Parei de fumar | Milton Hatoum

busca | avançada
71184 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Primeiro Roteiro
>>> Festival Cine Inclusão abre inscrições de curtas-metragens com o tema terceira idade
>>> Musical Guerra de Papel estreia dia 3 de setembro no Teatro Viradalata
>>> Monólogo Te Falo com Amor e Ira de Branca Messina ganha nova temporada
>>> Performer e dançarina Morgana Apuama apresenta a obra 'Risko'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poesia como Flânerie, Trilogia de Jovino Machado
>>> O mundo é pequeno demais para nós dois
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A internet e o amor virtual
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Outra Praia, de Swami Jr.
>>> Minha formatura
>>> Sultão & Bonifácio, parte II
>>> O enigma de Lindonéia
>>> Paisagens Originais & Detalhes De Um Pôr do Sol
>>> Modernismo e Modernidade
>>> A extraordinária Nina
>>> Pensamentos & Pedidos
Mais Recentes
>>> Dark City Jogo de Gustavo Barreto pela Funbox (2021)
>>> Naruto Guia Oficial de Personagens o Livro Secreto da Formação de Masashi Kishimoto pela Panini (2021)
>>> O Pistoleiro a Torre Negra Vol I de Stephen King pela Objetiva (2004)
>>> Gabriela Cravo e Canela de Jorge Amado pela Martins (1970)
>>> Abc de Castro Alves de Jorge Amado pela Martins (1970)
>>> O Que as Mulheres Querem ? de Paco Underhill pela Campus (2010)
>>> Dona Flor e Seus Dois Maridos de Jorge Amado pela Martins (1970)
>>> Historia da criação do ensino superior no Acre de Áulio Gélio Alves de Souza pela Thesaurus (2006)
>>> O Mundo Fantástico dos Bonecos de Claudia Zarvos Consultoria e Design pela Sesc (2010)
>>> Médico de homens e de almas - a história de São Lucas de Taylor Caldwell pela Record (2018)
>>> Corpo Fala: A Linguagem Silenciosa Da Comunicação Não Verbal de Vozes pela Vozes (2021)
>>> Correio Fraterno de Feb pela Feb (2021)
>>> Um Longo Caminho para Casa de Danielle Steel pela Record Altaya (2001)
>>> Corrida Da Vida de Leader pela Leader (2021)
>>> Fora de Ordem de Woody Allen pela Agir (2007)
>>> A Ilusão de Scorpio de Robert Ludlum pela Rocco (1995)
>>> Cortázar de Dsop pela Dsop (2021)
>>> Cotidianos Educacionais de Autografia pela Autografia (2021)
>>> Falou e Disse de Francisco Cândido Xavier - Augusto Cezar Neto pela Geem (1978)
>>> Crepúsculo de Intrínseca pela Intrínseca (2021)
>>> Crepúsculo - Serie Branca de Intrínseca pela Intrínseca (2021)
>>> Criando Adolescentes de Fundamento pela Fundamento (2021)
>>> Garoto Linha Dura de Stanislaw Ponte Preta pela Círculo do Livro
>>> Criando Aulas Multimídia Com Visual Class de Giz pela Giz (2021)
>>> Criando moda de Ciranda Cultural pela Ciranda Cultural (2021)
ENSAIOS

Segunda-feira, 25/12/2006
Parei de fumar
Milton Hatoum

+ de 7000 Acessos
+ 3 Comentário(s)


I

Sete vezes tentei parar de fumar e sete vezes fracassei. Mas agora, na oitava – e talvez última – tentativa, derrotei o vício.

Nunca fumei cigarros "industrializados". Comprava tabaco holandês e enrolava cigarro com papel de arroz ou palha de milho, como fazia nosso avô na roça, na aldeia ou na cidade do interior. Ou como ainda fazem muitos europeus, que enrolam seus cigarros com os dedos ou com a ajuda de uma maquininha.

Um fumante é um drogado dentro da lei, uma vítima da primeira tragada. Aniquilar esse vício é uma decisão difícil. A dependência, que é física, causa também transtornos no nosso comportamento, na nossa vida mental. Isso porque o tabaco é uma droga poderosa capaz de transformar um fumante num ser patético.

Lembro de um amigo que começou a tremer e a gaguejar enquanto procurava um maço de cigarros. Foi no inverno de 1982, no outro hemisfério. Tarde da noite meu amigo saiu na madrugada gelada atrás de cigarro e voltou com uma garrafa de vodca para substituir o tabaco que não encontrara. Não tremia mais, nem gaguejava. A bebida mitigara a ânsia pela nicotina? Desconfiei. E então ele abriu um pacote cheio de tocos de cigarro que havia catado nas calçadas e ruas desertas.

Um outro amigo conseguiu parar de fumar, mas adquiriu o hábito pantagruélico de devorar seis ovos mexidos com ameixas secas no café da manhã.

Por que as ameixas secas, perguntei.
Pergunte à nicotina, ele respondeu.


II

Penso que ninguém comete suicídio por falta de tabaco, mas é provável que um cigarro tenha adiado vários suicídios. Ou, quem sabe, tenha transformado um ato de loucura num arrependimento redentor.

Um prisioneiro, um exilado, um jogador num dia de azar, um apaixonado solitário, um enlutado e um deprimido, todas essas pessoas têm motivos de sobra para dar uma tragada. Um vigia ou guarda-noturno certamente recorre ao vício maldito para lutar na escuridão contra o tédio da noite longa, que teima em não dar passagem para o amanhecer. E muitos miseráveis, exasperados de tanto esmolar em vão, acabam pedindo um cigarro de algum fumante generoso. O transeunte apressado, que é incapaz de tirar uma moeda do bolso, interrompe sua caminhada e oferece um cigarro ao pobre-diabo. É um momento em que esses dois seres são solidários. Nada como um vício insidioso para aproximar o pequeno burguês do maltrapilho.

O tabaco amolece nosso coração, nos torna generosos na hora do desespero. Você, leitor felizardo que nunca fumou, talvez não entenda essa insólita filantropia.

Ainda me lembro do último cigarro. Parece que foi ontem. E, de fato, foi ontem. Mas jurei que ia escrever esta crônica sem dar uma única tragada. É verdade que tremi um pouco, devorei meio quilo de castanha e caminhei na noite chuvosa como um desesperado.

Depois do adeus à nicotina, o único vício que me atormenta e dá prazer é a literatura.


Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no Terra Magazine em setembro de 2006.


Milton Hatoum
São Paulo, 25/12/2006

Mais Milton Hatoum
Mais Acessados de Milton Hatoum
01. Jorge Amado universal - 11/2/2008
02. Parei de fumar - 25/12/2006
03. Fim de um romance - 20/8/2007
04. O pai e um violinista - 19/2/2007
05. Marina candidata - 14/6/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/12/2006
20h55min
Parei de fumar quando tinha 40 anos. Hoje tenho 55. Já perdi as contas das vezes em que sonhei que estava enebriado pela fumaça "mardita". Vou confessar que nunca fiquei muito a vontade quando acordava. Invariavelmente era uma sensação de pesar por ter cedido e recomeçado a fumar. Ao ver que era um simples sonho, minha satisfação volta logo. Só tive boas sensaçções após largar o cigarro. Nado 1,500 metros na piscina, subo escadas com desenvoltura e, pasmem!, ganho de meu filho em uma corrida de 500 metros. Ele tem 27 anos. (Detalhe: ele fuma.)
[Leia outros Comentários de Maco Tassinari]
23/12/2006
21h39min
Dizem que o cigarro e a bebida viciam. Mentira! Fumo e bebo há mais de 40 anos e nunca me viciei...
[Leia outros Comentários de João Nilson Dias]
5/1/2007
15h04min
Tchê! Larga do cigarro!!! Convivo a trinta anos com fumantes. Minha mãe, com dois infartos e três pontes de safena, não consegue parar de fumar. Percebo que mais que um vicio o cigarro é um companheiro, acalenta a dor e as horas vagas. Sofro por não conseguir convencer meus amigos, minha mãe, meu pai, de larqar o cigarro, vejo que ele é muito importante na vida deles, e que infelizmente tenho que lavar meus cabelos todos os dias antes de dormir, porque o cheiro é insuportável. Seu texto é excelente e eu recomendo. Suas palavras são de um conhecedor da causa "fumar". Eu sei bem como é dificil largar o cigarro. Um dia minha mãe foi em um especiliasta que lhe disse: Sei o quanto é bom uma tragada, o prazer que ela dá. E como se todos os neurônios ficassem a espera da fumacinha...
[Leia outros Comentários de simone camargo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Homem do Chapeu Vermelho
Hervé Guibert
Jose Olympio
(1992)



Mediunidade e Caminho
Carlos A. Baccelli
Ide
(2008)



Peripheral Vascular Disease
Alvaro Alonso / David D. Mcmanus
Jones and Bartlett



A History of Education in American Culture
R Freeman Butts/lawrence a Cremin
Henry Holt and Company
(1954)



Os Humanos - 1ªedição
Matt Haig
Jangada
(2016)



Para Ter um Bom Dia Hoje e Amanhã
Israel Belo de Azevedo
Hagnos
(2010)



Kalusha
Bruno Cattoni
7 Letras
(2002)



Pontes Brasileiras Viadutos e Passarelas Notaveis
Augusto Carlos de Vasconcelos
Pini
(1993)



Hp 12 C Owners Handbook and Problem Solving Guide
Hewlett Packard
Hp
(1982)



O curioso caso de Benjamin Button
Francis Scott Fitzgerald
Folha de S. Paulo
(2016)





busca | avançada
71184 visitas/dia
2,6 milhões/mês