A fotografia cínica de Maurícius Farina | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
49037 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 22/9/2003
A fotografia cínica de Maurícius Farina
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 8100 Acessos
+ 6 Comentário(s)

A Galeria de Arte da Unicamp, em Campinas, mostra desde o dia 9 de setembro a corrosiva exposição "Fotografia Cínica", com os trabalhos do fotógrafo e jornalista Maurícius Farina. A Exposição poderá ser vista até o dia 3 de outubro.

Trata-se de um conjunto de 22 fotografias coloridas que serviram como objeto da tese de doutorado do artista, na ECA-USP, defendida início deste ano.

A última exposição individual de Farina foi realizada no Paço das Artes, em abril, em São Paulo. Com esta nova exposição Farina se propõe a criticar o sistema ideológico onde imperam os fetiches pelas mercadorias e pelo consumo, já tão entranhados em nossa cultura que parecem naturais.

Três fotos chamam a atenção para desvelar a aparente e/ou falsa naturalidade destes empreendimentos ideológicos: "Cristo no saco", "Conhecida por todos" e "A Bola".

No primeiro caso, "Cristo no saco", encontra-se fotografado um crucifixo, destes vendidos em mercados populares, guardado dentro de um saco plástico do supermercado Pão de Açucar. Não podemos deixar de pensar imediatamente no aspecto comercial das religiões na sociedade contemporânea (será que sempre foi assim?). Para além de um guia da experiência místico-religiosa, o que observamos nas igrejas é sua constituição enquanto empresa arrecadadora de bens monetários através das doações dos fiéis e enquanto empresa produtora de bens de consumo mercadológico (santinhos, crucifixos, bíblias, revistas, pulseirinhas, etc.)

Mas "Cristo no saco" vai mais além na sua crítica. A obra avança nos falando da sacralização do consumo e do êxtase por ele produzido em pessoas que têm uma vida absurdamente vazia e que encontram apenas no ato de consumir uma satisfação existêncial e espiritual.

No segundo caso, na foto denominada "Conhecida por todos", onde uma gilete aparece cravada na metade de uma maçã, fazendo uma referência ao orgão genital feminino, é o sexo que aparece como a grande mercadoria. A frase estampada na gillete é que dá título à foto e ajuda a explicitar o entendimento. Aqui critica-se as empresas comerciais que usam e abusam da imagem do corpo da mulher, principalmente das bundas lustradas, siliconizadas e exaustivamente fotografadas para venderem seus produtos, reduzindo a mulher, numa perspectiva machista, a um pedaço saliente de carne - no caso, as partes "eróticas" do seu corpo.

No terceiro caso, que comentaremos com um pouco mais de demora, na obra "A Bola", Farina propõe uma alegoria do fracasso da nação brasileira. A foto em close de uma bola de futebol nova, murcha, sobre um tom de verde démodé que toma todo o fundo da fotografia: eis a obra "A Bola".

A bola, como todos sabemos, é um dos principais elementos do jogo de futebol. E o futebol, como também sabemos, constitui o mais importante e tipicamente “esporte nacional”. Toda criança brasileira, diz-se por aqui, “já nasce com a bola no pé”. Se nós temos alguma realeza, ela se deve ao “Rei Pelé”, que é o maior jogador de futebol do mundo. Quando a seleção brasileira joga, o país todo se une “em uma só voz”. Durante o Regime Militar o toque épico das imagens do futebol brasileiro apresentadas pela imprensa colocava este esporte como um dos traços da grandeza brasileira. Como dizia o general Ernesto Geisel (1975), o futebol é a “expressão deste povo generoso e ordeiro, compreensivo, tranqüilo e bom”. A bola de futebol representa o anseio que temos do Brasil ser um país vencedor. Um país que, apesar da miséria, consegue com o futebol derrotar as nações mais avançadas do mundo. Por trás dessa idéia vende-se a ilusão da Potência Emergente, que consegue ser a primeira no futebol, apesar de ser uma das últimas em justiça social.

É notável a importância que os criadores da opinião pública atribuem ao futebol, criando um consenso popular sobre a suposta habilidade do brasileiro com a bola. Chegando a encontrar nessa “nossa ginga” e “nossa arte” (o jeitinho brasileiro), em oposição à “técnica” dos jogadores do primeiro mundo, uma qualidade e/ou característica generalista da definição da figura do “brasileiro”. A preocupação com esse tipo de “identidade” e a busca dessa “singularidade” através do futebol é, portanto, visível e tornou-se signo de nossa suprema virtude e originalidade, quando na verdade revela nossa incapacidade para lidar com o profissionalismo. Mesmo assim, nos achamos um “povo heróico” e especial, formado por “três raças irmãs”, ainda que uma delas tenha escravizado e barbarizado as outras duas.

Existe um sumário clássico das razões para esse otimismo brasileiro: clima ameno, ausência de calamidades, tamanho do território, beleza e riquezas naturais, harmonia racial. Essas características nos fazem pensar também na inevitabilidade do nosso sucesso no futebol. A força desta crença, no entanto, configura-se como um imaginário difícil de ser abalado. Por isso, talvez, seja tão doloroso contemplar esta bola murcha apresentada por Farina, que esmigalha nosso símbolo mais importante, o futebol, que é uma das razões pelo qual devemos sentir forte sentimento de orgulho patriótico pelo Brasil.

O futebol aparece para os brasileiros como valor ou símbolo da singularidade da “cultura nacional” ou, para ser mais certeiro, a própria “alma da nação”. Por isso, com sua bola Farina faz alusão a duas imagens que remetem ao Brasil: seu mapa, que quase se desenha com a bola sendo amassada no lado esquerdo e a bandeira nacional, um pano verde com um círculo ao centro.

A Bola de Farina é um objeto cínico-icônico que revela e destroça a imagem da nação brasileira como presente de Deus (secas nordestinas, endemias, fome, miséria e prostituição infantil), como povo pacífico (genocídio da população indígena, escravidão negra, extermínio físico e psíquico de trabalhadores, mortes violentas pela posse da terra), como país da democracia racial (discriminação contra os negros, árabes e asiáticos comerciantes).

O verde, símbolo de nossas grandes florestas, esmaece-se na foto de Farina - melhor dizendo, degrada-se. Serve ainda para ampliar a presença visual da bola, brilhante por ser nova e murcha em sua desfuncionalidade e inutilidade (afinal, para que serve uma bola murcha?).

A sombra da bola, que um fotógrafo comercial jamais deixaria existir, na obra de Farina transforma-se numa desdenhosa auto-ironização da própria operação artística enquanto fotografia de qualidade. E alegoricamente nos faz pensar um pouco mais na incapacidade do nosso país em realizar qualquer projeto de qualidade profissional.

A Bola de Maurícius Farina, nova, porém murcha, sintetiza bem o que diz a canção de Caetano Veloso: “aqui tudo é construção e já é ruína”.

Além destas três obras, podem ser apreciadas mais 19 fotos na exposição "Fotografia Cínica". Imperdível.

Para ir além

www.iar.unicamp.br/galeria/m_farina/


Jardel Dias Cavalcanti
Campinas, 22/9/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Literatura, Interação e Interatividade de Marcelo Spalding


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2003
01. Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti - 3/2/2003
02. Entrevista com o poeta Augusto de Campos - 24/3/2003
03. John Fante: literatura como heroína e jazz - 21/7/2003
04. Os Dez Grandes Livros - 15/10/2003
05. O Fel da Caricatura: André de Pádua - 3/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
22/9/2003
08h25min
oi jardel, adorei seu texto. que bom poder encontrar informações sobre novos artistas. o Maurícius conseguiu fazer uma grande reflexão sobre vários problemas da atualidade, sem cair no realismo vulgar e apelativo. nos faz pensar com imagens contundentes, críticas e ao mesmo tempo artisticamente maravilhosas. os dois merecem um aplauso: viva! abraço, claudia
[Leia outros Comentários de claudia]
26/9/2003
17h53min
Claudia, obrigado pela leitura. aproveite sempre o digestivo todo - vale a pena! abraço, jardel
[Leia outros Comentários de jardel]
13/10/2003
10h35min
Mais q interessante esta materia assinada pelo sr. Jardel! Fui aluno do prof e jornalista Mauricius! Um cara com uma mente arrojada e de perfil multilateral! Suas cronicas visuais merecem meu aplauso ouçam: clap clap clap clap clap clap clap clap! Jorge Lins Torres :)
[Leia outros Comentários de Jorge Lins Torres]
21/10/2003
14h22min
Não poderia passar por aqui sem parabenizar os excelentes trabalhos apresentados de forma brilhante por você Jardel. Também fui aluno do Maurícius e devo a ele uma nova leitura dos meus trabalhos também. Abraços!
[Leia outros Comentários de Fabio Montone]
21/10/2003
14h39min
a sombra da bola é proposital... e a sombra das outras fotos? um fotógrafo comercial permitiria?
[Leia outros Comentários de Flávia Carvalho]
1/9/2011
14h30min
Excelente texto Jardel e excelente o trabalho do Farina. Abraço.
[Leia outros Comentários de Rebeca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LA EVOLUCIÓN DE LAS LENGUAS
HENRY G. SCHOGT E OUTROS
NUEVA VISION (BUENOS AIRES)
(1977)
R$ 19,28



SOCIOLOGIA DE LA CREACION LITERARIA
LUCIEN GOLDMANN / OUTROS
NUEVA VISION - BUENOS AIRES
(1971)
R$ 30,00



TERRAS BAIXAS
JOSEPH ONEILL
ALFAGUARA
(2009)
R$ 29,00



PSICOLOGIA EDUCACIONAL
GEORGE J. MOULY
PIONEIRA
(1976)
R$ 11,00



DIRETO DE PARIS - COQ AU VIN COM FEIJOADA
MILTON BLAY
CONTEXTO
(2014)
R$ 15,00



DICIONÁRIO ESCOLAR ESPANHOL. ESPANHOL-PORTUGUÊS -ESPANHOL
VARIOS
MARTINS FONTES
(2005)
R$ 9,90



A GRANDE AVENTURA DE COUSTEAU - TAILÂNDIA
JACQUES COSTEAU
EDICIONES ALTAYA
(1997)
R$ 11,00



POUR COMPRENDRE LE CALCUL INTÉGRAL
GEORGES DURAND
GASTON DOIN
R$ 25,00



LOST SINAIS DE VIDA
FRANK THOMPSON
PRESTÍGIO
(2007)
R$ 10,00



FILOMENA WONDERPEN É UMA BONECA PEQUENINA
IAN BONE
FUNDAMENTO
(2007)
R$ 10,00





busca | avançada
49037 visitas/dia
1,4 milhão/mês