O Agressor, de Rosário Fusco | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
40883 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> CONGRESSO DE ENSINO/APRENDIZAGEM DAS ARTES NA AMÉRICA LATINA: COLONIALISMO E QUESTÕES DE GÊNERO
>>> FERNANDA CABRAL SE APRESENTA NA CAIXA CULTURAL BRASÍLIA
>>> Projeto Entrecruzados lança livro e videodança documental
>>> Inscrições Abertas || Residência Artística no Jardim Botânico de Brasília
>>> Gravação de videoclipe quase provoca prisão do irmão de Gabriel o Pensador
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
>>> estar onde eu não estou
>>> Nos escuros dos caminhos noturnos
>>> As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon
>>> T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você)
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> É premente reinventar-se
>>> Contraponto
>>> Aparições
>>> Palavra final
>>> Direções da véspera I
>>> Nada de novo no front
>>> A Belém pulp, de Edyr Augusto
>>> Fatos contábeis
>>> Jaula de sombras
>>> Camadas tectônicas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Shiko e Chico!
>>> Outubro literário
>>> Entre o Curtir e o Trollar
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo
>>> un dos sitios máis modélicos
>>> Senhor Amadeu
>>> Hilda Hilst
>>> Hilda Hilst
>>> Brincando de ignorar a internet
>>> A dama brasileira do crime
Mais Recentes
>>> Quatro rodas--novo honda cr-v--jac j3 e quente ou uma gelada?. de Abril pela Abril (2012)
>>> Som & carro--a n:1 do som automotivo--45--testes-mercedes c280,corsa. de S&c pela S&c
>>> Carro hoje--52--honda brio. de Motor press brasil pela Motor press brasil
>>> Auto esporte--450--astra gsi--phaeton w12. de Globo pela Globo
>>> Go Girl! Melhores Amigas - Amigas Para Sempre de Chrissie Perry pela Fundamento (2011)
>>> A cor do seu cérebro. de Sheila N. Glazov pela Novo Conceito (2009)
>>> Entre o Céu e a Terra de Bruxa Déia pela Independente
>>> Gestão de Negócios em Alimentação. Princípios e Práticas. de June payne Palacio e Monica Theis pela Manole (2015)
>>> TACO. Tabela de Composição de Alimentos.Suporte para Decisão Nutricional. de Sônia Tucunduva Philippi pela Manole (2013)
>>> Alimentos saudáveis. Alimentos Perigosos. de Sergio Charlab pela Seleções do Reader's Digest (1996)
>>> Manual da Caça às Bruxas (Malleus Maleficarum) de Heinrich Kraemer e James Sprenger pela Três
>>> Autismo. Esperança pela Nutrição. História de vida,lutas, conquistas e muitos ensinamentos. de Cláudia Marcelino pela M.Books (2010)
>>> Pirâmide dos Alimentos. Fundamentos Básicos da Nutrição. de Sônia Tucunduva Philippi pela Manole (2014)
>>> Atendimento Nutricional a Crianças e Adolescentes. Visão Prática. de Dith Medeiros de Mesquita, Fernanda Ferreira Corrêa. Maria do Carmo Azevedo Leung. Mônica Santiago Galisa. pela Roca (2014)
>>> Amor e Magia de Marlene Goldsmith pela Pallas (1989)
>>> Emagrecimento Permanente. Nutrição para uma vida saudável. de Manuela Dolinsky pela Roca (2015)
>>> Se... Será, Serafina? de Cristina Porto pela Ática (1991)
>>> Educação Alimentar e Nutricional de Mônica Galisa, Alessandra Paula Nunes, Luciana Garcia, Sandra Chemin pela Roca (2014)
>>> A Vida Íntima das Mulheres - O Relatório Chapman de Irving Wallace pela Nova Fronteira (1980)
>>> A Técnica Literária e Seus Problemas de Carmelo M. Bonet pela Mestre Jou (1970)
>>> Hot--16--+ velozes + furiosos--fuscao 2.6. de Sisal pela Sisal
>>> Moto adventure--144-suzuki--hayabusa gsx1300r. de Grazy turkey pela Grazy turkey
>>> Escolha o Seu Sonho de Cecília Meirelles pela Record (1964)
>>> Écfrase e evidência nas letras latinas: doutrina e práxis de Melina Rodolpho pela Humanitas (2012)
>>> Abc da literatura de Ezra Pound pela Cultrix (2006)
>>> Aula de Roland Barthes pela Cultrix (2004)
>>> Esfinge clara e outros enigmas de Othom M. Garcia pela Topbooks (1996)
>>> Diário de Um Banana - Vol. 6 - Casa Dos Horrores de Jeff Kinney pela Vergara & Riba (2013)
>>> Car stereo tuning--72--hot station. de Grazy turkey pela Grazy turkey (2005)
>>> Hot--36--frances sarado--marea turbo 300 cv. de Sisal pela Sisal
>>> Motor show--400--ediçao especial de aniversario. de Editora tres pela Tres (2016)
>>> Carro--n:200--uno contra 8. de On line pela On line (2010)
>>> Aero magazine--99--veloz como nunca--skylane tc turbo. de Nova cultural pela Nova cultural
>>> Aviao revue--95--boeing 767--airbus a380--27 avioes para ver na labace. de Motor press brasil pela Motor press brasil (2007)
>>> Car stereo--138--ces-las vegas--mata formiga--nissan 350z de 750hp. de Grazy turkey pela Grazy turkey
>>> Car stereo tuning--74--fera radical--eclipse solar--estrela do sul--professor pardal--japa transformer de Grazy turkey pela Grazy turkey (2005)
>>> Hot rods--ano:4--n:55--collector show--chevy 1952--pontiac 1974 de Grazy turkey pela Grazy turkey
>>> Ontem, Eu Chorei - Celebrando as lições da vida e do amor de Iyanla Vanzant pela Sextante (2001)
>>> Probabilidade Aplicações à Estatística de Paul L. Meyer pela Ao Livro Técnico (1972)
>>> A Cura Espiritual de Jack Angelo pela Estampa - Lisboa (1994)
>>> Sempre Existe uma Razão de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2007)
>>> Oriente e Ocidente: Razão, natureza e graça - Tomás de Aquino em sentenças de Luiz Jean Lauand pela Edix (1993)
>>> Plants vs. Zombies. Garden Warfare de Paul Tobin pela Pixel (2016)
>>> Sistema financeiro da habitação: uma análise sócio-jurídica da gênese, desenvolvimento e crise do sistema de José Maria Aragão pela Juruá (2001)
>>> Introdução à Aquarela de Ray Smith pela Manole (1994)
>>> Retorno à Amazônia de Jean-Michel Cousteau pela Cultura Sub (2013)
>>> Eu sou o Mensageiro de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> Água para Elefantes de Sara Gruen pela Sextante (2007)
>>> Pirâmide Vermelha de Rick Riordan pela Intrínseca (2010)
>>> Tudo o que você pensa pense ao contrário de Paul Arden pela Intrínseca (2008)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/10/2002
O Agressor, de Rosário Fusco
Ricardo de Mattos

+ de 6400 Acessos

O objecto da coluna de hoje é a obra O Agressor, de Rosário Fusco.

O escritor Rosário Fusco nasceu em 1.910 na cidade de Cataguases, Estado de Minas Gerais. Tinha doze anos de idade quando ocorreu a semana modernista paulista de 1.922, mas poucos anos mais tarde, junto com outros quatro rapazes, foi responsável pela versão mineira, realmente local, do evento. Este mesmo grupo também editou a famosa revista literária Verde, hoje alvo de cobiça de estudiosos e bibliófilos, dada sua qualidade. Há menções a este periódico no volume Uma Vida Entre Livros, de José Mindlin, cuja propaganda encontrava-se recentemente aqui mesmo, no Digestivo Cultural. Mesmo superficial, o livro do Sr. Mindlin é de excelente leitura e, para quem gosta do assunto, típica obra que nos faz desatender ao tempo.

Em 1.930, Fusco muda-se para o Rio de Janeiro, onde dedica-se à crítica literária. Na década de quarenta, a segunda geração modernista assume seu lugar na literatura nacional, saindo do anterior realismo social, e dirigindo-se à investigação formal, de cunho psicológico. Neste ambiente literário lança sua obra principal, O Agressor, com nítida influência de Dostoievski e Kafka. Com esta obra, o escritor de Cataguases posiciona-se ao lado de Murilo Rubião, Clarice Lispector e Graciliano Ramos (de Angústia). Ao citado grupo de autores e obras, creio que devemos acrescentar Noite, de Érico Veríssimo, escrita na década seguinte.

O Agressor não é a única obra de Fusco, deixando além da poesia – começou em 1.928 na obra colectiva Poemas Cronológicos -, crítica, ensaios, teatro, o romance Dia do Juízo, de 1.961. Deixou também os inéditos Vacachuvamor, ASA – Associação dos Solitários Anónimos, Um Jaburu Na Torre Eiffel e Erótica Menor – poesia.

Fusco pode estar esquecido hoje, mas foi reconhecido no mundo literário da época. Quando esteve no Brasil, Orson Welles cogitou a filmagem d’O Agressor, não levando adiante o plano. O sucesso literário que teve não reflectiu em sua vida pessoal: casou-se sete vezes com a mesma mulher e encerrou sua jornada no ano de 1.977, entregue à bebida – sem fazer tipo com isso -, na cidade onde nasceu.

Temos aqui um livro denso em suas 151 páginas de texto, com uma linguagem enxuta, clara e formal. Não há experimentos linguísticos aparentes. Lendo-se com atenção, percebe-se seu esquema circular, pois os factos mencionados nas últimas páginas do último capítulo levam directamente àqueles das primeiras páginas do primeiro capítulo. Por isso, não é correcto falar em interrupção abrupta do romance. Todos os factos também estão alternadamente ligados, formando um todo coeso. Assim, temos os acontecimentos A, B, C e D. C traz a resposta aos problemas apresentados em A, verificando-se a mesma relação entre B e D. A obra não aceita uma leitura apressada, pois a intenção percebida de Fusco era demonstrar a lenta evolução da patologia psíquica do personagem principal. Ainda que leve esta patologia aos extremos, o escritor parece querer mostrar a plausibilidade do narrado, achemos aquilo um absurdo ou não. Uma comparação bem superficial: deixamos Kafka sabendo que nunca acordaremos pela manhã transformados em barata – assim espero, ao menos. Não encerramos a leitura d’O Agressor, porém, com tanta certeza em não encontrar alguém daquele jeito pela frente. Chamo o testemunho de um caso pessoal. Certa vez cheguei ao escritório e enquanto esperava o computador ligar, um homem entra, coloca sua pastinha encardida sobre o balcão, e mal cumprimentando, começa sua estória. Disse ter consultado "muitos advogados, investigadores e delegados", e todos teriam concordado com ele em certo caso. Mostrando-me uma foto, perguntou-me se eu não via nela um atentado ao pudor. Olhando o cromo, vi apenas uma moça com uma mão sobre o ombro de uma senhora. Ocorre que, seja por relaxamento muscular, seja por perspectiva, o indicador da moça aproximou-se em demasia do polegar, quase fechando o círculo. Expliquei-lhe isso, mostrando um exemplo com minha própria mão. Confirmando se realmente uma causa penal não teria futuro, despediu-se com um sorriso de desapontado cinismo. Eu soube de sua descrença, como soube que não seria o último a ser procurado por ele. Ele queria perseguir a moça. Aqui Fusco aproxima-se mais de Dostoievski. Fique bem claro que o autor nacional não é nenhum mero repetidor de estilo dos autores estrangeiros. Pode ser associado a eles, mas tem voz própria.

O personagem principal do livro é David (escrito conforme a grafia da época. Lê-se “Daví” mesmo, nada de “Deividi”), contador de uma decadente chapelaria do Rio de Janeiro da década de quarenta, cujo maior movimento limitava-se ao carnaval. Esta é uma presunção que se confirmada, reforçaria o carácter realista do livro. Fusco escrevia para as pessoas da sua época mostrando a possibilidade de ali mesmo no meio delas aparecer uma figura como a do personagem. David é marcado por sua personalidade psicopática, e sem querer ir muito adiante onde não fui chamado, pode ser classificado como psicopata anancástico, classificação daquele sujeito inseguro, ao qual um estímulo mínimo pode desencadear um comportamento fóbico insuportável. Encaminhei-me por aqui, pois isso fica bem evidente no livro.

O mal de David é agravado a cada capítulo. Quando todas as situações preocupantes são esclarecidas, ele não está mais em condições de aceitar a razoabilidade de qualquer argumento, seja seu, seja alheio. Termina o livro esmurrando a proprietária da pensão onde mora, justamente a personagem que não lhe causou dano algum. Esmurrou-a, mas poderia tê-la assassinado, estuprado, ou mesmo voltado sua violência contra si, suicidando-se. Fusco deixou seu personagem de tal forma desajustado, de tal forma transtornado, que todo acto pode ser esperado.

Há quem só almeje um pouco de amor. Outro busca a fama, e aquele quer o reconhecimento profissional. No ser vítima de um assassinato parece estar o ideal de David. Por conta de sua patologia, item aliado a sua insignificância social, o personagem parece até frustrar-se ao desconfiar de que ninguém quer matá-lo: “Alguém precisa querer dar cabo de mim”, suspeita-se ser o raciocínio a entupir-lhe o cérebro. Detalhes insignificantes e desculpáveis vão ganhando corpo, acrescendo-se a outros, gerando uma aflição insuportável.

E realmente banal o que desencadeou a loucura do personagem. Seu local de trabalho na loja era vizinho ao depósito de mercadorias, separado por uma parede de madeira. Certo dia, começa a ouvir ruídos no depósito, e em vez de descobrir logo a causa, fica especulando. Muito estupidamente, pergunta: “Como é isto? É gato ou é gente?” e ouve a resposta “É gato ...”. Só isso. Uma chacota deu origem a investigações minuciosas realizadas por David, que recebia, entendia e concluía a seu jeito cada descoberta. Vê coisas inexistentes, ligações descabidas, desconfia de suas próprias razões, intromete-se em assuntos que lhe não dizem respeito e até prejudica terceiros inocentes, ao denunciar seu patrão na delegacia e pedir á polícia protecção contra ele. Depois disso, tem-se todo o desenrolar da doença. É o leitor quem vai descobrindo as birutices de David, porque o autor dificilmente ajuda. É uma obra realmente digna de leitura.


Ricardo de Mattos
Taubaté, 3/10/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Voto de Meu Pai de Heloisa Pait
02. As pedras de Estevão Azevedo de Wellington Machado
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 11. A Quatro Braçadas de Heloisa Pait
04. O espírito de 1967 de Celso A. Uequed Pitol
05. O Digestivo e o texto do Francisco Escorsim de Julio Daio Borges


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2002
01. A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda - 14/11/2002
02. Diário do Farol, de João Ubaldo Ribeiro - 15/8/2002
03. Moça Com Brinco de Pérola, de Tracy Chevalier - 24/10/2002
04. Cidade de Deus, de Paulo Lins - 17/10/2002
05. O Oratório de Natal, de J. S. Bach - 26/12/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DIÁRIO DE UM VOMBATE
JACKIE FRENCH
FUNDAMENTO
(2013)
R$ 17,00



EL FUTURO ECOLÓGICO DE UN CONTINENTE, VOL. 2
G. C. GALLOPÍN (ORG.)
FONDO DE CULTURA ECONÓMICA
(1995)
R$ 49,00



A GRANDE ARTE
RUBEM FONSECA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1994)
R$ 28,33



ESPINOSA
ANDRÉ SCALA
ESTAÇÃO LIBERDADE
(2003)
R$ 15,00



43 ESCRITORES
VÁRIOS
LIMIAR
(2002)
R$ 20,00



HOT--ANO:2--N:22--PICAPE CORSA.
SISAL
SISAL
R$ 16,00



OLDCARS--10--FERRARI 308--F-100--CHEVETTE.
ESCALA
ESCALA
R$ 16,00



ESTAMOS NO ALÉM
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
EDIT. I.D.E
(1986)
R$ 12,00



DEBATE SOBRE A CONSTITUIÇÃO DE 1988
ORGANIZADORES DEMIAN FIOCCA E EROS ROBERTO GRAU
PAZ E TERRA
(2001)
R$ 6,30



FORMULÁRIO DE CONSAGRAÇÕES UMBANDISTAS - LIVRO DE FUNDAMENTOS
RUBENS SARACENI
MADRAS
(2005)
R$ 140,28





busca | avançada
40883 visitas/dia
1,0 milhão/mês