Errando por Nomadland | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
51984 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> BELIZARIO 365 e GOROROBAS no aniversário da Belizario Galeria
>>> As Batalhas de Maria Auxiliadora da Silva
>>> Pará recebe projeto itinerante e gratuito que traz cultura a bordo de um caminhão
>>> Condecorada em Paris, brasileira é co-autora da maior coletânea de livros escrita por mulheres
>>> Cirandança tem inspiração na Semana de Arte Moderna e em coleção de Di Cavalcanti
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Desapega, só um pouquinho.
>>> Menos, Redentor. Menos
>>> Sou grato a Deus
>>> Água das águas
>>> Súplica
>>> Por que me abandonastes
>>> Política na corda bamba
>>> Aonde anda a liberdade
>>> Calar não é consentir
>>> Eu já morri, de Edyr Augusto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Cabelo, cabeleira
>>> Viagens e viajantes
>>> Terminar o ano correndo
>>> A imprensa dos ruivos que usam aparelho
>>> O futuro do ritual do cinema
>>> Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia
>>> Abelhas afogadas em mel
>>> Desconstruindo o Russo
>>> Ode a Pablo Neruda
Mais Recentes
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Principis (2019)
>>> Ricardinho, o Pequeno Grande Sonhador de Ricardo Cabello pela Literare Books (2018)
>>> A História de Dani-boy de Alberto Alecrim pela Rocco Jovens Leitores (2015)
>>> Voltando no Tempo de Eudoxia Ribeiro Dantas pela 7l (1998)
>>> Teatro Em Bar: um Diálogo Com o Criador de Elisete Teixeira pela Thesaurus (2011)
>>> Casseta e Planeta Apresenta as Melhores Piadas do Planeta de Beto Silva e Outros pela Objetiva (2001)
>>> A Dinâmica do Sagrado (novo) de Renata de Castro Menezes pela Relume Dumará (2004)
>>> Meditações para a Noite de Osho pela Verus (2006)
>>> Mentes Perigosas: O Psicopata Mora Ao Lado de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Principium (2022)
>>> Entrega Especial de Danielle Steel pela Record (2009)
>>> Hathor de Markus Thayer pela Novos Talentos (2010)
>>> Cinema Transcendental: um Guia de Filmes Sobre a Vida Após a Morte de Lyn e Tom Davis Genelli pela Pensamento (2014)
>>> Renoir An Investigation Into His Films and Philosophy de Pierre Leprohon pela Crown Publishers (1967)
>>> Como Cuidar do Seu Meio Ambiente de Desconhecido pela Bei (2002)
>>> Gran Cabaret Demenzial de Veronica Stigger pela Cosac & Naify (2018)
>>> Mas será que nasceria a macieira? de Alê Abreu. Priscilla Kellen pela FTD (2010)
>>> Guia de Proteção Respiratória Industrial de Cleber Corrêa Vieira pela All Print (2006)
>>> O Cavaleiro Preso na Armadura de Robert Fisher pela Record (2020)
>>> Curso de Direito Penal - Volume 2 de Guilherme de Souza Nucci pela Forense (2017)
>>> O Adeus a Glorytown de Eduardo F. Calcines pela Nossa Cultura (2011)
>>> Curso de Direito Penal - Volume 2 de Guilherme de Souza Nucci pela Forense (2017)
>>> Zodíaco do Amor de Coleção Zodíaco pela Mediafashion (2008)
>>> A Maldição do Tigre de Colleen Houck pela Arqueiro (2011)
>>> Tudo Isso e Mais Aquilo as Comunicaçoes na Perspectiva do Jornalismo de Carlos Eduardo Zanatta pela Vz (2008)
>>> Seca no Nordeste Desafios e Soluções de Edith Oliveira de Menezes pela Atual (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 5/8/2021
Errando por Nomadland
Elisa Andrade Buzzo

+ de 8100 Acessos

As paisagens mágicas de Nomadland (2020), da diretora Chloé Zhao e vencedor do Oscar de melhor filme deste ano, não me impressionaram mais do que, por um tipo de ingenuidade minha, depreendi das interpretações e do modo como o filme não foi feito, mas que parece ser, justamente a um desavisado. O expediente emotivo a ser retirado do público seja pela música, pelo cenário ou pelo direcionamento segue a cartilha antiga. Ainda, não parece haver uma evolução da personagem principal no filme (a não ser no enfrentamento corpo a corpo com seu passado, que, ao final, não é mesmo algo diário mental e fisicamente, sempre às voltas com o deserto?), antes uma circularidade que, ao mesmo tempo em que dá uma noção de liberdade à personagem Fern (Frances McDormand), consiste em uma forma de prisão mental e desértica pelas escolhas e oportunidades que não lhe parecem atraentes o suficiente, ou mesmo pela falta de perspectivas.

Mas gostaria de falar sobre uma ilusão distinta de mimese que me causou a interpretação do elenco. Não tendo ido à sala de cinema com referências acerca do filme, nem conhecendo seus atores, nem mesmo sabendo que o roteiro se baseara em um livro, e que tudo aquilo, apesar de alguns personagens serem “reais” seria uma recriação de uma dada realidade de autocaravanismo nos Estados Unidos, a percepção que tive foi a de que aquilo era uma recriação não só plausível, mas verídica, de uma realidade em si.

Explico: Fern parecia ser uma personagem verdadeira, os eventos e relacionamentos pelos quais passou pareciam ser reais, no entanto, consistindo o filme em um documentário remontado (como se todos não o fossem) da sua própria existência, com sua própria “atuação”. Creio que foi uma mistura de personagens secundárias reais, com sua crueza de interpretação da sua própria pele, com certos atores (mormente McDormand e David Strathairn) que tornou a imitação da natureza tão veraz que aquilo que passava na tela só poderia ser a própria natureza se manifestando sem intermediações. Como isso não seria possível, a encenação ali colocada parecia consistir em reconstruções de retrospecto.

Há dois filmes de Jerry Lewis, já de uma fase para um público mais adulto, a despeito do tom de comédia, Boeing Boeing (1965) e Way... Way Out (1966), com interpretações suas que de certa forma caminham em um sentido contrário e também semelhante ao naturalismo de Nomadland. Nesses filmes, e em especial no último, parece haver um cansaço da pessoa real no ator que se apresenta, um pouco esforço naquilo que fácil parece ser. O pouco que ele faz já é muito e o suficiente para esses filmes consistirem no que são; não é preciso muito para o resultado final ser já o que ele é. E isso fica visível, esse fingimento fingido, esse ar exaurido para que tudo aquilo acabe logo. Ou então a facilidade que se adivinha na tela encobre um grande trabalho por detrás disso, tão natural a ponto de nos enganar? Se Nomadland me enganou... A própria visibilidade sutil do processo (seja em acreditarmos miraculosamente nele, ou em desacreditarmos patentemente) resulta em uma quebra de contrato, mesmo o espectador sempre sabendo que tudo é mimese.

Por sua vez, as paródias, mimese depreciativa e engraçada da própria mimese, como Spaceballs (1987), têm o mecanismo de endossar as falhas, autodenegrir e degenerar as interpretações intencionalmente. Elas tornam claro que aquilo se trata mesmo de uma ilusão, uma brincadeira sacanamente forjada com a dificuldade adicional de necessitar criar um novo espaço de relações dentro da referencialidade anterior já estipulada. Os atores estão presentes com a tarefa difícil e complexa de mostrar em uma espécie de entrelinha de sua interpretação que sabem que o público sabe que aquilo se trata de um produto cinematográfico de categoria rebaixada, e que é exatamente isto que ele busca naquela sessão.

Ou mesmo nas regravações de clássicos, que por sua vez em certos casos também consistem em clássicos ainda fortificados, pode haver uma piscadela implícita nos olhares entre os atores principais, tornando aberto o fingimento de que compactuam, não só entre eles, mas junto a quem está do outro lado da tela. Em An Affair to Remember (1957), Deborah Kerr e Cary Grant parecem em sua interpretação antever que estão diante do público. Há uma leve e desconcertante comicidade expressada pelo casal no célebre melodrama, que por sua vez consiste na simulação de algo que já fora simulado, certamente de forma mais sisuda. Os atores não tentam nos dissuadir daquela ficção, enquanto outros filmes iludem sem nos avisar... Errei em Nomadland, mas foi por me deixar errar pelo filme que julguei encontrar especificidades em seu belo e inusitado jeito de fingir algumas dores.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 5/8/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Todo mundo quer informação de Gian Danton


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2021
01. Errando por Nomadland - 5/8/2021
02. A ostra, o Algarve e o vento - 2/9/2021
03. Um antigo romance de inverno - 11/2/2021
04. Das construções todas do sentir - 20/5/2021
05. Lisboa obscura - 22/4/2021


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Jesus Viveu na Índia
Holger Kersten
Best Seller
(1988)



Livro - Sangue Estranho - Coleção Negra
Lindssay Ashford
Record
(2009)



Ideologia Terceiro-mundista e a Realidade Ocidental
Carlos Rangel
Nordica
(1989)



O Preço da Inocencia
David Ignatius
Record
(1987)



Livro Orange
Osho
Cultrix
(1994)



Eu e Voce, Voce e Eu
Martha Mendonça & Nelito Fernandes
Record
(2009)



Livro - A Nova Ordem Ecológica - a Árvore, o Animal, o Homem
Luc Ferry
Ensaio
(1994)



Sua Mala Está Pronta ?
Admir Serrano
petit
(2009)



Pescando Almas Em Águas Turbulentas (2000)
Carlos Roberto David
Hosana
(2000)



Quatre Cours de Mathématiques
A. Markouchévitch
Mir
(1973)





busca | avançada
51984 visitas/dia
2,0 milhão/mês