bibliotecas públicas vazias | William

busca | avançada
62879 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Um Recital para Ariano - com Antônio Nóbrega
>>> Coletiva de Arte Naïf | Galeria Jacques Ardies
>>> Cia O Grito evoca os fantasmas do teatro em nova peça
>>> Meu Reino por um Cavalo faz temporada online a partir de 2 de dezembro
>>> Rosas Periféricas apresenta espetáculos sobre memórias e histórias do Parque São Rafael
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
Blogueiros
Mais Recentes
>>> As novas estantes virtuais
>>> Minha história com Philip Roth
>>> O momento do cinema latino-americano
>>> Jovens blogueiros, envelheçam
>>> Escritor e Fisiculturista
>>> Aforismos com juízo
>>> Encontros (e desencontros) com Daniel Piza
>>> Quando uma moto se apaixona
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> A Serbian Film: Indefensável?
Mais Recentes
>>> Know-how (lacrado) de Ram Charan pela Campus (2019)
>>> 100 Textos de Historia Chinesa de Andre Bueno pela União da Vitoria (2011)
>>> Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários a Prática Educativa de Paulo Freire pela Paz & Terra (2019)
>>> A Guerra Particular de Lenin (lacrado) de Lesley Chamberlain pela Record (2008)
>>> Para uma Nova Ciência de Steven Rose pela Gradiva (1989)
>>> A Rede de Amigos de Stefan Zweig - Sua Última Agenda de Alberto Dines, Israel Beloch Kristina Michaelles pela Memoria Brasil (2014)
>>> Principes Mathematiques de La Philosofihe Naturelle 2vol de Issac Newton pela Albert Blanchard (1966)
>>> Educação e Emancipação de Theodor W. Adorno pela Paz & Terra (2008)
>>> Filosofia e Literatura - o Trágico de Hans U. Gumbrecht e Outros pela Jorge Zahar (2001)
>>> Empresas Fora de Série (lacrado) de Rosabeth Kanter pela Alta Books (2017)
>>> O Problema do Populismo : Teoria, Política e Mobilização de Felipe Ziotti Narita pela Paco (2019)
>>> Épouvante et Surnaturel En Littérature de Hp Lovecraft / Trad Bernard da Cost pela Christian Bourgois (1969)
>>> Religião e Sociedade (volume 21 - Número 1 de Vários Autores pela Iser (1977)
>>> A Experiencia da Lei e a Lei da Experiencia - Ensaios Sobre Práticas de Mériti de Souza - Autografado pela Revan (1999)
>>> Governança Democratica e Poder Local de Sergio de Azevedo e Outros pela Revan (2004)
>>> O Liberalismo na Península Ibérica-século XIX de Estudos de História Contemporânea Portuguesa pela Sa da Costa (1981)
>>> Mechanics in the Seventeenth Century de Rene Dugas pela Griffon (1958)
>>> Entretien Entre D Alembert et Diderot de Denis Diderot pela Flamarion (1965)
>>> Impiedosas de Sara Shepard pela Rocco (2012)
>>> L Ethique et La Vie de France Quere pela Points (1991)
>>> A Manha do Barão (lacrado) de Ipojuca Pontes pela Girafa (2008)
>>> Ensayo de una Nueva Teoria de La Vision de Berkeley pela Aguilar (1973)
>>> A Teoria do Delito e o Código Penal Brasileiro de Ronaldo Tanus Madeira pela Liber Juris (1994)
>>> Bioética de Claudio Cohen pela Edusp (1995)
>>> O Homem, os Espíritos e o Espiritismo de Stela de Oxumarê, Ricardo do Oxossi pela Sulina (1997)
COMENTÁRIOS

Quarta-feira, 22/9/2004
Comentários
Leitores


bibliotecas públicas vazias
Os governos tem culpa, a sociedade tem culpa, os secretários de cultura tem culpa, mas nós os BIBLIOTECÁRIOS também temos culpa pelas bibliotecas públicas estarem vazias. Infelizmente, nós que organizamos e as dirigimos nos pautamos pelo silêncio e ordem.... Mas os tempos estão mudando, amigos! Há várias bibliotecas públicas efervescentes! Com saraus, apresentações de textos entre outras atividades. Novos profissionais, como eu, tenho 29 anos, estão chegando para acabar com o marasmo e para dizer: local de leitura, local de revolução! Pois todas as revoluções partiram de pensadores e pessoas que viram em outras histórias, que é possível mudar! E essa história hoje e já há algum tempo se encontra nos livros! O profissional deve mudar sua posição e a sociedade também! É preciso ver que lendo desenvolvemos algumas habilidades úteis para o futuro, como criatividade e imaginação, portanto, vamos lutar por bibliotecas vivas, onde teremos cabeças vivas em nossa sociedade.

[Sobre "A biblioteca pública mais violada do mundo"]

por William
22/9/2004 às
17h14 200.148.112.28
(+) William no Digestivo...
 
ciclo impossível de quebrar?
Concordo -e lamento- sobre o processo de idiotização e padronização (aparentemente irreversível) que ataca nossos filhos. Levada pela infindável e fantasiosa esperança materna me esforço por "salvar" desta sina minhas filhas, ainda pré-adolescentes. Mas, ao mesmo tempo, essa matéria me faz refletir sobre nós, os quarentões. Até que ponto ficamos ilesos de uma padronização, ainda que de outro tipo? Até que ponto não carregamos e amargamos, também, padrões há muito em nós incutidos? Quantos de nós não vivemos sufocados numa carga de trabalho diária de 12 hrs., na busca sem fim de uma conta bancária melhorzinha, iludidos ainda que aí é que reside a felicidade de um ser humano? E quantos de nós, em nossa aparente maturidade, não abrimos mão de um amor, encaixotados ainda no velho e pasteurizado conceito de que liberdade e amor são incompatíveis? E quantos de nós, do alto de nossa cega petulância, estamos criando e educando nossos jovens filhos mas, ao nos olharmos no espelho, nos sabemos tão ou mais imaturos e perdidos do que eles? Será a idiotização um ciclo impossível de se quebrar?!

[Sobre "Outsider: quem não se enquadra"]

por Marcia Simão
22/9/2004 à
00h24 201.0.65.154
(+) Marcia Simão no Digestivo...
 
pra onde estamos caminhando
Simplesmente espetacular. A clareza, a objetividade e a boa intenção são patentes. Será que as pessoas não conseguem ver pra onde estamos caminhando, e caminhando alegremente?

[Sobre "O CNJ e a Ancinav"]

por Márcio Scansani
21/9/2004 às
23h40 200.234.91.12
(+) Márcio Scansani no Digestivo...
 
gente bonita e gente feia
Os "rebeldes" de hoje são uniformizados. No meu tempo (não gosto desta expressão, mas é a mais reveladora), isso se chamava "punk de boutique". Existe uma expressão que deve ser usada pelos militantes da "Missão MTV", que é "gente bonita". Tradução mais fiel para engajamento social? Não! Daí vc é gente feia...

[Sobre "Outsider: quem não se enquadra"]

por Edison
21/9/2004 às
12h56 200.144.11.82
(+) Edison no Digestivo...
 
reflexões e silêncio
Seus textos sempre abordam temas muito importantes e hoje especialmente você fala do silêncio. O exemplo que você cita é muito bom porque, nos dias de hoje, a maioria dos restaurantes e lanchonetes estão equipados com TVs ou telões que funcionam o tempo todo e com o som numa altura que perturba. Até para se conversar é preciso ser aos gritos. O mundo de hoje se transformou num grande shopping e as pessoas são induzidas a viver em ritmo de Disneylândia. Parece que é preciso estar sempre fazendo coisas e em meio a muito ruído. E o máximo da alegria é ir a uma danceteria e ficar zonzo com o barulho e os aditivos. Com certeza isso evita a reflexão, o que é uma marca dos nossos dias. Viver o que as novelas apregoam é ser feliz e pronto! O resto é correr o tempo todo atrás de dinheiro! Sem parar. Quem não tem o que fazer não é importante! O silêncio incomoda justamente porque nos leva a reflexões. E as reflexões são supérfluas e até incompatíveis num mundo onde é preciso vender, criando mercado para todas as porcarias e o ser humano não passa de um número no mercado de consumo.

[Sobre "Ensaios sobre o silêncio"]

por Vera Carvalho
21/9/2004 às
08h58 201.0.82.60
(+) Vera Carvalho no Digestivo...
 
nem tudo está perdido
Está claro que a midia incentiva os jovens para uma maldita massificação. Essa tarefa se torna ainda mais facil num ambiente em que é raro para alguns jovens terem a capacidade de questionar as informações que recebem. E isso principalmente devido ao histórico educacional a que foram expostos, já que só foram ensinados a decorar fórmulas e ganhar pontos em detrimento do raciocinio lógico e prático voltado a vida. Mas nem tudo está perdido. Pois há muito a ser piorado.

[Sobre "Outsider: quem não se enquadra"]

por Vicente Conessa
21/9/2004 às
08h33 200.210.221.28
(+) Vicente Conessa no Digestivo...
 
Livro é vida!
Livro é vida! É verdade, o texto é muito sugestivo- nas páginas dos livros vivemos intensamente (quem leu Júlio Verne e Monteiro Lobato na infância sabe do que falo). E Biblioteca pode ser um lugar morto ou vivo, dependendo dos que a organizam e controlam- se querem que ela irradie luz ou a tratam como um tesouro só seu, com egoísmo!

[Sobre "A biblioteca pública mais violada do mundo"]

por Amorim
20/9/2004 às
21h27 201.1.205.172
(+) Amorim no Digestivo...
 
pertenço a um grupo literário
Ana Elisa, a respeito de seu texto sobre a Biblioteca, achei interessante e quero lhe dizer que pertenço a um grupo literário cuja sede é numa biblioteca municipal, ali ele foi fundado e ali temos uma sala construída pelo secretário municipal do continente, cujo termo de cessão e uso assinamos dia 10 de setembro de 2004, valendo por 5 anos. Sim, os poetas do grupo apresentam em voz alta suas produções e sim aplaudimos e nos admiramos com os textos. Vale lembrar que o Grupo de Poetas Livres fundado em 13 de abril de 1998, tem Projetos simples que deram certo. Somente ainda não sensibilizamos os livreiros. Mas isto já é outra história. Um abraço, Maura

[Sobre "A biblioteca pública mais violada do mundo"]

por maura soares
20/9/2004 às
17h37 200.215.11.161
(+) maura soares no Digestivo...
 
a obra de Huxley
É fundamental ressaltar que a obra de Huxley é sim muito importante do ponto de vista literário. Tanto pelo emblemático "Admirável Mundo Novo", como pela novela "Ponto Contraponto". "Ponto Contraponto" é obra de 1928, quatro anos antes de "Admirável Mundo Novo". Marca o apogeu e o fim de uma fase acidamente crítica, e o início de uma fase preocupada com o futuro da humanidade e as possibilidades de uma nova sociedade. Não me recordo de nenhum outro livro que tenha retratado a sua própria época com tanta lucidez, abrangência ou corrosão. Uma corrosão isenta, despojada de intenções ideológicas ou de declarações apaixonadas por quaisquer certezas. Tudo o que Huxley fez em "Ponto Contraponto" foi relatar minuciosa e argutamente os ridículos e as inconsistências da sociedade, expondo com implacabilidade fria as fragilidades e as mesquinhezas do ser humano, dessa criatura que, a despeito das empáfias de sua presumida "racionalidade" ou "intelectualidade" (somente em poucos raros autêntica!), é apenas uma criatura insignificante, à mercê dos condicionamentos sociais e de suas fraquezas individuais - como a carência afetiva e a vaidade, o principal de todos os ridículos humanos. Inexiste a figura do protagonista. A preocupação de Huxley é montar um painel de sua sociedade, focando ora um ora outro grupo de personagens, flagrando suas mazelas, incertezas e certezas (sempre muito mais graves do que as primeiras, porque arrastam o indivíduo ao definitivo erro de enxergar o mundo sob uma perspectiva estreita). Os personagens fazem estritamente aquilo que devem fazer, nem mais nem menos. Suas capacidades são limitadas e orientadas, portanto plenamente previsíveis - previsíveis ao sarcasmo onisciente do autor. Previsíveis ao deus-autor, mas surpreendentes ao leitor. Este vê-se como testemunha atônita das fraquezas dos homens e das inconsistências de suas vidas sem sentido, vulneráveis aos crivos das incongruências existenciais e dos equívocos ideológicos. Inadvertidamente o leitor pode vir a sentir o gosto amargo de ter sido flagrado, apanhado em retrato cruel de suas próprias fraquezas. São muitos os capuzes distribuídos: pelo menos um deles pode muito bem ajustar-se à cabeça do leitor. É bem mais difícil encontrar alguma verdade onde não queremos encontrá-la. Ponto Contraponto não é complacente nem elogia ninguém (a não ser Bach). Essa é a sua grande virtude.

[Sobre "A essência de Aldous Huxley"]

por Roberto Valderramos
20/9/2004 às
16h58 200.184.161.120
(+) Roberto Valderramos no Digestivo...
 
aprendendo algo novo
"Ontem nasci, hoje vivo, amanhã morrerei". Por que viver senão para obter conhecimento deste mundo complexo em que vivo? Quão prazeroso é o "saber", não há êxtase maior do que aquele que sinto quando aprendo algo novo. E o livro então? Propagador respeitoso de conhecimento não existe maior e nunca existirá. Como amo os livros, amo tanto sua matéria quanto sua alma.

[Sobre "A biblioteca pública mais violada do mundo"]

por winston alegranci
18/9/2004 às
20h10 201.13.154.172
(+) winston alegranci no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tendencias Atuais da Linguistica e Filologia no Brasil
Anthony Julius Naro / J Mattoso Camara e Outros
Francisco Alves
(1976)



Contos Com Monstros
Antonio (padre) Vieira
Globo
(2001)



Eles Encontram a Felicidade e Você?
Pe. Alberto Gambarini
Ágape



Inocêncio e o Início da Jornada
Valdi Ercolani
Selene
(2011)



Lacrimosa
Helton Cenci
Novo Século
(2010)



Palavras de Amor
Antologia Literaria
Casa do Novo Autor
(2000)



Temas de Filosofia
Maria Lucia de Arruda Aranha & Maria Helena Pires
Moderna
(1997)



Vitimas do Silencio
Edson Fontes
Universo dos Livros
(2009)



Dor psíquica, dor corporal. Uma abordagem multidisciplinar
Victoria Regina Béjar (organizadora)
Blucher
(2017)



Amar Pode Dar Certo
Roberto Shinyashiki
Gente
(2006)





busca | avançada
62879 visitas/dia
1,9 milhão/mês