O acerto de contas de Karl Ove Knausgård | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
73958 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
>>> Projeto Camerata Filarmônica Brasileira apresenta concerto comemorativo no dia 15 de maio em Indaiat
>>> Ação Urgente Contra a Fome - SescSP
>>> 3ª Mostra de Teatro de Heliópolis recebe inscrições até 31 de maio
>>> Minute Media anuncia lançamento da plataforma The Players’ Tribune no Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Irredentismo
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> Hitler, de Ian Kershaw, pela Companhia das Letras
>>> Livrarias em tempos modernos
>>> O que é a memética?
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Sobre o Jabá
>>> Você viveria sua vida de novo?
>>> Suicídio, parte 2
Mais Recentes
>>> Clássicos do Mundo Corporativo de Max Gehringer pela Globo (2008)
>>> Manual do Empregador Doméstico Prático de Eliane Maria Silva De Macedo pela Saraiva (2000)
>>> Cliente Nunca Mais de Telma Teixeira de Oliveira Almeida pela Casa da Qualidade (1997)
>>> A arte de separar-se de Edoardo Giusti pela Nova Fronteira (1987)
>>> Contribuições a uma Teoria de Personalidade de S. Elyseu Jr. pela Alínea (1996)
>>> Feminilidade - Perdida e Reconquistada de Robert A. Johnson pela Mercuryo (1991)
>>> A Espiral em busca do infinito de Glória Kreinz e Crodowaldo Pavan pela Njr (2021)
>>> Anjos Cabalísticos de Monica Buonfiglio pela Própria (1993)
>>> Como a criança pensa de Ruth M. Beard pela Ibrasa (1976)
>>> A Força das Pirâmides de Max Toth e Greg Nielsen pela Record (1976)
>>> Deuses, Espaçonaves e Terra - Provas de Däniken de Erich Von Däniken pela Círculo do livro (1977)
>>> O Erotismo Fantasias e Realidades do Amor e da Sedução de Francesco Alberoni pela Circulo do livro (1992)
>>> Uma nova era para educação da humanidade de Nelson Ruas Santanna pela Caravela (1995)
>>> O Último Olimpiano - Volume 5. Série Percy Jackson e os Olimpianos EAN: 9788580575439 de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> Documento de teresopolis de Vários Autores pela Cbcisc (1968)
>>> Lições de Ciência Política e Teoria do Estado de Espedito Pinheiro de Souza pela Mackenzie (2000)
>>> Bozza del testo della regola de Giuseppini del Murialdo pela Congregazione di san giuseppe (2005)
>>> A Batalha do Labirinto - Volume 4. Série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> Nero de Alexandre Dumas pela Saraiva (1952)
>>> A Maldição do Titã - Volume 3. Série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> O Mar de Monstros - Volume 2. Série Percy Jackson e os Olimpianos de Rick Riodan pela Intrinseca (2014)
>>> Viagens de Gulliver de Jonathan Swift e Cláudia Lopes pela Scipione (1970)
>>> Líderes e Lealdade - as Leis da Lealdade de Dag Heward-mills pela Central Gospel (2011)
>>> Revista Manchete , Nº 1 , 907 - Novembro de 1988 de Varios pela Bloch (1988)
>>> A Droga da Obediência de Pedro Bandeira pela Moderna (1984)
COLUNAS

Terça-feira, 9/2/2021
O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
Cassionei Niches Petry

+ de 3200 Acessos

O fim inicia pelo começo, ou seja, o lançamento do primeiro volume de Minha luta, um romance dividido em seis longas partes, que Karl Ove Knausgård lançou entre os anos de 2009 e 2011 em seu país, a Noruega, e somente agora tem concluída sua publicação no Brasil, pela Companhia das Letras. São milhares de páginas que têm como protagonista e narrador o próprio Karl Ove. Os demais personagens são seus familiares, amigos, alunos, escritores, editores, todos (com algumas exceções devido a ameaças de processo) com seus nomes reais e retratados de forma fiel (ou assim nos quer fazer crer o autor) à realidade, sem nada de ficção, mas com a roupagem de um romance, um longo romance, um enorme romance, um pesado romance.

Temos aqui um Karl Ove Knausgård preocupado com a reação das pessoas mencionadas, pois antes da publicação envia por e-mail os originais para saber a opinião delas, o que me lembrou de um autor brasileiro, Jacques Fux, que usa, de forma irônica e ficcional, esse recurso no romance “Brochadas: confissões sexuais de um jovem escritor”, cujo protagonista, que tem o mesmo nome do autor, conta suas falhas na cama e pede autorização das “vítimas” de seus fracassos para utilizar seus nomes nas narrativas.

Karl Ove provoca a irritação de seu tio, irmão de seu pai, que percebe erros factuais e afirma que a história irá manchar a memória da família. Ameaça processá-lo e, por isso, é quem acaba sendo o responsável pelo sucesso da obra, uma vez que deixa vazar tudo aos jornalistas, despertando interesse pelo romance antes mesmo de seu lançamento. É o que afirma o amigo de Karl: “vai ser uma publicidade incrível para o livro”.

Os detalhes da rotina familiar do escritor mais uma vez marcam o tom dessa última parte de Minha luta. O dia a dia com sua mulher, Linda, também escritora, e os três filhos pequenos é descrito de forma minuciosa: pôr as crianças para dormir, preparar as refeições, levá-las à escola infantil comunitária, ir às compras, lavar roupa. Nada disso, porém, se torna monótono, pois a escrita de Karl Ove é envolvente, tanto que consegue dar saltos no tempo sem que percebamos, além de inserir trechos ensaísticos que dão um intervalo na longa narrativa.

Em O fim, Knausgård extrapola nesse quesito ao escrever um capítulo de 400 páginas totalmente teórico, um livro dentro do livro, em que discute a questão dos nomes de personagens, do título de obras e por que ter denominado sua série romanesca com o nome do livro maldito de Hitler. Para tanto, destrincha os trechos da obra do ditador, citando inclusive enormes trechos, lembrando como as memórias de Hitler acabam sendo distorcidas, comparando-as com trechos de escritos de, entre outros, Kubizek, amigo do então jovem genocida, o que de certa forma explica o porquê das discrepâncias entre o que Karl Ove lembra e o que o seu tio disse que realmente aconteceu.

“Claro que não podemos chegar à verdade sobre as coisas realmente se passaram, porque essa verdade pertence ao instante e não pode existir fora do instante, mas é possível olhar ao redor, iluminar o que aconteceu a partir de vários ângulos, pesar a probabilidade de uma coisa e a probabilidade da outra, e nessa tentativa de esforçar-se de maneira consciente para desviar os olhos daquilo que mais tarde aconteceu, ou seja, esforçar-se para não ver determinado traço de caráter ou determinado acontecimento como um sinal de outra coisa que não aquilo de fato é em si mesmo.”

O narrador ainda lembra as crises de depressão de Linda Boström Knausgård, que acaba sendo internada em um hospital psiquiátrico. Anos depois, separada de Karl Ove, ela iria ser internada outras vezes e sofreria terapias dolorosas, contadas em A pequena outubrista, publicado por aqui no final de 2020 pela Editora Rua do Sabão. É através da literatura, portanto, que ambos acertam contas com a vida e refletem sobre tudo a seu redor: “A beleza, ou seja, a linguagem literária, o filtro através do qual o mundo é visto”.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 9/2/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cavaleiros e o Inexplicável de Duanne Ribeiro
02. Arte versus Escola de Jardel Dias Cavalcanti
03. Os contistas puros-sangues estão em extinção de Luiz Rebinski Junior
04. Baudelaire, um pária genial (parte final) de Jardel Dias Cavalcanti
05. Querem acabar com as livrarias de Noah Mera


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry
01. Notas confessionais de um angustiado (VII) - 4/9/2019
02. Do canto ao silêncio das sereias - 14/11/2018
03. Do inferno ao céu - 3/7/2019
04. O suicídio na literatura - 13/4/2016
05. Por que HQ não é literatura? - 6/12/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




El Desarrollo Institucional de La Corte Suprema de Justicia Nacio
Andrés del Río
Crv (curitiba)
(2014)



Véu do Passado
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho/antônio Carlos
Lúmen
(1997)



What is Not in My World - Selfishness
Fabio Gonçalves Ferreira
New Horizons
(2013)



A História Sombria do Oculto: Magia, Loucura e Assassinato
Paul Roland
Madras
(2012)



O Mal-amado Graças e Desgraças do Leão
Maria Eugenia Sahagoff
Cultura
(2001)



O Mistério do Relógio na Parede
John Bellairs
Record
(2005)



Mudanças, Permanências e Desafios Sociológicos
Vários Autores (xv Congresso Bras de Sociol)
Ufpr
(2011)



O Médico e o Monstro - Coleção Grandes Clássicos Gênios
Robert L. Stevenson
Editorial Argentino



Vade Mecum Rideel Concursos e Oab - 2014 - 2ªsemestre
Anne Joyce Angher
Rideel
(2014)



Perfect Phrases For Managers and Supervisors
Meryl Runion (second Edition)
Mcgraw Hill (ny)
(2011)





busca | avançada
73958 visitas/dia
2,5 milhões/mês