A fotografia é um produto ou um serviço? | Fabio Gomes | Digestivo Cultural

busca | avançada
22858 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> Mulheres detêm o poder do mundo em eletrizante romance de Naomi Alderman
>>> Comédia Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Municipal Paulo Eiró
>>> Ballet Acadêmico da Bahia apresenta STAR DANCE no TCA, dia 07/06 às 20h
>>> Zé Eduardo faz apresentação no Teatro da Rotina, dia 30.05
>>> Revista busca artigos inspirados no trabalho de professores
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
Últimos Posts
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
>>> Publicando no Observatório de Alberto Dines
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
>>> ZERO ABSOLUTO
>>> Go é um jogo mais simples do que imaginávamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Primavera para iniciantes
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Meu cinema em 2010 ― 2/2
>>> Doente de tanto saber
>>> O último Shakespeare
>>> De Middangeard à Terra Média
Mais Recentes
>>> Extraordinario
>>> A teus pes
>>> A Mamãe é Rock
>>> O Papai é Pop 2
>>> Teologia Bíblica do Antigo Testamento. Uma História da Religião de Israel na Perspectiva Bíblico TeológiIca
>>> O terror
>>> Depois da queda
>>> Origem
>>> Os impunes
>>> Mundo dos sonhos realidade e imaginação
>>> A Literatura no Brasil- Volume 4
>>> A Literatura no Brasil- volume 6
>>> Eu, Christiane F., 13 anos, drogada, prostituída...
>>> Asterix Entre os Bretões- Número 4
>>> Apresentação de Jorge de Lima
>>> Rei Negro
>>> A Literatura no Brasil volume 5 Modernismo
>>> Miragem
>>> O Rajá do Pendjab - vol. 1
>>> A Aldeia Ancestral
>>> Inocência Heróica
>>> A Colheita
>>> -Inéditos - Revista volume 2
>>> A Literatura no Brasil Volume 3
>>> A Revolução das Moedas Digitais- Bitcoins e Altcoins
>>> O Menino de Capivari - Volumes I, II e III
>>> Por uma Geografia Nova
>>> Oriundi - os Italianos em Capivari
>>> Filosofia da Realidade e da Projeção
>>> Astrojildo Pereira - in Memoriam
>>> J. Prata - Belas Páginas
>>> Vida, Paixão e Poesia de Rodrigues de Abreu
>>> Vida, Paixão e Poesia de Rodrigues de Abreu
>>> Salomé e Outros Versos
>>> Salomé e Outros Versos
>>> Ensinar a Pensar -Teoria e Aplicação
>>> Na Escola que Fazemos - Uma reflexão interdisciplinar em edução popula
>>> Educação e Mudança
>>> Acompanhantes Terapêuticos e Pacientes Psicóticos
>>> A Beleza da Arte
>>> A Ronda das Ruas
>>> O Combate a Corrupçao Nas Prefeituras do Brasil
>>> Ciencias e Tecnologias Col. Pesquisas e Praticas Em Educacao
>>> Prática Pedagógica Competente: Ampliando os Saberes do Professor
>>> Os Segredos do Gerente 8020
>>> Excelência no Secretariado: A Importância da Profissão nos...
>>> Segurança E Medicina Do Trabalho
>>> Gestão de Investimentos - Pocket
>>> Plano de Negócios
>>> Marinheiros e professores: crônicas simples ade, construtivismo
COLUNAS

Segunda-feira, 31/7/2017
A fotografia é um produto ou um serviço?
Fabio Gomes

+ de 1400 Acessos

Há alguns meses, uma cliente me perguntou quanto custava o meu pacote de ensaio fotográfico. Quatrocentos reais, respondi, esclarecendo a seguir que ela receberia todas as fotos produzidas, sem limite. Ah tá, mas eu quero só umas sete fotos, assim assim assado, ficaria quanto?, quis saber ela. Fiz algumas perguntas para entender bem o que ela queria, e orcei em R$ 250. Evidentemente que ela de imediato fez duas contas: a de que por "apenas sete fotos" eu cobraria mais que a metade do valor do ensaio, e de que ela estaria pagando mais de R$ 35 por foto. Concordei que, matematicamente, ela estava certa, mas que a questão não era esta. A questão é que, quisesse ela 7 ou 70 fotos, da mesma forma eu precisaria estar com o equipamento carregado, ficando X horas à disposição dela, mais aproximadamente Y horas editando o material, e que nem em sonho eu faria apenas 7 cliques - a chance de todos eles saírem "geniais" é tão mínima que pode ser considerada nula.

Evidentemente esta não foi a primeira (nem a última) vez que isto aconteceu, o que tem me feito pensar a respeito do assunto. Concluí que há um certo descompasso entre o que os clientes esperam (produto) e o que o profissional da fotografia entrega (serviço). 

Tradicionalmente, a economia foi sendo estruturada pelo ser humano com base em produtos. Antigamente, mesmo antes de existir dinheiro, se fazia o escambo: um agricultor trocava parte da produção dele de trigo por algumas cabeças de gado de um fazendeiro vizinho, ficando este com trigo para fazer seu pão e o outro com carne para comer e couro para vestir ou fazer tapetes. A criação do dinheiro gerou um parâmetro confiável de troca, já que ficava difícil a cada vez decidir quanto trigo equivalia a quantas reses. A população também ia aumentando, e com ela surgindo novas demandas e as especializações das funções. Em vez do pecuarista receber trigo em troca de seu gado e ele mesmo ter que fazer seu pão, ele passou a receber dinheiro, com o qual ia à padaria adquirir pães.

Então o pecuarista quando compra pão está adquirindo um produto, não é? Sim e não. Ou, melhor dizendo, ele está adquirindo um produto também. Inseparavelmente, ele também está pagando por um serviço. Se antes o pecuarista recebia trigo como escambo e ele mesmo fazia seu pão, agora está pagando para alguém - o padeiro - que vai atrás de trigo bom e a um preço razoável para fazer pão quentinho de hora em hora ao longo do dia. Sendo grande a demanda, só o padeiro e sua família não dão mais conta de tocar a padaria sozinhos, e então o padeiro precisa contratar outras pessoas que façam pão, cuidem do caixa, entreguem pão na vizinhança etc etc. Então o pecuarista, você, eu, todo mundo que compra pão está pagando pelo pão (produto) + pelos serviços que o padeiro nos presta (resumidamente, gerir todo esse sistema que nos garanta que a qualquer hora que cheguemos a seu estabelecimento haja pão quentinho), e no fim de tudo isso o padeiro ainda precisa ter lucro, do contrário não conseguirá manter essa roda girando. 

Então, a rigor, em quase tudo o que a gente compra está incluído o fator serviço. Algumas vezes ao serviço está acoplado um produto, ou seja, um objeto. Como não faz mais que quinze, vinte anos que a cultura digital passou a ser forte em nosso mundo, é natural que, ao efetuar um pagamento, boa parte das pessoas (ainda) espere receber algo material. Penso que este é um dos fatores que levaram à volta dos discos de vinil (os LPs) ou mesmo a explicação da longevidade da preferência pela foto em papel (já abordada por mim em outro artigo). 

É fácil entender o raciocínio da minha cliente, descrito no parágrafo de abertura deste texto. Antes de haver fotos digitais, você tinha que revelar todas as poses de um filme (havia os de 12, 24 e 36 poses) e o cliente escolhia quantas queria, e eventualmente se queria mais de uma cópia de determinada imagem, e aí o fotógrafo voltava ao laboratório para encomendar (ou eventualmente ele mesmo revelava). Eu mesmo trabalhava assim até por volta de 1993.

Esta cultura era tão forte que, mesmo na fase da foto digital, eu segui raciocinando nesses termos por algum tempo. Cheguei a fazer centenas de fotos de um show e levar ao artista para que ele escolhesse as fotos com as quais iria ficar - o que significa que precisei antes editar as centenas de fotos. Ou seja, eu mesmo seguia pensando em termos de produto. Esta experiência, e outras, acabaram me mostrando que o correto é tratar o trabalho de um fotógrafo como serviço. Não faz sentido ir cobrir um show, contratado pelo artista que o realiza, e depois vender as fotos individualmente para ele - sendo uma encomenda, você nem pode oferecer estas fotos para outra pessoa. 

Parei então de pensar em termos de fotografia como produto e passei a me considerar como um prestador de serviço. Tanto que em meu blog informo, no post de como encomendar um ensaio comigo, que a entrega das imagens se dará em formato digital; se o cliente preferir outro modo, que gere custos - por exemplo, que as fotos sejam impressas e dispostas num álbum -, terei que acrescentar estes custos ao valor orçado.

Pensando bem, como em praticamente todos os casos o fotógrafo produz as imagens especialmente para o cliente, hoje em dia só faz sentido pensar na venda de foto como produto se o cliente quiser adquirir fotos do acervo que o fotógrafo já possui - o que, convenhamos, é raríssimo.

A foto que ilustra o post foi feita em Maceió, no ano passado.


Fabio Gomes
Maceió, 31/7/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Claudio Willer e a poesia em transe de Renato Alessandro dos Santos
02. Precisamos falar sobre Kevin de Renato Alessandro dos Santos
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait
04. Bates Motel, o fim do princípio de Luís Fernando Amâncio
05. Bruta manutenção urbana de Elisa Andrade Buzzo


Mais Fabio Gomes
Mais Acessadas de Fabio Gomes em 2017
01. O jornalismo cultural na era das mídias sociais - 11/9/2017
02. Longa vida à fotografia - 20/2/2017
03. Noel Rosa - 2/10/2017
04. O que te move? - 29/5/2017
05. Inquietações de Ana Lira - 24/4/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RETENDO A CABECA
ROMMEL BORNELI
NAO
(2013)
R$ 38,90
+ frete grátis



GUARIBA, 100 ANOS, 1895-1995
ANA LUIZA MARTINS (ORG.)
PREFEITURA MUN DE GUARIBA
(1996)
R$ 30,00



PASSES E RADIAÇÕES - MÉTODOS ESPÍRITAS DE CURA
EDGARD ARMOND
ALIANÇA
(2010)
R$ 14,90



TÉCNICAS DE ESTUDOS E MEMORIZAÇÃO APLICADAS AO DIREITO
FLÁVIO MARTINS A. NUNES JR.
PREMIER MÁXIMA
(2008)
R$ 12,00



REVISTA LÍNGUA PORTUGUESA (CONHECIMENTO PRÁTICO) - NÚMERO 16
TATIANA NAPOLI
ESCALA EDUCACIONAL
R$ 6,00



ANTOLOGIA POÉTICA
AFFONSO MANTA
ASSEMB LEGISLATIVA DA BAHIA
(2013)
R$ 65,00



VOCÊ ESTÁ LOUCO!
RICARDO SEMLER
ROCCO
(2006)
R$ 10,00



O LABIRINTO DA SOLIDÃO E POST SCRIPTUM
OCTAVIO PAZ
PAZ E TERRA
(1984)
R$ 25,00
+ frete grátis



JOÃO DA ÁGUA
PATRICIA ENGEL SECCO
EDUCAR
(2007)
R$ 5,00



MANGÁ YAKUZA GIRL Nº 2
MASAKI MOTONAGA / YU GO OKUMA
SAMPA ARTE / LAZER
(2009)
R$ 11,00





busca | avançada
22858 visitas/dia
708 mil/mês