Querem acabar com as livrarias | Noah Mera | Digestivo Cultural

busca | avançada
80910 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Trauma a ser evitado
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> 28 de Abril #digestivo10anos
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> O jornalismo que dá nojo
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Útil paisagem
>>> O Brasil da inovação
>>> A terra das oportunidades
Mais Recentes
>>> Imposto sobre a propriedade territorial rural de Dejalma de Campos pela Atlas (1993)
>>> Archi de soleil de Patrick Bardou e Varoujan Arzoumanian pela Parenthèses (1978)
>>> Passo a passos de Ioberto Tatsch Banunas pela Sulina (1997)
>>> A máquina de fazer espanhóis- 2ª ed. de Valter Hugo Mãe pela BIblioteca Azul- Globo (2016)
>>> Memórias 2º volume - A Aliança Liberal e a Revolução de 1930 de João Neves da Fontoura pela Globo (1963)
>>> Sofrimento como lidar? de Adriano Rocha pela Conselho (2014)
>>> Manuscrito revista de Filosofia Volume II No 2 abril 1979 de Gérard Lebrun, Herman Parret, Yuval Lurie e outros pela Unicamp (1979)
>>> Ele ela 71 março 1975 de Diversos autores pela Bloch (1975)
>>> Tex especial de férias 10 de Mythos editora pela Mythos (2011)
>>> Novo Vocabulário Político Volume Um - Hegemonia e Pluralismo de Pedro Claudio Cunca Bocayuva; Sandra Mayrink Veiga pela Fase-Vozes (1992)
>>> Costos sociales de las reformas neoliberales en America Latina de Anita Kon / Catalina Banko / Dorothea Melcher / Maria Cristina pela Miguel Á. Garcia / Venezuela (2000)
>>> Ícone de Frederick Forsyth pela Record (1997)
>>> Câes de guerra de Frederick Forsyth pela Circulo do Livro (1974)
>>> Gre-nalzinho é sempre gre-nalzinho de Kalunga pela Maneco (2011)
>>> Receitas Comemorativas de Rede feminina de combate ao cancer pela Do autor (1999)
>>> Sob Pressão de Bruce Hoverd pela Gente (2015)
>>> Ai comprei um bode e um bezerro de Nilton Ferreira pela Kirios (2013)
>>> Casa de vó é sempre domingo de Marina Martinez pela Nova Fronteira (2014)
>>> O mundo de Sofia de Jostein Gaarder pela Jostein Gaarder (1996)
>>> Introdução à psicologia vol. 100 de Ernest R. Hilgard / ///Richard C. Atkinson pela Nacional (1979)
>>> Teologia do Antigo Testamemto de Eugene H. Merriell pela Shedd (2009)
>>> Scientia et Virtus Julho 1956 de Colegio Estadoal Lemos Junior pela Do autor (1956)
>>> La guerra de Matisse de Peter Everett pela Circe (1998)
>>> Compêndio de Teologia Apologética de François Turretine pela Cultura Cristã (2011)
>>> Alergia na infância de Maria Candida Faria Rizzo pela Lemos (2002)
>>> Archivos de la universidad de Buenos Aires año 26 n 1 de Diversos autores pela Meuba (1951)
>>> Anais do Primeiro congresso de câmaras Municipais do estado de São Paulo 1° volume de Diversos autores pela Ibge (1948)
>>> Os filhos da África em Portugal: Antropologia, multiculturalidade e educação (2ªed.) de Neusa Maria Mendes de Gusmão pela Autêntica (2006)
>>> A arte de desenhar Perspectiva 14 de Renato Silva pela Conquista
>>> Almanaque do tchê! de Diversos autores pela Tchê (1984)
>>> Cinderela - coleção fantasminha de Cordélia Dias D'Aguiar pela Ediouro (1975)
>>> Signale der Sinnlichkeit erotik de Wolf Donner pela Whilhelm heyne (1989)
>>> King's English 3ª série Ginasial de Harold Howard Binns pela Companhia Nacional (1944)
>>> Ele Ela 70 Rosemary de Bloch editora pela Bloch (1975)
>>> O clube do filme de David Gilmour pela Intrínseca (2020)
>>> Les Deux Nigauds de La condesse de Segur pela Hachette
>>> Navegação - Curso para pescador profissional especializado de Ministério da Marinha pela Marinha (1985)
>>> Riquinho 32 de Editora Globo pela Globo (1990)
>>> x-9 229 março 1951 O mistério do 5° homem de Roberto Marinho diretos pela Vecchi (1951)
>>> Aulas de artesanato Apostila n° 2 Pintura em Madeira de Lazeres da Família pela L da familia
>>> Almanaque Total sagitário de André De Biasi pela Três
>>> Obra Imatura de Mário de Andrade pela Agir (2009)
>>> Plotinus - ennead ii, v.2 de Plotino; A. Hilary Armstrong pela Loeb (1966)
>>> A Vida dos Grandes Compositores de Harold C. Schonberg pela Novo Século (2012)
>>> Não Há Silêncio Que Não ermine de Ingrid Betancourt pela Companhia Das Letras (2010)
>>> Almirante Nelson -0 O Homem que derrotou Napoleão de Armando Vidigal pela Contexto (2012)
>>> No ser DIOS - Una Autobiografía a Cuatro Manos de Gianni Vattimo e Piergiorgio Paterlini pela Paidós Entornos 7 (2008)
>>> Pilares para uma Vida Saudável de Mohamad Barakat pela Vital (2017)
>>> Anticâncer Prevenir e vencer usando nossas defesas naturais de David Servan-Schreiber pela Fontanar (2008)
>>> A Marca da Vitória de Phil Knight pela Sextante (2016)
COLUNAS

Segunda-feira, 17/1/2011
Querem acabar com as livrarias
Noah Mera

+ de 8100 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Que vivemos em um país que lê muito pouco é consenso, e a solução para este problema, todos sabemos, é educação. A melhor política possível de democratização da leitura é melhorar principalmente nosso ensino fundamental, capacitando professores e investindo em bibliotecas. Até agora não disse nada de mais, não é mesmo? Qualquer pessoa que tenha tido a sorte de ter acesso a um mínimo de escolaridade sabe que a solução passa por estes passos (simples de observar e apontar, mas um desafio enorme para executar em um país como o nosso...).

Qualquer pessoa também sabe da triste situação da escola pública brasileira. E muitos de nós fomos até mesmo traumatizados durante a idade escolar por professores e programas incapazes de despertar o verdadeiro gosto pela leitura nos alunos (claro que há o fator cultural, são poucos os leitores que conheço que não vêm de famílias onde pelo menos um parente próximo cultivasse o hábito).

Apesar do exposto, o mercado livreiro fervilha de alguns anos para cá (se não em vendas, pelo menos em lançamentos). Feiras, bienais, prêmios e festas literárias pululam aos quatro cantos do país, novas editoras e autores surgem todos os dias. Não fosse o conhecimento comum da situação sobre a qual discorri nos dois primeiros parágrafos, poderíamos supor que jorra dinheiro no mercado literário brasileiro. Triste ilusão.

Grande parte dos títulos são lançados por editoras pequenas, com tiragens muito reduzidas e grande risco de pouco retorno do investimento. Sem contar que vários desses livros contam com a participação do autor no financiamento das tiragens.

Mas existe um modelo de negócio sem risco (pelo menos para uma das pontas): é um expediente estranho usado por algumas gráficas que montam selos e fazem "chamadas de autor" para coletâneas cujas tiragens são pagas integralmente pelos próprios em troca de uma parcela dos livros.

Esses autores, de posse do seu tão sonhado livro, ficam responsáveis também pela distribuição e comercialização dos mesmos. Acontece que estes autores amadores vendem uma meia dúzia de livros aos familiares, outra meia dúzia aos parentes e acabam com o resto da tiragem mofando em algum canto da casa. Independente da qualidade do autor, é muito difícil vender mais que estas duas dúzias de produtos (sim, caro autor, quando você pensa em venda deve dessacralizar o livro, ele torna-se um produto e segue as leis de marketing como qualquer outro bem de consumo) em condições como estas. O que estas gráficas fazem é ludibriar os aspirantes a best-seller com o sonho de ter seu livro publicado, mas sem um trabalho sério de editoração, distribuição e divulgação, assim vendem seu produto e deixam o cliente com um belo pepino (encalhe) nas mãos. Quem sabe o básico de marketing já viu que dos 4Ps (produto, preço, praça e promoção) dois ficam por conta de quem geralmente não tem o conhecimento e/ou condições para a correta execução das variáveis.

Mas quem leva a culpa?
Não é difícil encontrar pelas comunidades virtuais dedicadas aos aspirantes a autores quem culpe as livrarias pelo caso, e parece que esta parcela da população encontrou seu representante na figura de Sua Excelência Deputado Bonifácio de Andrada, que encaminhou o Projeto de Lei 7913/2010 que obriga as livrarias a comercializarem qualquer livro que for oferecido a elas.

O PL ainda define que "Toda livraria será considerada núcleo cultural de importância social protegida pelo Poder Público" ― um status interessante, mas que vem desacompanhado de qualquer benefício prático. Mais à frente, ainda advoga que "As livrarias e os pontos de venda não podem ficar submetidos ao jogo econômico e as preferências pessoais de certas empresas distribuidoras, sobretudo quando estas discriminam organizações gráficas ou de edição com menor expressão econômica e financeira" e (o grifo é meu) "É preciso, portanto, dar à livraria e ao ponto de vendas do livro um caráter público e social, pois não são meras casas comerciais, ou centros de manobras mercantilistas em favor de grupos econômicos, mas locais de transmissão de circulação de ideias e produtos intelectuais de interesse da cultura nacional". Não ficou claro, no trecho que destaquei, se o deputado gostaria de estatizar as livrarias, porque, caso contrário, as livrarias são, sim, casas comerciais que vendem produtos culturais e estão sujeitas às leis de mercado (demanda, oferta e procura) como qualquer outra atividade econômica.

O que Sua Excelência não percebe é que o Projeto de Lei não beneficia em nada o mercado livreiro brasileiro, pelo contrário! Cria enormes problemas para as livrarias. Vamos a uma rápida explanação sobre eles:

Problema de gestão de estoques: A maioria absoluta das livrarias utiliza softwares comerciais adaptados ― conheço apenas um software voltado exclusivamente para livrarias que dispõe de ferramenta para administração de múltiplas consignações, mas é um programa caro, a maioria das empresas não teria como arcar com o custo de implantação e mensalidades. Essa, aliás, é uma necessidade do setor livreiro (e uma oportunidade para os programadores), já que uma eficiente administração de consignações de vários distribuidores beneficiaria ― e muito ― a operacionalização de qualquer livraria, mesmo no cenário atual.

Outro problema neste tópico é que é impossível prever qual será a quantidade de livros enviados a cada livraria, e isto pode gerar um problema grave com um ponto de venda abarrotado de material.

Problema dos preços: Os livros geralmente têm um preço de capa dado pela editora e a livraria ganha um percentual deste (geralmente na faixa de 30%), mas o PL não prevê regulamentação para estes descontos, o que pode estreitar as margens já baixas das livrarias. Um problema grave e que pode inviabilizar muitos estabelecimentos. Sem contar que as livrarias físicas já sofrem com a concorrência desleal das livrarias virtuais, que conseguem grandes descontos por volume com as editoras e regularmente lançam promoções contra as quais as livrarias menores não conseguem competir.

Problema da venda: Este afeta as duas pontas. A disponibilidade do livro na prateleira não garante a venda. A venda de um livro depende de inúmeros fatores, entre os quais destaco o interesse do cliente (grande parte dos clientes vai à livraria em busca de um livro específico), o interesse do vendedor (e aqui entra até mesmo o conhecimento do vendedor deste mundo que é a literatura) e a necessidade do cliente. Como vendedor/atendente, meu último interesse é vender best-seller ― esse vende por si, o cliente já vai procurando e, se for a necessidade dele, dificilmente vai levar outra coisa que não um best-seller. Agora, se for outro tipo de leitor, com uma necessidade específica, aí entra o talento e o conhecimento do vendedor em encontrar o livro que o atenda ― sendo de uma grande distribuidora/editora ou não!

Quando eu tinha livraria e algum autor regional com potencial de venda nos procurava, nós aceitávamos o livro prontamente (tínhamos uma solução trabalhosa, mas satisfatória para o problema da consignação), mas, quando o livro não tinha potencial, não dava para aceitar, encalhe na estante significa prejuízo.

Conclusão
O Projeto tramita em caráter conclusivo, o que significa que não será votado no plenário, apenas por comissões designadas para analisá-lo. Mas pode perder o status no caso de parecer divergente entre as comissões, ou no caso de recurso quando da aprovação ou não pelas comissões. Acho difícil que um projeto desse passe, mas é uma grande oportunidade para colocar estas questões do mercado livreiro em discussão aproveitando o interesse de Sua Excelência (neste artigo mesmo há um bom punhado de problemas que mereceriam alguma atenção).

Você pode acompanhar o andamento do processo através deste link: [PL-7913/2010]. O e-mail do Deputado autor do PL é [email protected].

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog O surrealista insone. Leia também "Considerações sobre a leitura".


Noah Mera
Curitiba, 17/1/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lola de Elisa Andrade Buzzo
02. Afinidade, maestria e demanda de Fabio Gomes
03. Kleztival: celebrando a música judaica de Heloisa Pait
04. As histórias magras de Rubem Fonseca de Cassionei Niches Petry
05. Escola (e escolinha) de Julio Daio Borges


Mais Noah Mera
Mais Acessadas de Noah Mera em 2011
01. As Midias Sociais e a Intimidade Inventada - 11/5/2011
02. Querem acabar com as livrarias - 17/1/2011
03. Anos 90, lado B - 15/6/2011
04. Informação, Redes Sociais e a Revolução - 9/3/2011
05. Walking Dead - O caminho dos mortos na cultura pop - 5/10/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/1/2011
09h44min
Noah, as editoras que publicam os livros com edições pagas não necessariamente iludem o autor, acenando com sucesso editorial. A outra face, que talvez você desconheça, é que as pessoas têm inúmeros motivos para publicar um livro - necessidade, no caso de um professor, por exemplo; sonho - e este é um fortíssimo e válido motivo; vontade de divulgar o que pensam; memórias que interessam a um grupo restrito... entre outros. Nada de promessas não cumpridas. A Ophicina de Arte & Prosa não faz promessas inalcançáveis, com certeza! Rachel Kopit Cunha - Fernando Poetta (Editores)
[Leia outros Comentários de Arte & Prosa]
26/1/2011
14h13min
Noah, eu concordo com seu ponto de vista. Acho que, de fato, muitas gráficas ludibriam, sim, os aspirantes a "best-seller" com o sonho de ter seu livro publicado, pois raríssimas têm um trabalho sério de editoração, distribuição e divulgação. Acredito também que muitos autores, como eu, recebam "chamadas" frequentes desses tipos de editoras para integrar nestes novos "projetos/selos", mas cabe a cada autor analisar com muitíssima cautela essas "chamadas"/propostas. Afinal, quais as chances de um autor desconhecido conseguir repassar seus livros para as livrarias? Bem, respondendo à minha própria pergunta, imagino que nenhuma, ou quase nenhuma. Por isso, eu preferi aguardar quase 7 anos para conseguir publicar meu primeiro livro ("Vítimas do Silêncio"), mas não me arrependi, não, pois, apesar de a editora que me contratou ainda pecar bastante na questão do marketing, o livro pode ser encontrado em várias livrarias em todo o país.
[Leia outros Comentários de Janethe Fontes]
26/1/2011
22h07min
Interessante este ponto tocado por você. De uma maneira geral, as pessoas não conseguem exergar um livro ou filme, por exemplo, como um produto. Não conseguem entender que existe uma cadeia de corporações e de pessoas que vivem disso e que precisam do dinheiro resultante dessas transações comerciais pra continuar produzindo. Mas tratar o problema como esse deputado propõe não é solução, não basta abraçar todos os livros/autores (é preciso, como em qualquer negócio, separar o joio do trigo) porque aí, sim, estaremos matando o que resta desse mercado.
[Leia outros Comentários de Guilherme Ferreira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




À MARGEM DO CAMINHO
ISABEL MAGALHÃES
FONTE VIVA
(1989)
R$ 11,00



OLHO DAGUA
JOÃO ACCIOLI
BRASILIENSE
(1943)
R$ 50,00



COLEÇÃO AQUI E AGORA - JACARÉS QUEM DIRIA
CELSO ANTUNES
SCIPIONE
(1994)
R$ 6,90



LENDAS DO MUNDO INTEIRO - CLÁSSICOS DA INFÂNCIA
VÁRIOS AUTORES
CÍRCULO DO LIVRO
(1995)
R$ 9,80



LEI DO INQUILINATO COMENTADA DOUTRINA E PRÁTICA LEI 8.245 -18/10/91
SÍLVIO DE SALVO VENOSA
ATLAS
(2012)
R$ 30,00
+ frete grátis



MAGISTRATURA DO TRABALHO: SENTENÇAS DE CONCURSOS RESOLVIDAS
OTAVIO CALVET (2ª EDIÇÃO)
ELSEVIER
(2005)
R$ 20,00



SAGITÁRIO - COLEÇÃO ASTRO-SIGNOS
DINAÊ S. GELHARDT
EKO
R$ 8,00



BLOG ENTENDA SUA REVOLUÇÃO
HUGH HEWITT
THOMAS NELSON
(2007)
R$ 9,39



DIRETRIZES ESPIRITUALISTAS DA RELIGIÃO DE DEUS VOL III
JOSE DE PAIVA
RELIGIAO DE DEUS
(1996)
R$ 6,90



BEM VIVER MAL VIVER
CREMILDA MEDINA
CJE / ECA / USP
(1996)
R$ 5,00





busca | avançada
80910 visitas/dia
2,2 milhões/mês