Música Folclórica: Bahia Singular e Plural | Waldemar Pavan | Digestivo Cultural

busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Waldstein por Andsnes
>>> Festival de Inverno Ouro Preto
>>> Para gostar de ler
>>> Dos livros que li
>>> O legado de Graciliano Ramos
>>> Mané, Mané
>>> Ele é o Rei
>>> Corpos
>>> Dialogando com o público leitor
>>> O fim do futebol-arte?
Mais Recentes
>>> Codependencia Nunca Mais de Melody Beattie pela Best Seller (2024)
>>> Manual de Proteçao Respiratoria de Maurício Torlon/ Antonio Vladimir Vieira pela Abho (2003)
>>> 21 Lições Para O Século 21 de Yuval Noah Harari pela Companhia Das Letras (2020)
>>> O Reino De Moruk de Dimára Guastapaglia pela Do autor (2020)
>>> Como Alimentar Seu Bebê de Sara Lewis pela Marco Zero (1996)
>>> Introduçao A Engenharia Ambiental de Benedito Braga, Ivanildo Hespanhol, João G. Lotufo Conejo, Mário Thadeu L. De Barros, Milton Spencer Veras Junior, Monica F. Do Amaral Porto, Nelson L. R. Nucci, Neusa Monteiro De A. Juliano, Sergio Eiger pela Prentice Hall (2003)
>>> Os Remedios Florais Do Dr. Bach de Dr Edward Bach pela Pensamento (1995)
>>> Poemas Escolhidos De Gregório De Matos de Gregorio De Matos pela Companhia Das Letras - Grupo Cia Das Letras (2024)
>>> A Bruxa Nao Vai Para A Fogueira Neste Livro de Amanda Lovelace pela Leya (2018)
>>> Gandhi - Sua Vida E Mensagem Para O Mundo de Louis Fischer pela Martin Claret (1992)
>>> Tuik - O Amigo Imaginário de Marina Pechlivanis - Mateus Rios pela Formato (2014)
>>> O Hobbit de John Ronald Reuel Tolkien pela Wmf Martins Fontes (2009)
>>> Uyra - O Defensor Do Planeta de Carraro Fernando pela Ftd (2010)
>>> Gestão de Resíduos Sólidos - o Que Diz a Lei de Carlos Roberto Vieira da Silva Filho pela Trevisan (2015)
>>> Química Geral e Reações Químicas - Volume 1 de John C. Kotz - Paul M. Treichel pela Ltc (2002)
>>> Sétimo de Andre Vianco pela Novo Seculo (2009)
>>> O Clube Do Trico de Kate Jacobs - Carolina Mesquita pela Amarilys (2010)
>>> Filhos Do Imperador de Claire Messud pela Nova Fronteira (2008)
>>> Os Acidentes Do Trabalho Na Nova Nr-12 de Valmir Inácio Vieira pela Ltr (2013)
>>> A Batalha Do Labirinto - Percy Jackson E Os Olimpianos Livro 4 de Rick Riordan pela Intrinseca (2010)
>>> Um Buldogue Frances de Ana Paula De Abreu pela Pequeno Viajante (2020)
>>> Avaliação Em Educação Infantil 3 de Mara Krechevsky pela Artmed (2001)
>>> O Trem Contra O Tubarão de Chris Barton pela Paz E Terra (2013)
>>> A Rainha Do Norte de Joana Estrela pela Sesi-sp Editora (2018)
>>> Vygotsky Em Foco de Harry Daniels pela Papirus (1994)
COLUNAS

Terça-feira, 17/9/2002
Música Folclórica: Bahia Singular e Plural
Waldemar Pavan
+ de 28800 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Música folclórica, regional e breve roteiro para aquisição

Reprodução parcial do texto de Consuelo Pondé de Sena, Presidente do Instituto Geográfico da Bahia:

"Das expressões inglesas 'folk' (povo) e 'lore' (saber, conhecimento) deriva o composto 'folclore', empregado pela primeira vez por William John Tohms, sob o pseudônimo de Ambrose Merton, na revista "Althaneum", no número de 26 de Agosto de 1846, em substituição à expressão antiga 'Antigüidades Populares'. Folclore, portanto, traduz a ciência e o saber do povo. Dado o seu caráter popular, o âmbito do folclore se circunscreve às maneiras de pensar, sentir e agir das classes menos cultas da sociedade civilizada".

Bahia Singular e Plural é, até este momento, uma coleção de seis cd's que reúne 92 gemas músicais do folclore baiano, projeto que nasceu da união de forças empreendidas pelo Governo da Bahia, RE - Rádio Educadora, TVE Bahia, Fundação Cultural do Estado da Bahia e IRDEB - Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia e boa noticia: mais dois volumes estão previstos para serem lançados antes que o ano 2002 DC apague suas luzes.

Por mais que eu venha a escrever sobre a grandiosidade e ineditismo deste trabalho não cobrirei toda a gama de detalhes e significados que esta coleção traz contida - muito bem explicados nos encartes. De todos os trabalhos musicais a que tive acesso ou noticia este foi o que mais me impressionou e seguidamente a cada canção me surpreendeu favoravelmente em todos os aspectos.

A pesquisa e direção musical para a feitura destes trabalhos ocorreu pelo maestro e etnomusicólogo Fred Dantas, também responsável pela direção musical, gravação e transcrição das partituras dos CDs.

Todas as gravações foram empreendidas por vigoroso trabalho de campo, ou seja, uma gravadora móvel, de 8 canais de excelente qualidade técnica - foi deslocada para registrar vozes e instrumentos no local de origem da manifestação popular - cidades, povoados, vilas e roças - e o mais impressionante, além do ineditismo absoluto da empreitada, é a qualidade técnica do resultado dos registros gravados que não fica nada a dever para a qualidade das majors do disco.

Através da audição dos cd's voce vai compreender de quais origens se derivaram toda a criatividade e genialidade da música contemporânea baiana, e também a brasileira, já que a Bahia é o berço musical do país segundo Luis Américo Lisboa Junior, pesquisador de história da música popular brasileira e que escreveu "Breve Histórico da Música Brasileira", texto para o encarte do cd "Sambas do Além", do qual destaco trecho:

"Nossa história musical começa em 1 de Janeiro de 1552, quando é nomeado o primeiro Bispo para a Bahia pela coroa portuguesa, D. Pero Fernandes Sardinha, que trouxe consigo um músico Mestre da Capela para ensinar tal disciplina aos alunos do Colégio dos Jesuítas. Mais adiante, Eusébio de Mattos, irmão de Gregório de Mattos, mais conhecido por Frei Eusébio da Soledade, nascido na Bahia em 1629, exímio tocador de harpa e viola, compondo hinos religiosos e profanos, tornou-se o responsável pela formulação das primeiras regras de ensino de música na Bahia".

Imagino que em 1629 o projeto do multi-instrumenta, Frei Eusébio de Mattos, tenha sido de uma grande audácia por ser o frei em epigrafe, compositor também de temas profanos.

A consequência desta audácia musical veio a se refletir - quase quatro séculos depois - no acervo registrado na coleção Bahia Singular e Plural onde os temas sagrados se fundem aos profanos sem causar qualquer estranheza ao ouvinte.

A série é abundantemente matriarcal em gêneros e aspectos músicais: cantos de trabalho, cantos de influência africana, de miscegenação religiosa, sambas-de-roda, cirandas, sambas-rurais, louvores, cerimoniais, folias, reisados, cantigas de amor, poemas, lutas, choro, samba-brasileiro, cantos de lavagem, de vizinhos, chegança, parentes e colheita, a lista de manifestações é extensa e ainda falta muito a mapear musicalmente conforme você atestará graficamente no mapa dentro do site (calma que o apetitoso link informo depois, ainda não é hora, lê mais um pouquinho para não chegar na página do Irdeb marcando bobeira).

Os temas sagrados curiosamente e independente da crença de quem os ouvirá, também são peças bastantes agradáveis de se ouvir já que não se tratam de ladainhas de missais mas sim de resultado da fé genuína de uma gente que festeja intensamente suas crendices.

Já os temas profanos são multidiversificados e espelham toda a beleza, ingenuidade, graça e valores humanos legítimos da gente da Bahia, um banho de profunda e saudável brasilidade - sem esperteza e/ou malandragem, argh - e que nos remete a um Brasil que nós, os urbainóides, julgamos erroneamente inexistente.

O que, além da música, chama sobremaneira a atenção, são as formações comunitárias que as interpretam, grupos ou formações de habitantes locais que são constituidos por pessoas com idades variando entre 10 e 80 anos o que me faz acreditar que a tradição de transmissão oral e comunitária destes temas musicais felizmente tende a permanecer pela história das gerações futuras.

A tradição de pessolmente transmitir músicas locais às gerações que chegam, para prosseguir cantando-nas comunitáriamente, é um dos grandes espetáculos humanos proporcionados através da música, a reunião de pessoas com o objetivo de cantar trata-se de um dos mais belos triunfos das relações humanas.

O que é tudo de bom é que pela iniciativa conjunta de tantos empreendedores podemos também, outros brasileiros e estrangeiros , conhecer e principalmente desfrutar e se encantar com a pureza d'alma do povo nativo, e claro, também a pureza e delicadeza musical oriunda da arte de vida comunitária, é esse o tema a que se propõe e vai se configurando em êxito através da audição dos 92 registros musicais.

Outro aspecto que revela o esmero e denso cuidado de produção são as fichas técnicas e os encartes da coleção e aqui vale a pena comentar que esta coleção se apresenta em dois formatos: um mais resumido porém super satisfatório na abordagem informativa e que conta a origem de cada canção e de cada grupo, vindo encartada em caixas de cd's comuns e custam R$15 por volume, o outro é no formato formato cartão, e contém além da rica descrição da origem, as letras e a partitura custando neste formato R$ 25 cada volume.

O trabalho gráfico para qualquer um dos dois formatos é maravilhoso, digno de receber todos os melhores prêmios, os textos narrativos de origem também são deliciosamente escritos e aqui aproveito para acrescentar que a leitura dos textos de encarte é peça fundamental para a compreensão e plena aceitação dos temas populares.

Como curiosidade vou destacar dois aspectos bastantes interessantes, o primeiro está contido no volume 1 da coleção e faz referência à musica Abre a Porta e a Janela, gravada pelo grupo Reis de Moças e foi gravada no Centro Educacional de Italmar, em Conceição do Coité diz o texto do encarte (trecho) :

"Os Ternos de Moças são expressão artística da classe média urbana do interior, que, até o passado recente, costumava fornecer aos grupos de reisado o melhor de sua juventude. Existe uniformidade neste estilo de música, de cidade a cidade: são marchinhas que se cantam andando ou à porta, sambinhas e, eventualmente, uma valsa no interior da casa. Os grupos, via de regra, solicitam o apoio de músicos da cidade. Essa música comunitária e participativa - que a maioria das cidades deixou perder - continua viva em Italmar, sob a liderança de Francisca de Almeida Pinho e com um coro de mulheres afinadas. A canção Abre a Porta e a Janela se situa no terreno confuso de autoria não determinada, pois é cantada em diversos locais com inúmeras variações. Sucesso de cantores sertanejos nos anos 60, na década seguinte foi tornada parte da célebre canção Preta Pretinha de Os Novos Baianos....".

A outra curiosidade é o violonista Boanerges Chaves, filho de Zeca Chaves, famoso seresteiro da cidade de Urbano de Caititi. Aprendeu a tocar na serestas, de ouvido, o incrivel é que na interpretação Chorinho Para Nós, Boanerges exibe idêntica pegada de corda de Luiz Bonfá, que beleza!

Vasculhei a rede e fisguei um artigo do colunista d'O Estado de São Paulo, Mauro Dias, datado de 9 de Janeiro de 2001 quando a coleção contava com apenas dois cd's editados, é um texto com informações complementares a este e serve para que voce observe o quão são verdadeiramente infinitas as possibilidades a serem desvendadas por estes discos.

A coleção só é vendida através do site do IRDEB, calma que já vou falar o endereço, como trata-se de uma fundação sem fins lucrativos não pode explorar comercialmente seus registros video/musicais.

Somente uma única loja comercial está autorizada a comercializar o disco, a Pérola Negra, também em Salvador, que além desta coleção comercializa excelentes titulos regionais, foi lá que entre uma pá de discos sensacionais e inéditos no sul maravilha, adquiri também os incriveis discos de Bule-Bule de quem descolei biografia no site da Universidade Federal da Bahia, e de Dona Teté de quem encontrei deliciosa entrevista concedida para o jornal O Imparcial do estado de Maranhão.

A loja Pérola Negra é também uma das raríssimas lojas que estão comercializando o o primeiro cd - independente - de Dona Edith do Prato (86 anos!!!) e que muitos conhecem também como Edith da Veiga já que no disco Araçá Azul de Caetano Veloso, lançado em 1972, ela faz a abertura cantando soberbamente Viola, Meu Bem e neste mesmo Araçá Azul também dividiu os vocais com Caetano em Sugar Cane Fields Forever.

Se voce quiser saber um pouco mais sobre este lançamento leia a excelente reportagem por Giovanna Castro publicada na edição de 14 de Setembro no Correio da Bahia.

Roberto Sampaio e todos os simpáticos co-proprietários da Pérola Negra - sua mulher e seu filho - esmeram-se em corretamente informar durante o atendimento ao cliente e em manter variadíssimo estoque de músicas populares baianas e nordestinas de modo geral, não tenho sociedade com o moço nem levo vantagem pessoal alguma pela recomendação, recomendo esta loja porque a rica vertente de música regional é muito desprestigiada pelas grandes gravadoras que tratam de promover comercialmente outros segmentos menos nobres e poeticamente menos enriquecedores da excelente música nordestina.

Os discos regionais que são comercializados na Pérola Negra são aqueles que em sua grande maioria são originados em tiragens de quantidades bastantes limitadas, se vocês comprarem discos do Roberto, que muitas vezes compra a obra gravada diretamente das mãos do artista, vão estar incentivando diretamente os artistas, grupos folclóricos e temáticos do nordeste brasileiro, quero ressaltar que a loja Peróla Negra foi também uma das incentivadoras financeiras do trabalho de gravação do último lançamento em cd de Bule-Bule, Só Não Deixei de Sambar. O endereço eletrônico é [email protected] e o telefax é (71) 336.6997.

Quer mais informação? Chegou a hora: visite o site do IRDEB, que além dos discos da coleção Bahia Singular e Plural mantém uma incrível e farta fitotéca de registros sobre estes assuntos, também disponiveis para venda ao consumidor pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (71) 339.1224, peça para falar na Fitotéca, tanto para adquirir discos quanto vídeos. No site você também vai poder conhecer cada detalhe de cada canção e melhor de tudo: você pode ouvir a música integralmente! O site, a exemplo dos encartes de cd's, também contém ilustrações lindas.

Um recado: alô IRDEB, eu sou aquele turista paulistano que ligou e se deslocou do Hotel Tropical da Bahia - o mesmo em que se hospedou Michael Jackson, orgulham-se os soteropolitanos - até vossa sede, no longíquo bairro Federação, em Salvador, para adquirir esta coleção e fui impedido de entrar na fitotéca por estar vestido de bermuda, têninho, meinha e camiseta tipo jacarézinho, que é o uniforme oficial da seleção de paulistanos em férias. Tem nada não, mesmo tendo levado bastante em conta este contratempo, vim até aqui para atestar publicamente os imensuráveis valores artisticos e culturais de todos os trabalhos chancelados por vossa instituição.

Parabéns a todos os que idealizam, participam e possibilitam estas empreitadas que originaram estes registros audio-visuais sobre o modo de vida, a gente e a arte popular baiana - projetos como este Bahia Singular e Plural deveriam ser a pauta obrigatória, a pedra de responsa para todos os governos estaduais do Brasil. Parabéns também a Roberto Sampaio que garimpa tantas preciosidades regionais para atender sua seléta clientela, só quem conhece a inacreditável dificuldade em se encontrar as boas músicas folclóricas e regionais nas gondolas de lojas de cd's sabe o que representa esta iniciativa.


Waldemar Pavan
São Paulo, 17/9/2002

Quem leu este, também leu esse(s):
01. A literatura, a internet e um papo com Alex Castro de Luis Eduardo Matta


Mais Waldemar Pavan
Mais Acessadas de Waldemar Pavan em 2002
01. Música Folclórica: Bahia Singular e Plural - 17/9/2002
02. A Música de Moisés Santana e João Suplicy - 3/9/2002
03. (Re)masterizados e (Re)mixados - 9/8/2002
04. Duas cantoras independentes - 11/11/2002
05. Ecos Musicais - 30/7/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/9/2002
16h27min
Parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido neste texto, um brilhante garimpo da boa música. Um grande abraço, Ricardo da Pérola Negra de Salvador.( sou filho de Roberto Sampaio )
[Leia outros Comentários de Ricardo Amorim]
17/9/2002
17h11min
Sem rasgação de seda, também adorei conhecer voces e a loja Pérola Negra, descolei ai discos maravilhosos e para que outros leitores não pensem que é propaganda sem fundamento vou mencionar alguns dos títulos que trouxe dai, além de Bule-Bule e Dona Teté: O rarissimo "Pérolas Finas" tributo à Ederaldo Gentil, o duplo "Do Lundu ao Axé - Bahia de Todas As Músicas", "Jangadeiro" de Dona Selma do Coco, o delicioso 'Vatapá da Véia' do trio de samba-de-roda Barravento, "Rosário Dos Pretos - Cânticos", "Chico Antônio - Carretilha de Cocos", "Raizes do Arcoverde", "Bahia , Cidade Aberta" de Saul Barbosa. "Coco não é Cocada" de Pena Branca, Raio de Sol e Cravo Branco e mais alguns que agora me escapam à memória, discos pra lá de bacanas que não se encontram aqui, na maior capital do país, aproveito inclusive a oportunidade para solicitar informações sobre loja ou lojas aqui em SP ou outros locais que vendam catalogo regional, ralo casco direto e reto em loja de discos e nécas de encontrar titulos regionais, bagaceira regional estereotipada encontro de baciada, música bacana como a que voces ofertam aos clientes, neeeeim pensar. Grande Abraço e agradeço imenso a atençao e gentileza com que me receberam.VV
[Leia outros Comentários de VValdemar]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Coaching Express as Origens de um Novo Estilo
Suryavan Solar
Gran Sol
(2013)



Viajando pelo folclore de norte a sul
Arlete Piai; Maria Júlia Oaccini
Cortez
(2004)



O Renascimento
Nicolau Sevcenko
Atual
(1988)



A Oração que Prevalece para a Paz
Kenneth E. Hagin
Graça
(2006)



Livro Religião O Pentecoste
Osvaldo Polidoro
Leitura e Arte
(2005)



Um Anjo de Mochila Azul
Diogo Almeida
Novo Século
(2020)



Cronistas do Estadão
Moacir Amancio
O Estado de São Paulo
(1991)



O Corpo e Seus Símbolos
Jean-Yves Leloup
Vozes
(2000)



Livro Esoterismo Toward a Superconsciousness Meditional Theory and Practice
Hiroshi Motoyama
Asian Humanities Press



Odisséia
Roberto Lacerda
Scipione
(2008)





busca | avançada
66543 visitas/dia
2,1 milhões/mês