De olho em você | Marilia Mota Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
71184 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Primeiro Roteiro
>>> Festival Cine Inclusão abre inscrições de curtas-metragens com o tema terceira idade
>>> Musical Guerra de Papel estreia dia 3 de setembro no Teatro Viradalata
>>> Monólogo Te Falo com Amor e Ira de Branca Messina ganha nova temporada
>>> Performer e dançarina Morgana Apuama apresenta a obra 'Risko'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poesia como Flânerie, Trilogia de Jovino Machado
>>> O mundo é pequeno demais para nós dois
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sultão & Bonifácio, parte II
>>> O enigma de Lindonéia
>>> Paisagens Originais & Detalhes De Um Pôr do Sol
>>> Modernismo e Modernidade
>>> A extraordinária Nina
>>> Pensamentos & Pedidos
>>> 1998 ― 2008: Dez anos de charges
>>> Insanidade é perder
>>> Arte sem limites
>>> Circulação cai de novo em 2010
Mais Recentes
>>> Conversando Com o Coração de Magnitude pela Magnitude (2021)
>>> Conversas com Vargas Ilosa de Panda Books pela Panda Books (2021)
>>> Coração de Mãe de Agir pela Agir (2021)
>>> Corações De Arame de Movimento pela Movimento (2021)
>>> Coragem Para Lutar de Magnitude pela Magnitude (2021)
>>> Coragem: Peter Pan de Pé da Letra pela Pé da Letra (2021)
>>> Cornélius de Cristão pela Cristão (2021)
>>> Corpo e Interdisciplinaridade de Autografia pela Autografia (2021)
>>> A imagem no ensino da arte de Ana Mae Barbosa pela Perspectiva (2009)
>>> A literatura no Brasil de Afrânio Coutinho pela Global (1999)
>>> Desmistificando o Aprendizado Organizacional de Eduardo Vieira da Costa Guaragna pela Qualitymark (2007)
>>> O Futuro Próximo do Varejo - um Verdadeiro Império de Luiz Freitas pela Qualitymark (2004)
>>> Textos compreensão interpretação e produção de Antônio Simplício Rosa Farias pela Ao livro técnico S/A (1986)
>>> Transformação Organizacional: a Teoria e a Prática de Inovar de Paulo Roberto Motta pela Qualitymark (2004)
>>> Planejamento Estratégico Empresarial de Maurício Castelo Branco Valadares pela Qualitymark (2003)
>>> O Cearense de Parsifal Barroso pela Escrituras (2017)
>>> Bismarck de Alan Palmer pela Unb (1976)
>>> o Antigo Regime e a Revolução de Alexis de Tacqueville pela Unb (1979)
>>> À Margem da História da República de Vicente Licínio Cardoso pela Unb (1981)
>>> Education for all de Errol Miller pela Inter american development bank (1992)
>>> Jogos Fatais de Cole Perriman pela Scritta (1995)
>>> Oito Anos de Parlamento de Afonso Celso pela Unb (1981)
>>> Interdisciplinaridade as práxis da didática psicopedagogica de Antônio Fernando Gomes da Costa pela Unitec (2000)
>>> o Japão Como a Primeira Potência de Ezra F Vogol pela Unb (1979)
>>> Karl Jaspers de Jeanne Hesch pela Unb (1978)
COLUNAS

Quarta-feira, 1/5/2013
De olho em você
Marilia Mota Silva

+ de 4700 Acessos

Com a chave na mão quer abrir a porta, não existe porta; quer morrer no mar, mas o mar secou; quer ir para Minas, Minas não há mais. (C. Drummond de Andrade, E agora, José?)


O tempo passa lento em cidade pequena. A vida é sossegada. As portas das casas ficam fechadas só no trinco. Vizinho bate palma e vai entrando na sala, cozinha, até mesmo quarto adentro. As crianças vão sozinhas para a escola. Brincam na rua. Crime, violência, bandalheiras do governo ficam longe, não lhes dizem respeito. Na cidade pequena todos se protegem. Ninguém sofre sozinho uma dor ou um segredo. Na cidade pequena a vida é mais suave.

Mas há quem sufoque em cidade pequena. Quem se sinta enjaulado. Os que recusam a trilha que lhes foi prevista, que anseiam por solidão e anonimato. Os que não se ajustam. E por mais que doa e assuste, essas pessoas vão embora, não porque gostem do caminho mais difícil, mas porque não tem escolha: se não forem, sufocam. A cidade grande os acolhe em seu deserto, sua indiferença, e eles se rejubilam! Ser ninguém na multidão, esquecer-se de si na multidão. Oh, liberdade!

Há uns 50 anos quando o mundo nem sonhava com internet, Marshall McLuhan, sociólogo canadense, falando sobre os meios de comunicação de massa - jornais, rádio, televisão - disse que habitávamos uma aldeia global. A expressão tornou-se popular. Se ele visse agora a aldeia que, de fato, nos tornamos! E o que diria das nuvens que se avolumam no horizonte, ameaçando o céu claro e infinito dos primeiros anos. Nuvens que não passam nem se desmancham.

O Google, com esse par de olhos no nome, saberia desde sua fundação o que ambicionava ser quando crescesse? O que tudo vê, tudo pode, tudo controla, ou terá se dado conta das estonteantes possibilidades do caminho ao percorrê-lo?

Aquele carro deles que anda sem restrições pelas cidades, fotografando casas, comércio, ruas para nos oferecer graciosamente imagens exatas dos endereços mais distantes, aquele carro não tira apenas fotografias. Ele está equipado para colher todos os dados, senhas, emails, documentos pessoais de milhares de pessoas desavisadas. Fizeram isso nos EUA. Quem sabe o que fizeram nos outros países, Brasil inclusive? Pegos com a mão na cumbuca, pediram desculpa, disseram que foi um acaso, erro de um funcionário. Erro repetido em 38 estados, só nos EUA! Me engana que eu gosto. Uma multa de sete milhões de dólares encerrou o assunto. Sete milhões para eles deve pesar tanto como cinco centavos para qualquer um, mas não é o valor simbólico da multa que causa desconforto. Nem o fato de que as pessoas prejudicadas, a quem desculpas e indenização seriam devidas, não tem como saber se estão na lista.

As pessoas entendem (vê-se pelos blogues e comentários) que tamanha voracidade por informação é motivada apenas por questões de mercado; interessam-se por nós como consumidores, querem antecipar nossas vontades, realizar nossos sonhos. Seria menos mal se fosse isso porque sempre nos restaria a decisão de comprar ou não, usar um serviço ou não.

Os que nos conduzem nessa era digital certamente contemplam com entusiasmo a profunda transformação social que eles tornaram possível: o acesso à informação, à educação, a transferência do poder para os indivíduos, mudanças que trazem em si o germe da destruição de toda forma de totalitarismo, e sem guerra, sem sacrificar nenhuma vida. Razões de júbilo e motivação de sobra para os corações mais generosos.

Mas o passeio do Google pelo mundo toca um alarme. Assusta perceber o quanto estamos expostos, ignorantes e indefesos - não só como indivíduos, mas como sociedade. Um carro para tirar fotografias dispõe de equipamento (e usa) para, de passagem pela rua, revistar seu computador, contas bancárias, imposto de renda, exames médicos, contatos, amigos, emails, quebrando leis fundamentais e princípios sagrados que tornam possível nossa vida em comunidade.

Google, Apple, Facebook, redes de conunicação global intrincam-se, naturalmente, com segurança nacional. Há interesses mútuos. O aparato para um Estado Policial existe e, ao que parece, anda em fase de testes. A novidade é que o cidadão nem precisa saber. Inevitável lembrar de George Orwell, grande visionário, que imaginou esse futuro, ainda em 1949, em seu livro que se tornou emblemático:"1984": O Grande Irmão, um poder esmagador, sem rosto, onipresente, que invade e controla cada minuto da vida de seus súditos, que sequer sabem quem é seu opressor.

Muita gente não se perturba com essa perspectiva. Tudo o que querem é uma vida protegida, a bolha de paz e liberdade dos subúrbios e seus gramados impecáveis. E prometem ser bem comportados. Mas há sempre os que sufocam no subúrbio, nas cidades pequenas. E dessa vez, não há cidade grande para onde escapar.



Marilia Mota Silva
Washington, 1/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Tricordiano, o futebol é cardíaco de Luís Fernando Amâncio
02. Uma de nós de Marilia Mota Silva
03. Sábia, rubra, gorda (e gentil) de Adriana Baggio
04. Primeiro dia de aula de Ana Elisa Ribeiro
05. Seleção, que sufoco de Adriana Baggio


Mais Marilia Mota Silva
Mais Acessadas de Marilia Mota Silva em 2013
01. Amor (in)Condicional - 5/6/2013
02. Quatro autores e um sentimento do mundo - 10/4/2013
03. O Precioso Livro da Miriam - 20/2/2013
04. De olho em você - 1/5/2013
05. O Nome Dele - 7/8/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Última Primavera Em Paris
Hans Herlin
Record
(1983)



D. Quixote 2 Vols.- Classicos Jackson
Cervantes
Jackson
(1956)
+ frete grátis



Alemanha - 100 Dias de Amaury Jr
Amaury Jr e Celina Ferreira
Gente
(2006)



Mónica Joven 2 !cuenta Conmigo!
Maurício de Sousa
Panini
(2011)



Pai Rico Pai Pobre - Como Investir Em Metais Preciosos - 1ª Edição
Michael Maloney
Campus
(2009)



Matematica Ensino Medio Vol 1
Katia Stocco Smole*maria Ignez Diniz
Saraiva
(2013)



Marketing para ambientes disruptivos
Edmir Kuasaki, Marcus Hyonai Nakagawa, Cláudio Teramoto, Carlos Barbosa Correa Junior
Literare Books International
(2017)



Longman Compact English Dictionary - 1ª Edição - 3ª Reimpressão
Logman
Logman
(1988)



Introdução á Hospitalidade 2ºedição
John R. Walker
Manole
(2002)



Amor e Liberdade
Selma Cotrim
Panorama
(2004)





busca | avançada
71184 visitas/dia
2,6 milhões/mês