Um curso para editores | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> De volta às férias I
Mais Recentes
>>> Tania Castelliano e J. Cabral de Entenda Seus Conflitos e Livre-se Deles pela Record (2002)
>>> 1ª Oficina de Desenho Urbano de Florianópolis de Silvia Ribeiro Lenzi (et..al): Organização pela Ipuf/ Pmf Arq./ Ufsc (1994)
>>> 1ª Oficina de Desenho Urbano de Florianópolis de Silvia Ribeiro Lenzi (et..al): Organização pela Ipuf/ Pmf Arq./ Ufsc (1994)
>>> Primeira Vez de Ivan Jaf pela Moderna (1997)
>>> Primeira Vez de Ivan Jaf pela Moderna (1998)
>>> Fe, Razon y Civilizacion: Ensayo de Análisis Historico de Harold J. Laski pela Editorial Abril/ Buenos Aires (1945)
>>> Bolofofos e Finifinos de Fernando Sabino pela Ediouro (2006)
>>> ...Quando Florescem os Ipês de Ganymédes José pela Brasiliense (1986)
>>> Robinson Crusoé A Conquista do Mundo numa Ilha de Daniel Defoe pela Scipione (1983)
>>> O Monstro do Morumbi de Stella Carr pela Moderna (1993)
>>> O Útimo Magnata de F. Scott Fizgerald / Introd.: Edmund Wilson pela Record
>>> Poesia e Prosa - (obras Completas- Avulso): Volume 3/ Encadernado de Edgar Allan Poe pela Ed. da Livr. do Globo (1944)
>>> Dama da Caridade de Antonio Cesar Perri de Carvalho pela Radhu (1987)
>>> O Castelo dos Horrores de Thomas Brezina pela Melhoramentos (1996)
>>> Rita Está Crescendo de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1989)
>>> Feliz Ano Velho de Marcelo Rubens Paiva pela Círculo do livro (1989)
>>> Uma Escola para o Povo de María Teresa Nidelcoff pela Brasiliense (1980)
>>> O Mulato de Aluísio Azevedo pela Ática (1970)
>>> Uma Escola para o Povo de María Teresa Nidelcoff pela Brasiliense (1981)
>>> O Gato Sou Eu: Todos Têm o Direito de Sonhar... de Fernando Sabino pela Record (1983)
>>> O Navegador do Espaço de José Acleildo de Andrade pela Leal (2006)
>>> Os Raios Invisíveis O astral das Coisas de Acervo Papus pela Gnosis (2002)
>>> Passes e Radiações de Edgard Armond pela Aliança (1999)
>>> O Livro da Lua de Marcia Mattos pela Campus (2001)
>>> Yokaanam fala á Posteridade de Vários pela Edição do Autor (1970)
>>> Os Tecelões do Destino de Eurípedes Kühl pela Petit (2001)
>>> O Poder dos Anjos de Martin Claret pela Martin Claret
>>> Eliminando o Estresse de Brian L. Weiss M.D. pela Sextante (2006)
>>> Fenômenos Ocultos de Zsolt Aradi pela Ibrasa (1976)
>>> Los Rosacruces de Christopher Mc Intosh pela Edaf (1988)
>>> Bases Esenias ( Em 02 volumes ) de Oreb Raja Aari pela Organizacion Esenia Universal
>>> Mudando o seu destino de Mary Orser e Ricardo Zarro pela Summus (1991)
>>> Magia Organizada Planetária de Vicente Beltran Anglada pela Aquariana (1990)
>>> Muralhas do passado de Jaci Regis pela Dpl (2001)
>>> O séculos dos Cirugiões de Jürgen Thorwald pela Hemus
>>> Dicionarios de las artes adivinatorias de Gwen Le Scouézec pela Martínez Roca (1973)
>>> Há Solução Sim! de José Lázaro Boberg pela Chico Xavier (2012)
>>> A Outra Face da doença de Mokiti Okada pela Fundação Mokiti (1986)
>>> Como evitar as influências Negativas de Amadeus Volben pela Pensamento (1984)
>>> A Última Grande lição ( O Sentido da vida) de Mitch Albom pela Sextante (1997)
>>> Terceiro Milênio de Carlos E. Pesssione pela Z. Valentin gráfica (1992)
>>> Segurança Mediúnica de João Nunes Maia pela Espirita Cristã (1992)
>>> O Que é o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2008)
>>> Os Novos Pagãos de Hans Holzer pela Record (1972)
>>> As propriedades curativas dos cristais e das pedras Preciosa de Katrina Raphael pela Pensamento (1995)
>>> Justça Além da Vida de José Carlos de Lucca pela Petit (2001)
>>> Vida Ativa de Parker J. palmer pela Cultrix (1990)
>>> Amor e Vida de René Pessa pela Seja (1996)
>>> Você já viveu outras Vidas de Kurt Allgeier pela Ediouro (1998)
>>> A Misericórdia Divina nos liberta do passado de Izoldino Resende pela Chico Xavier (2012)
COLUNAS

Quarta-feira, 5/7/2006
Um curso para editores
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

O mercado editorial mineiro, além de ser pequeno, é amador demais. Quem trabalha ou trabalhou nas poucas editoras das Gerais sabe que a produção que impera é a de livros didáticos (para o ensino fundamental, principalmente) e a de livros de literatura infantil e infanto-juvenil.

Respeitosamente, é preciso mencionar que, dentro dessa faixa, são imbatíveis alguns autores como os premiados Bartolomeu Campos Queirós, Ângela Lago, Marcelo Xavier, Marilda Castanha e Nelson Cruz. Há uma turma mais nova, mas fiquemos aqui com os nomes dos bambambãs.

O staff dessas editoras é formado por pouquíssima gente contratada e uma pequena legião de terceirizados. Na verdade, pessoas que trabalham em casa, mas não constituíram empresas, embora leis e governos tenham tentado detonar, de todo jeito, o profissional autônomo. (Como se não bastasse não haver emprego neste país...).

Em sua maioria, os donos de editoras, em Minas, se confundem com a figura do editor. É bom ficar claro que são, quase todos (com honrosas exceções) apenas empresários ou pessoas com extremo senso de oportunidade financeira. Nada mais. Em geral, poderiam fabricar, com o mesmo pique, sapatos, bolsas ou velas. Livros são pouco mais que produtos que entram numa esteira que rola em alta velocidade.

A figura do editor que lê, pensa, critica, ajeita, mexe e sugere não existe muito por estas bandas. E talvez esteja mesmo em extinção. Talvez alguns tenham migrado para a internet. Talvez tenham morrido em silêncio. Mas ainda sobram uns Plínios Martins Filhos, por exemplo.

Se o editor anda em falta, todos os profissionais da cadeia de produção do impresso também. Em Minas, no entanto, esse é um problema de origem: nunca houve cursos que habilitassem profissionais da edição. Explico.

Os bons e velhos cursos de Letras têm bacharelado apenas em algumas instituições. Olhando bem de perto, pode-se verificar que não há, infelizmente, nem mesmo para os bacharéis, especialização substancialmente diferente daquela do professor de português. O bacharelado da UFMG, no qual me formei na primeira turma, era apenas um curso de Letras sem as disciplinas da faculdade de Educação. Bom para quem queria excluir umas matérias "chatas" do currículo.

Os cursos de Comunicação Social, com todas as fundadas críticas que sofrem, em Minas também não formam editores e profissionais de edição de livros. As cadeiras do jornalismo formam profissionais de imprensa. As de publicidade formam pessoas de agência. Os profissionais que migram, por acaso, para editoras fazem pouco mais do que adaptações do que fariam para jornais e revistas no livro.

Recentemente, abriram-se, à semelhança de São Paulo, cursos que habilitam o produtor editorial. Analisando rapidamente uma grade curricular de um desses cursos, pode-se perceber que são idênticos aos cursos de publicidade. Ah, com uma diferença: uma disciplina chamada "redação editorial" no lugar da antiga "redação publicitária". Não é curioso? Esses cursos, que são uma das habilitações da Comunicação Social, não compreenderam ainda seu papel, muito menos o aluno que neles entra e que deles sai. Em geral, são pessoas que não passaram no vestibular para publicidade (não sei por quê, muito concorrido) ou que pensam que se tornarão gerentes de gráfica rápida.

Se fossem mais bem-pensados, de preferência coordenados por profissionais realmente de edição, talvez os cursos de Produção Editorial ajudassem a formar um perfil de profissional que está em falta no mercado. O gerente editorial, por exemplo, é figura rara nas Minas Gerais, e extremamente necessário. Mas não um quase-publicitário-frustrado, nem um jornalista-desempregado. Um profissional que estivesse munido de noções da história editorial, do percurso do livro, do papel desse suporte nos regimes atuais e muito tecnologizados de comunicação. Um profissional que tivesse, também, noções de administração do tempo, dos processos, da informação, de agenda, de pessoas. Alguém capaz de relacionamentos interpessoais inteligentes, além de muito apto a ler e escrever.

A tchurma mais nova acha que a vida se resume ao computador e ao webdesign. Ô dó. Se estão em falta os cursos que formam bons editores, gerentes editoriais e revisores de texto, também estão em falta os professores mais adequados para dar essa formação. Assim como em medicina, é muito complicado dar aula de produção editorial sem nunca ter pisado em uma editora antes. Imagine coordenar um curso disso! Mas é o que acontece.

As iniciativas para mexer nesse cenário têm acontecido, embora timidamente. A Faculdade de Letras da UFMG vem brigando, internamente, há anos, para conduzir a formação de um editor bacharel. Isso não deve sair do papel tão cedo... mas existe. Eu mesma, quando era professora substituta, ofertei uma disciplina de revisão. O primeiro susto foi quando a disciplina foi aceita pelo colegiado. O segundo susto, maior ainda, foi quando tiveram que abrir duas turmas de 30 alunos, para aguentar a demanda. O terceiro susto foi quando muitas pessoas vieram perguntar se poderiam cursar a disciplina apenas como ouvintes, por falta de vagas. Então...

A PUC Minas, na figura do Instituto de Educação Continuada (IEC), oferece, desde 2005, um curso de especialização em Revisão de Textos. A pós-graduação está em sua segunda versão em 2006, mas tenta se aprimorar a cada ano. A idéia é que ela se torne a melhor opção de formação de profissionais de edição no estado de Minas Gerais. Por enquanto, ela é apenas a única. Tem a intenção de ser a mais séria e a mais correta, no sentido de que tenta funcionar com professores que tenham, de fato, conhecimento da área de edição. Todos os docentes são ou foram gerentes, revisores, editores, diagramadores ou assemelhados na produção de impressos. Alguns trabalham ou trabalharam em empresas privadas, outros são profissionais do texto em assembléias legislativas ou câmaras, o que faz muita diferença no perfil profissional e no jogo de cintura da atuação.

Algumas faculdades particulares acenam com a possibilidade de incrementar seus cursos de Letras ou de criar possibilidades para a formação de profissionais de edição. Talvez o curso tecnológico possa oferecer uma alternativa mais rápida e mais acertada para a formação de gerentes editoriais, por exemplo, que não precisam ser doutrinadores e pesquisadores do livro. Agiriam muito bem e satisfatoriamente se soubessem administrar, lidar com pessoas (tanto autores quanto funcionários), além de ler, criticar, escrever e editar textos. Dar tratamento adequado a eles ou saber orientar profissionais que o façam. Esse gerente pode, muito bem, aprender a conduzir o editorial, parte da editora que é a mentora dos projetos, além de conhecer, nem tão de perto, o uso das máquinas no parque gráfico.

Em Belo Horizonte, os poucos profissionais respeitáveis de edição ainda têm que responder à pergunta: em qual gráfica você trabalha? O belo-horizontino ainda não sabe a diferença entre gráfica e editora. É, parece que as proibições do império ainda surtem efeitos entre estas montanhas. Nem mesmo a prensa de Gutenberg parece ter sido bem assimilada por estas bandas. Mas ainda há tempo. O papel parece que não vai ser substituído tão cedo.

Nota do Editor
Leia também "Novos autores: literatura, autonomia e mercado".


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 5/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz de Heloisa Pait
02. Blogues: uma (não tão) breve história (III) de Ram Rajagopal
03. Google: aprecie com moderação de Fabio Silvestre Cardoso
04. Sombras de Juliano Maesano


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/8/2006
18h44min
Ana Elisa, o curso de Produção Editorial já é oferecido por duas instituições em Belo Horizonte: UNI-BH e Faculdade Promove. É importante lembrar que "Produção Editorial" difere-se de "Editoração", ainda que minimamente. O primeiro é muito mais técnico que o segungo e dá maior ênfase às mídias digitais. É importante também que se saiba que esse profissional de longe é um publicitário frustrado, uma vez que a sua função muito difere e, aproveitando para emendar, vai muito além dos livros e das editoras. Quanto às grades curriculares, qualquer que seja a habilitação em Comunicação Social que se pegue como referência, se observará que diversas matérias são comuns a todas as outras habilitações. Afinal, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Produção Editorial, Rádio e TV, Cinema e Vídeo e Relações Públicas são HABILITAÇÕES, integram um grande curso chamado COMUNICAÇÃO SOCIAL.
[Leia outros Comentários de sara]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MENINOS SEM PÁTRIA
LUIZ PUNTEL
ATICA
(2000)
R$ 14,90



OS CACHORROS VIERAM DO ESPAÇO
REGINA CHAMLIAN
STUDIO NOBEL
(2000)
R$ 8,00



A DIETA DE SOUTH BEACH
ARTHUR AGASTON
SEXTANTE
(2003)
R$ 8,90



O TRONCO DO IPÊ
JOSÉ DE ALENCAR
EDIGRAF
R$ 35,00
+ frete grátis



PARANÁ VIVO: SUA VIDA, SUA GENTE, SUA CULTURA
TEMÍSTOCLES LINHARES
JOSÉ OLYMPIO
(1985)
R$ 12,24



MANUELZÃO E MIGUILIM - JOÃO GUIMARÃES ROSA
JOÃO GUIMARÃES ROSA
NOVA FRONTEIRA
(2001)
R$ 15,00



IT GIRL GAROTA INESQUECIVEL - VOLUME 4
CECILY VON ZIEGESAR
GALERA RECORD
(2009)
R$ 10,00



EM DEFESA DA ÁFRICA, ACUSO
RENÉ DUMONT
EUROPA AMERICA
(1988)
R$ 67,00



PROTEU
MORRIS WEST
RECORD
R$ 5,50



O MODELO POLÍTICO BRASILEIRO
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
DIFUSÃO EUROPÉIA DO LIVRO
(1972)
R$ 10,00





busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês