O acerto de contas de Karl Ove Knausgård | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
48369 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> OBRAS INSPIRADAS DURANTE A PANDEMIA GANHAM DESTAQUE NO INSTITUTO CERVANTES, EM SÃO PAULO
>>> Sempre Um Papo com Silvio Almeida
>>> FESTIVAL DE ORQUESTRAS JUVENIS
>>> XIII Festival de Cinema da Fronteira divulga Programação
>>> Centro em Concerto: ¡Navidad Nuestra!
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> A árvore da vida
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Garanto que você não vai gostar
>>> Colunismo em 2004
>>> Frases de Drummond
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> 28 de Junho #digestivo10anos
>>> 19 de Julho #digestivo10anos
>>> Citizen Kane
Mais Recentes
>>> Araribá Plus Geografia 8 de Cesar Brumini Dellore pela Moderna (2020)
>>> Tudo sobre cinema de Philip Kemp (Editor geral) pela Sextante (2011)
>>> Insta English 1 - Student's Book & Workbook de Emma Heyderman - Fiona Mauchline e outros pela Macmillan (2019)
>>> Cara, Cadê o Meu País? de David S. Moore pela Francis (2004)
>>> História da igreja católica de Philip Hughes pela Dominus (1962)
>>> Diário de Bordo de Noé de Francesca Bosca pela Ftd (2007)
>>> A 3ª Visão de Lobsang Rampa pela Record
>>> Guardiao Sete - O Chanceler do Amor de Rubens Saraceni pela Madras (2004)
>>> 200 Crônicas escolhidas de Rubem Braga pela Círculo do livro
>>> Na Praia e no Luar, Tartaruga quer o Mar de Ana Maria Machado pela Ática (2010)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo: Para Prevenção e Tratamento da Artrite de Peter D'Adamo e Catherine Whitney pela Campus (2004)
>>> As duas vidas de Audrey Rose de Frank de Felitta pela Francisco Alves (1977)
>>> O Mistério da Casa Verde de Moacyr Scliar pela Ática (2008)
>>> Teláris Arte 7 de Eliane Pougy - André Vilela e outros pela Ática (2019)
>>> Por amor a Audrey Rose de Frank de Felitta pela Francisco Alves (1983)
>>> Adestramento Inteligente de Alexandre Rossi pela Cms (2004)
>>> Aumente o Poder do Seu Subconsciente Para Vencer o Medo e a Ansiedade de Dr. Joseph Murphy pela Nova Era (2006)
>>> Eles não Usam Black-tie de Gianfrancesco Guarnieri pela Civilização Brasileira (2018)
>>> O Poder do Agora de Eckhart Tolle pela Sextante (2002)
>>> A Menina que Descobriu o Brasil de Ilka Brunhilde Laurito pela Ftd (2001)
>>> As Profecias da Pirâmide de Max Toth pela Record (1979)
>>> Um Estudo em Vermelho de Sir Arthur Conan Doyle pela Ftd (2006)
>>> Universo de Desencanto Volume 1 de Manoel Jacinto Coelho pela Racional Superiror (1973)
>>> Os astros sempre nos acompanham: Um manual de astrologia contemporânea de Claudia Lisboa pela Best Seller (2018)
>>> Inocência - Edição Renovada de Visconde de Taunay pela Ftd (2011)
COLUNAS

Terça-feira, 9/2/2021
O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
Cassionei Niches Petry

+ de 5000 Acessos

O fim inicia pelo começo, ou seja, o lançamento do primeiro volume de Minha luta, um romance dividido em seis longas partes, que Karl Ove Knausgård lançou entre os anos de 2009 e 2011 em seu país, a Noruega, e somente agora tem concluída sua publicação no Brasil, pela Companhia das Letras. São milhares de páginas que têm como protagonista e narrador o próprio Karl Ove. Os demais personagens são seus familiares, amigos, alunos, escritores, editores, todos (com algumas exceções devido a ameaças de processo) com seus nomes reais e retratados de forma fiel (ou assim nos quer fazer crer o autor) à realidade, sem nada de ficção, mas com a roupagem de um romance, um longo romance, um enorme romance, um pesado romance.

Temos aqui um Karl Ove Knausgård preocupado com a reação das pessoas mencionadas, pois antes da publicação envia por e-mail os originais para saber a opinião delas, o que me lembrou de um autor brasileiro, Jacques Fux, que usa, de forma irônica e ficcional, esse recurso no romance “Brochadas: confissões sexuais de um jovem escritor”, cujo protagonista, que tem o mesmo nome do autor, conta suas falhas na cama e pede autorização das “vítimas” de seus fracassos para utilizar seus nomes nas narrativas.

Karl Ove provoca a irritação de seu tio, irmão de seu pai, que percebe erros factuais e afirma que a história irá manchar a memória da família. Ameaça processá-lo e, por isso, é quem acaba sendo o responsável pelo sucesso da obra, uma vez que deixa vazar tudo aos jornalistas, despertando interesse pelo romance antes mesmo de seu lançamento. É o que afirma o amigo de Karl: “vai ser uma publicidade incrível para o livro”.

Os detalhes da rotina familiar do escritor mais uma vez marcam o tom dessa última parte de Minha luta. O dia a dia com sua mulher, Linda, também escritora, e os três filhos pequenos é descrito de forma minuciosa: pôr as crianças para dormir, preparar as refeições, levá-las à escola infantil comunitária, ir às compras, lavar roupa. Nada disso, porém, se torna monótono, pois a escrita de Karl Ove é envolvente, tanto que consegue dar saltos no tempo sem que percebamos, além de inserir trechos ensaísticos que dão um intervalo na longa narrativa.

Em O fim, Knausgård extrapola nesse quesito ao escrever um capítulo de 400 páginas totalmente teórico, um livro dentro do livro, em que discute a questão dos nomes de personagens, do título de obras e por que ter denominado sua série romanesca com o nome do livro maldito de Hitler. Para tanto, destrincha os trechos da obra do ditador, citando inclusive enormes trechos, lembrando como as memórias de Hitler acabam sendo distorcidas, comparando-as com trechos de escritos de, entre outros, Kubizek, amigo do então jovem genocida, o que de certa forma explica o porquê das discrepâncias entre o que Karl Ove lembra e o que o seu tio disse que realmente aconteceu.

“Claro que não podemos chegar à verdade sobre as coisas realmente se passaram, porque essa verdade pertence ao instante e não pode existir fora do instante, mas é possível olhar ao redor, iluminar o que aconteceu a partir de vários ângulos, pesar a probabilidade de uma coisa e a probabilidade da outra, e nessa tentativa de esforçar-se de maneira consciente para desviar os olhos daquilo que mais tarde aconteceu, ou seja, esforçar-se para não ver determinado traço de caráter ou determinado acontecimento como um sinal de outra coisa que não aquilo de fato é em si mesmo.”

O narrador ainda lembra as crises de depressão de Linda Boström Knausgård, que acaba sendo internada em um hospital psiquiátrico. Anos depois, separada de Karl Ove, ela iria ser internada outras vezes e sofreria terapias dolorosas, contadas em A pequena outubrista, publicado por aqui no final de 2020 pela Editora Rua do Sabão. É através da literatura, portanto, que ambos acertam contas com a vida e refletem sobre tudo a seu redor: “A beleza, ou seja, a linguagem literária, o filtro através do qual o mundo é visto”.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 9/2/2021


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry
01. Notas confessionais de um angustiado (VII) - 4/9/2019
02. Do canto ao silêncio das sereias - 14/11/2018
03. Um conto-resenha anacrônico - 9/2/2022
04. O abalo sísmico de Luiz Vilela - 1/9/2021
05. O suicídio na literatura - 13/4/2016


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro - Palavras Não Se Afogam ao Atravessar o Atlântico
Carlos Vaz Marques / 1ª Ed
Tinta da China
(2015)



Inocência Serie Bom Livro 23ªed (1996)
Visconde de Taunay
Atica
(1996)



Profissionais da Educação Infantil
Isabel de Oliveira e Silva
cortez
(2001)



Aborrecente Não, Sou Adolescentes
Rosângela
Petit
(2000)



Noite Brancas e Outras Histórias - Col. Obra Prima de Cada Autor
Dostoiévski - de Bolso
Martin Claret
(2007)



As 100 + - o Guia de Estilo Que Toda Mulher Fashion Deve Ter
Nina Garcia
Best Seller
(2009)



O Pensamento Vivo de Buda
José Geraldo Simões Jr.
martin claret
(1985)



Erasmo de Rotterdam - o Mais Eminente Filosofo da Renascença
Luiz Feracine
Livros Escala



Livro - Saga Brasileira - a Longa Luta de um Povo por Sua Moeda
Miriam Leitão
Record
(2011)



Até as Águias Precisam de um Empurrão
David McNally
pronet
(1995)





busca | avançada
48369 visitas/dia
1,6 milhão/mês