A Soma de Todos os Medos | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
41233 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/7/2002
A Soma de Todos os Medos
Gian Danton

+ de 3600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Acabei de assistir ao filme A Soma de Todos os Medos. A película só confirma uma suspeita que eu tinha há tempos: a paranóia é a doença do século. Segundo o dicionário, paranóia é uma doença mental em que a pessoa se sente perseguida. O paranóico sente que há alguém vigiando seus passos, um inimigo em cada esquina.

É exatamente assim que nos sentimos ao assistir ao filme estrelado por Ben Affleck e Morgan Freeman: um grupo de neonazistas consegue uma bomba atômica e a detona nos EUA, fazendo que o governo americano acredite que foi a Rússia e iniciando a Terceira Guerra Mundial. Mesmo ao final, quando tudo está resolvido, temos a impressão de que os passos do personagem principal (um historiador a serviço da CIA) são vigiados a todo instante.

A Soma de Todos os Medos não é um caso isolado. São incontáveis os filmes que têm como atrativo justamente esse sentimento paranóico de que uma conspiração que irá afetar a vida de todos nós está ocorrendo neste exato momento. O seriado Arquivo X baseou toda a sua popularidade na exploração da paranóia coletiva. Aliás, o próprio nome do seriado parte do princípio de que há uma pasta no FBI de investigação de assuntos sobre os quais a maioria das pessoas não têm qualquer conhecimento: Invasões alienígenas, experimentos governamentais, planos para controlar a mente....

O sentimento paranóico de que estão nos escondendo algo fundamentou até o posicionamento ideológico de uma parte da esquerda, que acredita em um grande monstro que domina todos os meios de comunicação de massa para transformar a população numa massa amorfa e acrítica. Boa parte dos herdeiros da Escola de Frankfurt seguiram essa linha, sem falar nos partidários da teoria dos aparelhos ideológicos do estado...

Até mesmo o diabo é acusado de ser o responsável por conspirações.

Um amigo meu, professor de pós-graduação em São Paulo, me conta que uma aluna sua era professora de educação artística em Cubatão. Em uma das aulas ela resolveu fazer um relaxamento com as crianças e, para isso, tocou uma música de Vivaldi. As crianças que eram filhas de evangélicos disseram aos pais que ouviram, no meio da música, a voz do demônio. Os pais tentaram destruir a escola e a professora teve de sair do local com a ajuda da polícia.

Aqueles pais que, com paus e pedras, tentavam linchar a professora sofriam da mesma doença daqueles que acreditam que Elvis não morreu, ou que Roberto Marinho inspeciona pessoalmente cada segundo da programação da Globo: paranóia. Mas não é um tipo qualquer de doença mental. É uma paranóia coletiva, que acomete grandes quantidades de pessoas.

Sabemos que os meios de comunicação de massa são apenas os sintomas disso, o veículo através do qual o inconsciente coletivo se manifesta. Daí a importância de estudar a maneira como a mídia exibe essa paranóia. Os filmes, histórias em quadrinhos e seriados são, para as massas, o que é o sonho para os indivíduos. É através deles que a grande mente coletiva se manifesta.

Basta uma olhada para o século XX para percebermos que esse sentimento de paranóia se justifica por vários fatos históricos. Não é à toa que no filme A Soma de Todos os Medos o inimigo oculto são os nazistas. O nazismo foi o paradigma político do século passado. Ao longo de 100 anos, muitas nações sofreram sob o julgo de estados ditatoriais. Na década de 70, por exemplo, quase toda a América Latina foi governada por ditaduras militares.

Minha avó, que passou pela ditadura de Vargas e dos militares, costumava pedir para que abaixássemos a voz quando conversávamos sobre política. Segundo ela, as paredes têm ouvidos. Não, ela não tinha qualquer envolvimento político e nunca foi presa, mas ainda assim desenvolveu a paranóia. Sabe-se que muitos presos políticos da época da ditadura se tornaram paranóicos, mas o problema se torna realmente chocante quando percebemos que até mesmo as pessoas apolíticas são acometidas pelo mal do século.

O nazismo e as violentas ditaduras do século passado (como a de Pinochet, no Chile, local em que toda família teve alguém preso e torturado) causaram um trauma no inconsciente coletivo. Afinal, a democracia parte do princípio de que todas as ações governamentais são transparentes e visam o bem comum. Apenas na ditadura os governantes agem às escondidas, com motivos escusos. Esse medo inconsciente da volta dos estados totalitários e ditatoriais são expressos através de seriados como Arquivo X e filmes como A Soma de Todos os Medos.

É um medo muitas vezes irracional e muitos poderão argumentar que se trata de uma volta ao irracionalismo da Idade Média. E é exatamente isso. O século XX demonstrou que o racionalismo modernista pode nos levar a episódios como a solução final dos nazistas (quem acha que Hitler era um louco irracional deveria assistir ao filme A Arquitetura da Destruição) e à bomba atômica. A conseqüência dessa percepção foi uma volta ao irracionalismo supersticioso da Idade Média. Na Idade Média as pessoas temiam o desconhecido e se protegiam fechando-se em pequenas comunidades. O diferente era visto com desconfiança e os males do mundo eram imputados a ele. Quando uma peste infestava uma localidade, por exemplo, era comum seus habitantes matarem alguns judeus por considerá-los responsáveis pela calamidade. É um fenômeno semelhante ao fundamentalismo religioso dos talibãs e dos evangélicos que tentam linchar a professora que toca Vivaldi para seus filhos. Num mundo dominado pela paranóia, qualquer um que faça algo diferente pode ser o inimigo, razão pela qual tudo que é novo deve ser visto com desconfiança.

Se já não bastassem todos os estímulos para essa paranóia coletiva, ainda tivemos 11 de setembro. O que, senão uma paranóia coletiva, pode explicar que um grupo de americanos linchem um brasileiro pensando que ele é árabe? Que diferença tem esse episódio dos massacres da Idade Média? É possível que a paranóia coletiva nos leve a uma nova Idade das Trevas? Para saber isso, tudo que podemos fazer é acompanhar a evolução da doença. E os sintomas estão aí, nos meios de comunicação de massa.


Gian Danton
Macapá, 5/7/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Do preconceito e do racismo de Ricardo de Mattos
02. Troquei meus feeds RSS pelo Twitter de Julio Daio Borges
03. Dos portões abertos de Auschwitz, 58 anos depois de Daniela Sandler
04. (Re)masterizados e (Re)mixados de Waldemar Pavan


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2002
01. A Teoria Hipodérmica da Mídia - 19/7/2002
02. A teoria do caos - 22/11/2002
03. Público, massa e multidão - 30/8/2002
04. A maçã de Isaac Newton - 16/8/2002
05. O filósofo da contracultura - 18/10/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/7/2002
08h51min
Prezado Gian: Seu texto tem pontos interessantes sobre a paranóia, mas infelizmente não passa dos pontos comuns já discutidos por todo mundo numa mesa de bar - e pontos equivocados, como chamar a Idade Média de "Idade das Trevas". Se vc ler Etienne Gilson, vai descobrir que a Idade Média não foi nada irracional e que a paranóia que dizem ter sido criado pela Igreja Católica era, na verdade, fruto de escolas dentro da Igreja e que foram expulsas pelo Papa por causa de seu cunho herético. Além disso, como vc pode chamar de "Idade das Trevas" uma época que tinha Santo Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Abelardo, Meister Eckart e, bem no final, Dante Alighieri. Por acaso a nossa época - tão paranóica - tem como rivalizar com a honra destes nomes? No mais, se vc quer saber o que é realmente o efeito da paranóia na vida e na arte, leia Thomas Pynchon, em especial "V." e "O Leilão do Lote 49", ambos editados pela Cia de Letras. Um abraço e continue com seu trabalho Martim
[Leia outros Comentários de Martim Vasques]
9/7/2002
10h12min
Martim, concordo de certa forma com voc6e: que você falou apenas verdades, creio ser de comum acordo; porém você fez toda uma crítica a um excelente texto baseada apenas em três palavras -"idade das trevas" - quando o foco do texto é totalmente outro. E, se o que o autor falou é de certa forma "sendo comum", por outro lado ele apresentou muito bem seu ponto de vista, indo muito além de conversas de bar - que, aliás, mais comumente derivam para mulher, religião e futebol. Precisamos de mais pessoas que ajudem a criar o "senso comum", que falta ainda a boa parcela da sociedade.
[Leia outros Comentários de Alexandre Lobão]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE UNVANQUISHED
HOWARD FAST
PENGUIN
(1946)
R$ 20,00



TERRORES DA NOITE
MARTIN CRUZ SMITH
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 6,00



O QUE É REFORMA AGRÁRIA
JOSÉ ELI VEIGA
BRASILIENSE
(1981)
R$ 9,93



SEXO - O GUIA DOS CURIOSOS
MARCELO DUARTE / JAIRO BOUER
COMPANHIA DAS LETRAS
(2001)
R$ 26,00



DIREITO CIVIL - RESPONSABILIDADE CIVIL - VOL. 4
SILVIO RODRIGUES
SARAIVA
(2002)
R$ 20,00



PERSONALIDADE JURIDICA DA PESSOA HUMANA
LEONARDO GALVANI
JURUÁ
(2010)
R$ 33,28



HISTÓRIA DO BRASIL
BRASIL, PROCESSO E INTEGRAÇÃO - ESTUDOS DE PROBLEMAS BRASILEIROS
LOYOLA
(1976)
R$ 14,98



CURSO PRATICO DE AUXILIAR DE ENFERMAGEM VOLUME 3
MARIA LUCIA ALVES CAMARGO
RIDEEL
(1900)
R$ 5,00



COZINHA REGIONAL BRASILEIRA CEARA
ABRIL
ABRIL
(2012)
R$ 8,50



OS VALORES E O TEMPO
ALCEU COSTA FILHO
PETIT
(2004)
R$ 20,00





busca | avançada
41233 visitas/dia
1,4 milhão/mês