Os Maias | Miguel Santos

busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Itinerário de leituras on-line
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Comum como uma tela perfeita
>>> Revista Meio Digital
>>> Do jornalismo como performance
>>> A Nova Revista da Cultura
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> A Teoria Hipodérmica da Mídia
>>> Os prédios mais feios de SP
Mais Recentes
>>> Acima de Qualquer Suspeita - Presumed Innocent de Scott Turow pela Record (1987)
>>> Para Gostar de Ler 27 - Histórias Sobre Ética de La Fontaine Machado de Assis e Outros pela Ática (2003)
>>> Dia dos Mortos de Marcelo Ferroni pela Globo (2004)
>>> Kota de Richar Forsithe pela Nova Cultural (1989)
>>> O que é Arte? A polemica visão do Autor de Guerra e Paz de Tolstoi pela Ediouro (2002)
>>> As Cinco Estações do Corpo de João Curvo e Walter Ms. Tuche pela Rocco (2001)
>>> Valsa Negra de Patrícia Melo pela Companhia das Letras (2003)
>>> Um Fio de Esperança de Nancy Guthrie pela Mundo Cristão (2008)
>>> Oblomov de Ivan Alexandrovitch Gotcharov pela Germinal (2001)
>>> O Apanhador no campo de centeio de Jorio Dauster; Antonio Rocha; Alvaro Alencar pela Do Autor (2012)
>>> Auto-sentimento de Norberto R. Keppe pela Proton (1977)
>>> A Nova Dieta Revolucionária do Dr. Atkins de Roberto Atkins pela Círculo do Livro (1972)
>>> Fé e Liberdade - O Pensamento Eco. da Escolástica de Alejandro A. Chafuen pela Lvm (2019)
>>> Serenidade e Paz pela Oração de Rafael Llano Cifuentes pela Do Autor (2002)
>>> Trilogia de Cinquenta tons de cinza. Vol.1 , Vol. 2 e Vol. 3 de E L James; E L James; Maria Carmelita Padua Dias pela Intrinseca (2012)
>>> Quando Tudo Não é o Bastante de Harold S. Kushner pela Nobel (1999)
>>> Febre de Enxofre de Bruno Ribeiro pela Penalux (2016)
>>> Grandes e novas Invenções de Não informado pela Knorr
>>> No Início - Contos de Adriana Griner pela Biblioteca Pública do Paraná (2014)
>>> Parâmetros Curriculares Nacionais - Vol 6 de Não informado pela Arte (1997)
>>> O Alquimista de Paulo Coelho pela Rocco (1988)
>>> Namoro blindado: O Seu Relacionamento à Prova De Coração Parido EAN: 9788578607654 de Renato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson (2016)
>>> Navegar é preciso de Anaína Amado; Ledonias Franco Garcia pela Atual Didáticos (1989)
>>> Conte-me seus sonhos de Sidney Sheldon pela Record (2000)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Globo/Klick (1997)
>>> O poder das afirmações positivas - Coleção Autoestima EAN: 9788575421680 de Louise Hay pela Sextante (2005)
>>> As Melhores Histórias de Princesas de Monica Rodrigues da Costa e Lidia Chaib Adaptação pela Publifolha (2000)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 24. Crônicas 3º Volume (1871 - 1878) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 23. Crônicas 2º Volume (1864 - 1867) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> A Viola Enluarada De Zequinha Piriri EAN: 9788526231771 de Rosana Rios pela Scipione (1997)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 22. Crônicas 1º Volume (1859 - 1863) de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 21. Contos Fluminenses II de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 20. Contos Fluminenses I de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 19. Teatro de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 18. Poesias de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 17. Relíquias Da Casa Velha 2º Volume de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 16. Relíquias Da Casa Velha 1º Volume de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 15. Páginas Recolhidas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> O melhor de Hagar o horrível – vol. 3: 441 EAN: 9788525412195 de Dik Browne pela L&PM Pocket (2007)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 14. Várias Histórias de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Dicionário Ilustrado da Língua Portuguesa 7 volumes de Antenor Nascentes pela Bloch (1972)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 13. Histórias sem Datas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 12. Papeis avulsos de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 11. Histórias Românticas de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 10. Histórias da Meia Noite de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 09. Memorial de Ayres de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Obras Completas De Machado De Assis - Vol 08. Esaú e Jacó de Machado de Assis pela W. M. Jackson Inc. (1957)
>>> Um Maço de Cordéis: Lições de Gente e de Bichos EAN: 9788594980922 de Gilberto Cardoso pela C j a (2019)
>>> Um Maço de Cordéis: Lições de Gente e de Bichos EAN: 9788594980922 de Gilberto Cardoso pela C j a (2019)
>>> Crise Do Marxismo E Irracionalismo Pós-Morderno EAN: 9788524904677 de João E Evangelista pela Cortez (2002)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 8/4/2002
Comentários
Leitores


Os Maias
Para quando a passagem da minissérie "Os Maias" em Portugal?

[Sobre "Os males da TV"]

por Miguel Santos
8/4/2002 às
06h47 193.136.248.8
(+) Miguel Santos no Digestivo...
 
Os números são:242 , 338 e 5%
Rafael Como já disse antes, para mim nada há de muito especial no q ocorre, é puro blá blá blá e bum bum bum. Seria fácil constestar um por um teus argumentos e iniarmos uma digressão infinita. Israel é um estado "fora da lei". Não está pisando apenas em terras alheias, está também pisando nas resoluções da ONU, ou seja, pisando em toda comunidade internacional. É lamentável, mas os argumentos q usa para tentar se justificar, tem exatamente o mesmo conteúdo dos argumentos de todos ocupantes. Os alemães matavam 10 habitantes para cada um dos seus q era morto pela "resistência francesa" (ou terrorismo frances!). Talvez pela primeira vez na história, na Diáspora também se encontra repúdio à Israel. E nunca se esqueça, o Estado Palestino não existe, nem existem forças armadas. O q o estado Israelense faz é inominável, é como se nossa força aérea bombardeasse uma favela , desculpas não faltariam. Estão "colonizando manu militari" terras alheias. O q poderiam esperar de volta?. Por mais custoso q seja para eles tem q devolver os 5% colonizados "na marra". Volto a insistir q tudo se resume nesses 5%. Os países árabes já ofereceram aceitar o "statu quo" definido pela ONU, mas Israel quer esses malditos 5% a mais. Eu só estou disposto a entender Israel em relação a metade de Jerusalém, também invadida, incluida nesses 5%. Realmente será dificil abrir mão de algo tão simbólico!

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por pedroservio
8/4/2002 às
04h57 200.191.163.9
(+) pedroservio no Digestivo...
 
Saborosos Desagravos...
Caro Fábio: seu texto (repulsiva roseana) a respeito da cínica e surreal Roseana Sarney foi uma verdadeira refeição de desagravos. Desagravos muito saborosos, por sinal. São tantas as ofensas lançadas, todo santo dia, na cara dos brasileiros honestos, é tão monumental o despudor desses políticos farsantes, que se torna um prazer terapêutico degustar críticas como as suas. Fábio, todos os seus artigos são saborosos desagravos, todos eles! Continue sendo o talentoso "chef" dessa cozinha saudável, que nos faz tanto bem. Abraço do Dennis.

[Sobre "poesia, roseana, cuba e outras palhaçadas"]

por Dennis
6/4/2002 às
11h05 200.227.219.164
(+) Dennis no Digestivo...
 
Retruco
Caro Rafael, obrigado por ter prestado atenção no meu comentário. Acabou que, sim, pequei pela simplificação - mas a visão não é ingênua, e sim menos sofisticada do que os vôos e as elocubrações exacerbadas dadas à questão - e nem disse que "tudo" se resume ao aspecto tribal . Pareceu simplificada, de fato, porque me detive mais num aspecto dentre um grande emaranhado cultural daquela região, mas escrevi correndo, por falta de tempo, e num sopetão hoje à tarde. Não reli, porque raramente me releio. Mas, por força, agora, relendo, vi que escrevi "primeiramente" no primeiro argumento e não retomei o resto da argumentação. Aliás, você já escreveu nesta janelinha e sabe que é impossível escrever um ensaio digno neste espaço. Além do mais, um comentário muito longo acaba monopolizando o espaço dos demais leitores. Procurarei estruturar melhor a minha argumentção e voltar a esta página ou enviá-la a você. Só gostaria de registrar, para todos que consultarem o seu artigo e lerem estes comentários, que há muito mais a ser considerado sobre a questão Palestina do que a sua visão parcial - e até mesmo da minha.

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por Antiono Oliveira
5/4/2002 às
18h28 200.236.109.20
(+) Antiono Oliveira no Digestivo...
 
as marcas da decepção
A despeito de meus avós marternos serem judeus oriundos da Lituania e Polonia---despertando a minha admiração na mais tenra idade pela obstinação em perseguir ideais nobres e uma heróica luta pela sobrevivência,acho Israel um estado assassino.Com Ariel Sharon é claro.Se alguém achar que carreguei nas tintas,leiam o estraordinário e amargo livro AS MARCAS DA DECEPÇAO-memórias de um agente do serviço secreto israelense o Mossad considerado o melhor serviço secreto do mundo.BULA;efeitos colaterais:se o nosso prezado Rafael Azevedo ler esta obra,peço que encarecidamente estando em lugar público,porte um saco plástico,pois o vômito será inevitável. Autor da obra:VICTOR OSTROVSKI, editora:PÁGINA ABERTA LTDA,1992.359p.

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por Heraldo Vasconcellos
5/4/2002 às
17h44 200.173.133.40
(+) Heraldo Vasconcellos no Digestivo...
 
respostas
Obrigado a todos pelas mensagens, e mais obrigado ainda ao Gustavo pelos elogios. Agora vamos por partes: Helio, não tinha nada de extremismo naquelas palavras - apenas a minha indignação de ver até que ponto pode ir a intolerância dos desinformados, aliado a um pouquinho de sarro, que também sou filho de Deus. Wer, você tem todo o direito de achar meu texto tendencioso, assim como eu tenho o direito de achar que você está redondamente enganado. Não tem nada de tendencioso no meu texto; eu não me inclino a favor de ninguém, apenas estou frisando que, enquanto o mundo parece se revoltar contra o que chamam de intolerância dos judeus, vale lembrar que eles é que estão sendo vítimas de um grande complô internacional, na medida em que estão unicamente se protegendo de ataques criminosos e desnecessários fomentados pelos líderes hipócritas que SEMPRE dominaram os árabes, com ou sem ajuda americana, soviética ou o escambau. Aliás, é injusto comparar Reza Pahlevi a Saddam e aos Sa'ud; ele fez muito mais bem ao Irã que os outros a seus respectivos países, e sua queda (e a ascensão do Khomeini) foi a prova de que os povos daquela região não precisam da ajuda ocidental para se prejudicarem. Pedro, concordo com tudo o que você disse, está lá no texto – como por exemplo menciono que os judeus cometiam atentados terroristas também. Só que os judeus, por mais errados que estivessem, cometiam estes atentados contra uma ocupação externa - os britânicos, que não tinham nada o que estar fazendo lá - e não contra os palestinos, que além de constituírem uma população muitíssimo menor do que os árabes apregoam, receberam os judeus já com pedras e armas na mão. Você também parece querer dizer que eu apoio os atos de Sharon - longe disso, se você reparar com atenção também o condeno em meu texto. Mas condeno muito mais o Arafat, pois acredito que seja muito mais criminoso explodir bombas em supermercados matando crianças e mulheres grávidas do que atirar em militantes armados ou invadir cidades em busca deles. Os árabes já demonstraram não querer apenas que as resoluções que você citou da ONU sejam cumpridas. Querem mais. Querem que Jerusalém seja "cedida" a eles, e que um milhão (!) de "refugiados palestinos" voltem para o território de Israel. Assim você há de convir que não existem condições de diálogo; isso seria o fim do estado israelense. Quanto ao comentário do Antonio Oliveira, bem, pra mim simplificação ingênua é chamar tudo de uma "questão tribal" e ainda dizer que isso é mais complexo do que tudo o que eu falei. A propósito, porque meu conhecimento de causa é "aparente"? Se você discorda de algo que eu disse, refute, dê argumentos. Levantar suspeita sem desmentir ou checar o que eu disse é, no mínimo, moralmente dúbio. Seu comentário não passa de uma opinião contrária a minha, nada mais; creio que é preciso mais que isso para se discordar dos argumentos de alguém. Outra coisa: não digo em meu texto, em nenhum momento, que os judeus sejam os "mocinhos". Apenas acho que estejam longe de ser os vilões. É isso. Abraço a todos, Rafael.

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por Rafael Azevedo
5/4/2002 às
17h40 200.162.237.134
(+) Rafael Azevedo no Digestivo...
 
Guerra entre irmãos
Apesar da vasta pesquisa e dos dados citados, num aparente conhecimento de causa, o artigo reflete apenas uma opinião e não esclarece. Pelo contrário, é uma simplificação ingênua, que reflete a mitificação da cultura judaica e a animosidade do autor contra os árabes. Ambas culturas são ricas e produziram grandes expoentes e contribuições valiosas para a humanidade. A questão na região da Palestina é muito mais complexa do que o Rafael Azevedo supõe. Primeiramente, porque toda a questão está relacionada com a visão de mundo semita (vide dicionário; o grupo semita inclui árabes, assírios, fenícios, judeus entre outros originários da região do Crescente) e tem uma vertente preponderantemente cultural e não apenas religiosa. Num segundo plano, sim, está a religião. Os semitas, desde muito antes da época bíblica se dividiam – e ainda se dividem - em clãs e tribos. Como é notório, não há maiores inimigos entre si que clãs ou tribos rivais em territórios adjacentes. A questão não é propriamente religiosa, porque não se discute a divindade de Jeová ou de Allah, ou de nuances epistemológicas entre Torah e Corão, ou sobre as profundas diferenças entre os rituais do judaísmo e do islamismo. A questão, repito, é tribal e remonta a milênios. A questão de demarcação de territórios – que toda cultura preza em algum grau, terras hereditárias, feudos, Estado-Nação, latfúndios – serve apenas para quantificar poder de uma tribo ou grupo e demarcar uma propriedade para fins produtivos (na velha receita Terra-Capital-Trabalho). Se um palestino ou israelita viver de um lado ou outro de da fronteira naquela região pouco afetará a sua vida, pois o seu cotidiano seria quase o mesmo que o de seu rival – obviamente seria uma vida mais tranquila se apagassem de sua mente a questão de pertencer a uma tribo e tudo que isso implica. Voltando ao que eu me referi acima, os semitas bíblicos e as sociedades semitas atuais vêem o mundo em grupos, tribos, etc... Até o judeus modernos se dividem e muitas vezes evitam casamento entre membros de uma tribo ou outra – sefarditas, neftalis, efrains, benjamins etc.. Portanto, colocar a questão entre judeus e muçulmanos apenas é errar o alvo. Na realidade, são todos irmãos brigando entre si. É realmente tudo farinha do mesmo saco, como um comentarista acima apontou. A história recente está regada de conflitos da mesma natureza, como servios e croatas, tutsis e hutus, e até clãs norte-americanos, como os Hatfields e os McCoys, que se matavam entre si na virada do século passado. Por fim, gostaria de notar que, com relação às atrocidades que vemos na Palestina, de parte a parte, não há justificativa sob qualquer ângulo que se analise. É uma guerra entre irmãos e, como dizem, "não se deve meter as mãos". Nas matanças, nenhum dos dois lados está certo, nenhum dos dois lados é levado por lógica ou por sentimentos nobres. Não há mocinhos.

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por Antonio Oliveira
5/4/2002 às
17h07 200.236.109.20
(+) Antonio Oliveira no Digestivo...
 
parapedro
Pedro, qualquer país tem direito a revidar ataques. Se os palestinos explodem bombas todos os dias em Israel, Israel tem todo direito de revidar. E Arafat, junto com outros líderes árabes, alimenta uma intolerável rede de terrorismo que precisa ser cortada pela raíz. Em escolas palestinas (tem filmado) crianças de cinco anos aprendem a usar metralhadora e jogar granada, gritando "Morte a Israel!". Nenhum judeu aprende em escola semelhante coisa. Israel é um estado secular, tolerante e democrático. O mesmo, infelizmente, não pode ser dito da maioria dos árabes que ocupam 99% do oriente médio e ainda querem expulsar os judeus de lá.

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por François Maltie
5/4/2002 às
15h16 200.183.94.214
(+) François Maltie no Digestivo...
 
Nada de novo debaixo do sol.
Caro Rafael Após uma fácil crítica aos nazistas, que é o mesmo q louvar a beleza da Ellen Roche (chover no molhado), vc inverte o sinal e começa a louvar Israel, principalmente seus gênios. Palmas... meu maior ídolo ainda se chama Isaac. Quando estive em Londres não descansei enquanto não achei seu túmulo para rezar por ele. Vc, eu e todo ser mínimamente escolarizado estudou sua teoria e sua famosa tese q começa com:... "tudo se passa como se a matéria atraisse a matéria na razão direta das massas etc etc etc". Já meu segundo ídolo é da família Einstein (menor q o Isaac na minha opinião). Falar mal dos palestinos e bem dos judeus é tão fácil como o oposto. Agora, se vc der uma olhadinha na política da palestina nos anos anteriores a 1947 vai ver quem eram os terroristas (com esse nome mesmo!). Quem explodia, matava e lutava para ter direito ao seu pedaço de terra. Fosse essa a época e o nosso sem terra estaria abraçado a um judeu, lutando contra os ingleses que comandavam a "força" então. Não tome partido errado cara. O q o Ariel está fazendo só da licença a pessoas pouco informadas se irritarem, justamente, contra o povo judaico. Eu também ouvi um colega comentar q ele tinha vontade de levantar uma bandeira e ir para a embaixada de Israel com os dizeres:"Adolfo tinha razão". A lógica da ocupação militar é essa mesmo. Não dá para tapar o sol com a peneira, até o Bush já disse basta. Israel está tão errado q oficiais mais conscientes já preferem irem em "cana" a ultrapassar a linha verde e entrar na Palestina. Cumpra-se as resoluções 242 e 338 da ONU. O resto é blá blá blá e bum bum bum desde q Caim matou Abel. Pedro

[Sobre "Intolerâncias e inconsequências"]

por pedroservio
5/4/2002 às
14h47 200.191.181.220
(+) pedroservio no Digestivo...
 
Filme Nac. x leis secretas
Caro Alexandre, Não concordo inteiramente contigo, embora entenda as tuas preocupacões. Falando em literatura, nas tais leis secretas. A propósito, acabei de ver um filme nacional (prefiro não comentar o Oscar). Suzana Amaral, a diretora, dá uma tapa (vamos usar assim, no feminino) num desses itens secretos dessa lei. "Uma vida em segredo" é um primor. Sou um amador de cinema, não sou crítico. Todavia, acho injusto com essa diretora se eu não contar isso aos outros. Não há nada de violência urbana. Algo despretencioso, simples, bem humorado, trágico, humano (há algumas coisas que quase chegaram a me incomadar, entretanto... Não, chegou uma hora que me entreguei. Eu me rendo! Eu me rendo, senhora Suzana Amaral! ) é belo! Belo! Belo! E é mais que necessário e oportuno esse seu texto. Paro por qui, se não vou acabar com o espaço. Aí este negócio fica longo e ninguém lê nada. Internet não dá pra ser extenso. Tem que ser breve. Embora tivesse muito mais pra dizer. É isso aí. Cacá Mendes

[Sobre "Furo! Furo! Furo!"]

por Cacá Mendes
5/4/2002 às
15h02 200.207.161.251
(+) Cacá Mendes no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE GREATEST ADVENTURE THE BALLONISTS OWN EPIC TALE OF THEIR ROUND THE
BERTRAND PICCARD / BRIAN JONES
HEADLINE
(1999)
R$ 10,00



BIBLIOTECA CIENTÍFICA LIFE A MATÉRIA
RALPH E. LAPP
JOSÉ OLYMPIO
R$ 10,00



DENTE POR DENTE
JENNY HAN E SIOBHAN VIVIAN
NOVO CONCEITO
(2013)
R$ 10,00



O LIVRO OFICIAL DO COMETA HALLEY
BRIAN HARPUR
FRANCISCO ALVES
(1985)
R$ 10,00



ANTOLOGIA POÉTICA DE MANUEL BANDEIRA
MANUEL BANDEIRA
JOSE OLYMPIO
(1990)
R$ 10,00



DISCURSOS CONFERÊNCIAS E ENTREVISTAS
VASCO GONÇALVES
SEARA NOVA
(1977)
R$ 10,00



GEOGRAFIA DO DISTRITO FEDERAL - VOL. 1- 10204
AFFONSO VARZEA
PREFEITURA DO DISTRITO FEDERAL
R$ 10,00



OBRAS COMPLETAS TOMO X: ENCONTROS COM HOMENS, LIVROS E PAÍSES
STEFAN ZWEIG
DELTA
(1953)
R$ 10,00



COMUNIDADES POPULARES E UNIVERSIDADE: OLHARES PARA O OUTRO
DIVERSOS
UFRJ
(2006)
R$ 10,00



IMITAÇÃO DA MORTE
JOSÉ MARTINS GARCIA
MORAES
(1982)
R$ 10,00





busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês