Alguns poemas traduzidos, de Manuel Bandeira | Digestivo Cultural

busca | avançada
53746 visitas/dia
2,9 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Feira de vinis especializada em reggae desembarca no Festival Mucho em dezembro
>>> 9ª Edição do Encontro Internacional de Mulheres Palhaças (EIMPA) recebe dezenas de atrações com mais
>>> Teatro- Cidadão em Construção - Ultima apresentação no CEU
>>> 26º Cirandança reúne 1200 alunos das Oficinas de Dança durante 6 dias no C.C. Diadema
>>> IOLE DE FREITAS NO PAÇO IMPERIAL, RIO DE JANEIRO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
>>> O tipógrafo-artista Flávio Vignoli: entrevista
>>> Deixe-me ir, preciso andar, vou por aí a procurar
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
Colunistas
Últimos Posts
>>> Keleti: de engenheiro a gestor
>>> LeCun, Bubeck, Harris e a inteligência artificial
>>> Joe Satriani tocando Van Halen (2023)
>>> Linger by IMY2
>>> How Soon Is Now by Johnny Marr (2021)
>>> Jealous Guy by Kevin Parker (2020)
>>> A última canção dos Beatles (2023)
>>> No Time To Die by Meg Mac
>>> Praise You by The Belligerents (2015)
>>> Let It Happen by Meg Mac (2017)
Últimos Posts
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Culpa não tem rima
>>> As duas faces de Janus
>>> Universos paralelos
>>> A caixa de Pandora do século XX
>>> Adão não pediu desculpas
>>> No meu tempo
>>> Caixa da Invisibilidade ou Pasme (depois do Enem)
>>> CHUVA
>>> DECISÃO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> País do Carnaval III
>>> Meu cinema em 2010 ― 2/2
>>> Dar títulos aos textos, dar nome aos bois
>>> Recordações da casa dos mortos
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> Toca Raul!
>>> ESCAVAÇÕES NO TEMPO
>>> Xadrez, poesia de Ana Elisa Ribeiro
>>> TV aberta em 2004: o ano do Orgulho Nacional
>>> Ventania quinta-feira à noite em Chicago
Mais Recentes
>>> Amar e Ser Livre de Sri Prem Baba pela Harper Collins (2017)
>>> Amor & Ajuda de Daniela neves Santos pela BesouroBox (2013)
>>> O Dalai Lama fala de jesus de Dalai lama pela Fissus (2003)
>>> A Cor púrpura - Romance de Alice Walker pela Marco Zero (1982)
>>> A Arte de meditar de Mathieu Ricard pela Globo (2023)
>>> Bhagavad Gita de Krishna pela Martin Claret (2012)
>>> Comer, Treinar, Dormir de Drª Samira Layaum pela Prumo (2012)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Nova Visão (2021)
>>> Cirinéia Iolanda Maffei de Retratos de Nazaré pela Boa Nova
>>> José de Editora Betânia pela Betânia (1979)
>>> Elias de Editora Betânia pela Betânia (1977)
>>> Moises vol 1 e vol 2 de Editora Betânia pela Betânia (1978)
>>> Snoopy & Charlie Brown ano 2 nº 14 de Schulz pela Artenova (1974)
>>> Eu Amo Dick de Chris Kraus pela Todavia (2019)
>>> Psicopedagogia Infanto-Adolescente - 3 volumes de Grupo Cultural pela Cultural
>>> Disciplina: Limite na medida certa - Novos paradigmas de Içami Tiba pela Integrare (2006)
>>> Vivendo, Amando e Aprendendo de Leo Buscaglia pela Viva Livros (2016)
>>> Em Busca da Evolução Espiritual de Norma I. Ries pela Pallotti (1991)
>>> Saber Cuidar de Leonardo Boff pela Vozes (2001)
>>> Tramandaí: Terra e gente de Leda Saraiva Soares pela Pallotti
>>> A Jornada Liberal 2 de João Neves pela Globo (1932)
>>> Cartas a Amigos II de Joaquim Nabuco pela Instituto Progresso (1949)
>>> Um Estadista do Império III de Joaquim Nabuco pela Instituto Progresso (1949)
>>> Um Estadista do Império I de Joaquim Nabuco pela Instituto Progresso (1949)
>>> Um Estadista do Império IV de Joaquim Nabuco pela Instituto Progresso (1949)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Sexta-feira, 6/7/2007
Alguns poemas traduzidos, de Manuel Bandeira
Julio Daio Borges
+ de 18100 Acessos
+ 3 Comentário(s)




Digestivo nº 334 >>> Hoje quando poetastros desejam fazer as brincadeiras que Manuel Bandeira fazia, em poesia, esquecem-se de um dado fundamental, conforme lembra o professor João Adolfo Hansen, com deferência, sempre que fala nele: “Bandeira era cultíssimo”. Podia, então, brincar à vontade com a língua, podia até se dar ao luxo de ser o “São João Batista do Modernismo”, segundo Mário de Andrade, escarnecendo do “lirismo funcionário público” e mesmo da sua débil condição física. Hoje, para falar dos “poetas” contemporâneos, poder-se-ia adaptar termos como “escatologia funcionária pública”, “violência (gratuita) funcionária pública” e o “semi-analfabetismo funcionário publiquíssimo”. E a incultura, claro – que, além de orgulhosa e ostensiva, seria o produto mais bem distribuído hoje, de Norte a Sul do Brasil. Não é exagero concluir, portanto, que Bandeira nos humilha, aqui no século XXI, com sua cultura – e um bom exemplo, atualmente nas livrarias, é a edição Alguns poemas traduzidos, com organização de Leonardo Fróes. Bandeira, fora tudo o que escreveu, em poesia e em prosa, realizou traduções, até para consumo próprio, que se tornaram célebres – a ponto de virarem livro e, oportunamente, chegarem até nós, os “incultíssimos”. Desde Goethe até Bashô, nosso São João Batista do Modernismo parece ter especial predileção por Hölderlin (sobre quem se debruça nove vezes) e, obviamente, por “modernos” como o espanhol García Lorca (duas vezes) e o nicaragüense Rubén Darío (duas vezes também). Entre as poetisas, Emily Dickinson recebe sua especial atenção (cinco vezes) e ainda Juana Inés de la Cruz (duas). O volume faz parte da coleção Sabor Literário, da editora José Olympio, e pode ser lido, como se diz, numa sentada (ou até numa deitada). Bandeira, embora galhofeiro e de feições um pouco cômicas, não era só cultíssimo, mas, também, seriíssimo, em matéria de poesia.
>>> Alguns poemas traduzidos
 
Julio Daio Borges
Editor
Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Bamberger Symphoniker, com Jonathan Nott (Música)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/7/2007
10h58min
Julio, em nome da família Bandeira (sou sobrinha-neta do poeta, neta de seu irmão Antonio) quero agradecer a divulgação e as palavras elogiosas sobre ele. São, na verdade, muito justas. Ele era cultíssimo e a poesia para ele, mais do que matéria de inspiração, era transpiração, trabalho árduo sobre a palavra. O aparentemente simples é muito mais complexo. E tenho especial carinho por estes poemas traduzidos - amo de paixão. Abraços, Helena
[Leia outros Comentários de Helena]
3/7/2007
17h47min
Pensar Manuel Bandeira, além do medo que ele tinha de morrer, mas lembrar de suas palavras, dizendo pra São Pedro, da Irene preta, e sabendo que mesmo bonachão, lá no céu, São Pedro daria um sorriso, dizendo, pode entrar, Irene, a casa é sua, minha preta.
[Leia outros Comentários de manoel messias perei]
5/7/2007
12h56min
Julio, agora você disse tudo. Sempre gostei e admirei Manuel Bandeira. O cara era fera na arte da palavra, na brincadeira com os versos, na gozação e na sensibilidade. Quando ele trata de amor, saudade, pátria, essas coisas... toca fundo a nosssa alma. Muitos pretensos intelectuais não valorizam a sua obra, talvez por acharem simples os seus versos. Tem um poema que adoro: "Carinho Triste". É muito bonito e triste. Que bom que você nos relembrou esse grande poeta! Bj. Dri
[Leia outros Comentários de adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




The Arabian Nights
Sir Richard F. Burton
Barnes & Noble
(2020)



Adorando o Deus de Daniel e Seus Amigos
Vera Tylde de Castro Pinto
Life
(2017)



Edifícios Corporativos: Botti Rubin Landmark Vol. 15
Haifa Yázigi Sabbag
Cris Corrêa
(2010)



Nó de Ratos
Michael Dibdin
Companhia das Letras
(1997)



Winners - The Successful Strategies Entrepreneurs Use To Build New Businesses
Carter Henderson
Holt, Rinehart and Winston
(1985)



Elogio da loucura
Erasmo
Escala
(2006)



Palacete Santa Helena - Um Pioneiro da Modernidade Em São Paulo
Candido Malta Campos/ José Geraldo Simões Junior
Senac
(2006)



O Significado dos Versículos do Alcorão Sagrado
Samir El Hayek
MarsaM
(2001)



Longa travessia
Francinilto Almeida
Mundo Cristão
(2005)



Deixe de ser Vitima
Marilyn Norquist Gustin
Santuário
(2000)





busca | avançada
53746 visitas/dia
2,9 milhões/mês