De Ratos, Memórias e Quadrinhos | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Future World (1987)
>>> A juventude nas livrarias
>>> Entrevista com Ruy Castro
>>> Diga: trinta e três
>>> O Casal 2000 da literatura brasileira
>>> Lucas vs. Spielberg
>>> Do desprezo e da admiração
>>> A pulsão Oblómov
>>> Arte Brasileira Hoje: um arquipélago
>>> Sobre o som e a fúria
Mais Recentes
>>> A Estrutura Interior do Tai Chi - Tai Chi Chi Kung I de Mantak Chia; Juan Li pela Pensamento (2007)
>>> Que Es El Tiempo ? de Damm Antje pela Iamique (2011)
>>> A Colonização Alemã no Rio Grande do Sul de Aldair Marli Lando; Eliane Cruxên Barros pela Movimento (1982)
>>> Encontro Poesia Brasília de Arisnaldo dos Santos Januário pela Da Autore (1984)
>>> Onde Moras? Moradia e Fraternidade de Campanha da Fraternidade pela Aec (1993)
>>> Festa na Floresta Itaúna de Márcia Regina Morais pela Vile (2008)
>>> Anime Do Especial Número 9 Dragon Ball de Lisa Matsuzaka pela Escala
>>> Revista Anime Do Número 5 de Lilian Maruyama pela Escala
>>> Defensores de Tóquio Número 3 de Eduardo Leão pela Trama
>>> O Castelo De Otranto de Horace Walpole pela Nova Alexandria (1996)
>>> O Ânus Solar de Georges Bataille pela Hiena (1985)
>>> O Perigo das Radiações de Jack Schubert; Ralph E. Lapp pela Ibrasa (1960)
>>> Apometria: Um instrumento para a harmonia e para a felicidade a nova ciencia da alma de J S Godinho pela Holus (2012)
>>> The Little Prince de Antoine de Saint-Exupéry pela Harbrace (1971)
>>> Livro MILAGRES de Vera Nappi pela A Vida é Bela (2003)
>>> Você Pode Curar Sua Vida 126ª edição. de Louise L Hay pela Best Seller (2021)
>>> Livro CANTO ALGUM de Flávia Reis pela Reformátório (2020)
>>> Apologia de Sócrates - clássicos de bolso ediouro de Platão ( tradução de Maria Lacerda de Moura) pela Ediouro (2002)
>>> Mediunidade e Apometria: Terapêutica e Apometria edição. revista e atualizada de J S Godinho pela Holus (2012)
>>> Livro Mulher V Moderna, à moda antiga de Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson (2013)
>>> Der Kleine Prinz de Antoine de Saint-Exupéry pela Harbrace (1971)
>>> Der Kleine Prinz de Antoine de Saint-Exupéry pela Karl Rauch
>>> Brief an Den Vater de Franz Kafka pela Fischer (1989)
>>> Sonhos de Bunker Hill de John Fante pela L&pm (2003)
>>> I Ching - O Livro das Mutações de Desconhecido pela Trevo (2004)
COLUNAS

Segunda-feira, 12/2/2001
De Ratos, Memórias e Quadrinhos
Rafael Lima
+ de 8800 Acessos

1968 realmente não foi um ano bom para Art Spiegelman. Além do suicídio de sua mãe, ele passou 2 meses internado em um hospital psiquiátrico por causa de um surto psicótico, efeito colateral do LSD que tomava, "mais amiúde que alguns amigos tomam anti-ácido hoje". A saída do repressivo ambiente caseiro da família classe média judia para a high school tinha sido um forte choque, afinal, pela primeira vez ele adentrava um ambiente "onde se dava valor às idéias". A contra-cultura emergente saíra à feição para o adolescente que curtia as piadas de Harvey Kurtzman na MAD, logo, logo se alistando nas fileiras do comix underground, em San Francisco. Só que quem procura por "Spiegelman" em um desses Yahoo fica com a séria impressão que todas essas experiências tinham sido apenas uma longa preparação para seu reencontro consigo mesmo.

Talvez nem Artie imaginasse quando começou sua tentativa de elaborar o "Grande Quadrinho Americano" (em oposição ao "Grande Romance Americano"), ao inciar uma série de entrevistas com seu pai, sobrevivente do Campo de Concentração de Auschwitz. Uma história curta, em 3 páginas, já havia tangenciado o assunto anos antes, mas dessa vez Spiegelman estava decidido a tocar acordes mais graves. Horas de conversa gravada foram transcritas, e a transcrição, decupada e convertida em páginas de quadrinhos num dos mais extensos trabalhos de adaptação de mídias que se tem notícia: 280 páginas, 13 anos.

MAUS - rato em alemão - é a narrativa em quadrinhos, em flash back, dos fatos ocorridos com Vladek desde antes do casamento com Mala até o reencontro de ambos pós-Auschwitz, entremeada por ocorridos, em tempo real, do processo de criação de MAUS, do ambiente em que as conversas se deram, do complicado relacionamento entre Artie e Vladek, das mudanças na vida pessoal do autor durante a produção de MAUS, tudo naquele tom confessional-neurótico típico de qualquer humorista judeu novaiorquino. Um momento: eu disse ratos?

Sim, ratos. A metáfora que Spigelman já havia usado naquelas antigas 3 páginas, registrar os judeus como ratos, e os alemães como gatos - uma metáfora tão simples quanto eficiente para opressão - seria resgatada, ampliada e executada à perfeição no seu romance gráfico: nem quando Artie visita seu psiquiatra, que mora com vários cachorros, nem quando Mala se mostra assustada em um porão habitado por ratos ela se perde. Assim, poloneses viram porcos, suíços viram linces e os americanos, obviamente, cães.

O que faz dos dois livros de MAUS (MAUS - A História de um Sobrevivente e MAUS II - E aí Começaram meus Problemas) um trabalho único em quadrinhos, que mereceu o Pulitzer, é a combinação de dois fatores, intimamente ligados entre si: a imensa quantidade de informação fidedigna e detalhada sobre o Holocausto, na inequívoca voz de quem esteve lá, apresentada na linguagem que transmite a maior taxa de informação por centímetro quadrado: a história em quadrinhos.

Em MAUS há mapas explicando como ficou a Europa invadida pela Nazismo, diagramas demonstrando o valor de troca de cigarros por pão em um campo de concentração, fotos de família, esquemas explicando como consertar uma bota rasgada, tudo sutilmente inserido em meio a um relato com a dureza e o estoicismo dos sobreviventes. Em nenhum momento o fluxo é truncado, nem mesmo quando o assunto é quebrado para questionar alguma coerência histórica. Páginas inteiras de diálogo, que costumam ser mortais em termos de dinamismo, viram brincadeira com metaliguagem; detalhes de fundo fazem uma ambientação sutil e natural, e o resultado global, a composição da página, tem a perfeição dos quadros famosos.

O ponto fundamental a se ressaltar aqui, mais do que a eterna grita de perseguição dos judeus, com todo ano um representante concorrendo ao Oscar de documentário para lhes bater o bumbo, é a respeitabilidade que MAUS conquistou para os quadrinhos como meio de comunicação, auto-expressão, e, ora bolas, Arte. Em meados da década de 80, quando o primeiro livro foi lançado, outras histórias de igual teor - Watchmen, HeartBreak Soup, O Cavaleiro das Trevas - foram publicadas, sacudindo a percepção média que se tem sobre quadrinhos, e iniciando uma lenta invasão das livrarias pelos chamados romances gráficos (graphic novels), nome que se convencionou para essas narrativas mais longas e sofisticadas. Art Spiegelman foi fundamental nesse processo de reduzir a distância entre alta cultura e baixa cultura, ao observar o esvaziamento das Artes Plásticas nas últimas décadas, em contraposição à crescente riqueza de possibilidades nos quadrinhos. Que alguém que já esteve internado em um hospital psiquiátrico seja um dos principais responsáveis por essa mudança soa particularmente significativo.

Nos últimos 15 anos esse sentimento arrefeceu, mas é fato que autores de quadrinhos como David Mazzuchelli ou Robert Crumb têm sido cada vez mais convidados por publicações culturalmente respeitáveis para ilustrar capas e artigos. O próprio Spiegelman vez por outra participa de algum ensaio na mais notória delas, a New Yorker - o último saiu quando Schulz parou de fazer Peanuts. Ao invés de cobrir suas 3 páginas com Times New Roman tamanho 9, Spiegelman não nega a raça, e faz um deslumbrante relato de memória - totalmente em quadrinhos.


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 12/2/2001

Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2001
01. Charge, Cartum e Caricatura - 23/10/2001
02. O Tigrão vai te ensinar - 12/3/2001
03. A diferença entre baixa cultura e alta cultura - 24/7/2001
04. Sobre o ato de fumar - 7/5/2001
05. Um álbum que eu queria ter feito - 6/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




The Uffizi: The Official Guide All Of The Works
Gloria Fossi
Giunti
(2007)
+ frete grátis



Bruxo da Linguagem no Grande Sertão
Consuelo Albergaria
Tempo Brasileiro
(1977)



Os Impactos da Proteção ao Meio Ambiente no Direito (lacrado)
João Luiz Nogueira Matias
Lumen Juris
(2017)



Livro Infantil O Batalhão Das Letras
Mario Quintana
Globo
(1997)



Orgulho e Preconceito
Jane Austen
L&pm Pocket
(2012)



O Silmarillion
J. R. R. Tolkien
Martins Fontes
(2009)



Coleção 2 Livros O Sermão Da Montanha
Huberto Rohden; Rodolfo Calligaris
Martin Claret; Feb



Livro Literatura Estrangeira Doutor Sono
Stephen King
Suma
(2014)



Dicionário temático de morfologia esporopolínica
Jean Pierre Ybert Marcelo de Araujo Carvalho
Museu Nacional
(2012)



Temas em Neuropsicolinguística 587
Elizeu Coutinho de Macedo
Tecmedd
(2006)





busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês