Casa, poemas de Mário Alex Rosa | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
48334 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Residência Artística FAAP São Paulo realiza Open Studio neste sábado
>>> CONHEÇA OS VENCEDORES DO PRÊMIO IMPACTOS POSITIVOS 2022
>>> Espetáculo 'Figural', direçãod e Antonio Nóbrega | Sesc Bom Retiro
>>> Escritas de SI(DA) - o HIV/Aids na literatura brasileira
>>> Com Rincon Sapiência, Samanta Luz prepara quiche vegana no Sabor & Luz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As mulheres e o futebol
>>> São Luiz do Paraitinga
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Road Warrior
>>> O crime da torta de morango
>>> PT saudações
>>> Oscar Wilde, dândi imortal
>>> 30 de Novembro #digestivo10anos
>>> Uma história do Jazz
>>> Quando morre uma paixão
Mais Recentes
>>> Dicionário Jurídico Tributário de Eduardo Marcial Ferreira Jardim pela Dialética (2005)
>>> Pão Nosso de Chico Xavier pela Feb (2019)
>>> O caso do hotel Bertram / o misterioso caso de styles de Agatha Christie pela Best Bolso (2010)
>>> Teoria da personalidade na sociedade de massa - A contribuição de Gramsci de Dario Ragazzini pela Autores Associados (2005)
>>> Ética de Spinoza pela Autêntica (2009)
>>> A origem da desigualdade entre os homens de Jean-Jacques Rousseau pela Penguin e Companhia das Letras (2017)
>>> A dominação masculina - a condição feminina e a violência simbólica de Pierre Bourdieu pela Bertrand Brasil (2019)
>>> História da Sexualidade - 1. A vontade de saber de Michel Foucault pela Editora Paz e Terra (2020)
>>> Sociedade do Cansaço de Byung-chul Han pela Editora Vozes (2015)
>>> O mito de Sísifo de Albert Camus pela Edições Bestbolso (2022)
>>> Os sete pilares da sabedoria de T E Lawrence pela Circulo do livro
>>> P.S.: Ainda Amo Você de Jenny Han pela Intrínseca (2016)
>>> Escandalo na sociedade de Harold Robbins pela Circulo do livro
>>> O vale do medo de Arthur Conan Doyle pela Ediouro (2006)
>>> O veu pintado de Somerset Maugham pela Circulo do livro
>>> Se houver amanhã / Nada dura para sempre vira-vira de Sidney Sheldon pela Best Bolso (2010)
>>> Doze anos de escravidão de Solomon Northup pela Penguin Books (2014)
>>> Livro dos sonhos de Jorge Luis Borges pela Circulo do livro
>>> Enterrem meu coração na curva do rio de DeeBrown pela Circulo do livro
>>> Confie em mim de Harlan Coben pela Sextante (2009)
>>> Assassins creed renegado de Oliver Bowden pela Record (2012)
>>> Assassins creed unity de Oliver Bowden pela Record (2015)
>>> Confesso Que Vivi - memórias de Pablo Neruda pela Difel (1974)
>>> A rosa da meia-noite de Lucinda Riley pela Novo Conceito (2014)
>>> O Poder da Visualização Criativa: Conheça a técnica que mudou a vida de milhares de pessoas em todo o mundo de Elizabeth Mednicoff pela Universo dos Livros (2007)
COLUNAS

Terça-feira, 8/12/2020
Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 4000 Acessos



Só mora com intensidade aquele que soube encolher-se. (Bachelard)



“É preciso estar presente, presente à imagem no minuto da imagem”. Esta frase de Bachelard resume bem o livro Casa, do poeta Mário Alex Rosa, recém publicado pela editora Impressões de Minas.

Para Bachelard, a imagem poética advém de uma “ontologia direta”. A imagem não é, portanto, o substituto do objeto, mas o ato da consciência criadora, daquela “consciência ingênua” que capta uma novidade naquilo que aparentemente já foi visto e revisto. Eis a casa, transformada em ato poético, a partir da percepção de suas ressonâncias, dispersas aqui e ali, mas que para o poeta torna-se o momento de inaugurar uma forma.

Sabemos o quanto são insuficientes os dados do saber na dádiva que é a constituição feliz de uma imagem poética. Não serão os “circuitos do saber” que apreenderão a casa, que darão forma ao que é percebido pela sensibilidade do poeta. Para espacializar as variadas ressonâncias dentro do verso é preciso que a constituição da imagem revele a intimidade exterior dos objetos, dos cantos e recantos da casa e dos que a habitam. Não se trata aqui de “verdade interior” dos objetos, mas de sua significância enquanto exterioridade imagética: o ovo estalado numa frigideira se torna um sol (com o complemento de outro poeta, Ronald Polito, que prefacia o livro numa colaboração crítica criativa, ampliando a imagem para o sol “gema que surge entre nuvens”).

A casa é habitada por objetos, seres e as próprias sensações do morador-poeta. Tudo isso liquidificado em substâncias poéticas: do voo rasante de um pernilongo ao passeio de uma formiguinha num grão de açúcar ou a sensação da água e do sabão no momento de se lavar as mãos. Além dos objetos, há o espaço e há também o tempo, transformados em imagem, sejam as horas do dia ou as horas da noite, seja o efeito da luz ou dos sons, ou as estações do ano transformadas em espera do tempo futuro.



O fato dos poemas parecerem haicais (sempre em três versos) diz respeito à esse aprisionamento do olhar dentro de espaços apertados. Cada um desses espaços é percebido como particular, seja a sala, a cozinha, o quarto, o banheiro ou a lavanderia. E dentro da particularidade de cada espaço, os objetos ganham maior visibilidade e sobre eles o olho se concentra com mais agudeza e a consciência a eles se cola.

E reduzido a uma movimentação precisa - dentro de uma temporalidade de longe durée, como diria o historiador Fernand Braudel, dentro de “temporalidades estruturais e plurais” em espaços contíguos e que permitem a não dispersividade e uma maior atenção a tudo que compõe a casa -, o zoom sobre os objetos (e às próprias sensações) ao qual o olho (e o espírito) se prende transforma essas reservas de intimidade em imagens sintéticas, rápidas, como instantâneos que um fotógrafo cometeria. A modelagem dos poemas em pequenos concentrados de palavras-imagens nos faz pensar também nos jograis infantis onde a palavra era lançada à categoria de objeto, ela também, brinquedo.

A casa que vai ganhando voz: com objetos que decidem resmungar, desenhos que são sugeridos pelo travesseiro de letras ou por uma fruteira colorida, a movimentação silenciosa de um aperto de mão entre amantes, a insônia que não impede o devaneio, as cadeiras solitárias enchendo a mesa de ausência, a roupa no varal esperando um novo tempo... A casa virou imagem poética, ou seja, a imaginação inquietou-se num mundo que parecia fechado em si mesmo, abrindo-se num voo de asa aberta para a arquitetura ampla da imaginação. “se acaso sair/ de casa/ só voo de asa”.

Para os leitores, algumas dessas pérolas do livro Casa:

folhas verdes

de vento em vento

amarelam com o tempo



luz na tv

sozinha ilumina

solidão no escuro



entre as mãos

água e sabão

vão





Para ir além:

ROSA, Mário Alex. Casa. Belo Horizonte: Impressões de Minas, 2020.

Encomendas pelo site: www.impressõesdeminas.com.br



Ilustrações da resenha: desenhos de Egon Schiele


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 8/12/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Perdemos público em 2004? E daí? de Lucas Rodrigues Pires
02. Dia Marisa: todas as mulheres merecem de Suzi Hong


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2020
01. A pintura do caos, de Kate Manhães - 8/9/2020
02. Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori - 21/7/2020
03. Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida - 7/4/2020
04. Casa, poemas de Mário Alex Rosa - 8/12/2020
05. Entrevista com Gerald Thomas - 7/1/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Cama na Varanda
Regina Navarro Lins
best seller
(2013)



Dupla Exposição: Stanislaw Sérgio Ponte Porto Preta
Renato Sérgio
ediouro
(1998)



Lost on Earth
Steve Crombie
Macmillan
(2010)



Mantenha O Seu Cérebro Vivo
Lawrence C. Katz e Manning Rubin
Sextante
(2000)



Meaux et Ses Quartiers 1600-1950
Rotari Club de Meaux
Rotary Club de Meaux
(1998)



Conviver e Melhorar - Como Relacionar-se Harmonicamente...
Francisco do Espirito Santo Neto
Boa Nova
(1999)



Exercícios de Bioenergética
Alexander Lowen, Leslie Lowen
ágora
(1985)



Fazer o bem Faz Bem
Maria Helena Gouveia
gente
(2001)



O povo do lago 2 edição
Richard E. Lealkey, Roger Lewin
Unb
(1996)



Em Busca da Fé
Isadino José dos Santos
Mundo Maior
(2010)





busca | avançada
48334 visitas/dia
1,6 milhão/mês