Congratulations, Ana Elisa | Milton Laene Araujo

busca | avançada
100 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Camila Venturelli e Dani Lima falam sobre os nossos gestos na pandemia
>>> 36Linhas lança Metropolis segunda graphic novel da Coleção Graphic Films
>>> Acervo digital documenta a história da Cantina da Lua - símbolo de resistência cultural
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max, Iggor e Gastão
>>> Mandic, por Pedro e Cora
>>> A Separação de Bill e Melinda Gates
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A paisagem é o homem
>>> Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad
>>> Regras de civilidade (ou de civilização)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> O segredo da Crise
>>> Os melhores do cinema brasileiro em 2003
>>> As deliciosas mulheres de Gustave Courbet
>>> Entrevista com Luis Eduardo Matta
>>> O fim da MTV
>>> 10º Búzios Jazz & Blues III
Mais Recentes
>>> A Casa da Paixão de Nélida Piñon pela Sabiá (1972)
>>> Os Meninos de Jo 4 de Louisa May Alcott pela Principis (2021)
>>> Gestão Contemporânea a Ciência e a Arte de Ser Dirigente de Paulo Roberto Motta pela Record (1996)
>>> Arsène Lupin e a Garota de Olhos Verdes de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> A Princesinha de Frances Hogson Burnett pela ciranda Cultural (2019)
>>> O Médico e o Monstro Em Quadrinhos de Robert Louis Stevenson pela Principis (2021)
>>> A Guerra dos Mundos de H. G. Wells pela Principis (2021)
>>> O Dorminhoco de H. G. Wells pela Principis (2021)
>>> O Sagrado de Nilton Bonder pela Rocco (2007)
>>> Uma Utopia Moderna de H. G. Wells pela Principis (2021)
>>> Sanditon de Jane Austin pela Principis (2021)
>>> Arsène Lupin e o Estilhaço de Obus de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> Relato da Vida de Frederick Douglass um Escravo Americano de Frederick D. pela Principis (2021)
>>> Úrsula de Maria Firmina dos Reis pela Principis (2020)
>>> Rapazinhos 3 de Louisa May Alcott pela 9786555521764 (2021)
>>> A Melhor Amiga de Anne de Kallie George pela Ciranda Cultural (2021)
>>> O Chamado Selvagem de Jack London pela Principis (2021)
>>> Robin Hood Em Quadrinhos de Howard Pyle pela Principis (2021)
>>> Frankenstein Em Quadrinhos de Mary Shelley pela Principis (2021)
>>> Museu de História da Arte Viena de Enciclopédia dos Museus pela Mirador (1969)
>>> Galeria Nacional Londres de Enciclopédia dos Museus pela Mirador (1969)
>>> Pinacoteca de Munique de Enciclopédia dos Museus pela Mirador (1968)
>>> Medicina Da Alma (Capa Dura) de Robson Pinheiro pela Casa dos Espíritos (2007)
>>> Dicionário Analógico da Língua Portuguêsa de Carlos Spitzer pela Globo (1956)
>>> Serenidade Uma Terapia Para A Alma de Robson Pinheiro pela Casa dos Espíritos (2013)
COMENTÁRIOS

Domingo, 8/7/2007
Comentários
Leitores


Congratulations, Ana Elisa
Ana Elisa Ribeiro, que texto gostoso de se ler, menina. Que forma gostosa voce tem de repartir conhecimentos, e ao mesmo tempo nos colocar a pensar no que se sucedeu. Nao tenho nada a acrescentar ao seu texto, e por isso estou escrevendo. Para poder parabeniza'-la pela sua coluna.

[Sobre "Ler em voz alta"]

por Milton Laene Araujo
8/7/2007 à
00h13 70.149.13.133
(+) Milton Laene Araujo no Digestivo...
 
se coloque na posição dos...
Por isso que, quando encontro alguém neste mundo que tenha real interesse por coisas culturais, me sinto nas nuvens. O lema hoje é "se coloque na posição dos leitores"; o que, de fato, quer dizer pra se colocar na posição de semi-analfabetos. O-ho.

[Sobre "Como escrever bem – parte 3"]

por Jimmy
http://www.flogao.com.br/epitaph
7/7/2007 às
22h18 201.34.19.49
(+) Jimmy no Digestivo...
 
gostei da fala do Will Self
Rafael, parabéns pelo seu aniversário! Gostei do seu comentário a respeito de tal mesa, embora concorde com o Julio que o cara deve nos achar ínfimos, insignificantes -como a maioria do 1º Mundo deve achar- a despeito de eu achar muitas vezes que o somos -ufa! que confusão!! Bem, gostei da fala do Self. Valeu! Abraço. Adriana

[Sobre "Flip: Jim Dodge e Will Self"]

por Adriana
7/7/2007 às
21h13 201.8.26.92
(+) Adriana no Digestivo...
 
mais interessante que a Flip
Julio, na realidade, acho que o seu diário-reportagem está mais interessante que a Flip, é o que me parece. Até essa polêmica sobre RC deve estar melhor no seu texto. Li hoje, na Folha, um texto do Ruy Castro sobre a auto-biografia. Muito boa. Também sou fã dele. Vê se toma umas a mais: "Bebo para tornar as pessoas mais interessantes", conforme já disse um famoso escritor de cujo nome não me recordo. Aproveite. E continue nos informando sempre. Bjs. Dri

[Sobre "A Flip como Ela é... II"]

por Adriana
7/7/2007 às
21h04 201.8.26.92
(+) Adriana no Digestivo...
 
Anima Mundi 2007: imperdível
Tais, fui, esta semana, ao Anima Mundi aqui no Rio, como faço todos os anos desde 1993 (ou 1994, não me lembro bem), e assisti a coisas fantásticas. Não deixe, mesmo, de comparecer à edição paulistana. Abraços!

[Sobre "Anima Mundi vem aí"]

por Luis Eduardo Matta
http://www.lematta.com
7/7/2007 às
19h44 189.25.69.247
(+) Luis Eduardo Matta no Digestivo...
 
Ler a Ana Elisa em voz alta
Que descreve e defende tão lindamente a escrita e as formas de leitura... Um beijo da leitora que vai repassar agora a mensagem, claro. ;-)

[Sobre "Ler em voz alta"]

por Gisele Lemper
7/7/2007 às
19h27 200.175.179.20
(+) Gisele Lemper no Digestivo...
 
Vozes e interações
Transformações são inevitáveis diante da criatividade humana e formas de registro são fundamentais para as evoluções, desenvolvimentos; não é preciso descobrir tudo de novo a cada geração, conhecimentos vão se somando, servindo a novas descobertas. Também somos seres gregários, precisamos do outro para aprender, melhorar, por isso a busca pela voz, por interação na leitura em grupo, mas nem sempre a integração é alcançada, as pessoas estão presentes sem realmente estarem juntas, fazendo surgir uma sensação de vazio, de frustração das expectativas colocadas sobre os outros, numa pesada busca por perfeição, não pelo ser humano, falível, limitado, ali declamando suas banais criações ou lendo de modo comum textos grandiosos. A comunhão deu lugar ao espetáculo, bem mais exigente, mas não matou o desejo de interagir, de afetar, compreender, ser afetado, compreendido; por isso permanecem as buscas por um modo de chegar aos grandes sentidos. Ler alto serve ainda à ilusão de não estarmos sós.

[Sobre "Ler em voz alta"]

por Cristina Sampaio
7/7/2007 às
11h57 201.50.191.151
(+) Cristina Sampaio no Digestivo...
 
Santa bagunça!
Somente os obsessivos não se deixam ficar em tamanha desorganização. E ai de quem tenta arrumar alguma coisa, recebe a culpa por nunca mais conseguirmos nos achar. Viva a desordem, Al Gore! A temporária, por favor, pois ninguém duvida da importância da ordem para se manter a civilização.

[Sobre "Olha a sala do Al Gore"]

por Cristina Sampaio
7/7/2007 às
10h33 201.50.191.151
(+) Cristina Sampaio no Digestivo...
 
Irresistível
Tentei resistir a comentar, Guga, mas não deu. O livro é um dos que releio quando preciso de afeto (ninguém é de ferro) e sempre encontro encanto; parece que o príncipe pequenino me pega pela mão e sai a levar pela fantasia... A flor é mais humanizada do que ele, imaginação pura, uma mistura de sabedoria e inocência totalmente arrebatadora, representando a eterna busca de sentido pra vida. Por não suportar as exigências e vaidades da sua rosa, tão humana rosa, foge dela, para então descobrir que a ama, do jeito que é, quando já não pode mais amá-la. Me faz perguntar se amor é sempre algo monstruoso ou impossível. Mas adoro a negociação com a serpente: "Teu veneno é do bom? Estás certa de que não vou sofrer muito?", como se ela fosse responder a verdade, ou pudesse fazê-lo. E fico feliz por ele ter morrido (ele morre mesmo?), porque tenho a certeza de que não foi corrompido. Fecho o livro sentindo que o final foi feliz, a pureza foi preservada. Muito bom! Parabéns!! Com ternura, Cristin

[Sobre "Outra leitura para O pequeno Príncipe"]

por Cristina Sampaio
7/7/2007 às
09h52 201.50.191.151
(+) Cristina Sampaio no Digestivo...
 
vai fundo, Gabi!
essa menina tem futuro!!! prodígia! um dia ocupará o lugar de Arnaldo Jabor, hein??? vai fundo, Gabi!

[Sobre "As mulheres de Rubem Fonseca"]

por Diego Augusto
7/7/2007 à
00h26 201.78.190.102
(+) Diego Augusto no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Desastre na Mata
Pedro Bandeira
Melhoramentos
(2010)



La Peinture Du Xix Siècle
Georges Peillex
Pont Royal
(1964)



Três Vinténs para a Cultura
Julio Cesar Pereira
Escrituras
(2014)



Realidades de Israel 1997
Ellen Hirsh
Centro de Informação de Isra
(1997)



Fordlândia
Eduardo Sguiglia
Iluminuras
(1997)



Estudos Sobre Teatro Antigo
Zelia de Almeida Cardo
Alameda



Inquérito Policial Vol. 1
Paulo Alves Franco
Agá Juris
(1999)



Ils Étaient de Leur Village, Tome 1
Gérard Boutet
Jean-cyrille Godefroy
(1999)



Polícia e Criminologia
João Milanez da Cunha Lima
Ibrasa
(1974)



Sampaio Bruno Prosa
Joel Serrão
Agir
(1960)





busca | avançada
100 mil/dia
2,5 milhões/mês