Quem é o abutre | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
22991 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mostra Primeiros Passos
>>> José Patrício inaugura exposição inédita em Brasília
>>> Livro mostra a ambiguidade entre amor e desamor
>>> Red Bull Station estreia exposições de letrista e de coletivo feminino em julho
>>> Alaíde Costa e Toninho Horta mostram CD em parceria na CAIXA Cultural São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> O massacre da primavera
>>> Reflexões sobre a Liga Hanseática e a integração
>>> A Fera na Selva, filme de Paulo Betti
>>> Raio-X do imperialismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> A luz da alma - Haifa Israel
>>> Tempo & Espaço
>>> Mão única
>>> A passos de peregrinos ll
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES IV
>>> Shomin-Geki, vidas comuns no cinema japonês
>>> Con(fusões)
>>> A passos de peregrinos l
>>> Ocaso
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES I
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A música clássica ensurdece a democracia caótica
>>> Dê-me liberdade e dê-me morte
>>> Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas
>>> Memórias da revista Senhor
>>> É o Fim Do Caminho.
>>> Ao Abrigo, poemas de Ronald Polito
>>> O massacre da primavera
>>> Raio-X do imperialismo
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> O Brasil que eu quero
Mais Recentes
>>> Tomás de Aquino
>>> Minha limpeza corporal - Le grand Ménage
>>> Max Weber e a política alemã
>>> Isaiah Berlin
>>> La Magia en Acción
>>> Introdução à epistemologia
>>> As causas da grandeza do romanos e da sua decadência
>>> Hannah Arendt
>>> Paixão por vencer. A bíblia do sucesso
>>> O Livro Completo de Bruxaria do Buckland
>>> O Escaravelho do Diabo
>>> Llora Herraiz
>>> Festa no Covil
>>> O Fazedor de Velhos
>>> Mentes Tranquilas, Almas Felizes
>>> Contabilidade Pública: da Teoria à Prática
>>> Estudo de Movimentos e Tempos
>>> Cartas Comerciais em Espanhol
>>> Organização , Sistemas e Métodos e As Tecnologias de Gestão Organizacional
>>> Perdas & Ganhos
>>> Dom Casmurro
>>> História da Arte
>>> O sentido da realidade. Estudos das ideias e de sua história
>>> Práticas de Linguagem - Leitura & Produção de Textos
>>> Pássaros Feridos
>>> Geografia do Brasil - Espaço Natural, Territorial e Sócioeconômico brasileiro
>>> Contratos Internacionais do Comércio
>>> Marketing Social: Novos Paradigmas
>>> Gestão Financeira das Empresas: um Modelo Dinâmico
>>> Fundamentos de Economia
>>> Economia Brasileira Contemporânea: Para Cursos de Economia e Administração
>>> À Margem da Linha
>>> Conecte História - 3º Ano - Ensino Médio
>>> Biologia 3 - 3ª edição
>>> Culinária para Bem Estar
>>> A Ilíada e a Odisseia - Coleção Clássicos Em Quadrinhos
>>> Asas do Brasil - Uma História que Voa Pelo Mundo - Em Ótimo Estado
>>> Esquecer o natal
>>> O Mistério dos Sete Candelabros de Ouro
>>> Dom Quichote De La Mancha - Cervantes / Gustavo Doré - Raro
>>> Coleção Fernando Sabino 12 Volumes Editora Record 1984
>>> Livro Curso Prático De Imposto De Renda
>>> O Medo e a Ternura
>>> Liberdade Virtual
>>> A Colina dos Suspiros
>>> Pretinha, eu?
>>> Amor Não Tem Cor
>>> A Morte Tem Sete Herdeiros
>>> Contos Urbanos e Lendas Rurais
>>> Redes de Abuso
COLUNAS

Sexta-feira, 6/2/2015
Quem é o abutre
Marta Barcellos

+ de 2400 Acessos

Durante muito tempo, em conversas onde eu não era conhecida como jornalista, lancei mão de uma espécie de piada particular: quando o assunto descambava para reclamar da "imprensa sensacionalista", eu rapidamente engrossava o coro: "Jornalista? Ô, raça. Mataram a Lady Diana." Alguém sempre achava que aí eu estava exagerando.

Não que eu defenda a tal imprensa carniceira. Longe disso. Na verdade, sempre acreditei que o papel do jornalista profissional deve ser exercido com responsabilidade, e pensando na sociedade, não na audiência fácil. No entanto, me irritava com a hipocrisia de não se reconhecer o interesse que existe pelo sensacionalismo (muitas vezes, naquela própria roda), como se ele fosse apenas fabricado por jornalistas inescrupulosos.

Dezoito anos depois da morte da Lady Di, o assunto continua em pauta, e voltou a ser explorado em dois filmes que disputam prêmios do Oscar de 2015, cerimônia que será transmitida no próximo 22 de fevereiro. Tanto em O abutre, de Dan Gilroy, como em Garota exemplar, de David Fincher, as tramas violentas só se desenvolvem graças à existência de câmeras e jornalistas ávidos por transformar notícias em entretenimento popular.

Os filmes não ignoram que já se foi o tempo em que se podia culpar apenas a imprensa formal pela baixa qualidade do noticiário ou da audiência - o tempo antes da internet e dos gadgets, quando não seria possível a qualquer um, como hoje, viralizar qualquer baixaria captada por um celular. Em Garota exemplar, por exemplo, não falta a perua sem noção que quer tirar selfie sorridente tendo como pano de fundo a tragédia. Em O abutre, qualquer um consegue vender sua filmagem chocante para a emissora de TV decadente. Ou seja, a massa de mídias, ao invés da mídia de massas, não aumentou o senso de responsabilidade nesta intermediação - muito pelo contrário.

Mesmo assim, nos dois filmes, a tradicional imagem de jornalistas "abutres" e sem escrúpulos, invasivos e munidos de câmeras implacáveis, é explorada à exaustão. Porém, o desenrolar das histórias acaba revelando uma complexidade maior por trás do fenômeno, no qual ninguém parece ser inocente.

A primeira dica de que sequer se trata de fenômeno novo está em um improvável casal de vilões escondido por trás da intrincada trama de suspense de Garota exemplar. São os pais de Emy - de semblante imperturbável e marketing afiado - quem há décadas exploram a imagem da filha (Rosamund Pike, candidata a melhor atriz). Desde antes da TV ou da internet sensacionalista, eles já escreviam livros infantis sobre a personagem "Emy exemplar", garotinha loira, talentosa e perfeita que substituía com ganhos a filha real - que logo aprendeu a ser feliz apenas parecendo feliz. Isso tudo antes dos selfies, dos reality shows ou do Facebook. Nada mais natural, portanto, que ela tentasse aplicar a fórmula ao seu casamento: "Fomos felizes fingindo ser outras pessoas: o casal mais feliz que conhecíamos", diz Amy, sobre a relação com o marido vivido por Ben Affleck.

Do outro lado, como fãs atentos ao desempenho da Emy perfeita, sempre estiveram os ávidos leitores, que compravam livros e enriqueciam sua família, gratos por lhes proporcionar tal "entretenimento do real". Com o desenrolar da trama, porém, este mesmo público inocente mostrará seu viés carniceiro, e dará audiência às especulações sensacionalistas em torno do desaparecimento da personagem - personagem que é percebida como "do público" e por isso acaba radicalmente retribuindo a essa expectativa.

A reflexão sobre quem de fato é o abutre - o jornalista, o público ou o mesmo o personagem que vibra com sua imagem transformada em carniça frente às câmeras - continua no filme estrelado por Jake Gyllenhaal, injustamente não indicado na categoria de melhor ator.

Assim como Emy encarna de forma radical a "personagem-espetáculo", o Louis Bloom de O abutre assume o papel extremo de "mestre-do-espetáculo", com a desconcertante cumplicidade de toda a sociedade a sua volta. E com o endosso de um discurso econômico, tecnológico e corporativo, que tudo justifica.

Como um impessoal empreendedor, Bloom sequer aparenta ser o abutre do título, tamanha sua frieza diante da dor alheia. Afinal, a carniça não é para consumo próprio: será servida aos outros.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 6/2/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O que você vai ser quando crescer? de Fabio Gomes
02. A Mão Invisível de Marilia Mota Silva
03. Você é África, Você é Linda: abaixo o preconceito! de Fabio Gomes
04. O cinema de Weerasethakul de Guilherme Carvalhal
05. Zizitinho Foi Para o Céu de Marilia Mota Silva


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2015
01. Contra a breguice no Facebook - 5/6/2015
02. Dando conta de Minas - 7/8/2015
03. Quem é o abutre - 6/2/2015
04. O gueto dos ricos - 20/3/2015
05. Uma entrevista literária - 11/12/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESPAÇO NACIONAL, FRONTEIRAS E DESLOCAMENTOS NA OBRA DE ANTÔNIO TORRES
CLÁUDIO CLEDSON NOVAES, ROBERTO H. SEIDEL (ORG.)
UEFS
(2010)
R$ 25,00



UM LIVRO FORJADO NO INFERNO- O TRATADO ESCANDALOSO DE ESPINOSA E O NASCIMENTO DA ERA SECULAR.
STEVEN NADLER
TRÊS ESTRELAS
(2013)
R$ 29,99



QUINCAS BERRO D'ÁGUA E O GATO MALHADO
JORGE AMADO
RECORD
(1983)
R$ 30,00
+ frete grátis



TUDO É POSSIVEL
ALLAN PERCY
SEXTANTE
(2013)
R$ 10,00



RANGERS: ORDEM DOS ARQUEIROS 1 - RUÍNAS DE GORLAN
JOHN FLANAGAN
FUNDAMENTO
(2009)
R$ 16,90



SCJP SUN CERTIFIED PROGRAMMER FOR JAVA 5 NEW EDITION (SEM CD)
KATHY SIERRA / BERT BATES
MCGRAW HILL
(2006)
R$ 29,00



UM AMOR PARA RECORDAR
NICHOLAS SPARKS
NOVO CONCEITO
(2013)
R$ 6,78



VIAGENS PSÍQUICAS
RUSSEL B. ADAMS
ABRIL LIVROS
(1993)
R$ 10,00



OS JOGOS TEATRAIS DE VIOLA SPOLIN: UMA PEDAGOGIA DA EXPERIÊNCIA
KARINE RAMALDES E ROBSON CORRÊA DE CAMARGO
KELPS
(2017)
R$ 35,00
+ frete grátis



JOSÉ E SEUS FILHOS VOL 8
GORDON LINDSAY
GRAÇA
(2001)
R$ 5,00





busca | avançada
22991 visitas/dia
1,1 milhão/mês