Alterações pernambucanas | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 25/11/2003
Alterações pernambucanas
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 4200 Acessos

A Guerra dos Mascates (1710-1711) foi o conflito entre os senhores de terra, nos engenhos de Olinda, e os comerciantes portugueses do Recife, os mascates. À época, os proprietários de terra de Olinda estavam endividados em razão da queda internacional do preço do açúcar e, por isso, não aceitaram a emancipação político-administrativa do Recife, onde se concentravam os mascates, posto que este fato só atrapalharia ainda mais a situação dos senhores de Engenho. Mais do que narrar os acontecimentos, o livro A Fronda dos Mazombos, do historiador Evaldo Cabral de Mello, propõe-se a analisar, com riqueza de detalhes, os fatos que cercaram este conflito.

Trata-se, na verdade, de um relançamento, uma vez que a primeira edição do livro saiu em 1995. Desta feita, conforme o próprio autor avisa no início, foram adicionadas informações obtidas em documentação antes existente em Lisboa e que só agora esteve à disposição do historiador. Mais detalhes. Assim, o livro se divide em duas partes. A primeira, “Entre os holandeses e os mascates”, tece impressões sobre a sociedade, vida política e economia das décadas anteriores ao conflito, de 1666 em diante. Já a segunda, “Alterações pernambucanas”, conta o conflito em si.

O historiador inicia sua análise pelo que ele considera ser a gênese do conflito, a destituição de Jerônimo de Mendonça Furtado do cargo de Governador Geral de Pernambuco, em 1666. A partir daí, passa a buscar, nas minúcias, quais foram as causas que levaram ao conflito, sempre tendo a deposição como fio condutor dessa seção. Além disso, preenche a aridez das notas e dos documentos históricos com o relato passional dos cronistas contemporâneos, o que torna a leitura um pouco mais agradável. Entretanto, se por um lado o leitor não se perde com os flashbacks da narrativa, por outro, observa-se que algumas descrições poderiam, sem qualquer defasagem à história, ser suprimidas. Isso porque quem desconhece o assunto corre o risco de ter como foco principal o que ali está como complemento. Já o leitor iniciado, por sua vez, tende a considerar os esclarecimentos ali expostos excessivamente repetitivos, uma vez que a toda hora estes fazem alusão ao que já está sugerido nas primeiras linhas da obra: a luta pelo poder entre os grupos que, mais tarde, se confrontariam.

Isso fica claro no quarto capítulo, quando se tem a totalidade dos eventos que antecedem o confronto entre os nobres e os mascates. Nesse ponto, aliás, o autor consegue tocar o cerne da questão, ao evidenciar o que até aquele momento estava implícito, que é a luta de classes. E a tese se confirma a partir dos relatos de cada parte, que são contrapostos a fim de proporcionar ao leitor uma visão parcial do ocorrido. Observa-se também que essa polarização entre comerciantes e agricultores foi muito peculiar à realidade de Pernambuco. Exemplo disso foi a convivência pacífica entre os dois grupos na Bahia, conforme revela o autor: “A própria facilidade com que os comerciantes ricos pularam a barreira para tornar-se parte da elite impediu-a de se transformar numa corporação fechada que poderia ter marginalizado um grupo social economicamente poderoso e politicamente fraco, situação que quase certamente teria provocado conflito de classe”.

Além disso, Evaldo Cabral de Mello levanta uma explicação necessária para o desmonte do mito da cordialidade do Brasil Colônia ao mostrar como era violenta a sociedade pernambucana naquele momento: “Ao percorrer estas páginas, o leitor poderá interrogar-se sobre a sem-cerimônia com que se mandava espancar e assassinar, práticas ampla e tacitamente aceitas por todas as camadas sociais”.

Outro tópico fundamental, já na segunda parte, é o que versa sobre o governo de Sebastião de Castro e Caldas. Evaldo Cabral gasta boa parte do livro contando as ações dos governadores-gerais (há, inclusive, no anexo uma lista com todos os governadores de 1654 a 1718); no entanto, faz uma análise acurada da gestão de Castro e Caldas, enfatizando, não somente os erros políticos, como também as falcatruas. Nesse sentido, o autor sugere que, após um governo tão parcial para os mascates, o confronto seria inevitável. Ou nas próprias palavras do autor: “Castro e Caldas desfruta lugar indisputado na galeria dos vilões da história pernambucana (...) Ninguém seria tão execrado entre nós quanto este produto típico da pequena nobreza lusitana típica.”

De um modo geral, a análise de Evaldo Cabral consegue aliar estilo à análise factual da Guerra dos Mascates, justamente porque o autor não se furta a contrapor os documentos existentes, sem pender para um dos lados. São válidos, inclusive, as notas de rodapé e o supracitado anexo, que possui também as fontes narrativas utilizadas pelo autor. Contudo, para que se possa chegar ao conflito em si, muitas idas e vindas são necessárias ao longo do livro, o que torna o objeto de estudo, a Guerra, secundário em comparação com o entorno. Ou seja, se é preciso que se entenda o ambiente vivido naquele momento, também é essencial que haja um processo de seleção a fim de que se destaque o que é relevante e o que deveria ser colocado como apêndice de um confronto que, ao passo que é tão importante para a História do Brasil, é, ainda, pouco debatido.

Nossa História viva em revista

Com o objetivo de estimular o gosto pela história do País, a Editora Vera Cruz, em parceria com a Biblioteca Nacional, lança a revista Nossa História. A publicação se propõe a tratar os principais temas que marcaram a formação do Brasil nos últimos 500 anos. Entre os membros do Conselho Editorial da revista, nomes de quilate como o jornalista Marcos Sá Correa, a antropóloga Lilia Moritz Schwarz e o historiador Evaldo Cabral de Mello. Além deste, outro periódico surge para trazer, mensalmente, “a chave para a compreensão de nossa realidade e de nossa perplexidade”: trata-se da revista História Viva, cuja abrangência é mais internacionalista, com enfoque especial para África e Portugal pelo que representam para o nosso povo e nação, segundo as próprias palavras do publisher, Alfredo Nastari.
A despeito das iniciativas válidas, as duas publicações contam com problemas estruturais. Nossa História porque se fixa em temas muito particulares do Brasil, além de ter um caráter professoral em suas matérias. Já a História Viva tende a ser uma versão muito aquém da francesa Histoire, justamente por ter 50% do conteúdo "importado".

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 25/11/2003


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2003
01. Notas sobre Jornalismo Cultural - 11/9/2003
02. Mário Faustino e a poesia - 11/11/2003
03. Civilização Brasileira - 28/10/2003
04. Mongólia: terra estrangeira - 23/12/2003
05. Minha Formação - 14/10/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FÁMILIA EDUCAÇÃO E SOCIEDADE
FRANK MUSGROVE
RÉS
R$ 27,91



A LINGUAGEM CORPORAL DA CRIANÇA
SAMY MOLCHO
GENTE
(2007)
R$ 18,00



MANTENHA-SE EM FORMA COM IOGA
LYN MARSHALL
CULTRIX
(1980)
R$ 7,90



DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA GERENTES DE PROJETOS
MÁRCIO RODRIGUES ZENKER
ELSEVIER
(2014)
R$ 55,00



112 INVOCAÇÕES DA VIRGEM MARIA NO BRASIL
NILZA BOTELHO MEGALE
VOZES
(1986)
R$ 100,00



SUAVE É A NOITE - COLEÇÃO IMORTAIS DA LITERATURA UNIVERSAL
FITZGERLD
NOVA CULTURAL
(1995)
R$ 15,00



PUNIBILIDADE NO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL
FAUSTO MARTIN DE SANCTIS
MILLENIUM
(2003)
R$ 60,00



DEP – DIPLOMACIA ESTRATÉGIA POLÍTICA - NÚMERO 9
CARLOS HENRIQUE CARDIM
MRE / FUNAG
(2009)
R$ 14,00



OS DOIS APOSTOLOS
JOÃO PERNETTA
PLACIDO E SILVA
(1928)
R$ 100,00



AMOR, FELICIDADE & CIA
IÇAMI TIBA
GENTE
(1998)
R$ 4,00





busca | avançada
50039 visitas/dia
1,2 milhão/mês