Casa, poemas de Mário Alex Rosa | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
54703 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rosas Periféricas apresenta espetáculos sobre memórias e histórias do Parque São Rafael
>>> Música: Fabiana Cozza se apresenta no Sesc Santo André com repertório que homenageia Dona Ivone Lara
>>> Nos 30 anos, Taanteatro faz reflexão com solos teatro-coreográficos
>>> ‘Salão Paulista de Arte Naïf’ será aberto neste sábado, dia 27, no Museu de Socorro
>>> Festival +DH: Debates, cinema e música para abordar os Direitos Humanos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
>>> Fly Maria: espaço multicultural em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O primeiro livro que li
>>> Uma Obra-Prima Sertaneja
>>> O Chileno
>>> 17 de Julho #digestivo10anos
>>> Os Rolling Stones deveriam ser tombados
>>> Chuck Berry
>>> Autor não é narrador, poeta não é eu lírico
>>> E se tivesse dado certo?
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Um gourmet apaixonado por Paris
Mais Recentes
>>> As Crônicas do Rei Gormath de Nonato Peixoto nogueira pela Chiado Books (2021)
>>> Kaluana Kami de Nonato Peixoto nogueira pela Arte (2016)
>>> Arlindo de Ilustralu pela Seguinte (2021)
>>> Ver Bem Sem Óculos de Dr. Vander pela Mestre Jou (1967)
>>> Soma Uma Terapia Anarquista vol 2 -A Arma é o corpo de Roberto Freire pela Guanabara Koogan (1991)
>>> Dicionário Jurídico Italiano - Portoghese /Português-Italiano de Romolo Traiano pela Centro Studi Ca'Romana (1997)
>>> História da Umbanda: Uma Religião Brasileira de Alexandre Cumino pela Madras (2019)
>>> Cromoterapia Técnica de René Nunes pela Linha Gráfica (1987)
>>> Confissões de Santo Agostinho pela Principis (2019)
>>> A Vida Secreta das Árvores de Peter Wohlleben pela Sextante (2017)
>>> Macaco Preso para Interrogatório de João Aveline pela Age (1999)
>>> O Mal Não Vem de Fora de Lourdes Carolina Gagete pela Panorama (2004)
>>> Croma - O Oráculo de Atlon (Ficção Científica)li de Leandro Garcia Estevam pela Do Autor (2003)
>>> Cruzadox turbante Livro 15- Nível Médio de Coquetel pela Coquetel (2021)
>>> Palavras cruzadas Livro 52- Nível fÁCIL de Coquetel pela Coquetel (2020)
>>> Caça Palavras ouro euro nº 21- Nível Médio de Coquetel pela Ouro (2020)
>>> Sob o vulcão de Malcolm Lowry pela Artenova (1975)
>>> Caça Palavras ouro dólar nº 16 de Coquetel pela Ouro (2020)
>>> História da dança no ocidente de Paul Bourcier pela Martins Fontes (1987)
>>> Caça Palavras ouro dólar nº 11- Nível Médio de Coquetel pela Ouro (2020)
>>> Cidades da noite escarlate de William Burroughs pela Siciliano (1995)
>>> Caça Palavras ouro euro nº 15- Nível Médio de Coquetel pela Ouro (2020)
>>> Zenzele - Uma carta para minha filha de J. Nozipo Maraire pela Mandarim (1996)
>>> Caça Palavras ouro dólar nº 10- Nível Médio de Coquetel pela Ouro (2020)
>>> Lasar Segall e o modernismo paulista de Vera D'Horta Beccari pela Brasiliense (1984)
COLUNAS

Terça-feira, 8/12/2020
Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 3600 Acessos



Só mora com intensidade aquele que soube encolher-se. (Bachelard)



“É preciso estar presente, presente à imagem no minuto da imagem”. Esta frase de Bachelard resume bem o livro Casa, do poeta Mário Alex Rosa, recém publicado pela editora Impressões de Minas.

Para Bachelard, a imagem poética advém de uma “ontologia direta”. A imagem não é, portanto, o substituto do objeto, mas o ato da consciência criadora, daquela “consciência ingênua” que capta uma novidade naquilo que aparentemente já foi visto e revisto. Eis a casa, transformada em ato poético, a partir da percepção de suas ressonâncias, dispersas aqui e ali, mas que para o poeta torna-se o momento de inaugurar uma forma.

Sabemos o quanto são insuficientes os dados do saber na dádiva que é a constituição feliz de uma imagem poética. Não serão os “circuitos do saber” que apreenderão a casa, que darão forma ao que é percebido pela sensibilidade do poeta. Para espacializar as variadas ressonâncias dentro do verso é preciso que a constituição da imagem revele a intimidade exterior dos objetos, dos cantos e recantos da casa e dos que a habitam. Não se trata aqui de “verdade interior” dos objetos, mas de sua significância enquanto exterioridade imagética: o ovo estalado numa frigideira se torna um sol (com o complemento de outro poeta, Ronald Polito, que prefacia o livro numa colaboração crítica criativa, ampliando a imagem para o sol “gema que surge entre nuvens”).

A casa é habitada por objetos, seres e as próprias sensações do morador-poeta. Tudo isso liquidificado em substâncias poéticas: do voo rasante de um pernilongo ao passeio de uma formiguinha num grão de açúcar ou a sensação da água e do sabão no momento de se lavar as mãos. Além dos objetos, há o espaço e há também o tempo, transformados em imagem, sejam as horas do dia ou as horas da noite, seja o efeito da luz ou dos sons, ou as estações do ano transformadas em espera do tempo futuro.



O fato dos poemas parecerem haicais (sempre em três versos) diz respeito à esse aprisionamento do olhar dentro de espaços apertados. Cada um desses espaços é percebido como particular, seja a sala, a cozinha, o quarto, o banheiro ou a lavanderia. E dentro da particularidade de cada espaço, os objetos ganham maior visibilidade e sobre eles o olho se concentra com mais agudeza e a consciência a eles se cola.

E reduzido a uma movimentação precisa - dentro de uma temporalidade de longe durée, como diria o historiador Fernand Braudel, dentro de “temporalidades estruturais e plurais” em espaços contíguos e que permitem a não dispersividade e uma maior atenção a tudo que compõe a casa -, o zoom sobre os objetos (e às próprias sensações) ao qual o olho (e o espírito) se prende transforma essas reservas de intimidade em imagens sintéticas, rápidas, como instantâneos que um fotógrafo cometeria. A modelagem dos poemas em pequenos concentrados de palavras-imagens nos faz pensar também nos jograis infantis onde a palavra era lançada à categoria de objeto, ela também, brinquedo.

A casa que vai ganhando voz: com objetos que decidem resmungar, desenhos que são sugeridos pelo travesseiro de letras ou por uma fruteira colorida, a movimentação silenciosa de um aperto de mão entre amantes, a insônia que não impede o devaneio, as cadeiras solitárias enchendo a mesa de ausência, a roupa no varal esperando um novo tempo... A casa virou imagem poética, ou seja, a imaginação inquietou-se num mundo que parecia fechado em si mesmo, abrindo-se num voo de asa aberta para a arquitetura ampla da imaginação. “se acaso sair/ de casa/ só voo de asa”.

Para os leitores, algumas dessas pérolas do livro Casa:

folhas verdes

de vento em vento

amarelam com o tempo



luz na tv

sozinha ilumina

solidão no escuro



entre as mãos

água e sabão

vão





Para ir além:

ROSA, Mário Alex. Casa. Belo Horizonte: Impressões de Minas, 2020.

Encomendas pelo site: www.impressõesdeminas.com.br



Ilustrações da resenha: desenhos de Egon Schiele


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 8/12/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e... de Renato Alessandro dos Santos
02. De volta da Flip 2013 de Eugenia Zerbini


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2020
01. Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori - 21/7/2020
02. A pintura do caos, de Kate Manhães - 8/9/2020
03. Casa, poemas de Mário Alex Rosa - 8/12/2020
04. Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida - 7/4/2020
05. Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes - 29/9/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Manual Prático de do In: Saúde e Vitalidade pela Auto-massagem
Gérard Edde
Record
(1981)



Nos Bastidores da Obsessão
Divaldo P. Franco
Feb
(1997)



Childrencraft - the How and Why Library Volume 12
Varios Autores
Field Enterprises
(1972)



Los Partidos de Centro y La Evolucion Politica Chilena
Timothy R. Scully
Cieplan
(1992)



Um Dia, uma Vida
Leão Serva
Tres Estrelas
(2015)



Manual das Sociedades e Associações Civis
Jero Oliva
Aide
(1988)



Cours Elemntaire de Macanique
M Ch Delaunay
Garnier
(1885)



Cão Come Cão
Edward Bunker
Barracuda
(2004)



Cem Noite Tapuias
Ofélia e Narbal Fontes
Ática
(1982)



Atlas Geografico Espaco Mundial 3ª Edição
Graca Maria Lemos Ferreira
Moderna
(2012)





busca | avançada
54703 visitas/dia
2,2 milhões/mês