALVES
MODERNA
(1989)
R$ 12,00





busca | avançada
42220 visitas/dia
1,3 milhão/mês