Vinicius | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
32489 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Estratégia Econômica Governo
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Daniel Piza
>>> Aquarius, quebrando as expectativas
>>> Tin-tin!
>>> Cartas, de Antônio Vieira
>>> Malcolm, jornalismo em quadrinhos
>>> Cartas de Kafka a Felice Bauer, por Elias Canetti
>>> Outsiders, de Howard S. Becker
>>> A fila sempre anda
>>> Na praia
>>> O Frankenstein de Mary Shelley
Mais Recentes
>>> Criando Meninas de Gisela Preuschoff pela Fundamento (2003)
>>> Assistência Integrada ao Recém-Nascido de Cléa Rodrigues Leone e Daisy Maria Rizatto Tronchin pela Atheneu (1996)
>>> Centro Cirúrgico: Aspectos Fundamentais Para Enfermagem de Terezinha Ghellere pela Ufsc (1993)
>>> Técnicas de Pesquisa de Marina de Andrade Marconi e Eva Maria Lakatos pela Atlas (1999)
>>> O Pensamento Vivo de Maquiavel : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Maquiavel : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Imensa Asa Sobre o Dia de Antônio Mariano pela Dinâmica (2005)
>>> Este Padre Escapou das Garras do Papa!!! de Aníbal Pereira Reis pela Edições Caminho de Damasco (1976)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1985)
>>> Programado Para Aprender de H. Ronald Pulliam e Christopher Dunford pela Zahar (1982)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1985)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1986)
>>> Didática e Psicologia: Crítica ao Psicologismo na Educação de Maria Mercedes Capelo Alvite pela Edições Loyola
>>> O Pensamento Vivo de Gandhi: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1985)
>>> Da Sua Vida & dos Seus Negócios de Clóvis Mezzomo pela C. Mezzomo (1998)
>>> As Batalhas do Castelo de Domingos Pellegrini pela Moderna (1991)
>>> O Diário Roubado de Régine Deforges pela Klick (1998)
>>> James Dean por Ele Mesmo - Edição Ilustrada de James Dean/ Estudo: Edgar Morin (e Outros) pela Martin Claret (1994)
>>> Contato Imediato com Criação de Propaganda de Julieta de Godoy Ladeira pela Global (1997)
>>> Vida, Caminho & Destino - Missão Vórium de Edson Luiz Pocahi pela Novo Século (2016)
>>> Relaxe... e Viva Feliz de Núbia Maciel França e Haroldo J. Rahm pela Edições Loyola (1982)
>>> O Pensamento Vivo de Orson Welles : Edição Ilusttrada/ Inclui Poster de Rogério Sganzerla: Organização/ Notas pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Orson Welles : Edição Ilusttrada/ Inclui Poster de Rogério Sganzerla: Organização/ Notas pela Martin Claret (1986)
>>> As Quatro Deusas da Babilônia de Maria Augusta F. Puhlmann pela Lake (1984)
>>> Socorro, Leitora!: O Primeiro Romance de Auto-Ajude-me de Gisela Rao pela Matrix (2006)
>>> O Pensamento Vivo de Rohden : Edição Ilustrada de Verdi Gonçalves dos Santos : Pesquisa- Tradução pela Martin Claret (1988)
>>> O Pensamento Vivo de Glauber Rocha : Edição Ilustrada de Cristina Fonseca : Pesquisa/ Org. Notas pela Martin Claret (1986)
>>> A Mensagem do Islam de Abdurrahman al-Shera pela Alsofara
>>> O Pensamento Vivo de Sartre : Edição Ilustrada (inclui Poster) de Pesquisa e Tradução: Marcelo Whately Paiva pela Martin Claret (1990)
>>> O Pensamento Vivo de Galileu : Edição Ilustrada (inclui Poster) de Pablo Rúben Maricon: Pesquisa e Organização/ Notas pela Martin Claret (1987)
>>> O Pensamento Vivo de John Lennon: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de John Lennon: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret
>>> O Pensamento Vivo de Freud : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Organização/ Pesquisa pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Freud : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Organização/ Pesquisa pela Martin Claret (1986)
>>> A Gangue e o 5s: a História de um Gangue de Pichadores ... de Wagner Matias de Andrade pela Soluções Criativas (1995)
>>> A Gangue e o 5s: a História de um Gangue de Pichadores ... de Wagner Matias de Andrade pela Soluções Criativas (1994)
>>> A Gangue e o 5s: a História de um Gangue de Pichadores ... de Wagner Matias de Andrade pela Soluções Criativas (1994)
>>> Wa: Equilíbrio Alegria e Sabedoria: o Sucesso Está em Cada um, a seu Modo de Romero Faria/ ilustr.: J. Luiz Inácio pela Ed.dp Autor/ Belo Horizonte (1996)
>>> O Mistério dos Assaltantes Mascarados de Lourenço Cazarré/ Editor: Bartolomeu C. de Queirós pela RHj/ Belo horizonte (1996)
>>> Os Sonhadores de Vila Rica : a Inconfidência Mineira de 1789 de Edgard Luiz de Barros pela Atual/ Sp. (1991)
>>> República Bossa- Nova : A Democracia Populista (1954-1964) de José Dantas Filho/ Francisco Fernando M. Doratioto pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Reinventando a Liberdade: a Abolição da Escravatura no Brasil de Antonio Torres Montenegro pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Doce Inferno - Açúcar - Guerra e Escravidão no Brasil Holandês (... de Elsa Gonçalves Avancini pela Atual/ Sp. (1993)
>>> Doce Inferno - Açúcar - Guerra e Escravidão no Brasil Holandês (... de Elsa Gonçalves Avancini pela Atual/ Sp. (1993)
>>> Estudos Feministas - v. 15, n. 1 (2007) de Vários pela Edufsc (2019)
>>> Estudos Feministas - v. 17, n. 3 (2009) de Vários pela Edufsc (2009)
>>> Mauá Empresário do Império de Jorge Caldeira pela Companhia das Letras (1995)
>>> Camilo - Señor de la Vanguardia de William Galvez pela Editorial de Ciencias Sociales (1979)
>>> Mutações Ensaios Sobre as Novas Configurações do Mundo de Adauto Novaes (Org.) pela Agir (2008)
>>> Síndrome da Violência de Hosmany Ramos pela Sequência Editorial (1984)
COLUNAS

Segunda-feira, 12/3/2018
Vinicius
Julio Daio Borges

+ de 2200 Acessos

Tenho essa biografia do Vinicius desde 2006, quando entrevistei o José Castello para o Digestivo, e ele me mandou.

Meu interesse pela poesia tem aumentado ao longo dos anos. Antigamente, quem começava a escrever, começava por poesia. Mas nós - digo, a minha geração -, não sabemos nem *ler* poesia direito, então começamos pela prosa, ou pelo jornalismo.

Eu acho que a poesia exige um outro tipo de leitor, uma outra sensibilidade. E, na nossa época, demora para chegar lá. É como se fosse o último estágio...

Sendo assim, eu cheguei no Vinicius de Moraes, primeiro, pelo Tom Jobim. Pela música, como muita gente chegou. E, por esse mesmo motivo, cheguei pelas “leituras” que o Ruy Castro fez de Vinicius de Moraes.

E, de fato, a influência do Vinicius na música brasileira - e, portanto, na cultura brasileira da segunda metade do século XX - é imensa. A ponto de podermos nos perguntar se ele foi mais músico ou mais poeta.

Uma coisa que a biografia mostra, contudo, é que a parceria com Tom, embora seja histórica - por causa de “Garota de Ipanema” e da bossa-nova -, não foi a principal.

Mesmo que musicalmente seja menos sofisticada, a parceria, no sentido existencial, foi com Toquinho. Essa durou muitos anos; rendeu muitos discos. E Vinicius morreu, literalmente, nas mãos de Toquinho.

Com Tom Jobim - depois que a bossa-nova estourou, e o catapultou para a conquista da América, culminando com o disco ao lado de Frank Sinatra -, havia uma certa cerimônia...

Pelo que dá para depreender do livro, Vinicius se ressentia um pouco do sucesso internacional de Tom; e este parecia meio deslumbrado - a ponto de Vinicius se sentir meio esquecido, e até um pouco esnobado...

O problema, a meu ver, é que a vida pessoal de Vinicius era um caos. Foram nove casamentos. Então, por mais que ele construísse, ou arrecadasse, como poeta ou como músico, cada vez que se separava, deixava tudo para trás, só levando uma escova de dentes e aquele retrato seu pintado por Portinari.

O que ele procurava nas mulheres? É uma questão filosófica demais até para Vinicius. Embora não tivesse nada programado - pelo contrário -, acabou fazendo uma opção radical pela paixão.

Vivia o momento. Ou “o agora”, como está em moda se dizer hoje. Sem pensar nas consequências. E pagou um preço alto por isso. Também as mulheres. E os filhos. E as famílias de todos os envolvidos...

Mesmo sendo Vinicius de Moraes, nunca foi “um bom partido”. Primeiro, porque era poeta. E os poetas, desde o tempo de Ovídio, são mal vistos. Em Roma, o pai de Ovídio já lembrava a ele que Homero - Homero: talvez o maior poeta de todos os tempos - morreu pobre.

Mais pra frente, quando Vinicius se consagra, as famílias das “noivas” mudam o discurso (mas não muito): “É um grande poeta. Mas é um louco. Um destruidor de lares...”.

Acontece que as moças não resistem. E os pais e as mães acabam entregando suas filhas, chorando. Uma ou outra amiga, às vezes, consola: “Quem sabe, ele escreve um poema pra você e você fica famosa”.

E, de fato, Vinicius escreveu para todas. Também escreveu para os filhos. “Valsa de Eurídice” era “Valsa para Suzana”, Tom Jobim o convenceu a usá-la em Orfeu da Conceição. E “A Arca de Noé”, a coleção de poemas, ele escreveu para seu filho, Pedrinho, depois musicou com Toquinho.

Ao contrário de hoje, em que qualquer coisa é “de direita” ou “de esquerda”, Vinicius de Moraes não tinha uma posição política clara.

Sua primeira mulher, Tati - a mais sofisticada e a mais “intelectual” delas - era simpatizante do comunismo, quando estava na moda, entre intelectuais, e o fascismo grassava...

Vinicius acaba exonerado do Itamaraty, na época dos militares, então se torna oficialmente “de esquerda” - muito mais por antipatia mútua e por não se dar bem com qualquer autoridade, ou hierarquia.

Ocorre, porém, que a sua fase de poeta, antes de ser músico, e anterior a Tati, é uma fase metafísica, ligada ao cristianismo - por ele ter estudado no colégio Santo Inácio, no Rio, classificando-o, inclusive, como “conservador” (um palavrão hoje).

Para mim, é a melhor fase da poesia dele. Nos dois primeiros livros. Porque o que ele escreveu depois, para suas mulheres, é uma produção muito fragmentada... Que ele até reuniu em coletâneas - mas não são *livros* no mesmo sentido que os dois primeiros o são.

Acredito que quando João Cabral, seu colega de Itamaraty, diz que Vinicius era “o melhor” de sua geração, ele se refere a essa poesia “stricto sensu”, anterior às letras de música.

Já Drummond, talvez o nosso maior poeta no século XX, tinha admiração por Vinicius muito porque ele *viveu* como poeta. Enquanto que Drummond era praticamente um recluso...

Talvez Vinicius seja o maior poeta do século XX no sentido de que ele fez a grande travessia de sua época: da “alta literatura” para a música popular - e, nesse sentido, foi único.

Sem o exemplo de Vinicius, talvez o letrista Chico Buarque não existisse (talvez, apenas, o romancista medíocre)...

Tom e Vinicius, com a bossa-nova, são o “Big Bang” da música brasileira moderna. E se não houvesse esse encontro, talvez não houvesse o que chamamos de MPB.

O fato é que Vinicius é uma personalidade “transversal”. A cultura brasileira passa por ele. E o livro do José Castello está longe de esgotar o tema.

Como biografia - nada contra o Castello como pessoa (pelo contrário) -, eu prefiro as do Ruy Castro. Mas acredito que o Ruy já escreveu muito a respeito e não acho que ele faria outro livro só para Vinicius de Moraes.

Eu ainda poderia falar do Vinicius dos musicais, de sua ligação com cinema, e do Orfeu Negro, premiado com base em sua peça, o qual ele detestou...

Poderia falar os afrossambas e da sua fase “baiana”. Quando ele se torna místico outra vez...

E poderia falar de sua fase de diplomata; do tempo em Oxford. Da sua fase argentina, ou latino-americana. Da fase italiana (com gravações, inclusive). Da amizade com Neruda e com Piazzolla.

Antonio Maria, outro amigo célebre, dizia que ele era “Vinicius”, porque ele era muitos. E não “de moral”, mas “de Moraes”. Talvez porque tivesse uma moral própria...

Terminei o livro com saudade das loucas aventuras daquele homem que tanto amou e que sofreu em igual medida. E colocou toda sua vida na arte. Ou seria o contrário?

A benção, Vinicius de Moraes! Saravá, Vinicius ;-)


Julio Daio Borges
São Paulo, 12/3/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Direito mediocrizado de Celso A. Uequed Pitol
02. Lady Gaga, uma aula do pastiche de Relivaldo de Oliveira
03. Razoavelmente desinteressante de Eduardo Mineo
04. Guerra de Egos de Rennata Airoldi


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges
01. Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges - 29/1/1974
02. Freud e a mente humana - 21/11/2003
03. A internet e o amor virtual - 5/7/2002
04. Frida Kahlo e Diego Rivera nas telas - 25/4/2003
05. Novos Melhores Blogs - 17/3/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MATEMÁTICA 1º GRAU 5º SÉRIE
CARLOS CATTONY
IBRASA
(1978)
R$ 100,00



TU COCINA
SAVARIN
DAIMON
R$ 35,00



HITLERS WAR ON RUSSIA
PAUL CARELL
CORGI BOOKS
(1967)
R$ 28,28



MINHA JORNADA INTERIOR
ODETE LARA
BEST SELLER
(1990)
R$ 26,91
+ frete grátis



CURSO DE DIREITO CIVIL - 6 DIREITO DAS SUCESSÕES
WASHINGTON DE BARROS MONTEIRO
SARAIVA
(1993)
R$ 29,00
+ frete grátis



D. QUIXOTE DAS CRIANÇAS
MONTEIRO LOBATO
BRASILIENSE
(1949)
R$ 7,50



PIRÂMIDES DO MUNDO: A VERDADE DEFINITIVA - VOLUME 1
MITCHUNG (DEDICATÓRIA DO AUTOR)
TEMPLO SAGRADO
(1983)
R$ 25,82



BLUES KEYBOARD BASICS THE ULTIMATE BEGINNER SERIES STEOS ONE & TWO
DEBBIE CAVALIER / HENRY BREWER 9501
MEDIA GROUP
(1996)
R$ 30,00



CRISÁLIDAS, FALENAS & AMERICANAS
MACHADO DE ASSIS
GLOBO
(1997)
R$ 25,90
+ frete grátis



OS PODERES DO JUIZ NO PROCESSO CIVIL MODERNO: VISÃO CRÍTICA;
REVISTA DE PROCESSO, Nº 32 - ANO 8
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(1983)
R$ 16,28





busca | avançada
32489 visitas/dia
1,0 milhão/mês