A fotografia é um produto ou um serviço? | Fabio Gomes | Digestivo Cultural

busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
>>> BATA ANTES DE ENTRAR
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O humor é como as marés, ora sobe ora desce
>>> Guimarães Rosa em Buenos Aires
>>> Festival de Curitiba 2010
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
>>> O INVISÍVEL
>>> Meu reino por uma webcam
>>> De louco todos temos um pouco
>>> Doces Cariocas
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Weezer & Tears for Fears
Mais Recentes
>>> O Profissional Competitivo de Carlos Roberto Faccina pela Elsevier (2006)
>>> Gerenciamento de Riscos Em Projetos de Carlos Alberto Corrêa Salles Jr. e Outros pela Fgv (2009)
>>> A Barcarola de Pablo Neruda pela L&pm (1983)
>>> A História da Educação Através dos Textos de Maria da Glória de Rosa pela Cultrix (1980)
>>> Maria de Cada Porto de Moacir C. Lopes pela Quartet (2002)
>>> Despertar de Amanda Hocking pela Planeta (2012)
>>> Minidicionário Italiano de Michaelis pela Melhoramento (2004)
>>> O Cosmos das Cores de Gunter Kollert pela Goethe
>>> Diário de um Cucaracha o Edição Especial para Mulheres de Henfil pela Record
>>> Os Tempos do Coração de Willy Pasini pela Rocco (2003)
>>> Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente pela Atelie (1996)
>>> O Brasil Que da Certo: o Novo Ciclo de Crescimento, 1994-2005 de Stephen C Kanitz pela Makron Books (1994)
>>> As Minhas Ilhas de Felipe Daiello pela Age (2006)
>>> O Cidadão De Papel de Gilberto Dimenstein pela Ática (1997)
>>> Casamento Aberto as Novas Relações Conjugais de O Neill Nena e George pela Artenova
>>> Home Remedies What Works de Gale Maleskey; Brian Kaufman pela Rodale
>>> Dragon En El Tazon, Un de Roser Rius; Maria Isabel San Martin pela Bruno Arg (2006)
>>> Manual de Direito Penal V. 3 de Julio Fabbrini Mirabete; Renato N. Fabbrini pela Atlas (2007)
>>> Acupuntura de Terapia Alternativa a Especialidade Médica de Dr. Hongg Jin Pai pela Ceimec (2005)
>>> Os Pensadores - Maquiavel de Nova Cultural pela Nova Cultural (1999)
>>> Como Falar Corretamente e sem Inibições de Reinaldo Polito pela Saraiva
>>> Les Songes Superbes de Théodore Sturgeon pela Presses Pocket (1978)
>>> A História dos Bancos no Brasil de Alexis Cavicchini pela Cop (2007)
>>> A Alma de uma Cidade de Renato Sérgio pela Ediouro (2000)
>>> The Theory of Incentives: the Principal Agent Model de Jean Jacques Laffont; David Martimort pela Princeton University (2002)
COLUNAS

Segunda-feira, 31/7/2017
A fotografia é um produto ou um serviço?
Fabio Gomes

+ de 3600 Acessos

Há alguns meses, uma cliente me perguntou quanto custava o meu pacote de ensaio fotográfico. Quatrocentos reais, respondi, esclarecendo a seguir que ela receberia todas as fotos produzidas, sem limite. Ah tá, mas eu quero só umas sete fotos, assim assim assado, ficaria quanto?, quis saber ela. Fiz algumas perguntas para entender bem o que ela queria, e orcei em R$ 250. Evidentemente que ela de imediato fez duas contas: a de que por "apenas sete fotos" eu cobraria mais que a metade do valor do ensaio, e de que ela estaria pagando mais de R$ 35 por foto. Concordei que, matematicamente, ela estava certa, mas que a questão não era esta. A questão é que, quisesse ela 7 ou 70 fotos, da mesma forma eu precisaria estar com o equipamento carregado, ficando X horas à disposição dela, mais aproximadamente Y horas editando o material, e que nem em sonho eu faria apenas 7 cliques - a chance de todos eles saírem "geniais" é tão mínima que pode ser considerada nula.

Evidentemente esta não foi a primeira (nem a última) vez que isto aconteceu, o que tem me feito pensar a respeito do assunto. Concluí que há um certo descompasso entre o que os clientes esperam (produto) e o que o profissional da fotografia entrega (serviço). 

Tradicionalmente, a economia foi sendo estruturada pelo ser humano com base em produtos. Antigamente, mesmo antes de existir dinheiro, se fazia o escambo: um agricultor trocava parte da produção dele de trigo por algumas cabeças de gado de um fazendeiro vizinho, ficando este com trigo para fazer seu pão e o outro com carne para comer e couro para vestir ou fazer tapetes. A criação do dinheiro gerou um parâmetro confiável de troca, já que ficava difícil a cada vez decidir quanto trigo equivalia a quantas reses. A população também ia aumentando, e com ela surgindo novas demandas e as especializações das funções. Em vez do pecuarista receber trigo em troca de seu gado e ele mesmo ter que fazer seu pão, ele passou a receber dinheiro, com o qual ia à padaria adquirir pães.

Então o pecuarista quando compra pão está adquirindo um produto, não é? Sim e não. Ou, melhor dizendo, ele está adquirindo um produto também. Inseparavelmente, ele também está pagando por um serviço. Se antes o pecuarista recebia trigo como escambo e ele mesmo fazia seu pão, agora está pagando para alguém - o padeiro - que vai atrás de trigo bom e a um preço razoável para fazer pão quentinho de hora em hora ao longo do dia. Sendo grande a demanda, só o padeiro e sua família não dão mais conta de tocar a padaria sozinhos, e então o padeiro precisa contratar outras pessoas que façam pão, cuidem do caixa, entreguem pão na vizinhança etc etc. Então o pecuarista, você, eu, todo mundo que compra pão está pagando pelo pão (produto) + pelos serviços que o padeiro nos presta (resumidamente, gerir todo esse sistema que nos garanta que a qualquer hora que cheguemos a seu estabelecimento haja pão quentinho), e no fim de tudo isso o padeiro ainda precisa ter lucro, do contrário não conseguirá manter essa roda girando. 

Então, a rigor, em quase tudo o que a gente compra está incluído o fator serviço. Algumas vezes ao serviço está acoplado um produto, ou seja, um objeto. Como não faz mais que quinze, vinte anos que a cultura digital passou a ser forte em nosso mundo, é natural que, ao efetuar um pagamento, boa parte das pessoas (ainda) espere receber algo material. Penso que este é um dos fatores que levaram à volta dos discos de vinil (os LPs) ou mesmo a explicação da longevidade da preferência pela foto em papel (já abordada por mim em outro artigo). 

É fácil entender o raciocínio da minha cliente, descrito no parágrafo de abertura deste texto. Antes de haver fotos digitais, você tinha que revelar todas as poses de um filme (havia os de 12, 24 e 36 poses) e o cliente escolhia quantas queria, e eventualmente se queria mais de uma cópia de determinada imagem, e aí o fotógrafo voltava ao laboratório para encomendar (ou eventualmente ele mesmo revelava). Eu mesmo trabalhava assim até por volta de 1993.

Esta cultura era tão forte que, mesmo na fase da foto digital, eu segui raciocinando nesses termos por algum tempo. Cheguei a fazer centenas de fotos de um show e levar ao artista para que ele escolhesse as fotos com as quais iria ficar - o que significa que precisei antes editar as centenas de fotos. Ou seja, eu mesmo seguia pensando em termos de produto. Esta experiência, e outras, acabaram me mostrando que o correto é tratar o trabalho de um fotógrafo como serviço. Não faz sentido ir cobrir um show, contratado pelo artista que o realiza, e depois vender as fotos individualmente para ele - sendo uma encomenda, você nem pode oferecer estas fotos para outra pessoa. 

Parei então de pensar em termos de fotografia como produto e passei a me considerar como um prestador de serviço. Tanto que em meu blog informo, no post de como encomendar um ensaio comigo, que a entrega das imagens se dará em formato digital; se o cliente preferir outro modo, que gere custos - por exemplo, que as fotos sejam impressas e dispostas num álbum -, terei que acrescentar estes custos ao valor orçado.

Pensando bem, como em praticamente todos os casos o fotógrafo produz as imagens especialmente para o cliente, hoje em dia só faz sentido pensar na venda de foto como produto se o cliente quiser adquirir fotos do acervo que o fotógrafo já possui - o que, convenhamos, é raríssimo.

A foto que ilustra o post foi feita em Maceió, no ano passado.


Fabio Gomes
Macapá, 31/7/2017


Mais Fabio Gomes
Mais Acessadas de Fabio Gomes em 2017
01. O jornalismo cultural na era das mídias sociais - 11/9/2017
02. Noel Rosa - 2/10/2017
03. Longa vida à fotografia - 20/2/2017
04. Em defesa da arte urbana nos muros - 6/2/2017
05. O que te move? - 29/5/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Fidalgos da Casa Mourisca
Júlio Dinis
Europa América
(1972)



O Toró: Col. Bum - Bum - Que - Te - Bum - Bum - Bum / 2ª Ed
Ivan Zigg; Regina Siguemoto
Do Brasil
(2008)



Isso ninguém me tira
Ana Maria Machado
Ática
(1996)



O Maior Segredo do Mundo
Og Mandino
Record
(1979)



Box Teologia do Corpo + Livreto: o Papa das Multidões e a Loja do Ouri
São João Paulo II
Minha Biblioteca Católica
(2021)



Nova Guiné - As Regiões Selvagens do Mundo
Time Life
Time Life
(1975)



TOC: transtorno obsessivo-compulsivo
Dan J. Stein / Maomi A. Fineberg
Med
(2009)



Coleção de Olho no Mundo Meios de Transporte (2000)
Abril
Abril
(2000)



Marketing no Setor Público
Philip Kotler - Nancy Lee
Bookman
(2008)



A Mulher Muçulmana Segundo o Alcorão
Paulo Eduardo Oliveira
Palavras & Imagem
(2001)





busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês