O lado negro da internet | Vicente Tardin | Digestivo Cultural

busca | avançada
44089 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 18/12/2002
O lado negro da internet
Vicente Tardin

+ de 3900 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Nosso pequeno mundo se sacudiu um pouco com uma reportagem publicada na revista Isto É Dinheiro. Segundo a matéria, a Catho, empresa que atua na área de recursos humanos, colocação profissional e mantém um site com currículos e ofertas de emprego, fez uso de práticas discutíveis. Uma deles seria a apropriação de conteúdo de sites concorrentes.

A empresa teria desenvolvido sistemas que "catavam" (trocadilho irresistível) automaticamente e aos milhares os currículos de outros sites concorrentes e os colocavam no seu. Concorrentes que perceberam o movimento e se sentiram lesados entraram na Justiça, que por sua vez autorizou a entrada de oficiais nas instalações da Catho. Ao copiarem o conteúdo de alguns HDs, constataram vestígios neste sentido.

A Catho, pelo menos inicialmente, não negou os fatos e seu presidente disse à reportagem que agia amparado pela lei. O webmaster citado na matéria, de apenas 21 anos, rebateu as críticas dos colegas em listas de discussão que freqüenta, mas não negou as ações, apenas pediu que sobre este assunto fossem conversar com o presidente da empresa. Bom, leiam a matéria, vale a pena. Agora os advogados das partes vão se entender.

Do ponto de vista jurídico, o caso é interessantíssimo. Um especialista com quem conversamos ficou excitado com tantos pontos novos que podem servir de luz para casos futuros.

Não entendo nada de Direito. Não sei se a Catho será considerada culpada ou se vai sair sem arranhões dessa. Mas entendo um pouco do que é manter um site e ver seu conteúdo rotineiramente chupado. Se você que está lendo também mantém um site, sabe muito bem do que estou falando.

Todo mundo tem mil histórias para contar, algumas horripilantes. Sistemas inteiros copiados. Layouts, logotipos, matérias. Além do Webinsider, sou bem próximo de outros dois sites. Os três têm sido copiados o tempo todo. Um é o Clickjobs, cujas ofertas de empregos e currículos volta e meia aparecem em outros sites, sem que as empresas ou candidatos autorizem.

Mais copiado ainda é o CliqueMusic, até mesmo dentro de portais grandes. As biografias dos artistas que foram desenvolvidas pelos jornalistas de CliqueMusic (com esforço, conhecimento e investimento) estão reproduzidas amplamente, mesmo em sites grandes, que alteram algumas palavras, incluem adjetivos e pronto. Uma vez a equipe de CliqueMusic percebeu que determinado site de música mantido por um portal copiava as notícias com freqüência religiosa, apenas disfarçando um pouco na redação. Um dia, por engano, CliqueMusic errou sem querer o nome do autor de um livro sobre um compositor nordestino (corrigido horas depois, a partir do alerta de um leitor). O que aconteceu? O site chupão mencionou o mesmo livro e colocou lá o nome errado do autor, que nunca existiu.

É muito chato ver isso e ter que escrever cartas educadas pedindo que parem de copiar. Geralmente elas resolvem, pois o autor do copy-paste fica receoso de um processo. Se o seu site é copiado assim, recomendo que reclame sempre e não deixe para depois.

As matérias do Webinsider também são copiadas aos quilos e reproduzidas em outros sites. Outro dia um site sobre tecnologia ostentava na sua home uns oito ou dez artigos copiados do Webinsider, sem mencionar a fonte e sem que os autores soubessem. Ora, se os caras dizem lá que vendem banners e que estão procurando patrocinadores, isso é uma coisa feia.

Algumas vezes argumentam que os artigos pertencem aos autores, ignorando todo o trabalho de edição, pauta, e copydesk desenvolvido pelo site original. E nem os autores são consultados.

Outras vezes os chupões dizem que a informação que está na internet é livre e pode ser copiada. Para confundir as coisas, citam conceitos de copyleft e livre circulação da informação. Somos a favor do copyleft, do software livre e de tudo o mais. Mas não se trata de nada disso aqui. Uma coisa é fazer circular a informação e para isso existem os links.

Ora, comente o texto que gostou e aponte um link para ele, pronto. Mas não é esse o ponto - o que querem é copiar a informação para dentro de seu site e tentar obter vantagens comercias com ela. Isso é roubo.

Imagine um programa de rádio, um debate esportivo, digamos. Já pensou se outra estação grava o programa e o reproduz em outra cidade, sem permissão, como se fosse seu? Isso não existe.

Um dia foi até engraçado. Um site de moda surgiu com o layout do Webinsider igualzinho, apenas com novas cores. Reclamamos educadamente, o responsável negou, ofendido e agressivo. Mas ao se clicar em determinada matéria, bem na home, abria a coluna do Daniel Chalfon. Uau!

Acredito que a exposição de praticas predatórias vai fazer muito bem ao ambiente de internet. Se você é designer e a direção da empresa em que trabalha pedir que copie igualzinho o design de determinado site, você se sentiria à vontade? Se você é redator e copia textos de outros sites dando aquela resumida básica deschavada, está à vontade com isso? E se você é webmaster e o presidente de sua empresa pedisse que desenvolva um sistema de propósitos pouco éticos, você faria? Talvez não valha a pena.

Se você quiser contar algum exemplo interessante no gênero, faça o favor. Gostaria de saber - pode me enviar que receberei com prazer. Talvez o desenlace do caso apontado pela revista Isto É Dinheiro ajude a mudar certas práticas. É mais do que hora.

Nota do Editor
Vicente Tardin é editor do Webinsider, onde este texto foi originalmente publicado. (Manteve-se a formatação original.)


Vicente Tardin
Rio de Janeiro, 18/12/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba de Renato Alessandro dos Santos
02. A falta que Tom Wolfe fará de Rafael Lima
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World de Heloisa Pait
04. De Middangeard à Terra Média de Celso A. Uequed Pitol
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico de Heloisa Pait


Mais Vicente Tardin
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/12/2002
08h37min
Não competiria ao webmaster criar mecanismos de defesa(ou controle) das informações do site? Legalmente ou não, a Internet é pública. Expor essas informações na Internet é sujeitá-las ao livre arbítrio de hackers, webmasters, e quem mais souber usá-las. Se a moral e as leis resolvessem tudo...
[Leia outros Comentários de Hellls]
6/3/2003
09h18min
Há gente sem escrúpulos em todas as áreas. Na internet, em particular, argumentos falaciosos sobre "liberdade de informação" são um estímulo para que gente incompetente se sinta à vontade para roubar os pageviews alheios. Só há uma coisa certa: isso é feio, muito feio...
[Leia outros Comentários de Ricardo Saldanha]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TODOS OS NOMES DO MUNDO
NELSON OLIVER
EDIOURO
(2005)
R$ 19,00



ESCREVENDO PELA NOVA ORTOGRAFIA
JOSÉ CARLOS AZEREDO
PUBLIFOLHA
(2008)
R$ 46,83



MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL -16ª EDIÇÃO REVISTA E ATUALIZADA
CECILIA SOARES IORIO
SENAC
(2013)
R$ 49,64



O DIÁRIO DE ZLATA - A VIDA DE UMA MENINA NA GUERRA
ZLATA FILIPOVIC´
COMPANHIA DAS LETRAS
(1994)
R$ 18,00



O MÍNIMO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA NÃO SER UM IDIOTA
OLAVO DE CARVALHO
RECORD
(2013)
R$ 39,00



ÉTICA A NICÔMACO
ARISTÓTELES
MARTIN CLARET
(2002)
R$ 10,00



PATOLOGIA ESTRUTURAL E FUNCIONAL
STANLEY L. ROBBINS RAMZI S. COTRAN
INTERAMERICANA
(1983)
R$ 68,00



AMIGO DE INFÂNCIA
DONNA TARTT
COMPANHIA DAS LETRAS
(2004)
R$ 15,00



LUZ NO LAR
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
FEB
(1997)
R$ 9,80



METODOLOGIA EM CIÊNCIA DEDUTIVA
ANTONIO JOSÉ MARQUES
RIO BRANCO
(1999)
R$ 90,00





busca | avançada
44089 visitas/dia
1,2 milhão/mês