77 anos do Mercado Municipal | Eugenia Zerbini

busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 9° Festival Internacional do Documentário Musical
>>> Até Faustão apoia os protestos
>>> Zastrozzi
>>> Direita, Esquerda ― Volver!
>>> Como os jornais vão se salvar
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Concisão e sensibilidade
>>> Blog do Reinaldo Azevedo
>>> Alerta aos que vão chegar
>>> Cultura e Patrocínio
Mais Recentes
>>> Percursos Piagetianos de Luci Banks-Leite (Org.) pela Cortez (1997)
>>> Piaget e a Intervenção Psicopedagógica de Maria Luiza Andreozzi da Costa pela Olho D'Água (1997)
>>> Fazer e Compreender de Jean Piaget pela Melhoramentos (1978)
>>> Dicionário do Renascimento Italiano de John R. Hale pela Jorge Zahar (1988)
>>> A Tomada de Consciência de Jean Piaget pela Melhoramentos (1978)
>>> Psicologia e Pedagogia de Jean Piaget pela Forense Universitária (1998)
>>> Dicionário Temático do Ocidente Medieval de Jacques Le Goff & Jean-Claude Schmitt pela Edusc (2002)
>>> Como Orientar a Criança Excepcional - vol. 8 - Curso de Orientação Educacional de Jay Aruda Piza pela Pontes (2020)
>>> O Estruturalismo de Jean Piaget pela Difel (1979)
>>> Higiene Mental das Crianças e Adolescentes- vol. 7 - Curso de Orientação e Educacional de Dep. de Instrução Pública de Genebra pela Ponte (1972)
>>> O Pós-dramático de J. Guinsburg e Silvia Fernandes pela Perspectiva (2009)
>>> Poesia soviética de Lauro Machado Coelho pela Algol (2007)
>>> Pétala Soletrada pelo Vento de Mariayne Nana pela Urutau (2018)
>>> Tomidez e Adolescência vol. 6 - Curso de Orientação Educacional de Jean Lacroix pela Pontes (1972)
>>> Ensaios Reunidos (1946-1971), V. 2 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (2005)
>>> Como compreender seu Potencial de Myles Munroe pela Koinonia Comunidade (1995)
>>> Louvai a Deus Com Danças de Isabel Coimbra pela Profetizando Vida (2000)
>>> A missão de Interceder de Durvalina B. Bezerra pela Descoberta (2001)
>>> O Contrabandista de Deus de Irmão André. John e Elizabeth Sherrill pela Betânia (2003)
>>> Ensaios Reunidos 1942 - 1978 Vol. 1 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (1999)
>>> O Dízimo e o Sábado não são Cristãos de Fernando César Roelis Padilha pela Xxxxxxxxxxxx (1995)
>>> Socorro, Temos Filhos! de Dr. Bruce Narramore pela Mundo Cristão (1992)
>>> Fale a verdade consigo mesmo de Willian Backus Marie Chapian pela Betânia (1989)
>>> Como controlar as Tensões no Camento de Bill e Vonette Bright pela Candeia (1990)
>>> Satanás está vivo e Ativo no planeta terra de Hal Lindsey pela Mundo Cristão (1981)
>>> Venha O Teu Reino de David W. Dyer pela Ministério Grão de trigo (1985)
>>> Eu, um Servo? Você está Brincando! de Charles Swindoll pela Betânia (1983)
>>> Que Há Por Trás Da Nova Ordem Mundial? de E. G. White pela Vida Plena (1995)
>>> Cerco de Jericó a caminho da vitoria de Pe. Alberto Gambarini pela Ágape (2005)
>>> Comunicação a Chave para o Seu Camento de H. Norman Wright pela Mundo Cristão (1983)
>>> Princípios de Interpretação da Bíblia de Walter A. Henrichsen pela Mundo Cristão (1983)
>>> Apocalipse versículo por versículo de Severino Pedro da Silva pela Cpad (1985)
>>> Boas Esposas de Louisa May Alcott pela Principis (2020)
>>> O que o Ato Conjugal significa para o Homem de Tim e Beverly LaHaye pela Betânia (2020)
>>> Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski pela Principis (2020)
>>> Satanismo de Daniel e Isabela Mastral pela Xxxxxxxxxxxx (2001)
>>> Um Espírito Demoníaco de Morris Cerulo pela Imprensa da Fé (1998)
>>> Assassins Creed de Christie Golden pela Galera (2020)
>>> O dia em que o Presidente Desapareceu de Bill Cliton e James Patterson pela Record (2018)
>>> O dia em que o Presidente Desapareceu de Bill Cliton e James Patterson pela Record (2018)
>>> A Canção do Sangue de Anthony Ryan pela Leya (2014)
>>> Memórias de um Suicida (Obra Mediúnica) de Yvonne do Amaral Pereira pela Federação Espírita Brasileira (2003)
>>> Mundo Como Vontade e Como Representação - I Tomo de Arthur Schopenhauer pela Unesp (2005)
>>> As 100 Melhores Histórias Eróticas da Literatura Universal de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2020)
>>> As 100 Melhores Histórias Eróticas da Literatura Universal de Flávio Moreira da Costa pela Ediouro (2020)
>>> Mahatma Gandhi - Politik und Gewaltlosigkeit de Otto Wolff pela Musterschimidt-Verlag (1963)
>>> Marionetes Populares de Yvonne Jean pela Din (1955)
>>> As Bacanas = Plauto de Newton Belleza pela Emebê (1977)
>>> Trinta Toques de Rogério Viana pela Engenho da Letra (1999)
>>> O Teatro de Cervantes de José Carlos Lisboa pela Os Cadernos de Cultura (1952)
ENSAIOS

Segunda-feira, 1/2/2010
77 anos do Mercado Municipal
Eugenia Zerbini

+ de 4000 Acessos

No mesmo dia em que São Paulo comemorou os 456 anos de sua fundação, no último 25 de janeiro, o mercado central festejava 77 anos de funcionamento. Quem sabe por ter nascido durante as grandes festas do 4º Centenário, mantenho, desde pequena, uma relação de amor com a cidade. Em um desdobramento desse sentimento, quem sabe ― outra vez ―, dei à luz a minha única filha no alvorecer de um 25 de janeiro, anos atrás.

Não é fácil declarar essa paixão neste momento, em que a cidade revela sua face de Medéia líquida, inclemente sob a força das águas, sorvendo muitos de sua extensa cria. Rilke já escreveu que todo anjo é terrível. Anjos e mães, completaria Freud, seu contemporâneo.

O Mercado Municipal, projetado por Ramos de Azevedo (o mesmo projetista do Theatro Municipal de São Paulo), para mim sempre sintetizou os antagonismos, contradições e paradoxos do materno. Por isso, o programa para a celebração de seu 77º aniversário ― incluindo queima de fogos na passagem de 24 para 25 de janeiro ― serviu de impulso a um retorno àquela suntuosa construção que, antes de ser inaugurada em sua função de mercado, em 1933, serviu de depósito de armas, ao tempo da Revolução Constitucionalista, em 1932.

Uma das lembranças mais caras de minha infância é a de uma ida ao Mercado Municipal, acompanhando minha avó, nos preparativos para a ceia de Natal. Entre as várias compras que realizou, ela não apenas separara uma caixa de papelão vermelho onde eu, recém-alfabetizada, podia ler "sultanas", como também pedira ao vendedor um quarto de quilo de figos secos da Turquia. As sultanas do pacote eram uvas passas brancas, mas, ao ouvir esse nome, somado à referência àquele país cuja capital já foi Bizâncio, me vi personagem de um dos contos das Mil e uma noites.

Mais adiante, minha avó encomendou um peru vivo, que ela mesma matou, depois que o vendedor mandou entregá-lo em casa, no dia seguinte. A comodidade das carnes congeladas nem sempre existiu e as boas donas de casa eram obrigadas a cometer certas selvagerias.

As comemorações do aniversário do Mercado começaram no dia 19 de janeiro, com cursos de culinária dedicados ao público feminino e masculino. Seguidos temporais impediram-me de comparecer, como o planejado. Acabei fazendo apenas uma visita, no dia 24.

Apesar da vizinhança cinza, suja e molhada, como sempre me lembro de ter sido o entorno do Mercado Municipal, foram precisos poucos passos em direção a seu interior para que eu recobrasse o encanto que ele em mim há décadas despertara.

Quase tudo é ainda anunciado com um adjetivo: o orégano é chileno; o anis, estrelado; a pimenta é da Jamaica. As azeitonas podem ser portuguesas, espanholas, libanesas, gregas ou sírias, todas coloridas, luzentes e carnudas. A lata de curry indiano deixa explícita que é da marca escolhida pelo governador de Bombaim. Apenas nomes, mas que têm o condão de despertar ― ao menos em mim ― um leque de fantasias.

Não se vendem mais aves e pequenos animais, como coelhos e carneiros, vivos. Os peixes e crustáceos, porém, estavam lá, lindos, sobre leitos de gelo fresco: atum, salmão, carapau, meca, tainha e vermelho, ao lado de lagostas, camarões, lulas, polvos e tamarutacas (sem mencionar nos práticos mexilhões "desconchados"). As ostras pareciam em baixa, poucas e anêmicas. Fraca, também, a variedade de hortaliças (talvez pelo excesso de chuva).

A nota máxima ficou por conta da barraca de frutas exóticas (Empório das frutas, rua K, box 20/22), onde o preço é dado em gramas, ao contrário de todos os outros lugares, em que o cálculo é feito por quilo. Assim, a custo quase de caviar, estavam expostas fruta do dragão (pitaya), rambutan (olho do dragão ou lichia maláia), chirimóia do Chile, atemóia (criação hibrida, cruzamento da fruta-do-conde com esta última), mangostim (anunciada como a rainha das frutas da Malásia) e abiu da Amazônia.

Tentando fugir do lugar-comum, em vez de pastel de bacalhau e de sanduíche de mortadela, duas especialidades do Mercado Municipal, preferi um pote de salada de frutas, para saborear enquanto flanava pelos seus corredores, admirando seus vitrais. Evitei o mezanino, agregado ao prédio em uma das reformas por que passou: esse novo espaço mais parece a praça de alimentação de um dos shoppings da capital. A estrela do lugar são mesmo os boxes numerados, alinhados em corredores denominados por letras, organizados pela natureza dos produtos oferecidos. Esses corredores, ou "ruas", são sinalizados por placas indicativas em cada cruzamento.

Através de um dos largos portões, vi que a chuva recomeçara. Com ela veio ao pensamento uma história antiga, por meio da qual eu aprendi que os seres humanos tinham a opção de dar fim à própria vida. Pouco depois de minha primeira visita ao Mercado, minha mãe me contara que uma das empregadas de minha avó (a quem eu acompanhara) se suicidara, atirando-se às águas do rio Tamanduateí, que hoje corre em galerias sob a Avenida do Estado, vizinha ao Mercado. De certa forma, aquela que me dera a vida, passara-me a consciência de ser possível dar o basta final.

São Paulo, anjos e mães são terríveis e guardam mistérios, de vida e de morte. Para poder encará-los é necessário um recuo, um afastamento. Quando criança, tinha a mania de arregalar os olhos e forçá-los em direção ao nariz. Ficava com um semblante idiota; essa manobra, entretanto, me propiciava imagens distorcidas do mundo, o que me agradava. Um jeito particular de ver as coisas, assim, meio fora de prumo. O artista plástico Gregório Gruber, ao retratar São Paulo, revelou-a atrás de uma névoa onírica, que parece com o resultado que eu obtinha com o estrabismo forçado de minha infância.

O aguaceiro lá fora se adensava. Havia a possibilidade de esperar para ver os preparativos do gigantesco bolo de 300 quilos que seria oferecido no dia seguinte, na festa de aniversário da cidade. Ou de até voltar mais tarde para assistir ao desfile da escola de samba Mocidade Alegre, programado para à noite, antes dos fogos. Porém, ainda que escondido sob o asfalto, corria lá fora o Tamanduateí (o rio que os índios já sabiam ser de muitas voltas), simples amostra da força aquosa que tem abalado a cidade.

Era hora, decidi, de voltar para casa.

Nota do Editor
Eugenia Zerbini venceu o Prêmio SESC Literatura 2004 na categoria romance, com o livro As netas da Ema. Tem contos publicados no jornal Rascunho, revista Cult e no blog do caderno "Prosa e Verso" de O Globo. Leia também o Especial "SP 450".


Eugenia Zerbini
São Paulo, 1/2/2010

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Coração de mãe é um caçador solitário de Sonia Nolasco


Mais Eugenia Zerbini
Mais Acessados de Eugenia Zerbini
01. O diabo veste Prada - 2/10/2006
02. Para o Daniel Piza. De uma leitora - 16/1/2012
03. O romance sobre o nada - 28/5/2007
04. De vinhos e oficinas literárias - 2/7/2007
05. Retrato edulcorado de uma rainha - 9/4/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DE MENINA A MULHER - CINCO COISAS SOBRE RELACIONAMENTOS E AMIZADES
DRICA PINOTTI
ALEGRO
(2005)
R$ 5,00



1000 PERGUNTAS E RESPOSTAS DE DIREITO PENAL
JOSÉ CRETALLA JÚNIOR E JOSÉ CRETALLA NETO
FORENSE
(2004)
R$ 19,00



CAÇAS DO EIXO DA II GUERRA MUNDIAL E BOMBARDEIROS DA II GUERRA MUNDIAL
BILL GUNSTON
MELHORAMENTOS
(1980)
R$ 64,90



O HUMANO LUGAR DO SAGRADO
ANTONIO MARTINI
OLHA D ÁGUA
(1996)
R$ 12,00



COMPREENDER O CONSUMIDOR
BERNARD DUBOIS
DOM QUIXOTE
(1998)
R$ 15,00



METALOGRAFIA
E HEYN E O BAUER
LABOR
(1944)
R$ 18,82



THE PSYCHOLOGY OF DISCIPLINE
DARWIN DORR; MELVIN ZAX E JACK W. BONER
INTERNATIONAL UNIVERSITIES
(1983)
R$ 49,16



MARKETING EMPRESARIAL: DO ATENDIMENTO AO ENCANTAMENTO DO CLIENTE
MARCO ANTONIO SILVA
MADRAS
(2000)
R$ 25,00



O MASCARA DE FERRO
ALEXANDRE DUMAS ADAPTAÇÃO CARLOS HEYTOR CONY
OBJETIVA
(2002)
R$ 6,90



MINHAS CONDOLÊNCIAS À SENHORA VERA
EDUARDO MURTA
SCRIPTUM
(2010)
R$ 6,90





busca | avançada
92061 visitas/dia
2,2 milhões/mês