Comentários de Evandro Ferreira | Digestivo Cultural

busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Yassir Chediak no Sesc Carmo
>>> O CIEE lança a página Minha história com o CIEE
>>> Abertura da 9ª Semana Senac de Leitura reúne rapper Rashid e escritora Esmeralda Ortiz
>>> FILME 'CAMÉLIAS' NO SARAU NA QUEBRADA EM SANTO ANDRÉ
>>> Inscrições | 3ª edição do Festival Vórtice
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cenas de abril
>>> Por que 1984 não foi como 1984
>>> A dicotomia do pop erudito português
>>> Coisas nossas
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Apresentação autobiográfica muito solene
>>> Nem Aos Domingos
>>> Aprender poesia
>>> São Luiz do Paraitinga
>>> A Barsa versus o Google
Mais Recentes
>>> Dicionário De Espanhol-português de Porto pela French & European Pubns (2015)
>>> Os Fantasmas Da São Paulo Antiga de Miguel Milano pela Unesp (2012)
>>> Direito Civil Brasileiro 3 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2011)
>>> Um Grito de Socorro de Alcides Goulart pela Jovem (2014)
>>> Medicina de urgência de Elisa Mieko Suemitsu Higa pela Manole (2008)
>>> Expedição aos Martírios 15 edição de Francisco Marins pela Melhoramentos (1978)
>>> Todo Mundo Tem Uma História Para Compartilhar de Karen Worcman pela Museu da Pessoa (2014)
>>> Os Restos Mortais( com encartes 1994 das obras Ática ) de Fernando Sabino pela Ática (1994)
>>> Ana Cecília Carvalho; Robinson Damasceno dos Reis de O Ourives Sapador do Polo Norte: como fazer pesquisas e anotar informações pela Formato (1995)
>>> Livro Seu Zezinho - A Estrela Eterna de Sumaré de Claúdia Sabadini pela Cult (2016)
>>> Livro Alma Gêmea - Você está pronta para ser encontrada? de Rosana Braga pela Escala (2001)
>>> O Mistério da Fábrica de Livros 23 edição. de Pedro Bandeira pela Hamburg (2024)
>>> Panelinha: Receitas Que Funcionam de Rita Lobo pela Senac São Paulo (2012)
>>> A Crítica Da Razão Indolente. Contra O Desperdício Da Experiência de Boaventura De Sousa Santos pela Cortez (2011)
>>> Educação E Crise Do Trabalho: Perspectivas De Final De Século (coleção Estudos Culturais Em Educação) de Gaudêncio Frigotto (org) pela Vozes (2002)
>>> Era Dos Extremos - The Age Of Extremes de Eric Hobsbawm pela Companhia Das Letras (2003)
>>> A Volta dos Pardais do Sobradinho 3 edição. de Herberto Sales pela Melhoramentos (1990)
>>> O Mistério do Esqueleto - coleção veredas 13 edição. de Renata Pallottini pela Moderna (1992)
>>> Livro Na Vida Dez, Na Escola Zero de Terezinha. Carraher pela Cortez (1994)
>>> Livro Voce Verdadeiramente Nasceu De Novo Da Agua E Do Espirito? de Paul C. Jong pela Hephzibá (2002)
>>> Livro Luz no lar de Francisco Cândido Xavier por Diverso Espíritos pela Feb (1968)
>>> Livro As Perspectivas Construtivista e Histórico-cultural na Educação Escola de Tania Stoltz pela Ibpex (2008)
>>> Livro El Desarrollo Del Capitalismo En America Latina. Ensayo De Interpretacion Historica (spanish Edition) de Agustin Cueva pela Siglo Xxi (2002)
>>> O Fantástico Homem do Metrô 8 edição. - coleção veredas de Stella Carr pela Moderna (1993)
>>> Missão Ninok: se tem medo do futuro não abra o livro de Bernardino Monteiro pela Artenova (1980)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Sábado, 5/10/2002
Comentários
Evandro Ferreira

Semiautistas
Alexandre, seu texto está óoootimo! Não dá nem pra comentar. Pena que não apareceu nenhum semiótico por aqui. Cadê a galera da PUC-SP? Ah, já sei, estão na cantina e, depois de sair de lá, vão dar uma passadinha no Itaú Cultural. Alex, sua descrição do objetivo desse povinho já existe. O autor, se não me falha a memória, é Abraham Moles, e acreditava ser possível uma mensuração da informação. Até o (aaargh!) Umberto Eco aponta pra isso, já que reduz a fruição da arte à coicidência entre os referenciais do emissor e do receptor. Ééé... Esse humilde ser que vos fala já estudou semiótica e até fez um curso extra-curricular de semiótica (aaaargh de novo!) peirceana (não é aquela de colocar na janela não, viu?), com direito a videozinho experimental! Sinceramente, acho que esse pessoal é meio autista. Criaram esses conceitos, tipo "primeiridade", "ícone", "índice", "abdução", e ficam a vida inteira fazendo brincadeirinhas cientificistas com eles. E viva o sublime (entre um videozinho doidinho e outro e uns cigarros de maconha)!

[Sobre "Maldita Ciência"]

por Evandro Ferreira
5/10/2002 às
23h24 200.167.235.204
 
Divulgação
Caro Hamilton. Sobre a reforma agrária (nos moldes do MST), eu quis dizer apenas o que o Hazlitt diz em seu livro sobre toda e qualquer política econômica: beneficia alguns e prejudica outros. E quase sempre beneficia menos gente e prejudica mais gente. Sugiro a você que estude mais economia, que é o que eu estou fazendo, para poder se libertar do que Hazlitt chama de "economia emocional", que é, por exemplo, a faculdade de olhar para as famílias de assentados e ficar com pena. E, a partir dessa pena, lutar por políticas econômicas. Sobre a agricultura familiar, ela é incapaz de abastecer as cidades (exceto pelos cinturões mais próximos dos centros urbanos), por seu baixo volume de produção e baixo custo-benefício do transporte, e causará provavelmente uma escassez de alimentos que aumentará os preços. Quanto aos empresários visarem mais lucros, minha observacão foi um pouco infeliz, porque não ficou clara. Eu quis apenas expor um preconceito da sociedade que vê o empresário como um ser humano vil e ganacioso. A condenação do lucro é um fenômeo milenar e não pode ser esquecido ou ignorado. Precisa ser exposta como preconceito que é. Não quis dizer que o empresário não busca sempre o lucro. Minha visão é a de que essa busca de lucro pode ser usada a favor do mundo ou contra ele. E está sendo usada contra, por causa da crença de que a redistribuição de renda é função do Estado. Enfim, eu não acho que para que o mundo seja um lugar melhor é preciso que todas as pessoas tenham a mesma quantidade de dinheiro ou riquezas. Eu, por exemplo, não sou rico e nem sinto necessidade disso. E não tenho inveja e despeito por uma pessoa rica. Um empresário gera empregos e eu não. Logicamente que eu não estou satisfeito com nossa situação atual. Aliás, sempre que alguém escreve sobre esses temas, fora dos clichês usuais, aparecem muitas pessoas achando que esse alguém está satisfeito. Pelo contrário, eu estou duplamente insatisfeito, mais insatisfeito que os esquerdistas defensores da reforma agrária (nos moldes deles). Eu estou insatisfeito, como todos, porque existem pessoas com fome no campo e na cidade. E também estou insatisfeito porque subsídios, programas de governo, enfim, intervencionismo e assitencialismo de todas as formas não vão resolver nada. Aliás, foram justamente esses fatores que criaram os problemas que aí estão, inclusive os monopólios das mega-empresas e as enormes possibilidades e oportunidades de um mega-empresário ser desonesto e explorador. Estou insatisfeito com o fato de que o MST pega pessoas ignorantes e sofredoras e os transforma em robôs imbecilizados, repetidores de slogans leninistas do mais baixo nível. Estou insatisfeito porque essa coisa toda não está sendo conduzida de forma séria, por governantes e economistas sensatos e inteligentes, nem de um lado nem de outro. De um lado, temos figuras anacrônicas (alguns deles se intitulam até economistas) que pensam que transformar o Brasil numa URSS agrária vai resolver o problema. De outro, temos economistas incompetentes que não sabem o que fazer. Eu não sei qual é a solução exata, Hamilton. E não tenho vergonha de dizer isso. Só sei que o que está acontecendo não pode dar certo. Senão pelas várias teorias econômicas que tenho aos poucos estudado, ao menos pela extrema semelhança que se pode ver com o que ocorreu em países comunistas ao longo desse século. Desigualdade econômica não resume os problemas do mundo, que são infinitamente mais complexos. E mesmo que resumisse, ainda resta o problema de que existem várias propstas de como eliminá-la. Digamos que eu sou a favor dos ricos e dos pobres. Dos ricos porque eles geram mais riqueza (ao menos quando o Estado deixa). E dos pobres porque seriam favorecidos por essas riquezas, caso o mercado fosse um pouco mais livre. Mas essa é uma história que não tem fim. E ainda estou no início do caminho. Ainda estou na fase de esclarecimentos básicos sobre, por exemplo, o que é neoliberalismo. E já posso te dizer que o que está acontecendo no mundo não é neoliberalismo. É o contrário, inclusive. Então, para saber onde quero chegar, é só prestar um pouco mais de atenção e ver que o texto foi apenas uma divulgação de teorias que não são estudadas no Brasil, por causa do viés esquerdista da intelectualidade latino-americana. Por isso é que elas soam estranhas. Aquilo de que a gente nunca ouviu falar sempre soa estranho.

[Sobre "Capitalismo sob fogo cerrado"]

por Evandro Ferreira
21/9/2002 às
15h52 200.167.234.227
 
Obrigado a todos
Obrigado a todos. José, valeu pela indicação. Vou procurar o livro. Sinto dizer que minha tradução é a antiga mesmo. Realmente dá pra perceber que não é grandes coisas. Mas, ao menos existe, não é? Nesse país em que só se traduzem livros "vermelhinhos", já é alguma coisa. Realmente você foi de sorte em encontrar o Hazlitt pessoalmente. Eduardo, sabia que você já é o segundo que me diz que acabou de comprar o livro? Estou até começando a ficar esperançoso! Gustavo, que bom que você não se decepcionou! Entre, sente, a casa é sua!

[Sobre "Capitalismo sob fogo cerrado"]

por Evandro Ferreira
18/9/2002 às
21h36 200.167.234.227
 
216 Kbytes
Por mais comentários suicidas que postem, os alunos-instituição da USP (e seus defensores) não conseguem esconder as evidências de que não aceitam diálogo. Sempre usam a desculpa de que o colunista foi grosseiro em seu texto, preconceituoso, mal fundamentado etc. Mas até agora só vi todos ignorarem o comentário do Felipe, que até propõe um grupo de discussão. Ninguém quer discutir. E se quer, não quer dar o braço a torcer. E esse pessoal que diz que o Eduardo não tem coragem de encarar um debate cara a cara é muito hipócrita, pois se ele organizasse um seria provavelmente linchado (senão fisica, ao menos verbalmente). Qualquer um que discorde (substancialmente, e não apenas em detalhes) em público dos donos da verdade recebe em troca vaias e a impossibilidade de falar, como aconteceu com Colin Powell na ONU. Tristemente, chegamos a 216 Kb e quase nada de discussão. A página deve estar demorando "décadas" pra carregar nas conexões discadas. A todos os adeptos da verborragia, gostaria de fazer uma sugestão para a próxima vez: que tal pegar alguma idéia do texto e analisar? Ah, já sei, não tem idéia nenhuma no texto, né? Ah, sei...

[Sobre "Festa na floresta"]

por Evandro
17/9/2002 às
11h06 200.167.234.227
 
Sabe-tudo
Parabéns, Thais. Seu comentário tem tudo que um texto desonesto e sem argumentação precisa ter: 1) preconceito que classifica a Internet como lugar "que acita de tudo"; 2) rotulação fácil de indivíduos ("fundamentalista cristão"); 3) suposição infundada de que a crítica se explica por um problema de auto-afirmação do crítico ("deve ter recebido algum desprezo na FFLCH"); 4) insinuação - sem provas - de ignorância do acusado ("sabem tudo e não sabem nada"). Além do curioso fato de que justamente por causa dessa Internet que aceita tudo é que você está podendo se manifestar contra o colunista. Parece que pessoas brilhantes como você só aceitam monografias de mestrado ou doutorado como prova de qualquer tese. Interessante é que mesmo assim não deixam de ler colunas por aí. Sinal de duas possíveis hipóteses: 1) algo está faltando nos meios impressos; 2) a tese de um colunista, para uma pessoa como você, só vale se coincidir com suas opiniões pessoais. Do contrário, fica descartada como de gente "que não sabe nada".

[Sobre "Festa na floresta"]

por Evandro Ferreira
13/9/2002 às
10h31 200.167.234.227
 
Xixi dos anjos
Caro Rogério. Você até que teve presença de espírito com esse amigo seu. Eu fui abordado numa festa por um colega meu de faculdade e não sabia o que dizer. Preferi fazer perguntas para estudar a mentalidade do coitado! Ele tem aulas (não sei bem de quê) com um ex-integrante do exército israelense e se diz "video-terrorista", que é quase uma palavra substituta para video-maker hoje em dia. Falei para ele que o FMI é esquerdista, para ver se ele perguntava o que eu queria dizer com isso, mas ele não entendeu nada. As pessoas são infinitamente mais ignorantes do que se costuma pensar. Um outro colega meu disse que talvez fosse mesmo legal votar no Serra, porque ele baixou os preços dos remédios (ah, se o Henry Hazlitt ouvisse essa...). Só com muita cerveja, pra viver nesse país. Não sei não, mas acho que só a cerveja é capaz de nos salvar da revolução!!!

[Sobre "Festa na floresta"]

por Evandro Ferreira
9/9/2002 às
23h18 200.167.234.227
 
Conceitos irônicos
Parabéns pelo ótimo texto, Eduardo! E mais congratulações ainda por não ter feito uso de uma linguagem politicamente correta, que é a mais comum entre aqueles que têm medo de parecerem preconceituosos aos olhos da maioria ultra-sensível. Preconceito é o nome mais comumente atribuido à ironia e agudeza argumentativa.

[Sobre "Festa na floresta"]

por Evandro Ferreira
9/9/2002 às
15h31 200.167.234.227
 
Contrato Social
Pois é, Hernani. E o "Cocadaboa" teve que se transferir para a Eslovênia para não sofrer processos. A coisa é muito maior do que cláusulas de contratos. É o Estado que quer abocanhar tudo através de suas leis e transformar a troca de idéias em uma baboseira "cidadã" e politicamente correta. Já reparou a escassez de sites ousados que lavam a terminação ".com.br"? Sinal de que dentro de nossas fronteiras só existe mesmo espaço para falar mal do "neoliberalismo" e homenagear Cuba e o Che. De cláusula em cláusula, chegamos por fim ao velho "contrato social".

[Sobre "Ressurreição dos Blogs"]

por Evandro Ferreira
6/9/2002 às
14h01 200.167.234.227
 
Um ponto
Queridíssimo Rogério! Entre, sente-se, a casa é sua. Há muito que não recebo uma mensagem como a sua. As coisas andam meio frias por aqui. Os leitores não estão querendo se manifestar. Muito obrigado pela sua aparição. Leio sempre o seu blog e gosto muitíssimo dele. Já temos agora mais um ponto a favor da liberdade de expressão. A propósito, já participei de alguns grupos de discussão e sempre achei que os integrantes ficam mais preocupados em não congestionar suas caixas de correio do que em dialogar. Mas o mais engraçado são os grupos de discussão acadêmicos. Alguns discutem o futuro da informação na Internet, as possibilidades e perspectivas infinitas desse meio. E, no entanto, os grupos são cheios de regras e delimitações de conteúdo!

[Sobre "Depoimento sobre o dia de amanhã"]

por Evandro Ferreira
3/9/2002 às
14h20 200.167.234.227
 
Maravilha!
Só mesmo na Internet podemos encontrar tantos anti-pseudos reunidos no mesmo "lugar". Aí, gente. Vamos combinar de almoçar juntos um dia, ir a um barzinho, conversar sobre grego antigo só de sacanagem! Os exércitos anti-polissêmicos precisam de um reforço de contingente, urgente!

[Sobre "Falsos intelectuais"]

por Evandro Ferreira
22/8/2002 às
23h10 200.167.234.227
 
De ligados e desligados
Bem, Toni, isso me deixa feliz. Mesmo sabendo que só nós três ainda não vamos conseguir fazer frente a toda essa rapaziada de cabeça aberta e ligada no mundo! Mas é um começo. Aliás, no Lewrockwell.com o nosso colega aí acima vai encontrar muitos outros artigos de gente que só escreve bobagem.

[Sobre "Hipermediocridade"]

por Evandro Ferreira
22/8/2002 às
22h01 200.167.234.227
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Worterbuch Franzosisch Deutsch
Vários Autores
Neuer Honos Verlag



O Que é Política 345
Wolfgang Leo Maar
Brasiliense
(1982)



Bombaim: Cidade Máxima
Suketu Mehta
Companhia das Letras
(2011)



Livro Gibis Wolverine um Demônio Contra os X-men Volume 85 Daken: Wolverine Sombrio
Marvel
Panini Comics
(2011)



O Máscara De Ferro
Alexandre Dumas
Melhoramentos



Senhor dos Anéis mulheres na obra de J.R.R. Tolkien
Rosana Rios
Devir
(2005)



Pluralidade Sindical e Democracia
Rodolfo Pamplona
Ltr
(1997)



Nicarágua Revolução Em Família
Shirley Christian
Record
(1985)



A Cura da Alma
Wagner Fiengo
Era Branca
(2020)



Administração Universitária
Amélia Silveira; Nelson Colossi; Claudia Gonçalves
Insular
(1998)





busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês