Abstrações exatas de Paul Valéry | Pedro Maciel

busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dentre Nós Cia de Dança estreia “Sagrado Seja o Caos”
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Entre o corpo e a alma, o tempo
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Disciplinas isoladas
>>> Meus encontros e desencontros com Daniel Piza
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
>>> Chris Cornell
>>> Nosso Primeiro Periscope
Mais Recentes
>>> A Revoada dos Anjos de Minas de J. D. Vital pela Autêntica (2016)
>>> A Verdade Sobre o Talento de Jacqueline Davies, Jaremy Kourdi pela Dvs (2013)
>>> Jogos Pedagógicos e Histórias de Vida (lacrado) de Cristina Jorge Dias. pela Loyola (2013)
>>> O livro dos desafios 2 de Charles Barry Townsend pela Ediouro (2004)
>>> Turma da Mônica uma Aventura no Teatro de Fantoches N 51 de Mauricio de Sousa pela Panini Comics
>>> Maximize o poder do seu cérebro - 1000 maneiras de deixar sua mente em forma de Ken Russel e Philip Carter pela Madras (2008)
>>> A hospedeira de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Política Econômica de José Francisco Camargo pela Atlas (1967)
>>> Dicas de Como Chegar Lá! de Ernesto Haberkorn pela Circuito Netas (2016)
>>> O Brasil Republicano - o Tempo da Ditadura - Vol. 4 de Jorge Ferreira, Lucilia de Almeida Delgado pela Civilização Brasileira (2003)
>>> Imagem Profissional de Anna Cooper pela Cengage (2008)
>>> Novas comédias da vida privada de Luis Fernando Verissimo pela L&Pm Editores (1996)
>>> Pacientes Que Curam - o Cotidiano de uma Medica do Sus de Julia Rocha pela Civilização Brasileira (2019)
>>> Submarino de Joe Dunthorne pela Galera Record (2011)
>>> Dicionário de Conceitos e Pensamentos de Rui Barbosa de Luiz Rezende de Andrade Ribeiro pela Edart
>>> Reforma do Código de Processo Civil de Sálvio de Figueiredo Teixeira pela Saraiva (1996)
>>> Dez Anos Que Abalaram o Brasil (lacrado) de João Sicsú pela Geração Editorial (2013)
>>> Os Novos 52 - Universo Dc - Nº 18 - Réquiem de Dc Comics pela Panini
>>> Cinquenta tons de liberdade 3 de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> Aplausos à Vida de Frei Xavier pela N/d
>>> Arquitetura e Suas Particularidades - a Beleza da Itália - Vol II de Eliete de Pinho Araújo pela Kiron (2016)
>>> Direito Constitucional Ambiental Ibero-americano de André Saddy, José Eugênio Soriano Garcia pela Lumen Juris (2016)
>>> Marvel Max N°18 Intimidade de Brian Michael Bendis pela Panini Comics
>>> Como Se Estivéssemos Em Palimpsesto de Putas de Elvira Vigna pela Companhia das Letras (2016)
>>> O chamado do cuco de Robert Galbraith pela Rocco (2013)
ENSAIOS

Segunda-feira, 23/8/2004
Abstrações exatas de Paul Valéry
Pedro Maciel

+ de 8500 Acessos

Paul Valéry (1871-1945) é considerado, segundo a classificação de Ezra Pound (inventores, mestres, diluidores, etc.) como um mestre da linguagem que Mallarmé inventou. Edgar Allan Poe e T. S. Eliot são os outros que norteiam o ideal estético de Valéry. Mas a "lógica imaginativa" de Leonardo da Vinci foi o que impregnou sua consciência crítica. O renascentista da Vinci serviu-lhe como modelo. Segundo Valéry, Leonardo, "mestre de seus meios, este possuidor do desenho, das imagens, do cálculo, tinha encontrado a atitude central a partir da qual as empresas do conhecimento e as operações da arte são igualmente possíveis, as trocas felizes entre a análise e os atos singularmente prováveis: pensamento maravilhosamente excitante". Valéry anotou no prefácio a Leonardo Poe Mallarmé: "Pela abstração constrói o homem". Os três são descritos como mestres na arte da abstração. Valéry também manifestou fascínio pelos clássicos como Virgílio, românticos como Goethe, simbolistas como Verlaine, modernos como Marcel Proust.

Valéry era um construtor, um poeta-crítico, um pensador da poesia como meio de desvendar o mundo desconhecido. O que é o conhecer? Perguntava o poeta do rigor intelectual e da sensualidade. Estudioso das ciências exatas, projetou idéias artísticas associadas à linguagem da matemática e da física. Os críticos o classificam como um poeta-filósofo. Talvez porque suas reflexões fragmentárias se aproximam dos pré- socráticos como Zenão de Eléia, que inspirou os versos de "O Cemitério Marinho", ou Heráclito, cuja linguagem se aproxima dos poetas.

Eupalinos ou O Arquiteto - Escritos de circunstância, de 1921, não é exatamente um livro de arquitetura. Valéry reflete sobre o processo de criação arquitetônica. Cria um clássico universal a partir de um diálogo imaginário entre Sócrates e Fedro. "Dialogue des morts", era como seria chamado o texto em sua primeira edição. Fedro e Sócrates habitam as vezes do inferno. Pairam sobre eles a idéia da reflexão dos mortos. Uma idéia assombrada. Conversam sobre as limitações e emoções de uma vida que poderia ter sido. Fedro, o discípulo irônico, faz saudações ao mestre. Sócrates, às vezes não responde: "Espera. Não posso responder. Bem sabes que nos mortos a reflexão é indivisível. Estamos agora muito simplificados para que uma idéia não nos absorva até o final de seu curso".

Sócrates e Fedro apresentam-se com almas desnudas, sem sombras de nuvens, discutem as banalidades dos vivos e as estranhices dos mortos. Fedro questiona sobre a idéia do eterno entre os viventes: "Os mais grosseiros tentam preservar até os cadáveres dos mortos. Outros constróem templos e tumbas, esforçando por torná-los indestrutíveis". Sócrates responde, contestando-o: "Loucura! Ó Fedro; claramente o percebes. Mas os destinos decidiram que entre as coisas indispensáveis à raça humana figurassem alguns desejos insensatos. Não haveria homens sem o amor. Nem a ciência, sem absurdas ambições..."

Fedro expõe as idéias de seu amigo Eupalinos, lembranças das construções de Pireu. Eupalinos dizia que "não há detalhes na execução". Talvez o arquiteto Mies Van Der Rohe tenha se inspirado nesta frase ao afirmar que "Deus está nos detalhes", ou ainda na frase de Voltaire que dizia que "a poesia é feita apenas de belos detalhes". Apesar de que Deus não existe para Paul Valéry. Os diálogos são, na verdade, pensamentos do poeta francês e não dos filósofos gregos ou do arquiteto Eupalinos, que mais tarde descobriu-se ser um empreiteiro de obras do aqueduto de Atenas.

Valéry descreve a arquitetura e a música como artes possíveis de produzirem espaços, corpos que não estão limitados ao ângulo da visão. A música constrói no nosso corpo um espírito de liberdade. Às vezes ascendemos além do nosso próprio corpo. Esquecemos até mesmo das sensações do nosso ouvido. Já o arquiteto cria um corpo no qual habitamos, vivemos por dentro dos labirintos projetados por outro alguém ávido de tempo. O arquiteto substitui a realidade pela fábula. "Logo é razoável pensar que as criações do homem se realizam, ou bem em função de seu corpo, e aí está o princípio que chamamos utilidade, ou tendo em vista sua alma, e aí está o que ele persegue sob o nome de beleza..." Afinal, diz Sócrates, os deuses não devem permanecer sem teto, e as almas, sem espetáculos.

Em "Histórias D'Anphion", o poeta confessa a influência que a arquitetura causou no início de sua formação. O ato de construir significa para Valéry o propósito mais nobre do homem. "Um edifício terminado nos expõe, num único olhar, uma soma das intenções, das invenções, dos conhecimentos e das forças que sua existência implica; ele manifesta à luz a obra combinada do querer, do saber e do poder do homem". Sócrates gostaria de ter sido um arquiteto, um construtor que, "primeiro, desdobraria todas as questões, desenvolveria um método sem lacuna. Onde? Por quê? Para quem? Para quê? Quais as dimensões? E, assaltando de todo lado meu espírito, eu determinaria, no mais alto nível, a operação de transformar pedreiras e florestas em edifícios, em equilíbrios magníficos..."

É possível imaginar os templos ou teatros criados no estilo socrático. Sócrates e seu discípulo Fedro conversam à beira de um tempo que não mais existe, à margem das sombras altas de um céu azul de fantasmas; e tudo que eles disseram é apenas um jogo natural do silêncio de um outro mundo. "Nisto, consiste, rigorosamente, a imortalidade".

Nota do Editor
Ensaio gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no caderno "Idéias/Livros", do Jornal do Brasil, em junho de 1996.


Pedro Maciel
Belo Horizonte, 23/8/2004

Mais Pedro Maciel
Mais Acessados de Pedro Maciel
01. Italo Calvino: descobridor do fantástico no real - 8/9/2003
02. A arte como destino do ser - 20/5/2002
03. Antônio Cícero: música e poesia - 9/2/2004
04. Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa - 14/7/2003
05. Nadja, o romance onírico surreal - 10/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Filosofia para Jovens - uma Iniciação à Filosofia
Maria Luiza Siveira Teles
Vozes
(2004)



Recanto de Paz
Luiz Gustavo
Panorama



Tempo de Aprender
Jessamyn West
Cultrix
(1955)



Antologia da Literatura Brasileira Textos Comentados Vol1
Desconhecido
Marco
(1979)



Viva com esperança
Mark Finley e Peter Landless
Casa Publicadora Brasileira
(2014)



Diários de Guerra Vozes Roubadas
Zlata Filipovic e Melanie Challenger
Seguinte
(2008)



Nos Rastros da Utopia
Manoel de Andrade
Escrituras
(2014)



O Trono no Morro
José J Veiga
Ática
(1991)



Schloss Landsberg
Gisbert Knopp
Thyssenkrupp Ag



O Culto Moderno dos Monumentos: A Sua Essência e Sua Origem
Alois Riegl
Perspectiva
(2019)





busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês