Nieztsche et al | Ram

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
>>> História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo
>>> Sinatra e Bennett (1988)
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
Mais Recentes
>>> Chico, Eu e a Oitava Séria de Lino de Albergaria pela Saraiva (2010)
>>> O Bicho-da-seda de Robert Galbraith; Ryta Vinagre pela Rocco (2014)
>>> Surfistas Beijos e um Pé de Pato de Carolina Cequini pela Atheneu Cultural
>>> O mundo tem de ser desse jeito? de Fernando Vaz pela FTD (1996)
>>> Pretty Little Liars, V. 7 - Heartless de Sara Shepard pela Harper Usa (2010)
>>> Lucíola de José de Alencar pela Martin Claret Pocket (2012)
>>> Vigilancia Em Saude Ambiental de Solange Papini pela Atheneu (2012)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua de Richard Carlson; Joana Mosela pela Rocco (1998)
>>> Rima do Azul Infinito de José Donizete Gonçalves pela Thesaurus (2004)
>>> O Silêncio dos Amantes de Lya Luft pela Record (2008)
>>> Principios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Vários pela Cfc (2002)
>>> Filhos Para Leigos de Sandra H. Gookin pela Mandarim (1996)
>>> Cha Entre Amigas de Paula Jacome pela Multifoco (2011)
>>> Quando e Preciso Voltar de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciencia (2001)
>>> Rowan, o Guardião: Rowan e os viajantes de Emily Ronda pela Fundamento (2008)
>>> Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição de Antônio Galvão Novaes pela Campus
>>> Shibumi de Trevanian pela Círculo do Livro (1981)
>>> Metodologia do ensino Voleibol de Pedro luiz bulgarelli pela Distribuidora Educacional (2017)
>>> Escaldado Em Agua Fria de John Straley pela Globo (2001)
>>> Fire Watch de Connie Willis pela Bantam Books (1998)
>>> Organizações Inovadoras do Setor Financeiro: Teoria e Casos de Sucesso de José Carlos Barbieri/josé Carlos Barbieri pela José Carlos Barbieri (2009)
>>> Surfista, Ex-drogado, Ex Traficante de Franjaques Chulam pela Francisco Alves (2009)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Bukkyo Dendo Kyokai
>>> Um Lugar no Mundo de Alberto Aggio pela Contraponto (2015)
>>> Constituição do Estado do Rio de Janeiro de Claudio Brandão de Oliveira pela Roma Victor (2003)
COMENTÁRIOS

Quarta-feira, 19/10/2005
Comentários
Leitores


Nieztsche et al
Adorei o texto sobre Nieztsche, na verdade é o segundo texto seu sobre ele que eu gostei. Para mim, o maior problema de Nieztsche é justamente simplificar a condição humana ao persistir numa dualidade radical. Mas é compreensível, para todo homem inteligente o mundo tem que ser compreensível e dissecável. De qualquer maneira, Nieztsche era fã dos Upanishads indianos, e incorpora algumas idéias destes livros filosóficos em sua filosofia. Eu acho que a maior insconsistência de Nieztsche reside no fato de que... e se você é educado mas insatisfeito? Ninguém se satisfaz em meramente ser superior, no sentido de Nieztsche. Quanto aos livros de auto-ajuda, sinto pena não dos leitores e autores, mas sim do sistema escolar decadente brasileiro que não consegue animar o jovem a ler qualquer coisa. A maioria das pessoas não tem o exemplo da leitura em casa, então é na escola que poderia aprender. É sintomático que na sociedade brasileira, hiper-instável, as pessoas fiquem tristes e desesperadas e vão ler auto-ajuda. Imagine se você, desempregado, nunca leu um livro, família para cuidar, marido ou esposa infiel, quando tem trabalho é algo chato e repetitivo, imagine se você iria procurar um Nieztsche? Acho que as pessoas querem respostas rápidas e práticas. E eu acho que estas respostas existem sim. Num primeiro plano, as pessoas tem que ser informadas que a vida não é deprimente assim, que temos direito de ter um trabalho legal, uma família honesta, etc., etc. E que devemos construir isso... Depois disso, lê-se Schopenhauer, Nieztsche etcetra. Ainda assim prefiro Budha, os Upanishads, e os trechos mais inspirados da Bíblia, que sem muitas delongas deixam claro: em vida, ou você aceita viver altos e baixos, ou você a transcende, e passa a não se importar com seu status, com o que é ser "melhor" etcetra, simplesmente faz o que te deixa feliz. E no seu caso, ser feliz é ler muito. No caso de outra pessoa, pode ser tentar encontrar uma solução para os problemas insolúveis em que estão metidas... PS: Detesto livros de auto-ajuda, mas nao os condeno. Condeno a mim mesmo, que não tem a disciplina para escapar do meu próprio pensamento.

[Sobre "A Auto-desajuda de Nietzsche"]

por Ram
19/10/2005 às
12h42 69.181.208.255
(+) Ram no Digestivo...
 
Novela é tevê
Gostei do seu texto. Já assisti várias novelas brasileiras, algumas excepcionais como O Bem Amado, Roque Santeiro. Não acho que o papel da novela seja levar o cidadão ao livro. Na verdade não acho lógico que uma emissora de tevê seja o caminho para a educação das pessoas... Já faz tempo que os valores, que são pregados na teve, são justamente o contrário daqueles de pessoas curiosas e inteligentes. Mas tem uma razão: o objetivo da teve é ter público e vender produto. Como o Brasil é cada vez menos formalmente educado, fica difícil atingir um mercado maior sem começar a reduzir a "qualidade" dos programas... Mesmo assim, quando Jorge Amado foi levado para tevê, eu não vi nenhum programa ou entrevista em que o cidadão dissesse: li Tieta e é tão bom quanto a novela... Quem tem o papel de educar o cidadão é a escola e a família. Agora imagine só, no Brasil de hoje, Lula se orgulha ao dizer que nunca leu um só livro de ponta a ponta... Mas que já bebeu muito goró. Num país assim, conhecimento e inteligência acabam em último lugar. Televisão é só reflexo de uma sociedade e jamais o motor por trás dela... Vide os EUA onde qualquer pessoa semi-sã evita assistir tevê antes das 8 da noite, pois os programas são podres. E ah, tem audiência. E, crime dos crimes, neste país as pessoas leêm muito, muito mesmo.

[Sobre "Bang bang: tiroteio de clichês"]

por Ram
19/10/2005 às
12h27 69.181.208.255
(+) Ram no Digestivo...
 
veio em boa hora
na época em que tudo que passa na televisão é baixaria e pornografia, os canais da tv aberta não ligam para os telespctadores e o que interessa mesmo é o ibope, o seriado voltou para salvar o que ha' de bom na televisão...

[Sobre "Anos Incríveis"]

por leonardo oliveira
18/10/2005 às
20h42 201.12.182.229
(+) leonardo oliveira no Digestivo...
 
Obrigado por me redimir
Finalmente leio um comentário de que Paulo Coelho não sabe escrever!!! E eu que me achei tão burra por tanto tempo por não enxergar as belezas literárias do livros dele e não entender como ele publica tantos e em tantas línguas!!! Obrigado Marcelo por me redimir. Abraço.

[Sobre "Como escrever bem – parte 3"]

por Iza Sconza
18/10/2005 às
12h59 200.211.216.68
(+) Iza Sconza no Digestivo...
 
Fã de Hoje é Dia de Maria
Marcelo, também assisti à primeira exibição de Hoje é Dia de Maria. E como você, simplesmente, me encantei. A riqueza dentro da simplicidade; a realidade com sutileza; o sonho na intensidade dos anseios. O elenco mais que especial. ATORES! Encantadores de imaginação. À segunda jornada não consegui assistir. O único pecado da Globo foi exibir uma maravilha dessas tão tarde. Acho até que eles poderiam substituir o programinha da Xuxa por seriados como Hoje é Dia de Maria. Há tantos contos a serem acrescentados às nossas vidas... muito do que aqueles desenhos e quadros insignificantes. Se precisarem de um abaixo assinado de fã desse espetáculo, contem comigo. Adriana Nogueira, fã do D. Cult.

[Sobre "Hoje é dia de Maria"]

por Adriana Nogueira
18/10/2005 às
08h56 200.158.104.33
(+) Adriana Nogueira no Digestivo...
 
Acertado!
Acertado esse artículo. Ja' tinha visto o 10 sobre 10, e fiquei seduzido pela estética.

[Sobre "Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo"]

por etzel baez
17/10/2005 às
17h06 200.88.157.102
(+) etzel baez no Digestivo...
 
Obra sem precedentes na tv
Também fiquei fascinado com Hoje é Dia de Maria. Nunca vi nada algo assim na televisão brasileira, tão ambicioso, luxuriante, caprichado, atrevido. Visualmente é irretocável. A música de Tim Rescala é sofisticada, repleta de instrumentos como trompa, oboé e violinos, cheia de climas e crescendos adequados. A trama mistura conto de fadas, Dom Quixote, Homero, Chaplin, Fellini, Bíblia e literatura de cordel. Há várias cenas fantásticas, muito bem dramatizadas. Como no primeiro capítulo, quando Osmar Prado "ressuscita" a boneca vivida por Inês Peixoto. Ou Maria conversando com seu pai através da chama de um fósforo. Ou quando Dom Chicote é julgado em praça pública, numa cena que mistura circo e paranóia comunista: ele reclama da falta de poesia no mundo, a câmara abre e aparece a equipe de filmagem, como se a lição do personagem se estendesse para quem fez a série e também para o telespectador. O tempo todo a série fica no limiar entre onírico e real, urbano e rural, humano e cruel. A direção de Luiz Fernando Carvalho utiliza todos os meios possíveis. Nenhum, nenhum ângulo é óbvio. A edição abusa de efeitos de fast e slow, da possibilidade da repetição como recurso. E o mais incrível é que, ao contrário de quase cem por cento do que passa na telinha hoje, a série não é sentimental, moralista ou edificante. Em uma conversa com amigos surgiu a idéia de que Hoje é Dia de Maria poderia ter sido feita para o cinema. Discordo. Uma rara chance de ver inteligência na televisão não pode ser desperdiçada. Parabéns pelo texto, Marcelo.

[Sobre "Hoje é dia de Maria"]

por Jonas Lopes
17/10/2005 às
16h28 200.138.237.209
(+) Jonas Lopes no Digestivo...
 
A gente só comete erros
Viver neste mundo de hoje se torna uma coisa absurda, mesmo quando a gente tenta acertar só comete erros. Como seria bom que as coisa acontecessem sempre da maneira que a gente planejasse...

[Sobre "Rindo de nossa própria miséria"]

por Maria das Graças
17/10/2005 às
14h24 200.164.89.138
(+) Maria das Graças no Digestivo...
 
Blogs
Amei seu artigo!!! Aprendi muito sobre Blogs. Você escreve muito bem! Mil Beijos.

[Sobre "Blogues: uma (não tão) breve história (I)"]

por Lakshmi Rajagopal
17/10/2005 às
09h00 200.179.247.219
(+) Lakshmi Rajagopal no Digestivo...
 
super homem? super só...
nao eh pra qualquer um ser aceito como o super homem de nietzsche nesta sociedade brasileira católica e com tao pouca cultura, seria se afundar mais ainda dentro de si mesmo a ponto de nao querer existir. parabéns pelo texto

[Sobre "A Auto-desajuda de Nietzsche"]

por Alan Aguinaga
16/10/2005 às
17h18 200.165.116.151
(+) Alan Aguinaga no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Desenvolvimento Regional Em Santa Catarina
Claudia Siebert
Edifurb
(2001)



Estimulando Inteligência
Pier
Goya
(2014)



Histórias Românticas II
Machado de Assis
Clube do Livro
(1958)



Vidas Secas
Graciliano Ramos
Record
(2002)



O Buraco na Parede: Contos
Rubem Fonseca
Companhia das Letras
(1995)



Educação: Desafios da Práxis e Formação
Ivo Dickmann e Aline Fatima Lazarotto (orgs.)
Clube dos Autores
(2018)



Como Lidar Com Pessoas Manipuladoras
George K. Simon
Universo dos Livros
(2016)



Os Pensadores: Bacon
Nova Cultural
Nova Cultural
(1988)



Corrupção Mostra a Sua Cara
Marco Morel
Casa da Palavra



Hellraiser -- N º 1
Clive Barker
Abril jovem
(1991)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês