A pintura do caos, de Kate Manhães | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
65683 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Para ler o Pato Donald
>>> A Faculdade de Letras
>>> 13 de Setembro #digestivo10anos
>>> 21 de Março #digestivo10anos
>>> 4 de Janeiro #digestivo10anos
>>> A morte de Sardanapalo de Delacroix
>>> País do Carnaval II
>>> Algumas leituras marcantes de 2006
>>> A visão certa
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> O Mistério das Aranhas Verdes de Carlos Heitor Cony; Anna Lee pela Salamandra (2001)
>>> Bem do seu tamanho de Ana Maria Machado; Mariana Massarani pela Salamandra (2003)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Paterson pela Salamandra (2006)
>>> Slam Dunk de Takehiko Inoque pela Conrad (2006)
>>> Slam Dunk de Takehiko Inoque pela Conrad (2006)
>>> Neon Genesis Evangelion the Iron Maiden 6 de Funino Hayashi - GAINAX pela Conrad (2006)
>>> Neon Genesis Evangelion the Iron Maiden 5 de Funino Hayashi - GAINAX pela Conrad (2003)
>>> Minha vida de menina de Helena Morley pela Companhia das Letras (2020)
>>> Minha formação de Joaquim Nabuco pela 34 (2020)
>>> Mestre da Critica de Vários autores pela Topbooks (2020)
>>> Memórias para servir à História do Reino do Brasil de Luís Gonçalves dos Santos pela Senado (2020)
>>> Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Abc (2020)
>>> A Unica Esperança de Alejandro Bullon pela Casa Publicadora Brasileira (2013)
>>> Memórias de Carlota Joaquina de Marsilio Cassotti pela Planeta (2020)
>>> Marquês de São Vicente de Eduardo Kugelmas pela 34 (2020)
>>> Machado de Assis & Joaquim Nabuco. Correspondência de Graça Aranha pela Topbooks (2020)
>>> Obra Completa de Luis De Camoes pela Nova (2020)
>>> Literatura e Sociedade de Antônio Candido pela Ouro sobre Azul (2020)
>>> O Tigre na Sombra de Lya Luft pela Record (2012)
>>> Juca Paranhos, o Barão do Rio Branco de Luís Cláudio Villafañe G. Santos pela Companhia das Letras (2020)
>>> Ingleses no Brasil de Gilberto Freyre pela UniverCidade (2020)
>>> Histórias da Gente Brasileira. República. Memórias. 1889-1950 - Volume 3 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Histórias da gente brasileira - Império - Vol. 2 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Histórias da gente brasileira - Colônia - Vol. 1 de Mary Del Priore pela Leya (2020)
>>> Tensoes Mundiais Volume 4 Numero 5 de Manoel Domingos Neto e Monica Dias Martins pela Observatorio das Nacionalidades (2008)
>>> História econômica do Brasil de Roberto C. Simonsen pela Senado (2020)
>>> História dos Fundadores do Império do Brasil - 7 volumes - coleção completa de Otávio Tarquínio de Sousa pela Senado (2020)
>>> História do Brasil: Uma interpretação de Mota, Carlos Guilherme and Lopez, Adriana pela 34 (2020)
>>> História do Brasil de Boris Fausto pela Edusp (2020)
>>> Historia da Vida Privada Em Portugal: Volume 1 Idade Média de Direção de José Mattoso pela Abc (2020)
>>> Historia da Vida Privada Em Portugal: OS Nossos Dias de Direção de José Mattoso pela Abc (2020)
>>> História da saúde no Brasil de Luiz Antonio Teixeira (Compilador), Tânia Salgado Pimenta (Compilador), Gilberto Hochman (Compilador) pela Hucitec (2020)
>>> História da Arte no Brasil: Textos de Síntese de Myriam Andrade Ribeiro de Oliveira, Angela Ancora da Luz, Sonia Gomes Pereira pela Ufrj (2020)
>>> Temas de Direito Constitucional Volume 1 de Luís Roberto Barroso pela Renovar (2002)
>>> História Da América Portuguesa de Sebastião Da Rocha Pita pela Senado (2020)
>>> História da Alimentação no Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2020)
>>> No caminho de Swann. de Marcel Proust pela Globo (2003)
>>> Hipólito José da Costa de Sergio Goes de Paula pela 34 (2020)
>>> Serious Candida Infections: Risk Factors, Treatment and Prevention de John H. Rex e Françoise Meunier Editores pela Pfizer (1995)
>>> Grande Reforma Urbana Do Rio De Janeiro, A: Pereira Passos, Rodrigues Alves E As Ideias De Civilização E Progresso de Andre Nunes De Azevedo pela PUC Rio (2020)
>>> Natural Racional Social - Razão Médica e Racionalidade Científica Moderna. de Madel T. Luz pela Campus (1988)
>>> Getúlio 3 (1945-1954) de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Getulio 1930-1945: Do Governo Provisorio Ao Estado Novo de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Para gostar de ler. Vol.4 - Crônicas.. de Vários pela Ática (1980)
>>> Getúlio 1 (1882-1930) de Lira Neto pela Companhia das Letras (2020)
>>> Viver o Amor. de José Carlos Pedroso pela Edições Paulinas (1978)
>>> General Osorio de Doratioto, Francisco pela Companhia das Letras (2020)
>>> Ganhadores: A greve negra de 1857 na Bahia de João José Reis pela Companhia das Letras (2020)
>>> Formação de Cidades no Brasil Colonial de Santos, Paulo Ferreira pela Ufrj - IPHAN (2020)
>>> Flores votos e balas de Alonso, Angela pela Companhia das Letras (2020)
COLUNAS

Terça-feira, 8/9/2020
A pintura do caos, de Kate Manhães
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 800 Acessos



“Porque não surrupiar dos outros se isso nos leva mais longe?” Esta frase de Francis Bacon se aplica à obra de Kate Manhães. Seu trabalho é nitidamente permeado por boas influências que a faz prolongar efeitos já constituídos em outras obras. No caso, podemos pensar na obra do próprio Francis Bacon e artistas como Picasso, Lucien Freud ou Fabricius Nery (tal como Kate, artista de Campinas). O diálogo é promissor. E vamos usar a palavra diálogo, tal como o próprio Bacon fez, por exemplo, alinhavando de Picasso, Velásquez e Rembrandt ao cinema de Eisenstein em seu trabalho.

Kate Manhães vive em Campinas, interior de São Paulo. Já desenvolve seu trabalho de pintora à décadas. Em geral, sua pintura reúne temas à partir de reflexões existenciais e sociais, aliados às questões formais que têm seu ponto forte na pintura de tradição modernista (Picasso, Lucien Freud, Francis Bacon e os pintores campineiros Egas Francisco e Fabricius Nery).

Do ponto de vista formal, seu trabalho tem como elementos centrais a fragmentação do corpo humano e geometrias aproveitadas dos cenários e como “cenários” onde as imagens se concentram. A geometria, no entanto, não cria espaços naturalistas, mas se porta como uma espécie de estrutura que tenta manter em pé o caos das imagens que centralizam boa parte de suas telas.

O corpo humano é desconstruído ou deformado segundo princípios que vão da ironia ao puro desgaste de uma ideia, o que numa pintura expressionista acabaria por se constituir numa narrativa mais clara. Ao contrário da vertente expressionista (caso de Egas Francisco), que expande o drama das imagens em cores e gestos largos buscando ampliar sua expressão narrativa, aqui, no caso de Kate Manhães, o que pesa é uma desconstrução pós-moderna da narrativa, produzida pela fragmentação e desconexão direta da imagem em todos os espaços da tela.

Mesmo a geometria constante não produz sentido objetivo quando busca delimitar os espaços onde a ação acontece. Os espaços são, assim, fantasmagóricos, embora sustentem a tela para que os pedaços dos corpos não voem para além deles mesmos.

Na tela que comentaremos, denominada Espectador do Caos, a conjunção de referências - mais objetivamente provindas de Picasso e Francis Bacon como influências mais diretas -, a artista fragmenta aquilo que já era fragmentado nas suas referências e aquilo que não era fragmento (como, talvez, a presença de Lucien Freud) é levado ao paroxismo do desmembramento, refazendo-se num misto caótico de Guernica (note-se a referência nos braços caídos no primeiro plano central) e Bacon.

Se o tema da tela é o caos, ele se expande para além de uma possível interpretação. Um elemento interessante na tela é que não só o personagem que observa o casos (ele também com o rosto fragmentado, sendo visto de três ângulos diferentes) é colocado nessa posição, mas também nós, aqui, somos colocados impunemente na posição do mesmo observador desse caos de corpos em fragmentos.

A incapacidade de dar sentido ao que se observa, tantos são os fragmentos, é o que revela a situação (do mundo de hoje?) da impossibilidade de nomear o real a partir de uma certeza unitária. Mesmo o círculo que envolve o esqueleto, como uma espécie de lente de aumento, não consegue conectar o sentido desse fragmento ao restante das imagens. Ele apenas amplia a ideia das partes, sendo um fragmento dentre os tantos outros aqui apresentados. Não adianta revelar o interior do corpo, não há sentido a ser revelado nessa operação anatômica, a não ser o de uma nova divisão do corpo humano em mais partes.

Aqui, se se quiser ampliar o discurso sobre a obra, pode-se falar em fragmentação da verdade, da narrativa, da história e a consequente intraduzibilidade do sentido do corpus do existir contemporâneo.

A presença de um urubu (aqui em cor azul) também como um espectador dos fragmentos humanos, esperando o apodrecimento deste mundo para efetuar seu devoramento, é bastante sintomático de uma apresentação alegórica do homem na atual conjuntura como apenas um resto humano na expectativa de sua degeneração futura.

Se a tela pretende-se uma nova Guernica, aqui o esfacelamento vai além da referência histórica (no caso da obra de Picasso, o bombardeio de uma cidade espanhola pelos fascistas). O que Kate propõe é uma interpretação mais geral da humanidade. Quem está destroçado é o homem como um todo, ou o que havia de humanidade no homem. E a nós espectadores, resta o que? Assistir o ocaso da humanidade.



Para ir além: para acessar outras obras de Kate Manhães visitem no instagram: atelieoraculo


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 8/9/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I de Cassionei Niches Petry
02. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos
03. YouTube, lá vou eu de Adriane Pasa
04. O que não fazer em época de crise de Fabio Gomes
05. Cidade surreal de Elisa Andrade Buzzo


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2020
01. Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori - 21/7/2020
02. Entrevista com Gerald Thomas - 7/1/2020
03. A poesia de Carol Sanches - 12/5/2020
04. Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida - 7/4/2020
05. A pintura do caos, de Kate Manhães - 8/9/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AVENTURAS NA HISTÓRIA TERCEIRO REICH - 9079
DIVERSOS
ABRIL
(2013)
R$ 18,00



DE VOCÊ ... DE MIM... DA VIDA
AUGUSTA MARIA MENDES
VITÓRIA
(1981)
R$ 25,00



HISTÓRIAS DA BÍBLIA VOL IV
ABRIL CULTURAL
ABRIL CULTURAL
(1971)
R$ 9,90



FERNANDA MONTENEGRO EM O EXERCICIO DA PAIXÃO
LUCIA RITO
ROCCO
(1990)
R$ 6,90



CORRUPÇÃO: ILEGALIDADE INTOLERÁVEL?
FLÁVIA SCHILLING
IBCCRIM
(1999)
R$ 15,00



O LIVRO DOS DESMANDAMENTOS
CARLOS TRIGUEIRO
BERTRAND BRASIL
(2004)
R$ 34,00



SALVE-SE QUEM PUDER- UMA HISTÓRIA DA ESPECULAÇÃO FINANCEIRA
EDWARD CHANCELLER
COMPANHIA DAS LETRAS
(2001)
R$ 39,90



CRUZANDO O LIMIAR DA ESPERANÇA - SUA SANTIDADE JOÃO PAULO II
VITTORIO MESSORI
FRANCISCO ALVES
(1994)
R$ 5,00



RACIOCÍNIO LÓGICO - ESAF
PAULO QUILELLI
FERREIRA
(2009)
R$ 37,30



A CHAMINÉ
MARTIM HART
CLUBE DO LIVRO
(1966)
R$ 5,00





busca | avançada
65683 visitas/dia
2,2 milhões/mês