A estética de um romântico | Pedro Maciel

busca | avançada
29267 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 17/10/2005
A estética de um romântico
Pedro Maciel

+ de 7400 Acessos

Quadros Parisienses, de Dolf Oehler (Companhia das Letras, 1997, 318 págs.), é uma investigação sobre a política embutida nos escritos de Charles Baudelaire (1821-1867) e artistas antiburgueses mais importantes do romantismo, como Heine, Daumier, Flaubert e Courbet. Oehler, filósofo e crítico, discípulo de Adorno, expõe as relações entre arte, literatura e burguesia no período de 1830 a 1837. Por meio de citações, o autor analisa e propõe uma nova leitura da chamada vanguarda artística e literária num contexto histórico que inclui a luta de classes na França entre a Revolução de Julho e a Comuna de Paris. Segundo Roberto Schwarz, na apresentação dos Quadros Parisienses, "o leitor verá que humor satânico, tédio, dandismo, flâneur e demais heroísmos da vida moderna trocam de feição e não ficam menos interessantes – muito pelo contrário – quando repostos em seu contexto de luta de classes."

Os românticos através do culto ao belo vão se afirmar contra a emergente burguesia. Sartre anotou em 1947 que "reconhece-se o burguês por negar a existência de classes sociais e especialmente da burguesia". O termo L'art pour l'art é a síntese antiburguesa dos românticos. A burguesia não acreditava que os apóstolos do Belo pudessem causar-lhes algum mal. Proibiram e censuraram apenas os representantes autênticos da estética antiburguesa. Baudelaire foi um dos mais perseguidos e não mais encontrou editor depois da falência do único que aceitou publicar As Flores do Mal. Em 1857, o editor e o autor se envolveram num processo judicial por ultraje à moralidade. O poeta foi ainda obrigado a retirar do volume seis poemas. A proibição só foi anulada em 1949.

Charles Baudelaire foi "um agente secreto – um agente da insatisfação de sua classe com sua própria dominação", escreveu o filósofo Walter Benjamin, que também reconhece a linguagem do poeta movida com uma certa "ira necessária para reduzir incessantemente a ruínas as construções harmoniosas do mundo... A marca do heroísmo de Baudelaire foi viver no coração da irrealidade, das aparências. Segue-se daí que o poeta, na verdade, não conheceu a nostalgia...". Baudelaire não é entendido por seus contemporâneos e os críticos burgueses criam o "mito Baudelaire" como um "dândi elitista". Escritores vanguardistas, como Bretch, Sartre ou Aragon também incorreram no mesmo erro.

Para Sartre, Baudelaire seria incapaz de enxergar a burguesia histórica porque teria optado pela arte absoluta, pelo o irreal e pela conscience de survol (consciência de sobrevôo). Sartre julga Baudelaire e Flaubert apenas como escritores apolíticos. Paul Valéry, um de seus sucessores, tem a mesma opinião de Sartre quando afirma que As Flores do Mal contém poemas históricos ou lendas, "nada que repouse sobre uma narração. Não se vêem tiradas filosóficas. A política não aparece...". A dedicatória Au Lecteur do livro As Flores do Mal é uma ironia às atrocidades de junho: " Se o estupro, o veneno, o punhal, o incêndio/ Não bordaram ainda com seus desenhos finos/ A tela banal de nossos míseros destinos/ É que nossa alma, ai, não é ousada o bastante." Não foi à toa que Baudelaire lutou ao lado dos insurretos em junho de 1848.

O poeta ironiza a burguesia que teria revogado, depois de junho, seu próprio decreto contra a pena de morte para os crimes políticos de 1848; "Ele sonha com cadafalsos enquanto fuma seu narguilé". A lírica moderna de Baudelaire é um retrato amargo da situação desolada do mundo e revela a face do ódio aristocrático aos reis e à burguesia. As relações capitalistas e burguesas que sempre exploraram sem piedade a inteligência e o trabalho fazem Baudelaire ansiar pela revolução e pelo triunfo das classes oprimidas.

O estilo de Baudelaire não produziu "doces", mas "remédios amargos e verdades cáusticas". No livro Assommons les pauvres!, há um trecho que é um bom exemplo de poesia social: "Ao entrar numa taberna, um mendigo me estendeu seu chapéu com um desses olhares inesquecíveis que derrubariam os tronos se o espírito fosse capaz de mover a matéria, e se o olho de um magnetizador fizesse amadurecer as uvas."

As Flores do Mal e O Spleen de Paris - Pequenos Poemas em Prosa (1869), reunião de textos publicados em periódicos de 1853 a 1865, de Baudelaire, são os arquétipos da sátira ao burguês, como as caricaturas de Daumier, que emprestava à vítima odiada os traços do rei burguês, sempre reconhecível pela cabeça em forma de pêra. A este tipo de arte e literatura, comentou Engels sobre Balzac, de que seria possível aprender muito mais sobre a história da França no período de 1815 a 1848 do que com todos os historiadores burgueses e pequeno-burgueses da época.

Discípulo de Poe deu origem à poesia de autores como Rimbaud

Baudelaire anota em seu projeto de prefácio de As Flores do Mal: "Poetas ilustres dividiram entre si, durante muito tempo, as províncias mais floridas do campo poético etc. Farei portanto algo diferente..." A poesia de Baudelaire deu origem a grandes poetas. Segundo Paul Valéry, Rimbaud e Verlaine continuaram Baudelaire na ordem do sentimento e da sensação, enquanto Mallarmé prolongou-o no campo da perfeição e da pureza poética.

Os preceitos de Edgar Allan Poe sobre poesia influenciaram profundamente as idéias e a arte de Baudelaire. As Flores do Mal e O Spleen de Paris resgatam dos poemas de Poe "o sentimento e a substância". Alguns poemas de Baudelaire contêm versos que são a transposição exata dos versos do poeta anglo-saxão. Os ensaios O Princípio Poético (The Poetic Principle), de Poe, foram traduzidos por Baudelaire e não só o conteúdo o influenciou, mas a forma, que ele considerava como se tivesse sido criada para ele.

A produção poética de Baudelaire foi forjada a partir das experiências vividas. O Spleen de Paris, poemas em prosa, revelam essas experiências e graças ao recurso da prosa poética, que a próxima geração (os simbolistas), redescobre o verso branco com o grande triunfo do movimento. Na dedicatória da coletânea ao redator-chefe do La Presse, Arsène Houssaye, ele revela os motivos dessa experiência: "Quem de nós não sonhou, em dias de ambição, com o milagre de uma prosa poética, musical, sem ritmo nem rima, suficientemente flexível e nervosa para saber adaptar-se aos movimentos líricos da alma, às ondulações do sonho, aos sobressaltos da consciência? Este ideal nasce, sobretudo, da fermentação das grandes cidades, do crescimento da malha e suas inúmeras relações entrelaçadas".

O clássico, diz Jorge Luis Borges, "não é um livro que possui necessariamente tais ou quais méritos; é um livro que as gerações dos homens, urgidos por razões diversas, lêem com prévio fervor e com uma misteriosa lealdade". O Spleen de Paris, de Baudelaire, é um desses livros que merecem ser relidos porque nos ensina algo que não sabíamos.

Para ir além






Pedro Maciel
Belo Horizonte, 17/10/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Onde moram as crônicas de João Evangelista Rodrigues
02. A mídia somos nós de Rodrigo Mesquita


Mais Pedro Maciel
Mais Acessados de Pedro Maciel
01. Italo Calvino: descobridor do fantástico no real - 8/9/2003
02. A arte como destino do ser - 20/5/2002
03. Antônio Cícero: música e poesia - 9/2/2004
04. Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa - 14/7/2003
05. Nadja, o romance onírico surreal - 10/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURSO DE LECTURA, CONVERSACION Y REDACCION ELEMENT
JOSE SILES ARTES
SGEL
(1997)
R$ 40,00



RESPONSABILIDADE DO ESTADO
SONIA STERMAN
REVISTA DOS TRIBUNAIS (SP)
(1992)
R$ 26,82



PORTUGUÊS PASSO A PASSO VOL. 7
PASQUALE CIPRO NETO
N/D
R$ 5,00



A TAPAS E PONTAPÉS
DIOGO MAINARDI
RECORD
(2004)
R$ 60,92



PSICOLOGIA DA INTELIGÊNCIA E PSICOLOGIA DA FÉ
J. M. POHIER
USP
(1971)
R$ 14,88



EDUCAÇÃO VERDE, CRIANÇAS SAUDÁVEIS - 1ª EDIÇÃO
HEIKE FREIRE
CULTRIX
(2014)
R$ 25,95



DIREITO AMBIENTAL. ESQUEMATIZADO
FREDERICO AUGUSTO DI TRINDADE AMADO
METODO
(2011)
R$ 20,00



ARBITRAGEM: A SOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE CONFLITOS
FRANCISCO MAIA NETO
DEL REY/ BELO HORIZONTE
(2008)
R$ 59,90



SUPERVISÃO EFICAZ
LESTER R. BITTEL
MCGRAW-HILL
(1982)
R$ 10,00



MINHA 1ª BIBLIOTECA: LAROUSSE DICIONÁRIO DE PORTUGUÊS- VOL. 10
LAROUSSE
LAROUSSE JÚNIOR
(2007)
R$ 10,00





busca | avançada
29267 visitas/dia
1,1 milhão/mês