Como não comprar livros | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
35344 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Para ler o Pato Donald
>>> Prossiga
>>> Mozart 11 com Barenboim
>>> Para amar Agostinho
>>> Discos de MPB essenciais
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> O Passado, de Hector Babenco
>>> Curtas e Grossas
>>> Caneando o blog
>>> Arte é entropia
Mais Recentes
>>> Ensaio Geral - Poemas de Olavo Drummond pela Nova Fronteira (1984)
>>> Inveja e gratidão de Melanie Klein pela Imago (1974)
>>> O Estado e a Revolução de V. I. Lênin pela Expressão Popular (2010)
>>> Tendências Contemporâneas na Literatura de Otto Maria Carpeaux pela Ediouro
>>> Os Chakras e os Campos de Energia Humanos de M.D. Shafica Karagulla pela Pensamento (1991)
>>> As Águas Glaucas de Pedro Xisto pela Berlendis & Vertecchia (2006)
>>> Damas Turcas - Coleção Estante Policiais Paulistanos (Autografado - Como Novo) de Carlos Castelo pela Global (2012)
>>> Assassinato no avião da meia-noite salve-se quem puder de Gaby Water pela Scipione
>>> Mecânica - Física para 2 grau de Luiz Alberto Guimarães e Marcelo Fonte pela Harbra (1997)
>>> Milagres - Deus faz coisas extraordinárias na vida de quem tem fé de Estevam Hernandes pela Thomas Nelson Brasil (2013)
>>> Cristais de Carmen Cerqueira Cesar pela Massao Ohno (1988)
>>> Esperando por Doggo de Mark B. Mills pela Novo Conceito (2015)
>>> A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar de Esther Earl C3B3 2014 pela Intrínseca (2014)
>>> Historias escolhidas de Lygia Fagundes Telles pela Boa leitura (1961)
>>> Sandman: o livro dos sonhos - 2 volumes de Neil Gaiman e Ed Kramer pela Conard (2001)
>>> A família que se fala, a família que se sofre de J.a Gaiarsa pela Ágora (2005)
>>> L'existentialisme Est Un Humanisme - Sartre de Arnaud Tomes pela Ellipses (1999)
>>> Herculanum:(romance da época romana) de J. W. Rochester pela Conhecimento (2007)
>>> Para viver um grande amor de Vinícius De Moraes pela Publifolha (2008)
>>> A Coragem para Liderar - Trabalho Duro, Conversas Difíceis, Corações Plenos de Brené Brown pela BestSeller (2023)
>>> Hora do espanto o fantasma do porão de Edgar J Hyde pela Ciranda Cultural (2016)
>>> Pink Floyd A Biografia Ilustrada de Marie Clayton pela Lafonte (2014)
>>> O Estreito do Lobo de Olivier Truc pela Tordesilhas (2015)
>>> Discriminação e recismo de Rubens Miranda de Carvalho pela Espaço do autor (2004)
>>> Ética e sociabilidade de Manfredo Araújo de Oliveira pela Edições Loyola (2007)
COLUNAS

Terça-feira, 26/4/2005
Como não comprar livros
Lisandro Gaertner
+ de 4300 Acessos
+ 4 Comentário(s)

OK. Você é daqueles que lê os cadernos literários dos jornais aos sábados, acompanha discussões sobre literatura nos blogs da vida e inclusive visita livrarias com uma certa regularidade. Então, responda aí, por quê vez ou outra você, tão entendido em livros, compra certas porcarias que nunca vai ler?

Como assim? Você não compra porcarias? Me faz um favor e dá só uma olhadinha na sua estante. Primeiro tem aquele best-seller que você não passou da metade e morre de vergonha de ter comprado; hum, tem também o livro daquele autor novo que numa semana todo mundo dizia que prometia e na outra, quando você já tinha comprado o livro, já estavam malhando; e aquele? não é o livro da moda do verão passado que você levou tantas vezes para passear na sua bolsa de praia e nunca leu?; ah, e não podemos esquecer daquele livro de poemas escrito por um amigo seu que você comprou para compensar o vinho branco vagabundo servido na noite de autógrafos. É, depois de uma avaliação rápida, não dá para negar: pelo menos 25% dos livros que você, eu, todos nós, compramos na vida não nasceram para ser lidos.

E daí? Bom, vamos dizer que você tenha por baixo uns 200 livros. 25% disso são 50 livros. Fazendo uma média de 20 reais em cada livro (levando em conta que alguns foram comprados em sebo e outros naqueles cafés careiros que se fingem de livrarias), podemos dizer que você jogou no lixo (ou investiu na decoração da sua estante) mais ou menos R$1000.

Uau, hein? R$1000! É bastante dinheiro. Com ele você poderia ter feito várias coisas. Poderia, por exemplo, ter ido ao cinema umas 60 vezes (o que não seria muito produtivo, já que pelo menos 25% dos filmes são apenas desperdício de dinheiro); ou quem sabe viajado para aquela praia maravilhosa sozinho (onde teria apenas ficado com inveja dos casais apaixonados e reclamado do prejuízo tomado), ou ter pago um ano de academia para entrar em forma (apesar de saber desde o princípio que não aguentaria frequentá-la por mais que cinco semanas). Na verdade não importa como você poderia gastar essa pequena fortuna. O importante é que não dá para gastar dinheiro à toa, muito menos com literatura, artigo de milésima necessidade aqui na nossa terra.

Assim, pensando no seu bolso, passo-lhe minhas cinco dicas de ouro, testadas e aprovadas, de como não comprar livros.

Dica #1 - Não leia os críticos
Eu sei: dá o maior status abrir o caderno literário na praia. Além disso, ajuda as pessoas a puxarem papo com você ou afasta aquelas que nada têm a dizer. Mas, vamos ser sinceros, o que os críticos tem a dizer de mais? Nada. E o pior é que se você ler o livro indicado e não gostar ainda vai sentir que entrou no prejuízo por ter comprado jornal para ler o artigo de um palpiteiro empolado. Afinal tudo que um crítico escreve não passa de simples palpite, o que nos leva à segunda regra de ouro.

Dica #2 - Não se deixe levar pelo boca-a-boca
Vez ou outra, ler fica na moda. Quer dizer, ler um determinado livro fica na moda. Aí, o sujeito, que comprou o tal livro e leu o suficiente para sustentar um papo de quinze minutos numa mesa de bar, começa a fazer a maior propaganda da obra. Um outro compra para poder botar banca também. Mais um entra na onda e pronto. Aquele livrinho vira o assunto de longas cervejadas. Subitamente, você sente vontade de comprar o livro para entrar no papo. Não faça isso! Primeiro, você já ouviu falar tanto do livro que provavelmente já conhece a história toda, e isso seria como ler o livro depois de ter visto o filme. Em segundo lugar, enquanto todo mundo está conversando sobre o tal livro, você está livre para beber e conversar com gente que tem algo mais interessante para falar do que de um livrinho besta que quase todo mundo quase terminou de ler.

Dica #3 - Não vá a noites de autógrafos
Eu sei, noite de autógrafo funciona na mesma lógica de casamento e festa de criança: por mais que você odeie o homenageado, boca livre não se perde. Contudo, ao contrário dos casamentos e festas infantis, nesse evento você precisa comprar um livro, em quase 100% dos casos, ruim. Pense bem, será que tomar 10 taças de liebfraumilch compensa atulhar a sua estante com mais uma porcaria e ainda ter que fingir ao seu conhecido, por anos a fio, que leu o livro que ele insanamente resolveu publicar?

Dica #4 - Fuja dos clássicos e dos autores estreantes
Outro grande perigo são os clássicos. Normalmente eles surgem indicados por críticos (ver dica 1) ou conhecidos (ver dica 2), o que já seria suficiente para evitar a sua compra. Além disso, são leituras, em geral, enigmáticas, cheias de referências e papo furado. Um exemplo? Tente conversar com alguém sobre o prazer de ler Ulisses de James Joyce sem ouvir sobre: Homero, a Odisséia, "portão de entrada para a modernidade", "Guimarães Rosa irlandês", "convite a transgredir", "fluxo de consciência", ou "li quando estava grávida ou desempregada/o".

Quase tão danoso quanto os clássicos são os autores estreantes. Darlings da mídia, eles acabam nos seduzindo pelas noites de autógrafo (vide dica 3) ou pelos críticos e conhecidos (dicas 1 e 2). E, na grande maioria, os livros deles no futuro acabarão por se tornar fonte de vergonha para quem os comprou. Precisa de um exercício para visualizar a situação? Então, imagine só como se sente o infeliz proprietário de uma primeira edição autografada do primeiro livro da Fernanda Young. Sentiu o drama?

Dica #5 - Sempre peça o livro embrulhado para presente
Tem vezes que não dá. Acabamos comprando uma porcaria, seja por impulso, indicação, pressão ou simples burrice. Nesse caso final, antes que a sua sanidade seja totalmente tragada nesse redemoinho de consumismo pseudocultural, guarde esse conselho no coração. Se for inevitável comprar um livro que sente que nunca lerá, peça que ele seja embrulhado para presente. Assim, além de se livrar desse pepino, você poderá passar o seu fardo e dar a outro "felizardo" a grande oportunidade de "não lê-lo" também.

Nota do Editor
Lisandro Gaertner assina o blog Atematica, onde este texto foi originalmente publicado (reproduzido aqui com sua autorização).


Lisandro Gaertner
Rio de Janeiro, 26/4/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Morrer, na literatura de Marta Barcellos
02. 40 com corpinho de 39 de Ana Elisa Ribeiro
03. As feéricas colagens de G.Comini de Eugenia Zerbini
04. crônica - ou ensaio - à la hatoum de Ítalo Puccini
05. Canção de som e fúria de Carina Destempero


Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner
01. E Viva a Abolição – a peça - 1/6/2006
02. A História das Notas de Rodapé - 3/1/2002
03. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
04. Blogueiros vs. Jornalistas? ROTFLOL (-:> - 23/4/2008
05. Orkut: fim de caso - 10/2/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/4/2005
15h27min
Essa foi de doer... sugerir que não se leia os clássicos é, para um filósofo, como sugerir a um cinéfilo que não assista Casablanca ou Tempos Modernos. Imperdoável! Se você deseja permanecer na superficialidade, leia Paulo Coelho, depois sente na beira do Rio das Pedras e chore...
[Leia outros Comentários de Marcelo Zanzotti]
26/4/2005
18h55min
Lisandro... tudo bem, sei que literatura não é algo de primeira necessidade neste país... mas deveria ser lida com melhores olhos. Há, sim, muitos livros ruins... mas há os ótimos. Afinal, o que é um livro bom pra você? Eu não me importo muito com a crítica, nem com o boca a boca ou qualquer coisa do tipo. E tenho bons livros, assim como tenho os ruins. Não há conselho que sirva para evitar um engano. Quanto aos clássicos, eles não são clássicos à toa... lamento, mas não posso levá-lo muito a sério. Afinal, quem é você? Um comediante?
[Leia outros Comentários de Alessandro de Paula]
27/4/2005
06h25min
Com essa polêmica toda, fiquei pensando se não seria interessante escrever uma continuação sobre "como comprar livros". Em resumo, só teria um conselho: não leve tão a sério o que lê, incluindo o texto acima...
[Leia outros Comentários de Lisandro Gaertner]
30/4/2005
20h53min
Como não comprar livros e como comprar livros. É muito simples: eu vou à livraria e escolho vários livros que acho interessantes, ou curiosos, ou na moda. Para cada um dedico un tempo que varia de 10 minutos de leitura a 30 minutos. No final escolho um só livro para comprar: aquele do qual mais gostei. Concluindo: gosto de todos os livros que tenho em casa. Já li trechos de muitos livros, e conheço um pouco de muitos autores, mas os livros ficaram na loja. Como não comprar livros (ruins) e como comprar livros (bons).
[Leia outros Comentários de Giuseppe Ferrua]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sociologia Hoje: Inclui Antropologia e Ciencia Politica
Igor Jose de Reno Machado, Celso Rocha de Bar
Atica
(2014)



O Repouso do Guerreiro
C. Rochefort
Abril Cultural
(1980)



Giselle: a Amante do Inquisidor
Mônica de Castro
Vida e Consciência
(2007)



Livro - Viagem ao Céu
Monteiro Lobato
Globo
(2007)



Contabilidade - Coleção Provas Comentadas da Fcc (2007)
Ricardo J. Ferreira
Ferreira
(2007)



Komm Bitte! 4 (por Favor Venha) (alemão)
Hermann Schuh
Max Hueber Verlag
(1976)



Livro de Histórias
Georgie Adams
Companhia das Letrinhas
(1996)



Ser Humano sem Fronteiras: a Formação de Líderes
Vários Autores
Ei
(2017)



Heidi
Dcl
Dcl
(1998)



A Lenda do Muri- Keko
Marcos Bagno
Sm
(2005)





busca | avançada
35344 visitas/dia
1,6 milhão/mês