O amor e as prateleiras de livros | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
63094 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Série Brasil Visual tem pré-estreia neste sábado no RJ e estreia dia 25/6, no canal Curta!
>>> Thiago Monteiro apresenta seu primeiro álbum autoral “Despretensioso”, em Rib. Preto - 25/06
>>> DIADORIM | NONADA SP
>>> Porto Blue Sound, festival de música gratuito chega a Belo Horizonte em julho
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez ao CCBB BH
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crônica de Aniversário
>>> Oiti
>>> Uma certa inocência
>>> A TV é uma droga
>>> Arroz com rapa
>>> No TV
>>> A Onda de Protestos e o Erro de Jabor
>>> São Francisco Xavier I
>>> O Código de Defesa do Consumidor e Maradona
>>> Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I)
Mais Recentes
>>> Análise Do Caráter - Volume 4 de Wilhelm Reich pela Martins Fontes (1998)
>>> Curral Novo (Romance) de Adalberon Cavalcanti Lins pela São José (1958)
>>> Biodisponibilidade De Nutrientes de Silvia Maria Franciscato Cozzolino pela Manole (2005)
>>> Halo: Um Amor Que Ultrapassa As Barreiras Do Ceu E de Alexandra Adornetto pela Agir (2010)
>>> Principles of the theory of solids de J. M. Ziman pela Cambridge University Press (1969)
>>> 1968 O Ano Que Não Terminou: Aventura De Uma Geracão de Zuenir Ventura pela Objetiva (2013)
>>> Dinheiro: Os segredos de quem tem de Gustavo Cerbasi pela Sextante (2024)
>>> Nuclear Physics de Irving Kaplan pela Addison-Wesley (1964)
>>> Coisas Maiores de Steven Furtick pela Inspire (2021)
>>> Oscar Wilde: A Biography de Richard Ellmann pela Penguin Canada (1988)
>>> Ordem e Progresso de Philip Murdoch pela Lan (2018)
>>> A Importância Do Ato Ler de Paulo Freire pela Cortez (1998)
>>> A Revolução Dos Bichos de George Orwell pela Companhia Das Letras (2007)
>>> Autoridade na Oração de Dutch Sheets pela Lan (2018)
>>> Profetas Modernos de Shawn Bolz pela Chara (2018)
>>> Peregrinos da eternidade de A.W.Tozer pela Hagnos (2021)
>>> A Vida Crucificada de A.W.Tozer pela Vida (2021)
>>> Honrando ao Senhor com nossos bens de Luciano Subirá pela Orvalho (2005)
>>> Descobrindo Crianças: Abordagem Gestáltica Com Crianças E Adolescentes de Violet Oaklander pela Summus (1980)
>>> Físico Química. Para As Ciências Químicas E Biológicas - Volume 1 de Raymond Chang pela Mc Graw Hill (2008)
>>> Laikos de Dag Heward-Mills pela Parchment House (2006)
>>> Mundos Invisíveis de Marcelo Gleiser / Frederico neves pela Globo (2024)
>>> Sinais E Sistemas Lineares de B.p. Lathi pela Bookman (2024)
>>> A Alma Do Líder de Ken Blanchard pela Garimpo (2009)
>>> Comentários Científicos de Êxodo de Robson Rodovalho pela Sara Brasil Edições (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 16/6/2004
O amor e as prateleiras de livros
Ana Elisa Ribeiro
+ de 6900 Acessos
+ 7 Comentário(s)

Os eventos literários (salões, bienais, feiras e similares) pululam pelo país. Embora nem sempre sejam bem-divulgados e vária vez não estejam no "eixo", acontecem com veemência e de vez em quando tornam-se badalados, cheios de celebridades novas e velhas, convincentes ou não.

Num desses eventos, comprei certa vez um livro de editora portuguesa. O autor é Miguel Esteves Cardoso. O título, uma das melhores denominações que conheço, é O amor é fodido. E o narrador, a certa altura, diz sobre a mulher que amava que seu sonho (o do narrador) era viver com alguém com quem pudesse dividir seus livros.

Entendo o fragmento não como uma divisão comungada da coisa física, objeto livro, mas como o gosto delicioso de dividir momentos de leitura, comentar obras, falar mal e bem, comprar coisas novas e compartilhá-las, xingar a mancha de café acidental, a dobra na orelha, a ordem alfabética na estante, ler trechos em voz alta, achar bonito, achar ruim, ler no banheiro e sair tecendo críticas.

Pra uns, o amor é andar de mãos dadas na rua, pagar a conta, dar beijos de língua, dirigir com a mão no joelho. Pra outros, o amor pode ser ler trechos de livros. E eu me senti como Esteves Cardoso.

Meu sonho talvez não fosse configurado o bastante para que eu me desse conta disso, mas queria conviver com um homem que me lesse uns trechos de contistas contemporâneos. Também queria mostrar a ele uns poemas portugueses da nova safra. Traficar uns livros raros e ir a lançamentos interessantes. Ler meus próprios poemas e pedir uma opinião zelosa. Discutir a capa, a lombada e as cores.

No entanto, minha estante sempre foi apenas minha. Alta e estreita, nela cabiam meus contistas favoritos, meus poetas de escolha. Nas prateleiras mais altas ficavam os romances estrangeiros, com ênfase nos italianos. Na altura dos olhos, os contistas contemporâneos brasileiros, muitos dos quais tenho o prazer de conhecer. Na altura do coração, os poetas... de Aretino a Luiz Roberto Guedes (com sua ana k deslumbrante). Embaixo, fechados atrás das portas, uns livros dos quais tenho vergonha. E a estante era formada pela minha mania de ordem.

E foi surpreendente quando senti ciúmes das minhas prateleiras. Senti uma ponta de indisposição quando tive que ceder parte do móvel para os livros dele, uns poetas e uns contistas que não aprovo, uns romances que não me cheiram bem, um espaço que era meu e eu nem sabia que poderia caber alguém mais.

Mas o amor tem dessas coisas. Pode não ser tão fodido quanto o de Esteves Cardoso, que me soa até mesmo ambíguo (Fodido de bom? Fodido de ruim?), mas é divisor de águas, de espaços, de leituras. Quantas pessoas mais gostariam de conviver com alguém que compartilhe textos? Com quanto carinho se fazem os livros de escritores que se unem a outros escritores, roteiristas, jornalistas, programadores visuais, revisores?

As novas tecnologias de busca...
...permitiram que eu escolhesse um apartamento para alugar sem ter que ir olhá-lo de perto. Foi fácil entrar na Internet e ver aquela fotografia (meio enganosa, claro). Quando entramos no apartamento pela primeira vez, já com a intenção de alugar, tivemos a impressão de que a sala era grande e de que tudo ali era simpático. Com todas as desvantagens de morar em prédio grande, a vista das janelas de quartos e salas valia a pena! A vista, sim, era algo que me deixava tranqüila. Às vezes porque dali eu achava que poderia voar, outras vezes porque pensava em suicídio. Quando pusermos telas nas janelas, será para proteger Eduardo e a mãe. Talvez o pai, enlouquecido pela convivência com uma virginiana agudíssima. E então alugamos aquele apartamento pequeno, cujos cômodos mal caberiam nossos móveis de solteiros. Quando a casa foi se enchendo com as coisas necessárias, entramos em colapso. Como quem resolve equações matemáticas, passamos dias pensando e desenhando a melhor disposição para tudo. E descobrindo nossos hábitos e nosso gosto diferente para móveis, estilos, cores. Agora que as coisas estão no lugar, entramos no apartamento e encaramos uma sala apinhada, cheia de alturas diversas e cores mais ou menos agrupadas. Não há quadros nas paredes ainda, mas há copos espalhados pelas mesas. Quando as velas forem acesas, a casa ganhará ares pessoais. O cheiro de mofo vem dando lugar ao cheiro de poeira dos livros.

Mas quando o inverno se instalar de vez, Eduardo vai chegar. Quando ele chegar, o apartamento estará esperando por ele. E então os amigos estão convidados para um jantar à luz das nossas velas.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 16/6/2004

Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2004
01. Ler muito e as posições do Kama Sutra - 2/6/2004
02. Autor não é narrador, poeta não é eu lírico - 24/3/2004
03. Para gostar de ler - 11/8/2004
04. Em defesa dos cursos de Letras - 6/10/2004
05. Mulheres de cérebro leve - 13/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/6/2004
23h52min
o amor é fodido. e eu quero essa mulher assim mesmo.
[Leia outros Comentários de Jorge Rocha]
19/6/2004
09h38min
O seu admirador suspeito linkou o texto no blog Urgente! e vim parar aqui. Valeu à pena! Amei o que escreveu e como escreveu. Sucesso e harmonia pra vc, JR e Eduardo neste apartamento e onde mais vierem a estar. Ah, daqui a algum tempo, terão que encaixar também os livros do "filhote". Abs.
[Leia outros Comentários de Fátima Nascimento]
20/6/2004
02h07min
...e quando voce ve um sorriso no rosto dele lendo um de seus livros prediletos, aquele do qual voce falou mil vezes para ele. E voce sabe que ele esta pensando em voce e tentando te conhecer ainda mais...
[Leia outros Comentários de andrea trompczynski]
20/6/2004
12h28min
Ana Elisa, esse desejo de compartilhar o que se gosta com o ser amado é muito comum. De pessoas que adoram ler (e algumas têm uma relaçao de quase fetiche com seus livros), a aficcionados por corridas de Fórmula 1, futebol, todos esses prazeres às vezes são motivo de discórdias. Mas na na sua grande maioria, são hábitos de homens que as mulheres têm aceito ao longo do tempo e tudo tem sido encarado como normal! Quanto à leitura ou apreço por artes em geral, mais uma vez vez a mulher sai perdendo, pois é difícil achar um cara que compartilhe esses momentos de instrospecção que a leitura proporciona. Já no meu caso, para falar de uma expriência de homem. Um dos poucos (mas sérios) motivos da falência do meu primeiro casamento, sem me esquecer de minhas culpas, foi esse distanciamento, essa falta de curiosidade pelo ato de ler, pesquisar, conhecer. Já no segundo, tenho tido progressos, uma vez que eu próprio estou reconquitando o prazer da leitura ficcional, meio que preterida por um tempo, devido à obrigação da leitura técnica, sempre urgente, sempre desesperada e sempre insuficiente. Abs, Bernardo Carvalho (Goiânia-GO)
[Leia outros Comentários de Bernardo Carvalho]
25/6/2004
09h25min
Que descoberta é essa mulher!!!!! Ana, te descobri apenas hoje e que grande achado!!! Já te indiquei pos amigos mais chegados. Parabéns pelo texto suave e inebriante... posso entrar pro fã-clube??? rsrsrsrs. bjs
[Leia outros Comentários de Fabiana Carvalho]
26/6/2004
14h37min
entro neste site ha um ano, tenho 15, e nunca deixei uma mensagem dizendo o quão maravilhado fiquei com os textos que li. mas agora vejo que tenho a obrigação de dizer alguma coisa, pois o que você (Ana Elisa) disse atingiu o fundo de minha alma adoradora de boa literatura. sem lhe conhecer, sem nunca ter-lhe visto, neste momento sinto um amor por alguém que entende o quanto amo os livros, o quanto amo o conhecimento, o quanto amo o viver. gostaria muito que se outros que lerem o que digo também compartilhem deste mesmo amor por favor tornem-se meus amigos. tenho necessidade disto. winston alegranci
[Leia outros Comentários de winston alegranci]
7/7/2004
05h44min
Ana Elisa, peço licença e gostaria de fazer parte do fã clube que a Fabiana Carvalho sugeriu. Posso? Aurélio Prieto, São Paulo Capital
[Leia outros Comentários de Aurélio Prieto]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Ensino de Idiomas Word Link Level 3
Nancy Douglas
Cengage Learning
(2016)



Auto-Engano 555
Eduardo Giannetti
Companhia das Letras
(1998)



Universo e Vocabulário do Grande Sertão
Nei Leandro de Castro
Livraria Jose Olympio
(1970)



O Mistério do Cofrinho Vermelho - Série Perigo à Vista
Rosana Rios
Escala Educacional
(2007)



A Divina Comédia dos Mutantes
Carlos Calado
34
(1995)



A Verdade da Vida: volume 2 Da Esseência (parte2)
Masaharu Taniguchi
Seicho-n0-ie
(1998)



Manual orientativo para gerenciamento de riscos ambientais nas empresa
Antonio Carlos
Ottoni
(2015)



Livro Turismo Guia Visual Folha de S. Paulo Califórnia O Guia Mostra O Que Os Outros Só Contam
Zoe Ross
Publifolha
(1998)



Livro Turismo Diário de uma Aventura Dez Anos no Mar
Família Schürmann
Record
(1995)



O Leão da Noite Estrelada
Ricardo Azevedo
Saraiva
(2004)





busca | avançada
63094 visitas/dia
2,3 milhões/mês