Vida Nova, de Claudio Lampert | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
70192 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Cassio Scapin e artistas de grandes musicais fazem campanha contra o abuso sexual infantil
>>> Terça Aberta na Quarentena une teatro e a dança
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Jingle Bells
>>> Mano Juan, de Marcos Rey
>>> Relationships Matter
>>> Apesar da democracia
>>> Onze pontos sobre literatura
>>> A maçã de Isaac Newton
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Morando sozinha II
Mais Recentes
>>> As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender de Leslye Walton pela Novo Conceito (2014)
>>> Um Lugar Perigoso de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Companhia das Letras (2014)
>>> Robinson Crusoe de Daniel Defoe pela Ediouro
>>> O pequeno Buda de Gordon McGill pela Círculo do Livro (1998)
>>> O Maior Homem que já viveu de Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados pela Sociedade Torre de Vigia (2020)
>>> Pequot de Vitor Ramil pela Artes e Ofícios (1995)
>>> Quando o espiritual domina de Simone de Beauvoir pela Record (1979)
>>> O resto é silêncio de Érico Veríssimo pela Globo (1998)
>>> Angústia de Graciliano Ramos pela Globo (2013)
>>> O Recurso de John Grisham pela Rocco (2015)
>>> Os doze mandamentos de Sidney Sheldon pela Record (2020)
>>> Direito Ambiental Positivo de Fabrício Gaspar Rodrigues pela Campus (2012)
>>> Mandado de Segurança de Luiz Fux pela Dir (2011)
>>> Lula: A opção mais que o voto de Cândido Mendes pela Garamond (2006)
>>> Latinomérica de Marcus Accioly pela Topbooks (2015)
>>> Levando a vida leve de Laura Medioli pela Justo Junior (2005)
>>> Les Filles du Feu / Les Chimères de Gérard de Nerval pela Garnier-Flammarion (1965)
>>> Revolucione sua qualidade de vida - Navegando nas ondas da emoção de Augusto Cury pela Sextante (2002)
>>> Mulheres certas que amam homens errados de Kristina Grish pela Gente (2007)
>>> Pequenos Poemas em Prosa de Charles Baudelaire pela Nova Fronteira (1981)
>>> E de Evidência de Sue Grafton pela Ediouro (1999)
>>> M - O Homem Sensual de Record pela Record (1997)
>>> Verdura? Não! de Claire Llewellyn; Mike Gordon pela Scipione (2011)
>>> @s [email protected] de [email protected] York - as Senhoritas de Nova York de Daniel Piza pela Ftd (1999)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 1 Real de Federico Delicado pela Pulo do Gato (2014)
>>> 10 Anos Brasil MTV de MTV pela Mtv
>>> 10 Contos de Natal de Gilberto de Nichile pela Scortecci (2015)
>>> 100 Jogos para Grupos de Ronaldo Yudi K. Yozo pela Agora (1996)
>>> 100 Magias para Aumentar Sua Autoconfiança - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2004)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Magias para Ter um Supergrupo - os Livros Secretos Witch de Disney pela Edelbra (2002)
>>> 100 Segredos das Pessoas de Sucesso de David Niven pela Sextante (2002)
>>> 1000 Formas de Interpretar o Seu Horoscopo de Girassol Edicoes pela Girassol (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer de Patricia Schultz pela Sextante (2006)
>>> 1000 Melhores Segredos Rapidos e Faceis para Voce de Jamie Novak pela Arx (2007)
>>> 1001 E-mails de Cynthia Dornelles pela Record (2003)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Companhia das Letras (2002)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 1001 Maneiras de Enriquecer (livro Muito Raro!) de Joseph Murphy pela Record (1966)
>>> 101 Brasileiros Que Fizeram História de Jorge Caldeira pela Estação Brasil (2016)
>>> 101 Experiências de Filosofia Cotidiana de Roger Pol Droit pela Sextante (2002)
>>> 101 Livros Que Mudaram a Humanidade - Coleção Super Essencial de Superinteressante pela Superinteressante (2005)
>>> 101 Lugares para Fazer Sexo Antes de Morrer de Marsha Normandy; Joseph St. James; Alexandre Rosas pela Best Seller (2010)
>>> 102 Minutos: a História Inédita da Luta de Outros; Jim Dwyer pela Jorge Zahar (2005)
>>> 111 Poemas para Crianças de Sérgio Capparelli pela L&pm (2009)
>>> 117 Maneiras de Enlouquecer um Homem na Cama de Margot Saint-loup pela Ediouro (2005)
COLUNAS

Quinta-feira, 3/6/2004
Vida Nova, de Claudio Lampert
Ricardo de Mattos

+ de 5700 Acessos

Diário. Na intimidade, é o registro feito pela pessoa de factos ocorridos e situações vivenciadas no dia ou na semana e que lhe importaram. Muitos do possuidores de certa sanha pela escrita começam pela anotação da jornada. Alguns ficaram famosos, como o de Montaigne em viagem, o de Samuel Peckins, o de Kafka, o de Brecht. Já andei escrevendo um diário, porém com fim próximo ao terapêutico e auto-ministrado. Havia um novelo de pendências de natureza variada e estranhas à jurisdição do padre-confessor, de forma que escrever ajudou-me a resolvê-las. Tanto é que o caderno encontra-se hoje rigorosamente guardado n’uma gaveta e acredito que já esteja na hora de conhecer o fogo.

Dada a particularidade d’esta escrita, não afastada a introspecção que me é característica e cultivada, tenho como atestados de boçalidade estes diários virtuais – blogs – praticados em hodierno. O tom é sempre pessoal, quer referente a fatos pessoais, quer a fatos gerais. A Pitchula escreve sua opinião sobre a Guerra do Iraque, talvez crente de que o Times, o Le Figaro, o excelente New York Times, o Estado ou a Folha de São Paulo publicarão matérias embasados n’ela. Já visitei inúmeros diários e houve época em que acompanhava alguns regularmente. Quem me trouxe à razão foi Paul Valéry, n’uma tarde de sábado. Passei metade do tempo lendo blogs e a outra metade lendo Degas Dança Desenho. A certa altura fechei o volume e pensei: “Como é então que em vez de ler esta maravilha, eu gastei meu tempo com o blog do Jerico”?

Quem entra n’uma sala virtual de bate-papo – “chat” – nota ou uma coluna ou uma barra com os apelidos usados pelos presentes. Alguns d’estes apelidos parecem uma reivindicação pela volta do período da Evolução durante o qual andávamos pelas árvores. Pois bem, como um diarista virtual – vulgo “blogueiro” – relaciona-se com outros da mesma espécie, coloca ao lado de seu texto o link de acesso ao diário do colega. Assim, um conjunto de blogs assemelha-se a um imenso “chat”, com sua coluna de apelidos, textos mal escritos, referências mútuas, brigas e camaradagem. É desanimador. Um adolescente quer mostrar-se familiar às referências literárias e jornalísticas dos mais velhos. Inventa que aos dez anos já acompanhava seu pai a assistir Manhattan Conection e desde então admirava Paulo Francis, mesmo não entendendo sobre o que ele falava, mas tendo a intuição de que ele estava certo. Outro cisma que o melhor da literatura brasileira actual é produzida em blog, talvez querendo justificar a própria adopção do modismo. O silogismo é primário: o melhor da literatura brasileira actual é escrita em blog/eu escrevo em blog/logo, produzo o melhor da literatura brasileira atual. Clarah Averbuck está aí para confirmar.

A devassa do íntimo é uma falha, uma imperfeição superável com o crescimento cultural. Alguns vivem de explorar factos que julgam marcantes em suas longas vidas de vinte anos. Se o leitor perguntar-se à leitura de cada blog “para que eu preciso saber disso?”, o gênero será abandonado em instantes. Não se pode, de forma alguma, dizer que fazem Literatura. Não há de sua parte disposição inventiva que os leve a criar personagens, enredos, ou a realizar as pesquisas necessárias para um texto ficcional ou ensaístico de valor. Quando muito, fantasiam-se conforme convém-lhes e vivem de interpretar alguma figura, assemelhando-se a mímicos de rua ansiosos por atenção. A situação é agravada com a publicação de maus livros, d’entre os quais poucos merecem atenção. Daí o Zitinho é promovido da categoria de arremedo de escritor para a de “escritor principiante”. Sugiro às editoras, pelo bem da leitura de qualidade, o critério de seleção baseado na posse ou não de um blog pelo autor do original candidato à publicação. Se o autor possui um blog, a publicação do original será vetada sumariamente. Se não possui, mas após a eição do livro inaugurar um blog, a editora terá justa causa de rescisão contractual.

Dos poucos a merecerem leitura, encontra-se o livro de crónicas de Claudio Lampert (1.966), portador do dantesco título Vida Nova. É a reunião dos textos escritos o primeiro no final de Novembro de 2.002 e o último em meados de Agosto de 2.003. Como apareceu ainda no ano passado, não esconde o entusiasmo e a pressa de sua publicação. As crónicas são marcadas pela origem: o “eu” observa o mundo e transmite suas opiniões.

Pelo que leio na apresentação, houve um blog denominado Epinion que evoluiu para um sítio literário homónimo, no qual as crónicas eram publicadas às terças-feiras. Caso o volume fosse composto apenas pelas de 2.002, não mereceria um lançar d’olhos. Entretanto, a qualidade do texto cresce conforme a quantidade de palavrões e o esforço pela informalidade decrescem, quando o autor resolve deixar de lado certa familiaridade forçada – que parece típica de escritor fluminense. O resultado é o livro começar mau e atingir aquele ponto no qual o leitor sempre quer “ler mais uma” antes de cerrá-lo. Se Lampert em poucos meses superou seus pares iniciais, poderá avançar muito mais, conforme sua disposição e dedicação, dependendo também do seu objectivo a atingir.

Livro & Música

O Deserto dos Tártaros, de Dino Buzzati (1.906/1.972) foi o melhor livro que li este ano. O jovem tenente Giovani Drogo é nomeado para um posto no velho e inútil forte Bastiani – n’uma fronteira italiana –, construção tendo d’um lado montanhas, e do outro, um deserto. Maior paz não pode haver. Tão pacífico e monótono o local, que os habitantes passam a desejar alguma guerra, alguma batalha, inventam alarmas. Apesar d’isso alguns dos oficiais, inclusive o próprio Drogo, vincularam-se ao local da maneira mais sólida, que é a da aceitação, motivados por uma inexprimível inclinação. Buzzati escreve sobre existências inteiras dedicadas à espera de uma ocorrência que muitas vezes não se dá. Escreve também sobre quem espera, prepara-se, mas é frustrado de algum modo. Pense-se no cientista morto após estudar a vida toda a cura d’uma doença, cura esta descoberta pelo discípulo que retomou seus estudos. Já na velhice, sendo o forte realmente ameaçado, o doente Drogo é enviado à cidade para seu quarto ser utilizado pelas tropas que chegam. O tempo passou, essa passagem era quase tocável. A leitura d’esta obra casa-se muito bem com a audição do famoso Concerto número 2, opus 18, para piano de orquestra, de Rachmaninov, principalmente depois de descoberto um relógio nos graves acordes iniciais.

Para ir além









Ricardo de Mattos
Taubaté, 3/6/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Quem é o abutre de Marta Barcellos
02. Dando nome aos progres de Celso A. Uequed Pitol
03. Leblon de Marta Barcellos
04. Jardim da Infância de Ricardo de Mattos
05. A verdadeira resistência de Celso A. Uequed Pitol


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos em 2004
01. A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón - 9/9/2004
02. Equador, de Miguel Sousa Tavares - 29/7/2004
03. O Livro das Cortesãs, de Susan Griffin - 4/3/2004
04. História e Lenda dos Templários - 1/4/2004
05. O Livro Impresso e O Livro Virtual - 26/8/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




RETRATO SEM LEGENDA
ANNA MARIA MARTINS
SICILIANO
(1995)
R$ 6,90



VIVIANE - HISTÓRIA DE UMA MULHER
LUIZ CARLOS CARNEIRO
LAKE
(1998)
R$ 14,00



FERRO E O VOTO SECRETO
MONTEIRO LOBATO
GLOBO
(2010)
R$ 18,00



UM CONSTRUTOR DO NOSSO TEMPO - DEPOIMENTO AO CPDOC
EDMUNDO DE MACEDO SOARES E SILVA
CSN
(1998)
R$ 30,81



EL MANUSCRITO INTERRUMPIDO DE MARC BLOCH
MASSIMO MASTROGREGORI
FONDO DE CULTURA ECONÓMICA
(1998)
R$ 16,64



DE HIROSHIMA A BAGDÁ
JOAQUIM ANTUNES
ARTES GEOGRAFICA
R$ 6,90



CASAMENTO , TÉRMINO & RECONSTRUÇÃO - 8ª ED - REVISTA E ATUALIZADA
MARIA TEREZA MALDONADO
INTEGRARE
(2009)
R$ 42,00



TESTE DE WARTEGG
EHRIG WARTEGG
CASA DO PSICÓLOGO
(1987)
R$ 49,16



HISTORIA GERAL DA ARTE - ARTES DECORATIVAS II
EDITORA DELPRADO
DEL PRADO
(1996)
R$ 6,90



DIREITO DO CONSUMIDOR: ESTUDO COMPARADO BRASIL-QUEBEC
PATRÍCIA GALINDO DA FONSECA (CAPA DURA)
EDUFF
(2017)
R$ 65,82





busca | avançada
70192 visitas/dia
2,2 milhões/mês