Gramado e a ausência de favoritismo | Lucas Rodrigues Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
22858 visitas/dia
708 mil/mês
Mais Recentes
>>> Mulheres detêm o poder do mundo em eletrizante romance de Naomi Alderman
>>> Comédia Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Municipal Paulo Eiró
>>> Ballet Acadêmico da Bahia apresenta STAR DANCE no TCA, dia 07/06 às 20h
>>> Zé Eduardo faz apresentação no Teatro da Rotina, dia 30.05
>>> Revista busca artigos inspirados no trabalho de professores
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
>>> Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco
>>> O Vendedor de Passados
>>> A confissão de Lúcio: as noites cariocas de Rangel
>>> Primavera para iniciantes
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> De Middangeard à Terra Média
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
>>> Psiu Poético em BH esta semana
Últimos Posts
>>> Greve de caminhoneiros e estupidez econômica
>>> Publicando no Observatório de Alberto Dines
>>> Entre a esperança e a fé
>>> Tom Wolfe
>>> Terra e sonhos
>>> Que comece o espetáculo!
>>> A alforja de minha mãe
>>> Filosofia no colégio
>>> ZERO ABSOLUTO
>>> Go é um jogo mais simples do que imaginávamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Propostas para o nosso milênio (I)
>>> Lobato e modernistas: uma história mal-contada
>>> Lobato e modernistas: uma história mal-contada
>>> Dos sentidos secretos de cada coisa
>>> Nobel, novo romance de Jacques Fux
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Primavera para iniciantes
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Batchan, elas são lindas...
>>> Meu cinema em 2010 ― 2/2
Mais Recentes
>>> Os donos do poder - 02 vols.
>>> Quem é Você, Alasca?
>>> O Homem do Céu
>>> Lolita
>>> Vida Querida
>>> Paula
>>> Caetés
>>> Sem Marido... E Agora?
>>> Angústia
>>> Gafe não é Pecado
>>> Se Abrindo pra Vida
>>> O Despertar da Águia
>>> Cartas
>>> Linhas Tortas
>>> São Bernardo
>>> A Escrita da História - Novas Perspectivas
>>> O Pensamento de Farias Brito
>>> O Eneagrama no Amor e no Trabalho
>>> História das Literaturas-História Literária de Portugal Volumes 1 e 2
>>> Dicionário Biográfico Musical
>>> Novo Mundo dos Trópicos
>>> Francis Bacon, Descartes e Spinoza
>>> A Verdade como Regra das Ações
>>> A Grande Aventura Masculina
>>> La Dimension Cachée
>>> Segure o grito!
>>> Onde tem bruxa tem fada....
>>> Os bichos que eu tive
>>> Oo empinador de estrelas
>>> D.E.P. - diplomacia, estrategia politica
>>> Mais respeito, eu sou crianca
>>> Escritos dos 15 anos
>>> Droga de Americana
>>> Cecilia Meireles colecao melhores poemas
>>> As confusoes de aninha
>>> A volta do passaro encantado
>>> Os grandes experimentos cientificos
>>> Noçõeds de direito público e privado
>>> Temas de filosofia
>>> Herança
>>> Terra sonambula
>>> Tarsila e o papagaio Juvenal
>>> Sagarana
>>> Sagarana
>>> Quarto de despejo
>>> Petrus Logus os guardiao do tempo
>>> Poemas Negros
>>> Os sofrimentos do jovem werther
>>> O centauro no Jardim
>>> Historia do cerco de Lisboa
COLUNAS

Quinta-feira, 8/8/2002
Gramado e a ausência de favoritismo
Lucas Rodrigues Pires

+ de 3100 Acessos

Gramado é um daqueles festivais esperados o ano todo. São produtores, atores, diretores e um público, composto basicamente de gaúchos, ávido por ver o que há de melhor na produção audiovisual nacional.

Além da ficção do cinema brasileiro, os documentários nacionais e o cinema latino também estão em evidencia nesta 30a. edição do Festival de Gramado, que acontece de 12 a 17 de agosto. A nova categoria de documentários é a grande novidade, o que dá força e vigor ao evento, pois é um dos gêneros cinematográficos que mais cresce no país, já representando cerca de 20% dos filmes exibidos comercialmente.

Para a categoria principal – melhor filme brasileiro de ficção em longa-metragem –, cinco disputam o kikito. São eles: Dois Perdidos numa Noite Suja (adaptação de José Joffily para a peça de Plínio Marcos), Durval Discos, Uma Onda no Ar(filme de Helvécio Ratton baseado na experiência da Rádio Favela em Belo Horizonte), Separações (nova comédia de Domingos Oliveira, também baseado em texto teatral) e Querido Estranho. Esse leque de filmes indica uma única coisa – não há favoritos a nada nesse festival. E isso é o que o torna mais atraente. Entre eles, nenhuma grande produção ou filme envolvendo alguns dos nomes consagrados do cinema brasileiro. Esperava-se que A Paixão de Jacobina, de Fábio Barreto, entrasse na competição, mas a organização e os produtores (Luis Carlos Barreto) preferiram apenas exibi-lo numa mostra paralela, como uma janela para a estréia nacional que deverá ocorrer em setembro.

Haver cinco “desconhecidos” na competição de Gramado é algo arriscado. Todos sabem que o festival se tornou um dos pontos onde muitos “famosos” aparecem para ver seus colegas. Ano passado, os prêmios foram divididos entre Memórias Póstumas, de André Klotzel, e Bufo & Spallanzani, de Flávio R. Tambellini. Querendo ou não, atores de peso como Tony Ramos, José Mayer, Reginaldo Faria e Sônia Braga eram as estrelas desses filmes. Para este ano, o ator mais conhecido do público talvez seja Débora Falabella, a jovem Mel da novela O Clone (atua em Dois Perdidos numa Noite Suja), e Daniel Filho, de Querido Estranho.

Mesmo sendo uma jogada arriscada, a organização resolveu mudar e não escolher um competidor que já chegue com pinta de vencedor, como aconteceu nos outros dois mais importantes festivais de cinema brasileiros – Brasília e Recife. Em novembro do ano passado, Lavoura Arcaica chegou à capital federal e levou os principais prêmios, apesar de ter dividido o de melhor filme com Samba Riachão (um injustiça não ter ganho o de melhor diretor – para Luiz Fernando Carvalho). Já em Recife, no mês de abril, O Invasor não deu chances a nenhum outro filme. Essa ausência de favoritismo pode levar a um festival muito mais aberto à visibilidade e aumentar a importância do público para a decisão final do júri. Com a maior participação da platéia, o festival ganha em credibilidade, e o que poderia ser um jogo para apenas “vestir a faixa” num time se transformaria numa grande decisão de campeonato disputada até o último minuto. Além disso, claro, os premiados teriam maior destaque na mídia, o que ajudará na hora de enfrentar a concorrência no mercado comercial de exibição.

Entre os documentários, três são inéditos em circuito – Edifício Master, A Cobra Fumou e O Poeta de Sete Faces – e dois já foram exibidos, Onde a Terra Acaba e Nem Gravata Nem Honra. Aqui também se configura uma “igualdade de chances” para levar o kikito. Onde a Terra Acaba, de Sérgio Machado, é um belíssimo filme, mas pode perder votos justamente por não ser inédito. Edifício Master tem a batuta de Eduardo Coutinho, o grande documentarista brasileiro, e isso pode pesar. Já O Poeta de Sete Faces, de Paulo Thiago, tem como tema Carlos Drummond de Andrade e, por ser 2002 o ano do centenário de nascimento do poeta, é bem provável que leve algum prêmio. A Cobra Fumou é o segundo episódio sobre a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial, focando aqui a Força Expedicionária Brasileira (FEB). O primeiro foi Senta a Pua!, sobre a aeronáutica nacional nos céus italianos.

A competição latina servirá para vermos o argentino O Filho da Noiva, filme que tirou de Abril Despedaçado a vaga para o Oscar 2002. Não que isso seja importante, mas a produção recebeu muitos elogios na Argentina e teve bom público, além de contar com o ator Ricardo Darín, do excelente Nove Rainhas.

O colunista que aqui escreve estará indo para Gramado cobrir o festival. Na próxima coluna, haverá mais comentários sobre a competição e, se possível, algumas novidades positivas para o cinema brasileiro.


Lucas Rodrigues Pires
São Paulo, 8/8/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo de Jardel Dias Cavalcanti
02. Vinicius de Julio Daio Borges
03. Vocês, que não os verei mais de Elisa Andrade Buzzo
04. A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius de Elisa Andrade Buzzo
05. Diálogos no Escuro de Heloisa Pait


Mais Lucas Rodrigues Pires
Mais Acessadas de Lucas Rodrigues Pires em 2002
01. Santa Xuxa contra a hipocrisia atual - 12/12/2002
02. O melhor nacional do ano - 17/10/2002
03. O limite de um artista - 4/6/2002
04. Cidade de Deus, um fenômeno comercial - 7/11/2002
05. O que eles têm que nós não temos? - 5/12/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O DESPERTAR DA MEIA NOITE
LARA ADRIAN
UNIVERSO DOS LIVROS
(2011)
R$ 10,00



THE LORD IS MY SHEPHERD AND HE KNOWS IM GAY
CHARLES L. LUCAS
A BANTAM BOOKS
(1978)
R$ 19,90



OS FILHOS DO IMPERADOR
CLAIRE MESSUD
NOVA FRONTEIRA
(2008)
R$ 5,00



DOCES MOMENTOS
DANIELLE STEEL
RECORD
(2008)
R$ 9,90



O SERMÃO DA MONTANHA
GEORGES CHEVROT
ASTER / CASA DO CATELO (PORTUGAL)
(1965)
R$ 8,00



O SEGREDO DE CHIMNEYS
AGATHA CHRISTIE
RECORD
R$ 8,99



MEU PRIMEIRO DICIONARIO OXFORD DE CIÊNCIAS DA NATUREZA
GRAHAM PEACOCK
OXFORD UNIVERSITY PRESS
(2016)
R$ 20,00



LORD JIM
AUTOR CONRAD
PAN CLASSICS
(1978)
R$ 8,00



SÃO PAULO PARA COLECIONADORES
ALEX XAVIER
PANDA BOOKS
(2003)
R$ 5,00



PUBLICIDADE EM CORDEL: O MOTE DO CONSUMO - GILMAR DE CARVALHO
GILMAR DE CARVALHO
MALTESE
(1994)
R$ 10,00





busca | avançada
22858 visitas/dia
708 mil/mês