Duas cantoras independentes | Waldemar Pavan | Digestivo Cultural

busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
>>> Misturando música, filosofia e psicanálise, Poisé lança seu primeiro single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> O Maior Sucesso do Mundo de Og Mandino pela Record (1994)
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
>>> Mojo 252 October 2014 de Siouxsie And The Banshees pela Mojo (2014)
>>> Mojo 251 October 2014 de Kate Bush pela Mojo (2014)
>>> Mojo 302 January 2019 de Kate Bush pela Mojo (2019)
>>> Mojo 274 September 2016 de Bob Marley pela Mojo (2016)
>>> Universo baldio de Nei Duclós pela Francis (2004)
>>> Mojo 245 April 2014 de Prince pela Mojo (2014)
>>> Mojo 256 March 2015 de Madonna pela Mojo (2015)
>>> Musée de La Ceramique - Visit Guide de Vários pela Cidev (1969)
>>> Mojo 159 February 2007 de Joy Division pela Mojo (2007)
>>> Mojo 170 January 2008 de Amy Whinehouse pela Mojo (2008)
>>> Mojo 229 December 2012 de Led Zeppelin pela Mojo (2012)
>>> Retrato do Artista Quando Velho de Joseph Heller pela Cosac & Naify (2002)
>>> No Tempo das Catástrofes de Isabelle Stengers; Eloisa Araújo pela Cosac & Naify (2015)
>>> Manual de esquemas de Klöckner- Moeller pela Do autor (1971)
>>> Inesgotáveis Enigmas do Passado de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Evidências dos Ovnis - As Ciências Proibidas de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Características de Deus que chamam a nossa atenção. de Silas Malafaia pela Central Gospel (2012)
COLUNAS

Segunda-feira, 11/11/2002
Duas cantoras independentes
Waldemar Pavan

+ de 4900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O objetivo primeiro desta coluna de hoje é prestar sincera homenagem a duas jovens cantoras brasileiras: a baiana Clécia Queiroz e a mineira Patrícia Ahmaral - por seus encantadores trabalhos musicais em CD.

Já o segundo objetivo é divulgar seus discos independentes, já que ambas não contaram com o suporte financeiro de marketing das gravadoras.

Ainda acredito que a melhor divulgação musical que se pode fazer é o testemunho pessoal em relação à uma obra. Neste quesito, a internet é um veículo fantástico para que os aficcionados em música - que é meu caso e o de milhares de pessoas que abastecem os fóruns musicais eletrônicos de música - troquem informações.

Os discos de Clécia Queiroz e Patrícia Ahmaral não são lançamentos recentes mas ainda são comercializados, quase que com exclusividade, pelas lojas Pop's e Nuvem Nove em São Paulo, e Pérola Negra em Salvador.

Clécia Queiroz - Chegar à Bahia - Produção Independente

fonte: som.submarino.com.br

Clécia Queiroz (CQ) é dançarina-atriz-cantora-compositora-baiana, talvez você não a conheça. É mais comum encontar CQ apresentando-se em Hannover que em São Paulo - mora em Salvador - e desde quando iniciou sua carreira já apresentou-se 3 vezes na cidade alemã e apenas uma em São Paulo, no Crowne Plaza, no milênio passado.

Nesta altura, você estará pensando que o encanto comum inerente a alemães e baianos rolou pela vertente carnaxé. Ledissimo engano: CQ é cantora de voz linda, delicada, afinada e absolutamente envolvente também por seu adeqüado repertório musical.

Detentora de extensa lista de premiações por seus talentos artisticos, Clécia Queiroz passa ao longe das facilidades mercadológicas conquistadas pelas cantoras do axé-music da Bahia (como também passa ao largo das cantoras de repertório pretenso-intelectual).

Além do dote vocal natural - reorientado por aulas de canto das professoras Nancy Miranda e Graça Reis -, Clécia Queiroz valoriza-se interpretando canções deliciosas sem ter de se que render ao repertório fácil, de refrões grudentos e enjoativos.

"Chegar à Bahia" seu primeiro e único disco, lançado em 1998, é fresco e jovial como se tivesse sido lançado ontem. É nele que Clécia Queiroz desfila toda a requintada elegância da música de autoria de seus conterrâneos Batatinha, Gilberto Gil, J. Velloso, Saul Barbosa, Dorival Caymmi, Lúcia Helena e Roberto Mendes.

Os talentos de atriz e dançarina comparecem explicitos em suas interpretações no CD. A verve de atriz fornece a dimensão precisa à palavra musical enquanto que os conceitos da dança conferem leveza de movimentos à poesia cantada.

Clécia Queiroz é uma artista verdadeiramente completa, que, neste disco, "Chegar à Bahia", canta o melhor da criação autoral baiana e também passeia com sabedoria e imensa delicadeza nas notas do blues, funk, afoxé, candomblé e new-bossa.

Luís Antônio Giron, eventual colaborador do Digestivo Cultural escreveu sobre CQ na Gazeta Mercantil em 15/10/99:

"Surpreendente o show de Clécia Queiroz, que estreou na ACBEU. Bela voz, repertório refinado, performance extravagantemente teatral, aliados a uma direção segura fazem do show um espetáculo à parte na 'República do Axé'".

Mauro Dias, colunista de O Estado de São Paulo, foi também preciso ao defini-la em 06/05/2000:

"Na voz, um tanto de blue notes, mas nada a ver com o anasalado irritante das cantoras de axé. Em vez disso ela canta Batatinha (Diplomacia), Gilberto Gil (Buda Nagô), Dorival Caymmi (João Valentão) e apresenta-se como compositora em Ossum Inaê (parceria com Roberto Mendes)".

O único quesito incompreensível fica por conta do Brasil, que ainda não conhece o talento de Clécia Queiroz. Parafraseando a máxima aplicável de João Bosco e Aldir Blanc: "O Brasil não conhece o Brasil".

Em qualquer parte do mundo, os talentos superlativos de Clécia Queiroz já teriam alçado sua carreira ao showbizz internacional. Se por um lado é dádiva divina tê-la brasileira, por outro é lástimavel não vê-la conhecida, reconhecida e conseqüentemente apreciada em seu país natal (e olha que a talentosa já está na estrada musical desde 1991).

Em 21 de Outubro de 1999, ninguém melhor que Clécia definiu o seu trabalho no Bate-papo do UOL:

(15:18:07) Clécia Queiroz : Meu trabalho é muito diferente do de Daniela ou de Ivete Sangalo. Não desejo ser como as duas, quero trilhar meu próprio caminho dentro da MPB, sempre preocupada em fazer um trabalho de qualidade com fidelidade à nossa música e com uma preocupação com a poesia, com o que estou dizendo às pessoas.

Apesar do lançamento do disco 'Chegar à Bahia' não ser recente, Clécia Queiroz continua a divulgá-lo. Em São Paulo, como disse, você poderá encontrar seu disco comercializado com exclusividade pelas lojas Pop's e Nuvem Nove e em Salvador pela Pérola Negra (endereços abaixo).

Aproveito para fornecer uma dica: Pop's e Nuvem Nove são minhas lojas de discos preferidas em São Paulo. Não só por manterem em dia o melhor acervo qualitativo e diferenciado, mas também pela presteza no atendimento. São lojas onde proprietários e funcionários conhecem e informam sobre o que vendem e, melhor, praticam justa política de preços. Na Pop's quem faz a diferença no atendimento é Regina, Evaldo e Alemão.

Patrícia Ahmaral - Ah ! - Gravadora Independente

fonte: paginadamusica.com.br

Já na loja Nuvem Nove, quem faz a diferença no atendimento é Ronaldo, Bento e José, cada um especialista em esclarecer suas dúvidas por segmento musical.

Ronaldo sabe tudo de música brasileira. Só um breve exemplo: a melhor compilação de samba-rock dos anos 70 foi lançada pela Som Livre e contou com seu vasto conhecimento de acervo nas fases de seleção e montagem.

Foi Ronaldo quem me proporcionou a oportunidade de conhecer, recomendando-me o raríssimo e espetacular disco independente da mineira Patrícia Ahmaral, patrocinado pelo Governo de Minas Gerais e Telemig Celular.

Em uma tribuna musical da internet o participante mineiro Alan Romero já havia me informado sobre o talento musical de Patricia Ahmaral, mas na altura ele também desconhecia a existência desse disco.

Apesar do patrocínio do Governo de Minas Gerais, não se trata de um disco com raízes fincadas nas composições de autores mineiros e, sim, um trabalho de dimensão nacional com autores variando de Zeca Baleiro à Matilda Kóvak, passando por Chico César, Adelino Moreira (o compositor mais freqüente na discográfia de Nelson Gonçalves) e Sérgio Sampaio, entre outros.

O repertório vai de leituras reestilizadas de A Volta do Boêmio a Beijinho Doce (uma gostosa releitura no formato blues-mississipi para o grande sucesso de Nalva Aguiar), passando por 'Eu Quero É Botar Meu Bloco Na Rua'.

Também 'Não Creio Em Mais Nada', sucesso na voz do falecido Paulo Sérgio, que reaparece em 'Ah!' na forma de um vigoroso reggae. Além de muitas e incriveis inéditas, como 'Durango Kid' e 'Voduzinho' (esta com a participação vocal de Zeca Baleiro).

Os arranjos e os músicos participantes mereceriam um capítulo a parte.

A produção do disco, realizado em 1999, ficou a cargo de Zeca Baleiro, que, dentre infinitos, multiplos talentos e méritos, tem o de revelar artistas para a música brasileira como Rita Ribeiro, Ceumar, Mano Borges, o octagenário Antônio Vieira e Patricia Ahmaral (atitude mais que louvável no mercado de vaidades que sempre assolou a música brasileira).

O outro Zeca, o Pagodinho, também pratica identica generosidade e interesse quando o assunto é revelação de novos talentos, mas essa é um assunto em que em breve irei tocar.

Como sou só admiração pelo trabalho e ainda não disponho de muitas informações sobre Patrícia Ahmaral despenquei no Google à caça de informações para rechear esta coluna acabando por topar com uma entrevista no site 'Página da Música', onde coincidentemente PA perfilou-se (indo de encontro ao objetivo desta coluna, que também é o de informar sobre talentos prontos para o reconhecido sucesso nacional e internacional).

"Acho que existe muita gente produzindo coisas legais. Aqui mesmo em BH a gente vê isso o tempo todo. Mas falta realmente o mercado absorver isso. A gente está vivendo um momento, não do lado do mercado, mas do lado da produção estética musical, bastante prolífero, bastante rico mesmo. De alto nível. Mas o que falta é organizar o mercado para essa nova cara da música brasileira. Acho que é uma música moderna pra caramba, uma música muito atualizada, com as referências mundiais mesmo. Tem os elementos brasileiros, isso é muito forte em bandas de música pop, a gente observa muito isso. Há um elemento brasileiro muito presente associado a elementos universais e de uma riqueza muito grande. Às vezes sinto que a mídia, as gravadoras, as rádios, parece que estão muito perdidas em relação a como trabalhar toda essa riqueza que está aí. Ainda não existe uma nova ordem no meio do mercado para trabalhar o material existente. Acho que vai levar um tempo para isso acontecer. Até porque, pelo que a gente está vendo, as gravadoras não vão realmente absorver muito mais coisas. Acho que outros caminhos precisam ser abertos, como os pequenos selos que já estão rolando. As rádios comunitárias etc etc".

Onde encontrar os CDs hoje comentados
Pop's Discos : Rua Teodoro Sampaio 763 - São Paulo - 3083.2564

Nuvem Nove : R.Clodomiro Amazonas 112- São Paulo - 3078.7051

Pérola Negra: Av. Araújo Pinho 29/31- lj 02- Salvador - (71)336.6997

Para contratar os shows
Clécia Queiroz : (71) 356.8249/ 9123.9050

Patricia Ahmaral : (21) 2235.7920 / 9177.7306


Waldemar Pavan
São Paulo, 11/11/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Leblon de Marta Barcellos
02. A guerra dos tronos de Gian Danton
03. Meu dente (quase) caiu de Ana Elisa Ribeiro
04. Os quase-livros de Wellington Machado
05. O altar das montanhas de Minas de Rafael Rodrigues


Mais Waldemar Pavan
Mais Acessadas de Waldemar Pavan em 2002
01. Música Folclórica: Bahia Singular e Plural - 17/9/2002
02. A Música de Moisés Santana e João Suplicy - 3/9/2002
03. (Re)masterizados e (Re)mixados - 9/8/2002
04. Ecos Musicais - 30/7/2002
05. Duas cantoras independentes - 11/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/11/2002
11h22min
Waldemar, Em Salvador, 1999-século passado, comprei a Clécia e gostei. Tinha esquecido que tinha. Fui ouvir novamente e, com diplomacia, buda nagô, ara ketu e ossüm inaê gostei ainda mais. Adorei. Agora vou procurar a Patricia.
[Leia outros Comentários de Gil Fernandes de Sá]
14/11/2002
13h04min
Não deixe de escutar Emílio, de autoria de Jorge Benjor com Clécia Queiroz. Para você que mora fora de São Paulo o meio mais fácil de adquirir o disco de Patrícia Ahmaral é escrever para o e-mail [email protected], aos cuidados de Andréa, discaço, voce vai chapar, acredite. Grande Abraço. VV
[Leia outros Comentários de VValdemar Pavan]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ACT MATH FOR DUMMIES
MARK ZEGARELLI
FOR DUMMIES
(2011)
R$ 17,50



PERSPEKTIVLEHRE
ERHARD GULL
ND
R$ 58,36



GÊMEOS NÃO SE AMAM
ROBERT LUDLUM
RECORD
(1976)
R$ 5,00



A REPÚBLICA BRASILEIRA 1964- 1984
EVALDO VIEIRA
MODERNA
R$ 5,00



SERESTA MINEIRA
LAR DE PAULA
LAR DE PAULA
R$ 40,00



É PROIBIDO CHORAR
J. M. SIMMEL
NOVA FRONTEIRA
R$ 5,00



REUNIAO DE PAIS: SOFRIMENTO OU PRAZER? - 2ª ED.
BEATE G. ALTHUON / CORINNA H. ESSLE / ISA S. STOEB
CASA DO PSICÓLOGO
R$ 11,00



VALA CLANDESTINA DE PERUS
VARIOS AUTORES
INSTITUTO MACUCO
(2012)
R$ 5,12



AÇÕES INSTITUCIONAIS DE AVALIAÇÃO E DISSEMINAÇÃO DE TECNOLOGIAS EDUCAC
RICARDO AZAMBUJA SILVEIRA
DO AUTOR
R$ 5,00



O CARNÊ DOURADO
DORIS LESSING (A MAIOR ESCRITORA VIVA DE LÍNGUA INGLESA)
CÍRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 25,00
+ frete grátis





busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês