Sobre o preço dos e-books | Raphael Vidal

busca | avançada
87108 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Noga Sklar
>>> Minhas Férias (reloaded)
>>> Poema em Linha Reta - Pessoa
>>> Perturbador e cosmogônico
>>> O Fino da Fina
>>> Poesia, no tapa
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Um safra de documentários de poesia e poetas
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Leitura, curadoria e imbecilização
Mais Recentes
>>> Contos de Machado de Assis pela Agir (1963)
>>> Contos de Machado de Assis pela L&PM Pocket (1999)
>>> O Alienista de Machado de Assis pela L&PM Pocket (1998)
>>> Helena de Machado de Assis pela Tecno Print (1967)
>>> Uma mulher na escuridão de Charlie Donlea pela Faro Editorial (2017)
>>> Morte Súbita de J.K. Rowling pela Casa dos Livros (2012)
>>> Ressurreição de Machado de Assis pela Sociedade (1962)
>>> Levando a Vida Numa Boa de Ernie J. Zelinski pela Sextante (2003)
>>> Corpos Inversos de Rodrigo Noval pela LP-Books (2017)
>>> Parábolas Eternas - Reflexões para enriquecer a vida com sabedoria, alegria e emoção de Legrand pela Soler (2004)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Ciranda Cultural / W. Bucb (2007)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Abril Cultural (1981)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Ática (1976)
>>> Fundamentos em Ecologia de Colin R. Townsend, Michael Begon e JohnL. Harper pela Artmed (2006)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Zero Hora / Click (1997)
>>> Folhas do Jardim de Morya Livro 2 de Mestre Morya pela Agna Yoga (1973)
>>> O banquete dos sentidos de Lúcia faria Nascimento e Edir Nascimento e Silva pela Bei (1998)
>>> Revista da Faculdade de Direito da FMP nº 06 de Fundação Escola Superior do Ministério Público (org) pela Fmp (2011)
>>> Repartição da renda - pobres e ricos sob o regime militar de Paulo Singer pela Zahar (1986)
>>> O código Da Vinci de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa (2004)
>>> Tropical Sol da Liberdade de Ana Maria Machado pela Nova Fronteira (1988)
>>> Manuscritos do Mar Morto de Adam Blake pela Novo Conceito (2013)
>>> Estudios del Trabajo - nº 37/38 de Asociación Argentina de Especisalistas en Estudios del Trabajo (org) pela Aset (2009)
>>> Contos de amor rasgados de Marina Colasanti pela Rocco (1986)
>>> Quincas Borga de Machado de Assis pela Tecno Print
>>> Ciranda de pedra de Lygia Fagundes Telles pela José Olympio (1981)
>>> Amplitude 1- Você onde se põe -só para quem quer a verdade de Gasparetto pela Vida E Consciencia (1997)
>>> O que é psicologia de Richard H. Henneman pela José Olympio (1982)
>>> Amar, verbo intransitivo de Mário de Andrade pela Ime (1980)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (2010)
>>> Quincas Borba de Machado de Assis pela Globo (1997)
>>> Estudios del Trabajo - nº 34 de Asociación Argentina de Especisalistas en Estudios del Trabajo (org) pela Aset (2007)
>>> Magno de Maria Luiza de Queiroz pela José Olympio (2007)
>>> Filhotes de Cube Book pela Sextante (2010)
>>> A extinção do crédito tributário por decurso de prazo de José Hable pela Brasília Jurídica (2004)
>>> Procedimentos Básicos em Microbiologia Clínica de Vários pela Sarvier (2000)
>>> Canine - Feline Nutricion de Vários pela Mosby (2010)
>>> Você é Insubstituível - este livro revela a sua biografia de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Da ação cautelar fiscal de Carlos Henrique Abrão pela Universitária de direito (1992)
>>> Adão e Eva Voavam em Atlântida de José Francisco pela Futurama (2013)
>>> O mundo mudou ... bem na minha vez! de Dado Schneider pela Integrare (2013)
>>> Coreção monetária: concordata e créditos fiscais de Eros roberto Grau pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> O Lugar dos Inocentes - A Trilha levava até a entrada dessa clareira de Núbia Moura Ribeiro pela Pensamento (1999)
>>> Memorial de Aires / Ressurreição de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Quincas Borba de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Iaiá Garcia / Helena de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> Esaú e Jacó de Machado de Assis pela Iracema (1975)
>>> A aventura de Miguel Littin clandestino no Chile de Gabriel García Márquez pela Record (1986)
>>> A chave do tamanho de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1950)
ENSAIOS

Segunda-feira, 27/6/2011
Sobre o preço dos e-books
Raphael Vidal

+ de 3900 Acessos

Zenão, filósofo pré-socrático, defendia a unidade e a indivisibilidade de tudo. Para argumentar contra os absurdos da multiplicidade, da divisibilidade e, consequentemente, do movimento ― conceitos tratados como ilusões segundo a escola eleática, a qual frequentava ― elaborou seus famosos paradoxos.

Entre eles, estava a história da corrida entre Aquiles, ágil e veloz, e a tartaruga, lenta e pesada. Para diminuir o favoritismo de Aquiles, foi dada uma vantagem de tempo à tartaruga, que logo se colocou a correr, do seu jeito. Para Zenão, ao Aquiles atingir o ponto onde a tartaruga se encontrava, esta, durante este tempo, já avançara mais um pouco, ad infinitum.

Este argumento, básico, leva a seguinte conclusão lógica: se a tartaruga iniciar a corrida primeiro, Aquiles nunca a encontrará e nem a ultrapassará. Porém, como todos sabemos, a realidade é bem diferente de certos raciocínios lógicos, e a intuição, por vezes, sobressai à racionalidade. O que nos surpreende, hoje, é perceber que um paradoxo de Zenão, refutado há séculos, pode ser base de uma lógica do mercado editorial brasileiro contemporâneo: a definição do preço do e-book.

A divisibilidade do destino
Em uma reunião recente entre dezenas de editores independentes e um empreendedor da área de e-books, este defendia seu negócio com as seguintes palavras: "Corram! Disponibilizem seus livros em formato digital antes que os pirateiem. Não se preocupem com formato. Façam um PDF e entrem no futuro." A maioria entrou e fez o certo. Hoje, são pouquíssimos os e-books em ePUB, ou em outro formato, disponíveis. O que nos faz chegar a conclusão de que o custo de produção de um livro digital é exatamente o mesmo do livro impresso.

Por exemplo, para ficar no básico e generalizar, a produção envolve leitura do original, avaliação, preparação, copidesque, diagramação, revisão, capa... Com o arquivo do livro pronto, limpo, no final da produção, uma divisão ocorre. São dois destinos:

1. Livro impresso:

a) Gráfica tradicional
b) Gráfica sob demanda

2. Livro digital:

a) PDF
b) ePUB
i. Novo projeto
ii. Transmídia (opcional)
iii. Rediagramação
iv. Revisão

Vamos tomar como referência o fato: simplesmente, o PDF ― e-books ― é o mesmo arquivo que a editora envia para ser impresso em gráfica. A única diferença no e-books é não ter as linhas de corte.

A multiplicidade do e-book
No mercado digital, dois novos conceitos surgem: estoque infinito e distribuição ilimitada. Um e-book não esgota e muito menos ocupa espaço de estoque, e o que parece contraditório, no meio digital, é perfeitamente viável. A distribuição que, no impresso, sofria inúmeras restrições, não possui mais limites. Qualquer leitor com uma simples conexão a internet (celular, tablet, PC, notebook, netbook etc.) tem acesso ao e-book. O sonho está realizado. Mas quanto custa este sonho?

Ao calcular o custo final de um livro impresso um dos fatores preponderantes é o custo da tiragem impressa pela gráfica. A partir disso, soma-se o custo de produção (entram aí também divulgação e lançamento), divide-se pela tiragem vendável (retira-se 10% dela para cotas de autor, imprensa e perdas) e define-se o multiplicador para determinar o preço de capa. Este multiplicador é que determinará seu fôlego comercial e seu retorno financeiro, podendo até em muitos casos começar com défice. Para se chegar ao custo do livro, portanto, é necessário definir uma tiragem inicial impressa. E isso, no e-book, não existe.

O movimento do editor
Este impasse pode ser resolvido. Mas para isso, o editor precisa confirmar sua vocação. Responsável, entre outras coisas, pelo conteúdo que chegará ao leitor, o editor ― necessariamente ― precisa ser um profissional à frente de seu tempo. Aquele que, mais que atualizado culturalmente, é um dos que atualizam a própria cultura. E, esta atividade, por mais que seja consciente, vive de apostas e riscos. Óbvio que vai além da racionalidade lógica, não é uma ciência exata e requer intuição. Acerta mais quem se movimenta.

E o movimento do editor no mercado editorial digital, que enfrenta um período de testes, deve ser em prol da conquista de mais leitores, sempre. A formação do leitor na era digital está vinculada a criação do hábito da leitura de e-books.

O leitor mantém, por outro lado, em média, um senso comum que caracteriza depreciativamente o e-book comparando-o ao livro impresso. Por fatores completamente subjetivos: apego, glamour, cheiro etc. O que é compreensível, já que se trata de uma cultura e um hábito enraizados em nossa vida. No entanto, o e-book pode ser lido em múltiplas plataformas, carregado em leves leitores digitais aos milhares, trocado facilmente, possibilitar transmídia...

O leitor que não vivencia diariamente essa experiência não quer pagar nem a metade do valor de um livro impresso em um e-book. Ele quer pagar barato e precisamos entender isso como um apelo do leitor. E está pedindo ao mercado para viver esta experiência e para deixá-lo mudar de hábito. Afinal, o leitor brasileiro não está familiarizado com o e-book, mas, como tudo que é novo, quer experimentá-lo.

O resultado da corrida
O e-book pode realmente ser mais barato? Pode. Tanto o best-seller quanto o long-seller em e-book, em maioria, salvo alguns casos muito particulares, podem custar ao leitor menos que dez reais e se tornarem projetos viáveis e rentáveis.

O editor brasileiro tem que começar a entender, de uma vez por todas, que é lucrativo, em várias frentes, vender mais e-books mais baratos do que vender menos e-books mais caros. Enganam-se os que acham que o editor quer lucrar mais. Por outro lado, é incoerente, falta de inteligência e visão, o editor aceitar para os e-books as mesmas condições dadas pelas livrarias às consignações do livro impresso ― e repassar a diferença ao leitor.

O livro impresso chegou antes e toda uma estrutura comercial existe há tempos para manter esse negócio e, ainda que tenha como base o mesmo conteúdo/arquivo, o e-book, que corre por fora, é um produto completamente novo e suas condições mercadológicas devem ser diferentes.

Não é tão fácil que isso aconteça. Somente se a lógica do mercado editorial e livreiro for renovada. É uma briga que deve ser comprada pelos editores e também por associações, sindicatos e ligas, com o objetivo de transformar o adversário em parceiro, fazê-lo jogar no mesmo time. É claro que aí está uma decisão: vamos, editores, deixar Aquiles/e-book, ultrapassar a tartaruga/livro impresso?

Aceitar o mercado como está é pensar que o paradoxo de Zenão pode se tornar uma verdade, é acreditar que a tartaruga nunca será ultrapassada por Aquiles. É desconhecer o poder do leitor. A diferença é que sabemos, há séculos, o resultado desta corrida...

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog FIMdolivro. Raphael Vidal é escritor, editor e alimenta também o microblog @fimdolivro. (Leia também "O incompreensível mercado dos e-books".)


Raphael Vidal
Rio de Janeiro, 27/6/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Vida ao vivo de Arnaldo Branco
02. Haydn: 200 anos da morte de Irineu Franco Perpetuo
03. A refundação de Obama de Régis Bonvicino
04. Inventário de Horácio Costa
05. Uma revista de cultura no Brasil de Ana Maria Bahiana


Mais Raphael Vidal
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EXTRATERRESTRE ELES ESTÃO AQUI + SUPLEMENTO DE LEITURA
LUIZ GALDINO
FTD
(1993)
R$ 5,90



INDO LONGE DEMAIS
TINA SESKIS
RECORD
(2014)
R$ 15,00



NATUREZA HUMANA VOLUME I Nº 1
VÁRIOS
EDUC
(1999)
R$ 20,00



MARIA ANTONIETA
F W KENYON
ITATIAIA
(1959)
R$ 32,90



A NOITE DA CAÇA
CLAUDIA MATTOS
ROCCO
(2006)
R$ 19,79



ETIQUETA SEM FRESCURA
CALUDIA MATARAZZO
MELHORAMENTOS
(1995)
R$ 5,00



A CIDADE ASSASSINADA
ANTONIO CALLADO
JOSE OLYMPIO
(1954)
R$ 6,90



FELICIDADE ROUBADA
AUGUSTO CURY
BENVIRÁ
(2018)
R$ 22,99



SUCESSO NA CRIAÇÃO DE PÁSSAROS, CANÁRIOS E PERIQUITOS
OBERLAND DE OLIVEIRA COELHO
NOBEL
(1985)
R$ 9,00



O DESPERTAR DOS AMANTES
LOURENÇO CAZARRÉ
ATUAL
(1986)
R$ 7,00





busca | avançada
87108 visitas/dia
2,2 milhões/mês