Acabaram as gingas | Manoel Messias Perei

busca | avançada
82307 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Integridade Garantida, peça de Alberto Santoz sobre violência urbana, estreia no Cacilda Becker
>>> Stela Nesrine é protagonista do novo episódio de 12 Histórias no canal do Festival das Marias
>>> CONTOS DE AXÉ - 18 histórias inspiradas nos arquétipos dos orixás
>>> Feriado em família no Shopping Granja
>>> Casa Flutuar apresenta agenda cultural com grandes nomes da música eletrônica brasileira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> De volta às férias I
>>> Píramo e Tisbe
>>> A Última Ceia de Leonardo da Vinci
>>> O Desprezo de Alberto Moravia e Jean-Luc Godard
>>> Cuba E O Direito de Amar (2)
>>> A Velhice
>>> I know you
>>> Vanguarda e Ditadura Militar
>>> Na Campus Party 2009 II
Mais Recentes
>>> Tales of the greek heroes de Roger Lancelyn Green pela Puffin (2009)
>>> Adestramento e Cuidados Para o seu Cão de Hercílio de Lourenzi & Mário Cuesta pela Escala (2002)
>>> Coleção Clássicos Disney para Ler e Ouvir de Disney pela Abril (2008)
>>> The dragon heir de Cinda Williams Chima pela Hyperion Books
>>> O guia do mochileiro das galáxias de Douglas Adams pela Arqueiro (2009)
>>> Homem: Dimensão...Universo ... de Prof,Salvatore de Salvo pela Lince (1979)
>>> O presente Precioso de Dr. Spencer Johnson pela Record (1984)
>>> 20.000 Léguas Submarinas de Júlio Verne pela Melhoramentos (2011)
>>> Perguntas Perfeitas = Respostas Perfeitas de Bob Cohen pela Fundação Bhaktivedanta (1991)
>>> O Alquimista de Paulo Coelho pela Rocco (1990)
>>> Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas de Dale Carnegie pela Companhia Ed. Nacional (1988)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do Livro (1986)
>>> História secreta da rendição japonesa de 1945 de Lester Brooks pela Globo Livros (2019)
>>> 60 Minutos para entender sigmund freud de Sigmund Freud pela Alto Astral (2019)
>>> A VIda secreta dos escritores de Guillaume Musso pela L&Pm Editores (2020)
>>> Sociedade dos monstros lobisomem versus dragão de Mathew Morgan pela Nova Fronteira (2009)
>>> O Balão Mágico de Top That! Publishing pela Lafonte (2013)
>>> A droga da obediência de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> Assassin's creed renascença de Oliver Bowden pela Galera Record (2016)
>>> Dicionário espanhol português 2 volumes de A. Tenório D'Albuquerque pela Itatiaia
>>> Almanaque de harry potter e outros bruxos de Ana Paula Corradini pela Panda Books (2003)
>>> Macbeth - Versão de Bolso de William Shakespeare pela L&pm (2000)
>>> O mundo mágico de harry potter de David Colbert pela Sextante (2001)
>>> Livro de cabeceira do homem ano 1, volume 1 de Carlos Heitor Cony e outros pela Civilizaçao Brasileira (1966)
>>> Ágape de Padre Marcelo Rossi pela Globo (2010)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 28/6/2010
Comentários
Leitores


Acabaram as gingas
O futebol arte sempre foi a marca do Brasil. De princí­pio, os africanos herdaram isto. Mas diante da necessidade de obter resultados acabaram importando a força europeia, com técnicas de corridas e jogos aéreos. Acabaram as gingas. Não deu samba. Por outro lado, nós começamos, após o tricampeonato, a acreditar que era hora de matar o futebol arte. E começamos a buscar elementos na Europa. Mesmo assim a arte ainda destacou-se, mesmo sendo sufocadas pelas táticas. E hoje com uma seleção feita só pra valorizar os jogadores que estão na Europa apresentamos isto que está aí­. Este sono de morte. Creio que até poderíamos ter arte e só jogar pra golear, mas isto é outra história. Vamos torcer pro Santos FC, veremos isto ainda. Antes que importe o sono da morte.

[Sobre "O fim do futebol-arte?"]

por Manoel Messias Perei
28/6/2010 às
06h38 189.79.197.74
(+) Manoel Messias Perei no Digestivo...
 
A realpolitik do futebol
Caro Humberto, concordo contigo. Acho que foi Nelson Piquet quem disse algo assim: "a seleção de 70 não aguentaria correr um primeiro tempo do futebol de hoje em dia...". As condições mudaram e o estado-de-arte só era possível sem a atual realpolitik do futebol. Não sou ufanista, mas acho que a seleção brasileira vai calar a boca de vários comentaristas de araque, a imensa maioria.

[Sobre "O fim do futebol-arte?"]

por Anselmo Heidrich
http://anselmoheidrich.blogspot.com/
28/6/2010 às
02h43 200.195.226.162
(+) Anselmo Heidrich no Digestivo...
 
Analisando a Copa
Existem inúmeros complicadores, além de Jabulanis, retranqueiros e pseudo-craques, como Eto'o e Drogba (não jogariam no São Paulo de 1985, por exemplo): o fato de a Copa ser disputada ao final da temporada europeia é fundamental para o baixíssimo nível apresentado no país de Mandela; o tempo de preparação das seleões é curto demais; a pressão pelos resultados faz os técnicos, antes de mais nada, abdicarem do ataque para especular. A dita "irresponsabilidade" dos africanos deu lugar ao pragmatismo exagerado. Logo, perderam o encanto e tornaram-se equipes insossas e sem um pingo de tradição. E tradição, em copas, conta muito, que o digam brasileiros, alemães e argentinos.

[Sobre "O fim do futebol-arte?"]

por MarcosAntónioTeixeir
27/6/2010 às
23h16 187.77.112.147
(+) MarcosAntónioTeixeir no Digestivo...
 
Os prazeres da vida
Se imaginar primeiro o dever depois o prazer, não vamos fazer nada prazeiroso na vida, pois sempre vai estar faltando algo. Como em qualquer país mais rico que o nosso.

[Sobre "Por que não devemos ter Copa do Mundo no Brasil"]

por dilamar santos
http://dilamarsantos.blogspot.com/
25/6/2010 às
09h49 201.34.186.198
(+) dilamar santos no Digestivo...
 
Um sonho frustado
O livro de Marillyne Robinson, pelo visto, aborda o elo do sentimentalismo, buscando resgatar o sentimento e o olhar bíblico do processo da vida real. Ou seja: o idealismo fantasioso do milagre. E a santa e sagrada família. Mas o negócio é que tudo isto não faz parte do mundo real, é apenas um sonho frustado fundamentado em valores forjados, pela religião. E a tal religião que força, pra continuar explorando, os desgraçados, seguidores, como vacas de presépios. Como diria Karl Marx, "A religião é o ópio do povo". E quantas são as gentes viciadas?

[Sobre "A casa de Robinson"]

por Manoel Messias Perei
http://www.pop.com.br
25/6/2010 às
05h02 189.79.193.13
(+) Manoel Messias Perei no Digestivo...
 
Muito além da surrada tese
Ana, parabéns pelo texto. Difícil falar sobre a crônica diante de enxurrada de coisas que já foi dita. Seu texto vai muito, mas muito além da surrada tese de que o cronista, quando não tem assunto, abre a janela. Lendo seus comentários no Twitter, vi que o livro "A história do cerco de Lisboa" foi importante para o desenvolvimento de seus trabalhos. Ainda não li este livro (já li vários do Saramago) e gostaria de saber quais as peculiaridades deste romance que lhe chamaram a atenção. Há nele algo de incomum se comparado aos outros do autor?

[Sobre "Caçar em campo alheio ou como escrever crônicas"]

por Wellington Machado
25/6/2010 à
01h58 201.58.128.177
(+) Wellington Machado no Digestivo...
 
Presidente que ame o povo
Acho que precisamos de um presidente, não importa se homem, mulher, negro ou branco, ou índio, pobre ou rico... Precisamos de alguém com mais consciência, compaixão, amor a todos seres vivos. Temos que elevar o padrão vibratório do povo para merecer um(a) presidente que realmente ame os cidadãos. Que bom se fosse a Marina...

[Sobre "Marina candidata"]

por Ivone Vebber
http://www.blog-br.com/ivonevebber
24/6/2010 às
18h56 189.7.106.173
(+) Ivone Vebber no Digestivo...
 
Manual de geladeira
Essa nota parece manual de geladeira, corrida e funcional. Admiro a concisão, mas a rápida passagem tentando uma biografia não atinge a meta, nem comenta algo útil.

[Sobre "Gênio, de Harold Bloom"]

por Anselmo Heidrich
http://anselmoheidrich.blogspot.com/
24/6/2010 às
16h59 200.195.226.162
(+) Anselmo Heidrich no Digestivo...
 
O artista e seu porta-voz
No mundo em que impera a desarticulação de valores individuais e a quase completa massificação do processo cultural, os seres pensantes são como peixes que nadam ao contrário da correnteza, mas também são os líderes de cardumes, capazes de sobreviver ao estio, e movem-se com tamanho sentimento que chegam a provocar a inversão no curso de um rio. Todavia, enquanto ser pensante, o artista deve ter o cuidado de não impor à sua arte a qualidade de única arte essencial, de não bulir no seu exagero, de não criar códigos particulares de mensagens que tornem o seu produto uma arte quase irreconhecível. Isso torna necessário que o artista tenha à mão um porta-voz, alguém que o conecte aos receptores, com o delicado ofício de saber selecionar quem deve ser mensagem, e a quem deve ser dirigida. Nesse quesito, ninguém no mundo supera o Schwarcz.

[Sobre "O blog do Luiz Schwarcz"]

por ROBERTO ESCRITOR
23/6/2010 às
15h16 200.175.244.149
(+) ROBERTO ESCRITOR no Digestivo...
 
Reconfiguração do amor
A química de amor configurada por Shakespeare no tempo em que se viam pelas ruas carruagens e cavalos, e as mensagens eram enviadas por pombos ou sob a confiança de cavaleiros, não difere dessa química que viaja graças à tecnologia, através de mensagens instantâneas. As ruas são ocupadas por automóveis velozes e no céu os pombos têm de dar lugar a helicópteros e aviões. Também as maneiras de expressar o poder têm se atualizado, e o capital comanda a hierarquia social, mais até que o poder político. Mas, no fundo, todas essas maneiras mascaradas de experimentar a existência nada mais são do que alternativas modernas que o indivíduo tem buscado na tentativa de reconfigurar o amor, todavia sem sucesso. Justamente em razão de o amor não ser um desígnio modificável pela intervenção humana, mas fruto da criação divina, capaz de encabular toda forma de poder, e de forma especial a Shakespeare: "Talvez o amor não seja capaz de parar os relógios, mas é capaz de não se deixar reger por eles."

[Sobre "Bloom sobre Shakespeare"]

por ROBERTO ESCRITOR
20/6/2010 às
19h48 189.114.38.144
(+) ROBERTO ESCRITOR no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Núpcias de Neve
B. de Buxy
Guanabara



Juntos na Eternidade
Amadeu Ribeiro
Vida e Consciencia
(2015)



Administração Hospilar Principios Básicos
Valdir Ribeiro Borba
Cedas
(1991)



Guia Prático de Passeios pela Cidade - Paris
Carole Frenche
Clio
(2010)



A Chave, do Corsário
Eliana Marins
Ática
(2007)



Carícias do Coração
Valério Albisetti
Paulinas
(2004)



Enfermagem Básica: Teoria e Prática
Geraldo Costa Filho e Renato Lamounier Barbieri (trad.)
Rideel
(2009)



O Dia da Tempestade
Rosamunde Pilcher; Jacqueline Klimeck Gouveia Gama
Bertrand Brasil
(2007)



Um Show Em Jerusalem O Rei na terra santa - Musica
Lea Penteado
Globo



Ainda Que...
Messias Anacleto Rosa
Multiplicação da Palavra
(2010)





busca | avançada
82307 visitas/dia
1,8 milhão/mês