Eles vão invadir seu Orkut! | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
68942 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Edital Retomada Cultural apresenta Conexão Brasil-Portugal: podcast produzido pelo Coletivo Corpos p
>>> CANTORA E ATRIZ SANDRA PÊRA NO SESC BELENZINHO
>>> TDEZESSEIS
>>> Curso de direção de palco é gratuito nos dias 16 e 17/12
>>> Ultima apresentação da peça (A) Dor (A)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Baiano bom de prosa
>>> Lost: Mistérios sem Solução
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Meu 16 de Agosto
>>> André Mehmari, um perfil
>>> O profeta da aldeia global
>>> Ecos Musicais
>>> Eu sou a favor do impeachment, mas eu acho triste
>>> E cá já moiro por vós
>>> Cultura do livro digital?
Mais Recentes
>>> A Vendeta Seguido de a Paz Conjugal de Honoré de Balzac pela LPM Pocket (2006)
>>> Dicionário Houaiss Sinônimos e Antônimos de Antonio Houaiss pela Publifolha (2008)
>>> A Eucaristia de Secretária Geral do Sínodo dos Bispos pela Paulinas (2005)
>>> Escritos y Confesiones de Richard Wagner pela Labor (1975)
>>> Poliedro 2004 Coleção Completa de André Oliveira de Guadalupe pela Poliedro (2004)
>>> Revolução Francesa 2 de Max Gallo pela LPM Pocket (2012)
>>> Situação da arte moderna de Jean Cassou pela Europa-América (1965)
>>> The waves de Virginia Woolf pela Penguin books (2000)
>>> The Adulterous Woman de Albert Camus pela Penguin Books (2011)
>>> Die Dunkle Seite des Mondes de Martin Suter pela Diogenes (2000)
>>> Sobre Fibras e Gente de Bruno Fernandes / Chico Barbosa pela Sextante (2015)
>>> Programa de Ciência Exitus Enciclopédia Ilustrada 11 volumes de Mirador Internacional pela Mirador (1971)
>>> Introducción al personalismo actual de C Díaz y M Maceiras pela Gredos (1975)
>>> O Hobbit de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2017)
>>> Desenvolvimento Local Sustentável de Denise Kronemberger pela Senac (2011)
>>> o Anticristo de Friedrich Nietzsche pela Camões Guimarães (1978)
>>> A Mágica da Arrumação de Marie Kondo pela Sextante (2015)
>>> A Mágica da Arrumação de Marie Kondo pela Sextante (2015)
>>> A Mágica da Arrumação de Marie Kondo pela Sextante (2015)
>>> O Japão Dos Brasileiros de Ziraldo Alves Pinto pela Global (2008)
>>> Ich Träume Deutsch de Nilgün Tasman pela Herder (2011)
>>> Mandado de Segurança e Ações Constitucionais de Hely Lopes Meirelles e Outros pela Malheiros (1990)
>>> A revolução educacional cubana de Arthur Gillette pela Moraes (1977)
>>> História de la filosofia - La Filosofia Griega Vol 2 de Brice Parain pela Siglo Veintiuno (1972)
>>> Mozart de Peter Gay pela Penguin Books (1999)
COLUNAS >>> Especial Orkut

Quinta-feira, 9/2/2006
Eles vão invadir seu Orkut!
Adriana Baggio

+ de 16000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Desde a última vez em que se falou sobre Orkut aqui no Digestivo, a fama dele aumentou bastante. Naquela época, refleti sobre o quanto as pessoas levam o site a sério, talvez até em detrimento de formas "reais" de se relacionar. Escrevem coisas muito pessoais, se expõem e expõem os outros. Teve até uma leitora afirmando que, se eu não escrevia testimonials, era porque não tinha amigos. Pois ela mostrou justamente o tipo de comportamento que eu criticava em relação ao Orkut. Será que em alguns meses as coisas mudaram? Acredito que não. O Orkut está sendo levado cada vez mais a sério, e não só pelas pessoas que têm seus perfis no site: ele também está virando uma ferramenta de negócios.

Se o site de relacionamentos é capaz de provocar ciúmes, terminar namoros e até inspirar músicas de (efêmero) sucesso, por que ele não deveria despertar a atenção das empresas? Do jeito que o Orkut faz parte do cotidiano das pessoas, as marcas que não aproveitarem essa oportunidade com certeza vão sair perdendo. Ironicamente, ao mesmo tempo em que diversas companhias já planejam e realizam ações publicitárias utilizando o Orkut, existem outras que proíbem o acesso do site no local de trabalho. Elas podem até ter suas razões (um excelente artigo do Webinsider aborda este aspecto a partir da visão do "patrão"), mas será que, ao invés de lutar contra o inimigo, não seria melhor juntar-se a ele e verificar o que tem a oferecer?

A versatilidade do espaço on-line permite diversas formas de utilizar a ferramenta com um objetivo empresarial. Alguns pequenos negócios criam "comunidades" no Orkut às quais os clientes podem se associar. Acaba funcionando como uma homepage da empresa, com a diferença de que se o proprietário souber aproveitar as características do Orkut, poderá realmente manter um relacionamento com seus clientes, disponibilizando informações, estimulando debates sobre o produto, gerando uma corrente de simpatia pela marca.

No entanto, mesmo que as empresas não tenham a intenção de estar no Orkut ou de utilizar suas potencialidades para fins comerciais, elas não têm escolha. Experimente colocar o nome de alguma marca famosa no campo "pesquisar" da página de comunidades. Eu tentei com a Nestlé e apareceram vários resultados interessantes. São aficcionados por alguns dos produtos da marca ou pela própria marca. Dei uma olhada superficial em algumas delas e não encontrei nenhum comentário desfavorável, mas isso não significa que a empresa esteja imune a eles. Imagine que você é dono de uma grande empresa e que seus consumidores falem de você no Orkut. Não seria prudente monitorar o site, para saber o que pensam da marca e para poder planejar ações com base nessas informações?

Seria, claro que seria. Agora, imagine que você baixou uma norma proibindo o uso do Orkut na sua empresa. Como os funcionários vão ficar sabendo daquelas informações importantíssimas que circulam no site? Ou, mesmo que acabem sabendo, como implantar na empresa um programa de relações públicas que monitore, atenue ou otimize os comentários que circulam pelos fóruns, se o uso dele é proibido? É isso que eu quero dizer com "junte-se ao inimigo".

Muitas empresas cujas marcas estão fortemente associadas à tecnologia e modernidade podem não possuir esta atitude na prática. Quando as marcas pretendem atingir públicos que sentem afinidade com inovação e tendências de vanguarda, devem transitar pelos espaços onde estão essas pessoas. Isso inclui o meio on-line: o próprio website da empresa, os blogs, ações publicitárias na web, e-mail marketing, etc. E elas devem, também, "visitar" os locais virtuais onde seu público circula para verificar o que andam dizendo da marca.

Muitas vezes, quem fala da marca são os próprios colaboradores da empresa. Existem blogs "oficiais" publicados por funcionários da HP, da Boeing, da Ford. Mas existem também manifestações que não estão abrigadas sob um código de conduta corporativa. E para o cliente, isso não faz diferença. Por exemplo: você deve estar acostumado a falar mal das companhias telefônicas, do péssimo serviço prestado, da falta de consideração e do automatismo das pessoas que estão por trás daqueles números de telefone 0800. Mas você sabia que eles também falam mal de nós?

Os funcionários de uma companhia de telefonia celular formaram uma comunidade onde trocavam idéias e "causos" que aconteciam com eles no atendimento ao cliente. Alguns relatos eram bem engraçados, se você conseguisse abstrair o fato de que o ridicularizado era você, aquele que paga pelo serviço que eles se propõem a prestar.

Muitas das historinhas engraçadas eram perguntas "bobas" que os clientes fazem. Percebe-se que muita gente não compreende o que o slogan da companhia quer dizer; que não conseguem entender tanto "tecnologiquês"; que ficam perdidos em meio a siglas como PIN, PUK, GSM, TDMA, etc. A falta de familiaridade dos usuários com tais palavras e códigos é uma informações preciosa. Indignação à parte, fiquei me perguntando se algum executivo de marketing ou de relações públicas dessa empresa já tinha visitado a tal comunidade. Seria interessante, porque poderia perceber o quanto as informações que circulavam por ali poderiam ajudar sua empresa nos futuros planejamentos de marketing e campanhas publicitárias.

Parece que realmente andaram visitando. O uso do tempo "passado" no parágrafo acima não é pura retórica. Quando voltei à comunidade para colocar o link aqui no texto, ela não existia mais. Outras pessoas notaram o "desparecimento". Provavelmente, alguém teve o bom senso de pedir a exclusão.

Se algumas empresas já perceberam o poder do Orkut para levantar ou derrubar suas marcas, porque o Google, o dono do site, não passa a vender o serviço às empresas? Talvez isso seja apenas uma questão de tempo. Mr. Orkut desenvolveu uma poderosa ferramenta de marketing, baseada no componente mais importante da comunicação daqui por diante: o relacionamento. São milhares de pessoas que, muitas vezes, se recusam a preencher um cadastro para receber mala-direta em casa, mas expõem toda sua vida em um ambiente muito mais inseguro.

O Orkut disponibiliza informações que dificilmente estarão cadastradas em um banco de dados tradicional. No site, os usuários contam do que gostam, do que não gostam, indicam as pessoas com as quais estão mais ligados, divulgam endereços de blogs, e-mail, MSN. Se você fosse um empresário, não seria perfeito ter todas essas informações?

Devagarinho, o Google vai se posicionando como uma das maiores empresas de mídia do mundo. Pense no quanto você depende do Google hoje em dia. O preço que você paga para ter acesso a serviços inovadores e gratuitos é, na verdade, o que faz você ter vontade de utilizá-los. Sua relação cada vez mais íntima com o Google vai, em algum momento, ser explorada comercialmente, através da oferta de produtos e serviços que você realmente deseja comprar. Calma, isso não é um apocalipse mercadológico onde as pessoas serão escravas do consumo. É apenas uma nova forma de fazer negócios.

A melhor maneira de nós, consumidores e usuários sem fins lucrativos, aproveitarmos todas essas vantagens que o Orkut, o Google e outros oferecem, é dar a devida dimensão a eles em nossas vidas. A amplitude da intensidade de utilização dessas ferramentas é muito grande. Cada um define seu ponto de equilíbrio entre ser usuário ou escravo do sistema. Isso tem a ver com o que eu falei lá no começo, sobre não levar o Orkut muito a sério. Já as empresas e as marcas, devem fazer justamente o contrário: encarar blogs, sites de relacionamento e outras "brincadeiras" de forma seríssima. É aí que está a comunicação do presente e do futuro: aquela em que consumidores e marcas dialogam. E vale lembrar que diálogo é bilateral. Quando um não quer, dois não fazem.


Adriana Baggio
Curitiba, 9/2/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Google: aprecie com moderação de Fabio Silvestre Cardoso
02. Orkut way of life de Marcelo Maroldi
03. Tabus do Orkut de Marcelo Miranda
04. Livros sobre livros de Ana Elisa Ribeiro
05. Um imenso Big Brother de Vitor Nuzzi


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2006
01. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
02. Eles vão invadir seu Orkut! - 9/2/2006
03. Cruzeiro marítimo: um espetáculo meio mambembe - 23/2/2006
04. O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar - 20/7/2006
05. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas - 12/1/2006


Mais Especial Orkut
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/2/2006
12h26min
Parabens Adriana. Sábias palavras... Talvez devessemos buscar soluções em coisas simples.. E essa ideia de utilizar o Orkut para divulgação de marcas e produtos é mto interessante. Talvez devessemos utilizá-lo tambem como divulgação de cultura, para debates etc.
[Leia outros Comentários de schirley]
29/12/2008
23h49min
Adriana, parabéns pelo artigo! Tenho, inclusive, um livro que trata de estratégias de marketing no Orkut, do publicitário André Telles. O Orkut deve, sim, ser levado a sério. Abs!
[Leia outros Comentários de Jaqueline Freitas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Análise da Inteligência de Cristo 5 - o Mestre Inesquecível
Augusto Cury
Sextante
(2006)



Ensinar Aprendendo
Içami Tiba
gente
(1998)



Divorcio e Separação 2 Volumes 8ª Edição
Yussef Said Cahali
Revista dos Tribunais
(1995)



Market Leader 3rd Edition Upper Intermediate Coursebook & Dvd-rom
David Coton
Pearson
(2011)



Tempo de Esperança
Mark Finley
Casa
(1996)



Dom Casmurro
Machado de Assis
Atica
(2012)



A Declaração de Independência dos Estados Unidos
Stephanie Schwartz Driver
jorge zahar
(2006)



Livro - Coleção Folha Charles Chaplin 6 - Festival Carlitos
Folha de S. Paulo
Folha de São Paulo
(2012)



Arqueologia de Madalena - Uma Busca Histórica da Companheira de Jesus
Fernanda de Camargo-Moro
Record
(2005)



Espiritismo e Ecologia 2ª edição
André Trigueiro
feb
(2010)





busca | avançada
68942 visitas/dia
1,6 milhão/mês