Eles vão invadir seu Orkut! | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Circomuns Com Circo Teatro Palombar
>>> Prêmio AF de Arte Contemporânea abre inscrições para a edição comemorativa de 10 anos
>>> Inscrições abertas para o Prêmio LOBA Festival: objetivo é fomentar o protagonismo de escritoras
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Os dois lados da cerca
>>> A primeira vez de uma leitora
>>> Se eu fosse você 2
>>> Banana Republic
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Construção de um sonho
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> A crise dos 28
Mais Recentes
>>> Secrets of Yoga de Jennie Bittleston pela Dk (2000)
>>> Stress Você pode ser o Próximo Previna-se de João Vilas Boas pela Vilas (1998)
>>> O que é Ensinar de Regis de Morais pela E.p.u (1986)
>>> As Aventuras de Sandy e Junior de Toni Brandão pela Simbolo
>>> Humor nos tempos do Collor de Jó Soares / Veríssimo / Millôr Fernandes pela L&PM (1992)
>>> Def 2013 Pocket - Dicionário de Especialidades Farmacêuticas de Merck pela Epuc (2013)
>>> O Biscateiro de Abdias José dos Santos pela Vozes (1981)
>>> Deadpool - Meus Queridos Presidentes de Posehn Duggan - Moore pela Panini Comics (2015)
>>> Europa - Guia Visual - Folha De São Paulo de Publifolha pela Publifolha (2005)
>>> Formação de Professores e Trabalho Docente de Vários Autores pela Metodista (2007)
>>> Coleção Enciclopédia Disney - 8 Volumes de Disney pela Planeta (2001)
>>> Fórum dos Coordenadores de Joaquim Barbosa / Bárbara Sicardi pela Metodista (2003)
>>> O Último Portal de Eliana Martins / Rosana Rios pela Seguinte (2003)
>>> Batman Planetary - Edição de Luxo de Warren Ellis - John Cassaday - Dc Comics pela Panini (2014)
>>> Mentes Tranquilas, Almas Felizes de Joyce Meyer pela Thomas Nelson (2001)
>>> Democracia Francesa de V Giscard D Estaing pela Difel (1977)
>>> Esperança Viva - Uma Escolha Inteligente de Ivan Saraiva pela Casa Publicadora (2016)
>>> Manual Merck de Veterinaria de Merck pela Roca (2001)
>>> Conjugar Es Fácil En Español De España Y De América (spanish Edition) de González Hermoso, Alfredo pela Edelsa Grupo Didascalia (1997)
>>> Amy, Minha Filha - Amy, My Daughter de Micht Winehouse pela Record (2012)
>>> Avaliação da Inteligência de Marília Ancona-Lopez pela E.p.u (1987)
>>> O Menino do Dedo Verde de Maurice Druon pela Jose Olympio (1973)
>>> Contos E Lendas - Os Doze Trabalhos De Hércules de Christian Grenier - Carlos Fonseca ilustrador pela Cia Das Letrinhas (2013)
>>> Educação do Olhar Vol2 de Vários Autores pela Mec (1998)
>>> Tres Sombras de Cyril Pedrosa pela Quadrinhos Na Cia (2019)
COLUNAS >>> Especial Orkut

Quinta-feira, 9/2/2006
Eles vão invadir seu Orkut!
Adriana Baggio
+ de 16600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Desde a última vez em que se falou sobre Orkut aqui no Digestivo, a fama dele aumentou bastante. Naquela época, refleti sobre o quanto as pessoas levam o site a sério, talvez até em detrimento de formas "reais" de se relacionar. Escrevem coisas muito pessoais, se expõem e expõem os outros. Teve até uma leitora afirmando que, se eu não escrevia testimonials, era porque não tinha amigos. Pois ela mostrou justamente o tipo de comportamento que eu criticava em relação ao Orkut. Será que em alguns meses as coisas mudaram? Acredito que não. O Orkut está sendo levado cada vez mais a sério, e não só pelas pessoas que têm seus perfis no site: ele também está virando uma ferramenta de negócios.

Se o site de relacionamentos é capaz de provocar ciúmes, terminar namoros e até inspirar músicas de (efêmero) sucesso, por que ele não deveria despertar a atenção das empresas? Do jeito que o Orkut faz parte do cotidiano das pessoas, as marcas que não aproveitarem essa oportunidade com certeza vão sair perdendo. Ironicamente, ao mesmo tempo em que diversas companhias já planejam e realizam ações publicitárias utilizando o Orkut, existem outras que proíbem o acesso do site no local de trabalho. Elas podem até ter suas razões (um excelente artigo do Webinsider aborda este aspecto a partir da visão do "patrão"), mas será que, ao invés de lutar contra o inimigo, não seria melhor juntar-se a ele e verificar o que tem a oferecer?

A versatilidade do espaço on-line permite diversas formas de utilizar a ferramenta com um objetivo empresarial. Alguns pequenos negócios criam "comunidades" no Orkut às quais os clientes podem se associar. Acaba funcionando como uma homepage da empresa, com a diferença de que se o proprietário souber aproveitar as características do Orkut, poderá realmente manter um relacionamento com seus clientes, disponibilizando informações, estimulando debates sobre o produto, gerando uma corrente de simpatia pela marca.

No entanto, mesmo que as empresas não tenham a intenção de estar no Orkut ou de utilizar suas potencialidades para fins comerciais, elas não têm escolha. Experimente colocar o nome de alguma marca famosa no campo "pesquisar" da página de comunidades. Eu tentei com a Nestlé e apareceram vários resultados interessantes. São aficcionados por alguns dos produtos da marca ou pela própria marca. Dei uma olhada superficial em algumas delas e não encontrei nenhum comentário desfavorável, mas isso não significa que a empresa esteja imune a eles. Imagine que você é dono de uma grande empresa e que seus consumidores falem de você no Orkut. Não seria prudente monitorar o site, para saber o que pensam da marca e para poder planejar ações com base nessas informações?

Seria, claro que seria. Agora, imagine que você baixou uma norma proibindo o uso do Orkut na sua empresa. Como os funcionários vão ficar sabendo daquelas informações importantíssimas que circulam no site? Ou, mesmo que acabem sabendo, como implantar na empresa um programa de relações públicas que monitore, atenue ou otimize os comentários que circulam pelos fóruns, se o uso dele é proibido? É isso que eu quero dizer com "junte-se ao inimigo".

Muitas empresas cujas marcas estão fortemente associadas à tecnologia e modernidade podem não possuir esta atitude na prática. Quando as marcas pretendem atingir públicos que sentem afinidade com inovação e tendências de vanguarda, devem transitar pelos espaços onde estão essas pessoas. Isso inclui o meio on-line: o próprio website da empresa, os blogs, ações publicitárias na web, e-mail marketing, etc. E elas devem, também, "visitar" os locais virtuais onde seu público circula para verificar o que andam dizendo da marca.

Muitas vezes, quem fala da marca são os próprios colaboradores da empresa. Existem blogs "oficiais" publicados por funcionários da HP, da Boeing, da Ford. Mas existem também manifestações que não estão abrigadas sob um código de conduta corporativa. E para o cliente, isso não faz diferença. Por exemplo: você deve estar acostumado a falar mal das companhias telefônicas, do péssimo serviço prestado, da falta de consideração e do automatismo das pessoas que estão por trás daqueles números de telefone 0800. Mas você sabia que eles também falam mal de nós?

Os funcionários de uma companhia de telefonia celular formaram uma comunidade onde trocavam idéias e "causos" que aconteciam com eles no atendimento ao cliente. Alguns relatos eram bem engraçados, se você conseguisse abstrair o fato de que o ridicularizado era você, aquele que paga pelo serviço que eles se propõem a prestar.

Muitas das historinhas engraçadas eram perguntas "bobas" que os clientes fazem. Percebe-se que muita gente não compreende o que o slogan da companhia quer dizer; que não conseguem entender tanto "tecnologiquês"; que ficam perdidos em meio a siglas como PIN, PUK, GSM, TDMA, etc. A falta de familiaridade dos usuários com tais palavras e códigos é uma informações preciosa. Indignação à parte, fiquei me perguntando se algum executivo de marketing ou de relações públicas dessa empresa já tinha visitado a tal comunidade. Seria interessante, porque poderia perceber o quanto as informações que circulavam por ali poderiam ajudar sua empresa nos futuros planejamentos de marketing e campanhas publicitárias.

Parece que realmente andaram visitando. O uso do tempo "passado" no parágrafo acima não é pura retórica. Quando voltei à comunidade para colocar o link aqui no texto, ela não existia mais. Outras pessoas notaram o "desparecimento". Provavelmente, alguém teve o bom senso de pedir a exclusão.

Se algumas empresas já perceberam o poder do Orkut para levantar ou derrubar suas marcas, porque o Google, o dono do site, não passa a vender o serviço às empresas? Talvez isso seja apenas uma questão de tempo. Mr. Orkut desenvolveu uma poderosa ferramenta de marketing, baseada no componente mais importante da comunicação daqui por diante: o relacionamento. São milhares de pessoas que, muitas vezes, se recusam a preencher um cadastro para receber mala-direta em casa, mas expõem toda sua vida em um ambiente muito mais inseguro.

O Orkut disponibiliza informações que dificilmente estarão cadastradas em um banco de dados tradicional. No site, os usuários contam do que gostam, do que não gostam, indicam as pessoas com as quais estão mais ligados, divulgam endereços de blogs, e-mail, MSN. Se você fosse um empresário, não seria perfeito ter todas essas informações?

Devagarinho, o Google vai se posicionando como uma das maiores empresas de mídia do mundo. Pense no quanto você depende do Google hoje em dia. O preço que você paga para ter acesso a serviços inovadores e gratuitos é, na verdade, o que faz você ter vontade de utilizá-los. Sua relação cada vez mais íntima com o Google vai, em algum momento, ser explorada comercialmente, através da oferta de produtos e serviços que você realmente deseja comprar. Calma, isso não é um apocalipse mercadológico onde as pessoas serão escravas do consumo. É apenas uma nova forma de fazer negócios.

A melhor maneira de nós, consumidores e usuários sem fins lucrativos, aproveitarmos todas essas vantagens que o Orkut, o Google e outros oferecem, é dar a devida dimensão a eles em nossas vidas. A amplitude da intensidade de utilização dessas ferramentas é muito grande. Cada um define seu ponto de equilíbrio entre ser usuário ou escravo do sistema. Isso tem a ver com o que eu falei lá no começo, sobre não levar o Orkut muito a sério. Já as empresas e as marcas, devem fazer justamente o contrário: encarar blogs, sites de relacionamento e outras "brincadeiras" de forma seríssima. É aí que está a comunicação do presente e do futuro: aquela em que consumidores e marcas dialogam. E vale lembrar que diálogo é bilateral. Quando um não quer, dois não fazem.


Adriana Baggio
Curitiba, 9/2/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Primeiro de Abril de Mario AV


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2006
01. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
02. Eles vão invadir seu Orkut! - 9/2/2006
03. Cruzeiro marítimo: um espetáculo meio mambembe - 23/2/2006
04. O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar - 20/7/2006
05. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas - 12/1/2006


Mais Especial Orkut
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/2/2006
12h26min
Parabens Adriana. Sábias palavras... Talvez devessemos buscar soluções em coisas simples.. E essa ideia de utilizar o Orkut para divulgação de marcas e produtos é mto interessante. Talvez devessemos utilizá-lo tambem como divulgação de cultura, para debates etc.
[Leia outros Comentários de schirley]
29/12/2008
23h49min
Adriana, parabéns pelo artigo! Tenho, inclusive, um livro que trata de estratégias de marketing no Orkut, do publicitário André Telles. O Orkut deve, sim, ser levado a sério. Abs!
[Leia outros Comentários de Jaqueline Freitas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Thammy - Nadando Contra a Corrente
Marcia Zanelatto
Best Seller
(2015)



Zac e Mia
A. J. Betts
Novo Conceito
(2015)



Clínicas Pediátricas da América do Norte - Volume 5 / 1987 - Bases Terapêuticas em Urologia Pediátrica
Curtis A Sheldon MD; Bernard M Churchill MD
Interlivros
(1987)



Liderança Fora Do Quadrado
Jon R. Katzenbach; Zia Khan
Elsevier
(2011)



A Senhora da Serra
Virgílio Moretzsohn
Record
(1989)



Livro Religião Quando Chega a Hora
Zibia Gasparetto
Vida e Consciência
(2002)



Memórias Póstumas de Brás / Cubas Dom Casmurro
Machado de Assis
Nova Cultural
(1995)



Em Seu Lugar
Jennifer Weiner
Record
(2005)



Bahia - Museus
Paulo Gaudenzi
Riex



Nua - O Caso Blackstone
Raine Miller
Suma De Letras
(2014)





busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês