for here or to go? | Carolina Borges

busca | avançada
59473 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Show 'Ana Cañas Canta Belchior' chega ao Teatro Bradesco em São Paulo
>>> SESI apresenta Filó Machado 60 Anos de Música no aniversário de São Paulo
>>> Projeto cultural leva cinema até paradas de descanso de caminhoneiros
>>> HOMENS NO DIVÃ Ano XV
>>> Paulo Goulart Filho é S. Francisco de Assis na peça de Dario Fo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem somos nós para julgar Michael Jackson?
>>> E os blogs viraram mainstream...
>>> O valuation (absurdo) do Facebook
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Notícias sobre o Brasil
>>> Lembranças de Nova York
>>> Encontros com Nam June Paik
>>> Só a macarronada justifica o casamento
>>> In the dark
>>> A Garota de Rosa-Shocking
Mais Recentes
>>> Coleção Cinemateca Veja - 28 Volumes - Livreto + Dvd de Abril Coleções pela Abril Coleções (2008)
>>> O Livro do Boni de Boni - José Bonifácio de Oliveira Sobrinho pela Casa da Palavra (2011)
>>> Führen, Fördern, Coachen de Elisabeth Haberleitner - Elisabeth Deistler pela Verlag (2008)
>>> A Outra Vida de Catherine M de Catherine Millet pela Agir (2009)
>>> Administração de Materiais -edição Compacta de Marco Aurélio P. Dias pela Atlas (1988)
>>> De Fio a Pavio Mania de Bicho - Coleção Zepelim de Fernando Vilela / Donizete Galvão pela Positivo (2009)
>>> Cassandra - a Princesa de Tróia de Ordem Graal na Terra pela Ordem Graal na Terra (2010)
>>> O Penuginha de Luiz Vitor Marinello pela Do Brasil
>>> Coleção Folha Charles Chaplin Nº 12 Monsier Verdoux de Charles Chaplin - Folha de São Paulo pela Folha de São Paulo (2012)
>>> Superguia Enem 2015 Sociologia e Filosofia de Varios Autores pela Alto Astral (2015)
>>> Dont Talk, Kiss de Apicella pela Banyan (1988)
>>> Fundamentos da Química - Volume único de Ricardo Feltre pela Moderna (2016)
>>> Por um Fio de Vitoria Daniela Bousso pela Paço das Artes (2007)
>>> Qorpo-santo - Inovação e Conservação de Marco Antônio Arantes pela Edusp (2009)
>>> Brincar de Pensar Com Histórias de Irene de Puig / Angelica Sátiro pela Callis (2000)
>>> Livro de Africanidades 50 Ideias Exclusivas para Trabalhar Em Sala de Nova Leitura pela Nova Leitura
>>> O Completo Guia do Corpo Humano - Como Funciona Nº 1 Ano 1 de Escala pela Escala (2014)
>>> Benvindo a Alemanha de Vários Autores pela Diversos (1992)
>>> Mulher Determinada - Dilma Rousseff de Mulher Determinada pela Divulgação Exata (2013)
>>> Michelangelo -16 Art Stickers - Livreto Com 16 Adesivos de Dover pela Dover (2000)
>>> Revista Atrevida Nº261 Príncipe Nicolas - Poster Ariana Grande Biel de Escalaescala pela Escala (2016)
>>> O Novo Sinal de Van Rijckenborgh e Catharose de Petri pela Pentagrama
>>> Revista Viajar pelo Mundo - Orlando Eua - Junho 2016 Nº 83 de Rac Mídia pela Rac Mídia (2016)
>>> A Obra dos Seis Dias de João de Passos pela Scortecci (2004)
>>> Paixão por Cabelos de Christina Butcher pela Sextante (2015)
COMENTÁRIOS

Sexta-feira, 14/5/2004
Comentários
Leitores


for here or to go?
Daio, gostei do texto! Concordo na teoria mas a vida pratica de muitas pesssoas ou ateh de um pais inteiro (no meu caso) esta bem longe disso. E a verdade eh que muitas vezes nao estah nas nossas maos viver uma vida saudavel. Quando vc fala pare para almocar lembrei da cena das pessoas por aqui mastigando no meio da reuniao, na frente da tv, no transito. Nao eh a toa que a primeira pergunta quando se compra uma comida eh "for here or to go?". Nao eh a toa que a obesidade virou problema tao serio. Mas a verdade eh que nao dah para fazer tudo ao mesmo tempo agora e as vezes queremos nos dar a oportunidade de viver uma fase de vida diferente onde as prioridades sao outras e estando dispostos a lidar com os "trade-offs" desta escolha tudo bem. Faz parte do processo da juventude testar seus limites, a tal sindrome da imortalidade...

[Sobre "Mens sana in corpore sano"]

por Carolina Borges
14/5/2004 às
13h34 148.177.1.213
(+) Carolina Borges no Digestivo...
 
Fome!!!
Tive fome lendo seu texto!!! Ainda bem que mantenho saudáveis barras de cereais estrategicamente colocadas na gaveta do escritório, para momentos assim. Digo estrategicamente, porque as outras opções poderiam ser mais calóricas, uma vez que trabalho em uma empresa de chocolates, sorvetes e outras guloseimas.

[Sobre "Mens sana in corpore sano"]

por Eduardo Trevizani
14/5/2004 às
11h28 207.117.33.134
(+) Eduardo Trevizani no Digestivo...
 
Entusiasmante!
Ainda não assisti o filme, mas depois de ler o texto do Petillo me identifiquei ainda mais com o estilo "Paulinho da Viola" e agora vou assistir e indicar a todos meus amigos. Parabéns pela matéria!!!

[Sobre "O Paulinho da Viola de Meu Tempo é Hoje"]

por André Luiz
14/5/2004 às
10h49 200.140.56.30
(+) André Luiz no Digestivo...
 
vida saudavel
Muito legal, Julio. Acredito que mantendo uma vida saudavel, todas as outras coisas acabam funcionando bem...

[Sobre "Mens sana in corpore sano"]

por Anita Schwarzwalder
14/5/2004 às
09h29 200.186.151.97
(+) Anita Schwarzwalder no Digestivo...
 
Love, love, love
Teoriza-se muito sobre o amor. Tudo já foi dito e explicado. Dissecaram o amor feito rã de laboratório. As mulheres -por exemplo- se tornaram tão obcecadas com esse "negócio" de amor e romantismo que perderam a essência de fêmeas que são, para se tornarem moçinhas casadoiras (como se diz lá em Portugal) com faro aguçado para enlaces financeiramente promissores. Esse troço de "Antropologia do Amor" é conversa pra boi dormir. O que todos nós queremos -Homens e mulheres- de verdade é descobrir os segredos da paixão. Ou seja, uma coisa bem diversa do amor.

[Sobre "Amar é..."]

por Gui
13/5/2004 às
14h50 201.0.233.201
(+) Gui no Digestivo...
 
Literatura e a dura realidade
Gostei de seu artigo e entendo perfeitamente a aflição que toma conta dos escritores, quando outras circunstâncias impedem de continuar escrevendo... lendo... escrevendo... lendo... E mesmo quando os mesmos se tornam "bichos estranhos", "alienígenas", que não seguem as regras dentro da normalidade social. Como casar, escolher certas profissões, ter filhos, usar roupas de grife e outros ornamentos da moda, enfim... uma infinidade produtos da indústria cultural, que os meios de comunicação nos empurram goela abaixo. E os sonhos e desejos de escrever nos jogam num abismo que não sabemos onde vai dar. Mas é um vício maravilhoso, que eu também não quero deixar e aprimorar cada vez mais. E, como no texto de Flaubert que você citou, cinema e literatura me fazem suportar a existência que me desvia de meus desejos mais secretos. Abraços, Nádia Costa

[Sobre "Escrever para não morrer"]

por Nádia Costa
12/5/2004 às
11h57 200.163.47.56
(+) Nádia Costa no Digestivo...
 
Roberto Carlos
Uriano, apesar de concordar que nos momentos mais cruéis da ditadura militar, de 1965 a 1974, Roberto Carlos compunha as melhores canções de seu repertório, não posso achar que ele fazia tudo que os mestres militares, com suas botas pisando duro em qualquer manifestação crítica ao regime, desejassem. Daí fazer uma comparação entre sua arte e o regime, vai uma grande diferença. Muitos músicos criativos na época também não faziam nenhuma menção à ditadura, como os próprios Mutantes, Jorge Ben e até a Elis Regina, que resolveu manifestar-se bem depois. Não é porque é um músico de sucesso que o sujeito precisa se manifestar politicamente. Até hoje o "Rei" é assim, nunca mostrou nenhum engajamento político. E como você colocou, foi o único a mostrar solidariedade através de sua arte, ao exilado Caetano Veloso, com uma linda canção, que, acredito, emocionou o remetente. Beijos, Nádia Costa (Assessora de Comunicação da Fundação de Saúde de Mato Grosso do Sul, Funsau/MS)

[Sobre "O Rei Roberto Carlos e a Ditadura"]

por Nádia Costa
12/5/2004 às
11h39 200.163.47.56
(+) Nádia Costa no Digestivo...
 
Demo o q?
Adriana, concordo em parte quando se afirma que a democracia, apesar de muito ruim, é o melhor sistema existente. Q a democracia é muito ruim basta ver a nossa, q só poderá funcionar bem o dia em q não for mais necessária, ou seja, quando formos todos cidadãos de primeiríssima qualidade. O parlamentarismo monárquico, tipo ingles, com uma câmara dos lords totalmente antidemocrática, e direitos medievais q um soberano ainda pode usar (não tem usado), parece-me o caminho a seguir. É o único sistema natural, criado aos poucos, pelos "ires e vires" da História. Sem muita teoria e incapaz de resistir a "críticas intelectuais", mas q funciona bem há uns 800 anos.

[Sobre "Detefon, almofada e trato"]

por pedroservio
11/5/2004 às
11h05 200.216.25.42
(+) pedroservio no Digestivo...
 
Fora de vista o que importa
Gente, essa discussão como um todo não procede, assim como o texto do colunista (ainda que bem colocado). É claro que ninguém se expôs com exaustão, para ficarem claras as opiniões, mas não faz sentido pensar em ditadura em detrimento de outro regime, que TALVEZ seria igual ou pior. É preciso trabalhar com o que temos em mãos. Todo mundo sabe que a esquerda mundial sempre foi burra e pouco preparada para implementar o que ela mesma propõe, mas, por outro lado, sabemos que a direita é extremamente bem preparada para fazer valer seus interesses, SOB QUAISQUER MEIOS. Isso é importante. Um erro não anula ou justifica outro. E é isso que parece no texto (apesar de que quero crer que não é a real opinião do autor). Classificar o AI-5 meramente como reação a quaisquer que fossem as pressões sobre os generais, por exemplo, me parece um atentado contra a democracia. Aquele foi um ato atroz, e pronto. Se havia outros atos atrozes na época, é outra conversa.

[Sobre "Desfazendo alguns mitos sobre 64"]

por Víktor Waewell
10/5/2004 às
20h11 200.199.133.152
(+) Víktor Waewell no Digestivo...
 
Tenho dúvidas sobre 1964
Houve uma época, a do golpe ou revolução, como queiram chamar as ocorrências de 64, em que não se tinha dúvidas sobre a tomada de poder pelos militares - considerava-se que a atitude deles era correta. Alguns anos se passaram e a democracia voltou ao Brasil. Nessa época, tomei conhecimento do que havia ocorrido durante a ditadura militar (naturalmente tudo o que veio ao domínio público através de relatos pessoais, livros e mídia). Novamente não tinha dúvidas - fora um horror! Torturas, perseguições, mortes, arbitrariedades, etc... Não poderia concordar com tais fatos comprovados. Atualmente estou lendo o primeiro livro da série de Elio Gaspari, A Ditadura Envergonhada. Leio e reflito sobre o texto que me parece isento e imparcial. Sem dúvida, estávamos à beira de ingressar num regime que, na minha humilde opinião, seria um desatre onde haveria as mesmas perseguições e tudo o que aconteceu nos 21 anos de ditadura. Encontrávamo-nos entre a cruz e a caldeirinha... A cruz de um regime comunista onde os primeiros a desaparecerem seriam o Jango, acessores, Brizola e outras figuras que eram fantoches apenas. A caldeirinha representada pelos militares no poder. Venceu a caldeirinha... Pelo que tenho lido, a caldeirinha era uma desorganização sem par! Ninguém se entendia e havia entre eles uma luta pelo poder quase os levando a guerrear entre si mesmos. Às vezes, diante do que leio, chego a rir! O golpe ou revolução, excetuando-se a parte de violência, de censura burra a tudo o que cheirasse a esquerdismo, parece-me agora uma grande piada, bem à brasileira. O fato é que alguns militares mais sensatos não desejavam levar avante e permanecer no poder por 21 anos. Mas a confusão era tão grande que entraram e não sabiam como sair. Foi mesmo com esforço e passando por cima de alguns generais que a abertura teve início. Tenho dúvidas, sim... Será que havia necessidade de durar tanto? Seria necessária a tortura? Necessária??? Não,tortura nunca é necessária. Ela é, sim, condenável. Quanto à participação dos norte americanos, só não atuaram porque o Jango caiu sem mesmo dar um grito e a esquerda era tão desorganizada quanto o foi o golpe ou revolução. Realmente os EUA não precisaram "ajudar" em nada na queda do Jango. Mas caso fosse necessário, alguém tem dúvida de que eles estariam prontos a atuar? Creio que, na atual conjuntura, ninguém pode ter dúvidas quanto a isso. Minhas dúvidas são em relação ao ser humano. Até quando vamos tolerar a violência, parta de onde partir?

[Sobre "Desfazendo alguns mitos sobre 64"]

por Regina Mas
10/5/2004 às
04h36 200.167.32.176
(+) Regina Mas no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Saga Acampamento Shadow Falls Levada ao Entardecer - Os Sobrenaturais
C C Hunter
Jangada
(2012)
+ frete grátis



A Casa da Aguia
Duncan Sprott
Record
(2003)



Faça a Diferença!
Gustavo G. Boog
Infinito
(2000)



Blue Belle
Andrew Vachss
Nova Fronteira
(1996)



Sempre Em Frente
Roberto Shinyashiki
Gente
(2008)



A Falta Que Sinto de Mim
Marcelo Possidônio
Outro Pensamento
(2017)



Trabalho Na Economia Global
Paulo Sergio do Carmo
Moderna
(2004)



Revista Nomes De Bebês
Vários
Jga
(2010)



The Romanov Sisters
Helen Rappaport
St. Martin's Griffin
(2014)



João Antônio - Literatura Comentada
João Antônio
Abril Educação
(1980)





busca | avançada
59473 visitas/dia
1,9 milhão/mês