Você é daqueles que seguem a bula dos filmes? | Daniela Sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 4/7/2001
Você é daqueles que seguem a bula dos filmes?
Daniela Sandler

+ de 4400 Acessos

Me, You, Them é o título com que Eu, Tu, Eles (Brasil, 2000, Andrucha Waddington) passou nos Estados Unidos, no primeiro semestre deste ano. Em Rochester, a cidade onde moro, que tem um cineclube e um cinema de arte, o filme entrou em uma sala apenas. Lá chegam alguns filmes estrangeiros, parte dos quais consegue público suficiente para ficar algumas semanas em cartaz - é o caso de Amor à Flor da Pele (In the Mood for Love, China, 2000, Wong Kar Wai), que teve salas lotadas nos finais de semana por mais de um mês. Me, You, Them, como boa parte dos filmes, ficou só uma semana em cartaz - faltou público para alongar a temporada. Alguns comentários que ouvi - de gente que viu o filme ou em resenhas - diziam que as imagens eram bonitas, a música era boa, mas o filme era lento, não tinha muita história e suas muitas seqüências longas e silenciosas o tornavam entediante. Ora, acho que a descrição se encaixa como uma luva em mais da metade dos filmes estrangeiros que passam por lá, inclusive o bem-sucedido Amor à Flor da Pele.

Os dois filmes, cada um à sua maneira, são interessantes. Não quero desmerecer um em função do outro. Também não quero dar ao filme brasileiro mais louros do que merece. Para ficar no campo dos filmes-lentos-que-viraram-cult, concedo que, apesar de Eu, Tu, Eles ser um bom filme, O Gosto da Cereja (Ta'm-e-Ghilass, Irã, 1997, Abbas Kiarostami) ainda é melhor. Mas não é questão de fazer ranking toda vez que se vai ao cinema - muito menos de limitar os filmes assistidos a duas categorias apenas (bom ou ruim). A gente gosta de alguns, adora outros, suporta boa parte, odeia um punhado - e não deixa de ir ao cinema só porque a maior parte não será sensacional. O que me irrita na reação do público de Rochester - cidade cinéfila, que conta com um dos mais importantes centros de pesquisa e conservação de filmes do mundo (a George Eastman House) e com excelentes programas universitários de teoria e prática de cinema (Universidade de Rochester, Instituto de Tecnologia de Rochester) - é o bias, a parcialidade preexistente na reação a produtos culturais, a predisposição a gostar ou não gostar determinada por fatores externos ao objeto em questão.

Um amigo meu, que faz doutorado em teoria do cinema, concordou: os filmes asiáticos (iranianos, taiwaneses, chineses, japoneses) têm atualmente um prestígio que extrapola o filme, uma espécie de trunfo. Já saem na frente do páreo. As pessoas vão predispostas a gostar - e também a "tolerar" seqüências longas e silenciosas e roteiros sem narrativa. O público sabe que vai ter de procurar o significado do filme nos detalhes, na junção de um enquadramento com um trecho de trilha sonora, em falas isoladas, ou na caracterização (silenciosa) de personagens. O filme vem com selo de qualidade, chancelado pela aclamação crítica e por prêmios conquistados em festivais internacionais. Júris, críticos e jornalistas não tardam a transformar os sucessos isolados em sinal de um "movimento" coletivo - "o novo cinema japonês", "os iranianos" -, como a querer dar significação histórica maior que as conquistas artísticas individuais de cada cineasta. Não quero com isso sugerir que não se deva ter senso de conjunto ou que se ignore o contexto dos filmes. O que chama a atenção é quando o esforço de contextualização vira mito heróico, exagerado - e, como mito, passa a arrebanhar a fé cega de seguidores...

Mais que isso. Além do selo de qualidade da nacionalidade, cada filme vem acompanhado de bula. Críticas jornalísticas e comentários informais embalam filmes como O Gosto da Cereja, que já chegam com terreno arado. A propaganda corre nos "intelligentses" corredores universitários, nos bares "descolados", nos restaurantes "muderrnos", nas exposições "hypadas". O que diz essa propaganda? Diz se é "OK" gostar ou não do filme. Diz que "mensagem" se deve ler, como se deve reagir, a hora de chorar, a hora de rir. Mais que isso. Diz que, compartilhando opinião e experiência - ou seja, vendo o filme e reagindo comme il fault -, garante-se o acesso aos círculos iluminados. É uma espécie de "valor monetário" cultural. Nem preciso dizer que esse fenômeno não ocorre só em Rochester, ainda que a reação brasileira a Eu, Tu, Eles tenha sido diferente (o que também não é nenhuma surpresa). Com variações locais como essa, o "valor monetário cultural" existe cá e lá; em São Paulo e em Nova York; ou, como diria nosso colunista Paulo Salles, do Ritz ao Spot. Como valor, tem pouco de cultura e muito de produto. Por "cultura", neste caso, entendo a reação criativa, individual e livre aos filmes - ainda que em diálogo com a crítica existente e com a reação de outras pessoas. Com "produto", quero indicar o consumo irrefletido dos filmes, ainda que acompanhado por comentários pseudo-profundos.

Vocês sabem do que estou falando. Por exemplo, de gente que vai ao Espaço Unibanco porque é bacana ser visto lá; porque vai reconhecer e ser reconhecido, sinalizando o pertencimento a determinados grupos; porque dá prestígio. Eu também vou ao Espaço Unibanco. Assim como eu, sei que muita gente vai simplesmente por se interessar pelos filmes que passam lá. Mas, se eu pudesse escolher, só ia nas sessões vazias - terça à noite, sexta às duas da tarde -, para não ter de ficar horas nas filas e depois sentar no canto extremo da última fileira. Quando vou nas horas de pico, tenho a estranha impressão de que a maioria daquelas pessoas que ficam um tempão na fila está é curtindo a situação - mais tempo de "exposição" e mais chance de ver e ser visto (mais ou menos como as pessoas que parecem gostar do tempo de espera em restaurantes badalados - como, aliás, o Spot).

Nada disso tem a ver com "gostar" ou "desgostar" do filme em questão. Não é o fato de que, em Rochester, teve gente que não gostou do filme ou dormiu durante Eu, Tu, Eles que me chateou. O que me incomodou é que essa gente é a MESMA que babou por Amor à Flor da Pele, e as razões dadas para não gostar de Eu, Tu, Eles são exatamente aplicáveis ao filme chinês. Se alguém me dissesse que não gostou porque, sei lá, achou os personagens inverossímeis, o roteiro pouco desenvolvido, o ritmo irregular ou a paisagem muito seca - vá lá, não concordo, mas aceito. Mas usar dois pesos, duas medidas por causa do "valor monetário cultural" - ah, não!

Ninguém precisa gostar nem de Amor à Flor da Pele nem de Eu, Tu, Eles. Eu gosto desses filmes, amei O Cheiro da Papaya Verde, Tio Vanya em Nova York e Onde Fica a Casa do Meu Amigo, mas não quero nem espero que todos façam o mesmo. Que o critério, no entanto, seja pessoal (seja qual for), e não a ditadura coletiva do gosto - que, para mim, tem o nome de religião.

Para ir além

Eu, Tu, Eles

Amor à Flor da Pele

O Gosto da Cereja


Daniela Sandler
São Paulo, 4/7/2001


Mais Daniela Sandler
Mais Acessadas de Daniela Sandler em 2001
01. O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece - 8/8/2001
02. Quiche e Thanksgiving - 21/11/2001
03. A língua da comida - 29/5/2001
04. Mas isso é arte??? - 29/8/2001
05. Notícias do fim-do-mundo - 24/10/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MODERNA TECNICA DE ABERTURA NO XADREZ
EUGÊNIO ZNOSKO BOROVSKY
EDIOURO
R$ 6,90



STREAMING CRIE SUA PRÓPRIA RÁDIO WEB E TV DIGITAL
RENATO NOGUEIRA PEREZ AVILA
BRASPORT
(2004)
R$ 15,00



VOCÊ CONHECE WALT DISNEY?
WHITNEY STEWART
FUNDAMENTO
(2015)
R$ 38,80



CRESCER É PERIGOSO
MARCIA KUPSTAS
MODERNA
(1994)
R$ 18,00
+ frete grátis



OS LITIGANTES
JOHN GRISHAM
ROCCO
(2012)
R$ 10,00



A OUTRA FACE DE DEUS
F. T. FARAH
RAI
(2012)
R$ 18,00



MADONNA REVEALED
DOUGLAS THOMPSON
CAROL GROUP
(1991)
R$ 30,00



CST EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO MÓDULO 1. 2
ANDRÉ TONANI E OUTROS
UNISEB INTERATIVO
(2012)
R$ 40,00



ECONOMITOS - OS DEZ MAIORES EQUÍVOCOS DA ECONOMIA
DAVID ORRELL
BEST BUSINESS
(2012)
R$ 32,90



CASA E JARDIM TEMPEROS E MOLHOS
JOSÉ ALEXANDRE QUINTÃO ( DIRETOR)
FC
R$ 6,47





busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês