A arte da crítica | Heitor De Paola

busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
>>> Cursos de férias: São Paulo Escola De Dança abre inscrições para extensão cultural
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Circo Roda Brasil
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> O corpo-reconstrução de Fernanda Magalhães
>>> Contra os intelectuais
>>> Sem música, a existência seria um erro
>>> Orkut, um sonho impossível?
>>> Charges e bastidores do Roda Viva
>>> Pensamento do dia
>>> Por que votei nulo
>>> A polêmica dos quadrinhos
Mais Recentes
>>> O Heroi dos Tabuleiros - Col. Espelhos de Ricardo Criez pela FTD (2024)
>>> O Livro das Letras - um Alef Beit Místico de Lawrence Kushner pela Madras (2002)
>>> Box - Jornalismo Sitiado - [ 2dvds + Livro ] de Eugenio Bucci - Sidnei Basile pela Log on Cultura Marcas (2004)
>>> Ressignificando Sua Vida de Dr Mohamad Barakat pela Vital (2018)
>>> O Brincar E A Criança Do Nascimento Aos Seis Anos de Vera Barros De Oliveira pela Vozes (2010)
>>> Tua cor é o que eles olham (C/ autografo) de Sonia Euler Mororo pela H. P. Comunicação (2017)
>>> Lonely Planet Italy de Paula Hardy, Alison Bing, Abigail Blasi, Cristian Bonetto, Kerry Christiani, Gregor Clark, Joe Fullman, Duncan Garwood, Robert Landon, Vesna Maric pela Lonely Planet (2012)
>>> O Martelo Das Feiticeiras de Heinrich Kramer E James Sprenger pela Rosa Dos Tempos (2020)
>>> O Último Dia De Dava Shastri de Kirthana Ramisetti pela Astral Cultural (2023)
>>> A Economia Feminista: Por Que A Ciência Econômica Precisa Do Feminismo E Vice-versa de Hélène Périvier pela Bazar Do Tempo (2023)
>>> Abolicionismo. Feminismo. Já. de Angela Y. Davis; Gina Dent; Erica R. Meiners; Beth E. Richie pela Companhia das letras (2023)
>>> Imagens Do Além de Heigorina Cunha; Espírito Lucius pela Instituto De Difusão Espírita (2007)
>>> O livro mágico de aniversário com música e luzes de N/a pela Todolivro (2015)
>>> Wicca - Por Trás Da Bruxaria Branca de William Schnoebelen pela Proposito Eterno (2007)
>>> Quem se esconde na fazenda? de Debbie Tarbett pela Nobel (2018)
>>> From Immigrant to Ethnic Culture de Rakhmiel Peltz pela Stanford (1998)
>>> Revista Cinemin nº63 (5ª série) de Ebal pela Ebal (1990)
>>> Um Dono Para Buscapé de Giselda Laporta Nicolelis; Elisabeth Teixeira pela Moderna (2017)
>>> A Vida Nao Me Assusta Pinturas originais de Jean-Michel Basquiat de Maya Angelou; pela Darkside (2018)
>>> Função Ceo. Descoberta Do Amor - Volume 2 de Tatiana Amaral pela Pandorga
>>> Estalística Estrutural de Michael Riffaterre pela Cultrix (1983)
>>> Patrulha Canina - Livro-teatro de N/a pela Online (2018)
>>> Trilogia Scythe 3 Volumes: O Ceifador / A Nuvem / O Timbre de Neal Shusterman pela Seguinte (2020)
>>> O Livro Dos Porquês E Outras Perguntinhas de N/a pela Usborne (2012)
>>> Crônicas de Excalibur 1 - Pendragon de Jean Luc Istin - Alam Brion pela Mythos (2019)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 8/7/2002
Comentários
Leitores

A arte da crítica
Como dizia Aporelli, "há algo no ar, além dos aviões de carreira". Neste assunto de jornalismo internáutico há outros interesses que não apenas os dono de jornais tradicionais mas também uma barreira petista que vem estabelecendo uma verdadeira censura nos jornais comuns. Censura que impede, por exemplo, que no Rio se tome conhecimento das perseguições a jornalistas que o Governo Olívio Dutra vem promovendo no Rio Grande do Sul, como o caso com o Barrionuevo. O jornalismo internáutico é muito mais difícil de censurar, mas que tentam, tentam. A PROCERGS, provedora do Governo do RS, tirou do ar a coluna do Diego Casagrande (www.diegocasagrande.com.br) com a mais estapafúrdia das desculpas. Uma tal Comissão Internacional de Ética Literária na Internet (alguém conhece isso?) tenta forçar o site PoliticaRS (www.politicars.com.br) a "despublicar" um artigo da joranalista Mila Kette sobre o escritor Francisco Simões. É, a Internet, tal como os elefantes, incomoda muita gente!

[Sobre "Digestivo nº 88"]

por Heitor De Paola
8/7/2002 às
18h27 200.255.208.123
(+) Heitor De Paola no Digestivo...
 
Em favor do que
Ronaldo, com sua licença, ponho em dúvida essas estatísticas quanto ao número de ONGs e de meninos de rua, já que jamais as encontrei devidamente fundamentadas. De qualquer maneira, as ONGs também representam empreendimentos intelectuais, mesmo que você discorde delas. E poucos empreendimentos intelectuais são tão apoiados e financiados hoje em dia quanto aqueles que defendem a retirada do Estado de seus deveres sociais. A minoria que os apoia certamente não deve se incluir entre as “sem defesa” a que você se refere. Se eu adotasse um conceito de "bantustão" tão abrangente quanto o do Felix Meier, certamente classificaria assim o grupo dos anti-estatistas. Uma minoria defendidíssima./// Quanto ao outro assunto, novamente peço licença para deixar de comentar a relação entre cultura e religiões, tema complexo e que eu, homem sem religião, não me sinto preparado para abordar, embora respeite o sentimento religioso. Por isso mesmo, não vou discuti-lo./// Dizer que o artigo “não é panfletário mas talvez tenha a tônica dos panfletos” me parece pouco claro. Mas acho que talvez não valha a pena continuar tal debate, uma vez que não parece haver interesse do próprio autor em fazê-lo. Continuo achando que a sua “tônica”, como você diz, retira em muito a possibilidade de eu discuti-lo racionalmente./// Quanto à bibliografia sugerida, agradeço as sugestões. Já conheço um desses autores, sobre o qual tenho opinião formada. Quanto ao outro, procurarei lê-lo. Um abraço.

[Sobre "Bantustões brasileiros"]

por Helion
8/7/2002 às
18h35 200.154.217.49
(+) Helion no Digestivo...
 
Tá bem legal
Eduardo, Com certeza foi o melhor texto que já escreveu para o Digestivo. Parabéns o texto está bem engraçado.

[Sobre "Reminiscências de um campeão"]

por Otavio
8/7/2002 às
16h23 200.246.210.5
(+) Otavio no Digestivo...
 
Mônica Waldvogel
Eu que pensava que este assunto já tinha morrido (e acho que já deveria), percebo com indignacão que o Sr. Eduardo Carvalho ainda não está satisfeito com as exposicões de suas ridículas opiniões. Já procurou um psiquiatra para resolver seu caso de múltiplas personalidades? O programa está cada vez melhor, é pena que mentes doentes como a do Sr. Eduardo, não têm alcance suficiente para entendê-lo, pena também que pessoas mal-educadas, e grosseiras como esse tal de Eduardo Carvalho (será mesmo esse o nome dele?) têm espaco num site como esse. Enfim... ces les choses e la vie... Daniela Brusco

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Daniela Brusco
6/7/2002 às
13h41 200.211.164.187
(+) Daniela Brusco no Digestivo...
 
Ora, ora, ora...
Caros participantes do Fórum: Acabo de descobrir este site (pesquisando no Google) e ainda estou em estado de choque com a crítica implacável do Eduardo ao nosso programa. É formidável descobrir como pessoas conseguem ter conceitos tão fechados e resolvidos num mundo em que nenhum dos bons e velhos paradigmas anda parando em pé. Estamos tentando fazer um programa para discutir os temas que nos impactam e que o público nos sugere. É um programa novo, em obras, reflexo de cabeças e mentes inquietas. Só isso. Ninguém ali está tentando dar as grandes respostas - e alguém as tem por aí? - nem buscando dar tratamento intelectual aos fragmentos dos fatos semanais que caem no colo de toda a gente nesses dias conturbados. Também não dá para levar tudo tão a sério neste começo de século, não é mesmo? É preciso um certo humor que vá além do banal e do clichê e nisso o 'Saia Justa' é pródigo. Para os que nos defenderam, em nome de Marisa Orth, Fernanda Young e Rita Lee, agradeço. Para Eduardo e seus seguidores, amém. Abraço, Mônica Waldvogel

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Mônica Waldvogel
6/7/2002 às
12h24 200.161.215.181
(+) Mônica Waldvogel no Digestivo...
 
Amores possíveis
Interessante o seu comentário e fiquei curioso para ler o livro, apesar das restrições que você faz a ele. Não sei se a autora aborda o tema, mas é interessante verificar como a internet realmente inverte a seqüência tradicional das relações amorosas: primeiro nos deparamos com o outro a partir de sua expressão escrita, depois (usualmente) pela voz, através do telefone e, só depois, através do contato visual. É exatamente o contrário das relações tradicionais, permitindo assim um desnudamento, uma abertura, que não é usual entre estranhos. Se isso será bom ou ruim, se essa nova seqüência vai revolucionar as formas de relacionamento, só o tempo dirá./// Penso também num veículo como esse Digestivo, no qual as afinidades – e, mais freqüentemente, as divergências – expressas por escrito entre desconhecidos também assumem uma crueza, um ímpeto, que dificilmente ocorreriam em contatos pessoais. São novas maneiras de amar e de odiar...

[Sobre "A internet e o amor virtual"]

por Helion
5/7/2002 às
14h49 200.154.217.156
(+) Helion no Digestivo...
 
Futebol e pentes
Leio tanta filosofia sobre o futebol e me lembro de algo que me aconteceu estando em Maceio, Dezembro 1997. Um carinha, de cujo nome nao me lembro, estudante de Medicina, filhinho de Dotor, fluente em frances, critica duramente seu namoradinho pelo terrivel crime de torcer com paixao pelo seu Flamingo adorado. Os argumentos, bom, voces conhecen, ne? 15 minutos depois o cara descobre que eu tenho um pente daqueles plasticos, grandes e feios no bolso traseiro da calca. Ai o dotorcinho falou, escandalizado: "Acho engracado voce carregando esse pente no bolso da calca" Entao ta, Flamingo - Vasco, bobagem para adormecer o povao ignorante, MEU pente no bolso da MINHA calca, assunto da maior importancia. Da licenca!

[Sobre "Ludopédio em Pindorama"]

por Dudu
5/7/2002 às
10h36 199.242.231.156
(+) Dudu no Digestivo...
 
Paranóia? Onde?
Prezado Gian: Seu texto tem pontos interessantes sobre a paranóia, mas infelizmente não passa dos pontos comuns já discutidos por todo mundo numa mesa de bar - e pontos equivocados, como chamar a Idade Média de "Idade das Trevas". Se vc ler Etienne Gilson, vai descobrir que a Idade Média não foi nada irracional e que a paranóia que dizem ter sido criado pela Igreja Católica era, na verdade, fruto de escolas dentro da Igreja e que foram expulsas pelo Papa por causa de seu cunho herético. Além disso, como vc pode chamar de "Idade das Trevas" uma época que tinha Santo Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Abelardo, Meister Eckart e, bem no final, Dante Alighieri. Por acaso a nossa época - tão paranóica - tem como rivalizar com a honra destes nomes? No mais, se vc quer saber o que é realmente o efeito da paranóia na vida e na arte, leia Thomas Pynchon, em especial "V." e "O Leilão do Lote 49", ambos editados pela Cia de Letras. Um abraço e continue com seu trabalho Martim

[Sobre "A Soma de Todos os Medos"]

por Martim Vasques
5/7/2002 às
08h51 200.211.122.213
(+) Martim Vasques no Digestivo...
 
Em favor do que
Usei o termo "minoria sem defesa” parodiando as várias minorias altamente defendidas pelas inumeráveis ongs, que por sua vez são altamente patrocinadas pelo reduzidíssimo número de cofres mundiais. Não estou dizendo que ninguém deva ajudar ninguém. Mas o fato de haver mais ONGS em defesa dos meninos de rua no Rio de Janeiro do que propriamente meninos de rua, conforme levantamento da Universidade de Minas Gerais, talvez possa esclarecer o que digo. Ainda que as ONGS sejam o sinal de uma época de declínio do poder dos estados, eles também (quem tenha olhos que veja) cumprem o papel de desestabilizadores do próprio estado. Nesse sentido são globalistas e estão a favor, queiram ou não, saibam ou não, da nova ordem mundial. A paródia que usei foi para enfatizar a solidão de qualquer empreendimento intelectual. Incluindo a solidão financeira, principalmente quando as reflexões estão contra a maré. Com relação a transcendentalidade da tradições eu reafirmo, mas não disse que não são culturais. Disse que a cultura é posterior. A cultura é consequencia e não causa das religiões. Um pouco de história nos mostra isso. O estudo comparado das religiões nos indica também uma tradição primordial berço dos mitos e dos símbolos, cuja estrutura está muito além dos estruturalismos sociológicos ou antropológicos. O reducionismo sociológico ou econômico e o relativismo cultural pretendem destruir a supremacia do fenômeno transcendental, do mistério, do segredo, do sagrado. Substituir o universal pelo internacional é uma das metas. Dessa pobreza o marxismo não fala, pois ele próprio participa desse parricídio. Concordo que o volume de temas proposto resvala num nível perigoso de generalizações e que exige um nível intelectual brilhante. Não disse que o Felix tenha conseguido essa proeza, mas não pretendi julgá-lo por esse critério. Meu elogio foi por ter encontrado alguém que discute os mesmos problemas, que se inquieta pelas mesmas coisas, que tem a coragem de não parecer retrógrado, direitista, fdp ou sei lá o que mais. Com relação a bibliografia devo desculpar-me, quis dizer REFERÊNCIAS em geral, com suas notas, etc. Não podemos negar-lhe um agradecimento por essa gentileza, que são as notas de roda-pé, ainda que não concorde com suas reflexões. Que ele seja panfletário eu não concordo. Talvez seu artigo tenha a tônica dos panfletos, mas credito isso ao próprio objeto de sua reflexão, aliás ao nosso objeto de reflexão: a cadeia de relacionamentos entre os fenômenos culturais modernos. Não tenho dúvidas de que há um espécie de padrão entre os vários fenômenos culturais abordados. Difícil sintetizá-los, mas é necessário comentá-los, exercitar o intelecto para antever a unidade nesses vários aspectos da modernidade. Ainda que seja uma síntese fragmentária, característica própria da modernidade, mas que a cada dia observa-se uma linha mais clara entre esses vários fenômenos. Por falar em bibliografia permita-me citar alguns: O Mundo Moderno, de René Guénon; A Nova Era e a Revolução Cultural, de Olavo de Carvalho, são livros importantes para esse tema. De quem ele é a favor eu não posso responder por ele. Mas creio que a defesa foi em favor da racionalidade, da informação verdadeira, sem ideologismos.

[Sobre "Bantustões brasileiros"]

por ronaldo
5/7/2002 às
07h04 200.249.133.135
(+) ronaldo no Digestivo...
 
panfleto, panfleto...
Finalmente, Ronaldo, você diz que o artigo de Felix Meier “não é panfletário”. Eu não tinha usado essa palavra, mas agora que você a apresentou, não tenho como deixar de dizer: ele é panfleto em estado puro, no sentido de que “ataca alguém ou algo com críticas irônicas”, de que é “polemista”./// Bem, então como definiríamos um artigo que, em vinte parágrafos, declara-se contra as causas: defesa das terras indígenas, a proteção ambiental, o marxismo, os intelectuais da USP, o Movimento dos Sem Terra, o Iluminismo da Revolução Francesa, o movimento gay, o movimento pela defesa dos descendentes de quilombolas, o movimento negro em geral, a CNBB, o próprio governo FHC, o gramscismo, o movimento feminista, o movimento em defesa do aborto, os movimentos de meninos de rua, as ONGs em geral, Lula, Fernando Gabeira?/// Como denominar esse formidável esforço generalizador, senão como a quintessência do panfleto?/// Só falta definir uma coisa: a favor de que ou de quem é o artigo? Só consegui pescar uma única exaltação, em réplica a um leitor: aos “ricaços que pagam impostos” e que garantem os seus (F. Meier) proventos de aposentado da União. Um final estranho, sem dúvida. Caberia ao autor se explicar melhor. Mas jamais poderíamos fugir de classificar o texto segundo a palavra que você mesmo trouxe: panfletário. Um desabafo panfletário contra todo e qualquer argumento ou movimento que desagrada ao autor.

[Sobre "Bantustões brasileiros"]

por Helion
4/7/2002 às
20h48 200.154.217.31
(+) Helion no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Informática na Educação: Novas Ferramentas Pedagógica
Sanmya Feitosa Tajra
Saraiva
(2017)



As competências das pessoas
Cláudio Queiroz
Dvs
(2010)



Livro Gibis Tenjho Tenge 9
Oh Great
Jbc
(2009)



O Mito de Arata 02
Yuu Watase
Panini Comics



Questões do Coração
Emily Giffin
Novo Conceito
(2011)



Galeria Nacional de Washington
Vários Autores
Codex
(1967)



O Livro das Maravilhas Parte II
Lúlio Félix
Escala
(2009)



Livro Literatura Estrangeira Macacos Malvados
Matt Ruff
Companhia das Letras
(2008)



A vida naquela hora
João Anzanello
Fnde
(2013)



13 Dos Melhores Contos de Amor
Rosa Amanda Strausz
Ediouro
(2003)





busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês