Mordaça virtual: o Google na China | Celso A. Uequed Pitol | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Melhores Blogs
>>> Dilbert
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> Olavo de Carvalho: o roqueiro improvável
Mais Recentes
>>> Tudo valeu a pena de Zibia Gasparetto pela Vida e consciencia (2003)
>>> Concurso de Credores de Sylvio Martins Teixeira pela Jacintho (1936)
>>> Manual de Direito Processual Civil Vol.4 (Processo de Execução Processo Cautelar Parte Geral) de José Frederico Marques pela Saraiva (1976)
>>> Manual de Direito Processual Civil Vol.3 ( Processo de Conhecimento) 2ª Parte de José Frederico Marques pela Saraiva (1976)
>>> Codigo do processo Civil e Commercial do Estado de São Paulo (Annotações) de João Evangelista Rodrigues pela Revista dos Tribunais (1930)
>>> Traité Des Preuves En Droit Civil Et En Drit Criminel de Édouard Bonnier pela Librairie Plon (1888)
>>> Embargos de Nulidade e Infringentes do Julgado de E.D. Moniz de Aragão pela Saraiva (1965)
>>> Introdução ao estudo do processo Civil de Eduardo J. Couture pela José Bushatsky (1951)
>>> Estudo sobre o processo civil Brasileiro de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1947)
>>> Processão de Execução de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1946)
>>> Eficácia e Autoridade da Sentença e ouros escritos sobre a coisa Julgada. de Enrico Tullio Liebman pela Forense (1984)
>>> Princípios Gerais do Direito Processual de Anésio de Lara Campos Junior pela José Bushatsky (1964)
>>> Doutrina das Acções de José Homem Corrêa Telles pela H. Garnier (1902)
>>> Como Requer em Juízo ( Formulário Cível) de Yara Muller Leite pela Freitas Bastos (1967)
>>> Decisões de Decio Cesario Alvim pela Officinas do Centro da Boa Imprensa (1930)
>>> O Procedimento Sumaríssimo de Domingos Sávio Brandão Lima pela José Bushatsky (1977)
>>> Aspectos Fundamentais das Medidas Liminares de R. Reis Friede pela Forense (1993)
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume 3 de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Curso de direito Processual Civil Volume 1 de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Estudo sobre o processo civil Brasileiro de Enrico Tullio Liebman pela José Bushatsky (1976)
>>> Processão de Execução de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1980)
>>> Consultor Civil Acerca de Todas as Acções Seguidas no Fôro Civil de Carlos Antonio Cordeiro e Oscar de Macedo Soares pela H. Garnier (1910)
>>> O Brasil na vidão do artista. O país e sua cultura de Frederico Morais pela Prêmio (2003)
>>> Um certo ponto de vista. Pietro Maria Bardi 100 anos de Emanoel Araújo. Curadoria pela Burti (2000)
>>> A riqueza de um vale. A richly endowed valley de Ricardo Martins pela Kongo (2011)
>>> Tomie Ohake de Ana Paula Cavalcanti Simioni pela Folha de S.Paulo (2013)
>>> Bez Batti. Esculturas de Instituto Moreira Salles pela Ims (2006)
>>> Responsabilidade Civil - Doutrina e Jurisprudência de Yussef Said Cahali (Coordenador) pela Saraiva/ SP. (1984)
>>> O Problema da Língua Brasileira de Homero Senna (Entrev. c/ Prof. Souza da Silveira) pela Dep. Imprensa Nacional/ RJ. (1953)
>>> A Trégua de Mario Benedetti pela Alfaguara (2007)
>>> Divalndo Franco Responde Vol 1 de Divaldo Franco pela Intelitera (2010)
>>> Sonhos de J. J. Benitez pela Record (1995)
>>> Hora de Poesia de Ivan Luís Corrêa da Silva pela Modelo (2008)
>>> (In) Quietude Narrativas de Mim de Walkiria Helena pela Catalão em Prosa e Verso (2010)
>>> O Diário das Bruxas Parte I de F. A. F. Melo pela Catalão em Prosa e Verso (2008)
>>> Resgatando o Capital Humano de Roberto Boclin pela Folha Dirigida (2015)
>>> Personas Sexuais de Camille Paglia pela Companhia das Letras (1994)
>>> Uma Vida com Karol de Cardeal Stanislaw Dziwisz pela Objetiva (2007)
>>> Quem Me Roubou de Mim? de Pe. Fábio de Melo pela Canção Nova (2008)
>>> Saúde de Miramez João Nunes Maia pela Fonte Viva (2016)
>>> Ataque do Comando P. Q. Descobrindo os Clássicos de Moacyr Scliar pela Ática (2004)
>>> Divalndo Franco Responde Vol 2 de Divaldo Franco pela Intelitera (2013)
>>> The Colour Of Memory de Geoff Dyer pela Canongate (2012)
>>> Dark Places de Gillian Flynn pela Phoenix (2009)
>>> O Livro que Ninguém Leu de Owen Gingerich pela Record (2008)
>>> Coisas que Todo Professor de Português Precisa Saber a Teoria na Prática de Luciano Amaral Oliveira pela Parábola (2010)
>>> Políticas da Norma e Conflitos Linguísticos de Xoán Carlos Lagares Marcos Bagno pela Parábola (2011)
>>> Robinson Crusoe de Daniel Defoe pela Barnes & Noble Classics (2003)
>>> Sense And Sensibility de Jane Austen pela Barnes & Noble Classics (2004)
>>> Muito Antes de 1500 de Epiága R. T. pela Madras (2005)
COLUNAS >>> Especial Google

Quinta-feira, 23/3/2006
Mordaça virtual: o Google na China
Celso A. Uequed Pitol

+ de 3400 Acessos

O maior site de pesquisas da internet é grande já no nome. "Google" é a corruptela de "googol", termo utilizado para designar o número 1 seguido de 100 zeros. É difícil imaginar algo que possa ser medido assim: na verdade, apenas grandezas estelares, pontos tão distantes que - para ficarmos no vocabulário matemático - podemos dizer que tendem ao infinito. Este é, pelo menos simbolicamente, o campo de atuação do Google. Seu objetivo é vasculhar e catalogar a infinidade de informações que são diariamente despejadas na internet. O site criado pelos americanos Larry Page e Sergey Brin é hoje a maior referência mundial em páginas de pesquisa.

O procedimento é o mais simples possível: digita-se uma palavra no buscador e links para todas as páginas em que ela aparece surgem na tela, listados por ordem de importância e na língua que o usuário escolher. Ainda que o foco sejam os textos, o usuário pode também procurar fotos e vídeos com o mesmo procedimento. Mais recentemente, a implantação do serviço Google Earth permite que o usuário acesse imagens captadas por satélite em qualquer parte do globo. E tudo isto com uma simples palavra digitada num espaço em branco. Se o espírito da internet é facilitar o acesso a informação, o Google é a sua própria encarnação.

"Eu não vim trazer a paz, eu vim trazer a espada", disse o Verbo encarnado, um homem notadamente perigoso. O Google não é tão belicoso, nem no nível simbólico em que foram ditas as palavras do Evangelho, e suas pretensões são bem menores. Mas é igualmente perigoso por ser um veículo potencial de idéias, e, portanto, de transgressão e afronta ao poder. Essa afronta resulta em conflito de poderes, e, informação é, entre outras coisas, poder. É esse o motivo pelo qual o Google, ao desembarcar no mercado chinês, foi alvo da censura pela primeira vez desde que foi criado, em 1998. Os idealizadores do site, a princípio reticentes em aceitar as restrições de Pequim, acabaram cedendo com a desculpa de que "apesar da remoção seletiva de resultados ser inconsistente com a missão do Google, não oferecer informação alguma seria mais inconsistente ainda", como disse o diretor de comunicação do serviço, Andrew McLaughlin. No confronto entre os princípios de liberdade de informação que o site diz defender e as infinitas oportunidades de negócio oferecidas por um mercado de mais de um bilhão de pessoas, venceu este último. De nada adiantaram os protestos oficias de Bill Gates, do governo americano e até de um ex-secretário de Mao Tse Tung contra a decisão dos chineses: o domínio do Google chinês entra em funcionamento com os cortes necessários para assegurar que o cidadão chinês não saberá coisas que não deve saber.

É curioso observarmos quais assuntos são sensíveis aos rastreadores eletrônicos maoístas. Uma busca por sites sobre a revolução cultural, a biografia de Mao ou o Grande Salto Para a Frente registrará apenas páginas do governo com informações oficialescas. Temas como o Dalai Lama, a invasão no Tibete, a independência de Taiwan e as mortes na Praça Tianamen, em 1989, são proibidos. O site "não encontrará" as páginas, como se elas não existissem. Situação análoga à verificada na antiga Alemanha Oriental, onde os livros eram classificados em seis categorias, dos vagamente identificados com a revolução aos mais descarados agit-props do regime. Autores com temas "pequeno-burgueses" e "anti-revolucionários", como Aldous Huxley, George Orwell ou Alexandre Solenjietsin, não recebiam qualquer classificação, nem a de impublicáveis: simplesmente não existiam para o leitor comunista. Hoje, censurar livros não significa tanto para quem tem uma ferramenta de busca que varre o mundo em segundos. É preciso domá-la, portanto. É o que fazem os chineses agora.

Como em muitas outras coisas, os comunistas de hoje podem ser facilmente atacados com argumentos retirados da linha de pensamento que eles se dizem representar. O próprio Karl Marx dizia que a imprensa livre é o olhar onipotente das massas. O autor de O Capital ia além, afirmando que o jornal é o "espelho intelectual no qual o povo se vê e a visão a si mesmo é a primeira condição da sabedoria". Inquestionável afirmação, basilar para todo o pensamento filosófico ocidental, e os chineses devem saber disso muito bem. O governo controla os jornais com mão de ferro, bloqueia canais de televisão e sinais de rádio, restringe a entrada de periódicos estrangeiros e monitora de perto dos correspondentes internacionais estrangeiros em serviço no país. Alguns órgãos arriscam criticar a corrupção estatal, mas a autoridade do Partido Comunista é intocável.

Agora, a internet somou-se à lista de dos meios de comunicação que servem, de uma forma ou de outra, aos interesses da revolução, e com a bênção de um dos sites mais conhecidos. Se a História mostra, como disse um site chinês em língua inglesa, "que só os sistemas totalitários precisam de censura noticiosa, na ilusão de que conseguirão manter o público fechado na ignorância", ela também registra que aqueles colaboradores dos ideais revolucionários não tardam a se arrepender.


Celso A. Uequed Pitol
Canoas, 23/3/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Baudelaire, um pária genial (parte II) de Jardel Dias Cavalcanti
02. Jornais do futuro? de Fabio Silvestre Cardoso
03. O altar das montanhas de Minas de Rafael Rodrigues
04. Lambidinha de Ana Elisa Ribeiro
05. Tecnossauros rex de Ana Elisa Ribeiro


Mais Celso A. Uequed Pitol
Mais Acessadas de Celso A. Uequed Pitol em 2006
01. O Orkut é coisa nossa - 16/2/2006
02. O ensaísta Machado de Assis - 8/9/2006
03. Entre o sertão e a biblioteca - 27/4/2006
04. O ano de ouro de Nélida Piñon - 4/1/2006
05. Mordaça virtual: o Google na China - 23/3/2006


Mais Especial Google
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MUSCLE INFORM Nº 56
VÁRIOS AUTORES
MUSCLE INFORM
R$ 5,00



ROBIN HOOD - COLECAO REENCONTRO LITERATURA
JOEL RUFINO DOS SANTOS
SCIPIONE
(2013)
R$ 39,00



ALIENAÇÃO E CAPITALISMO
LAYMERT G. DOS SANTOS
BRASILIENSE (SP)
(1982)
R$ 30,28



VINGT MILLE LIEUES SOUS LES MERS - TEXTES EN FRANÇAIS FACILE
JULES VERNE
HACHETTE (PARIS)
(1971)
R$ 14,28



TERMELETRICIDADE - GERAÇÃO DIRETA
HENRIQUE ALENCAR UND CICERO SOUTO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



PROCESSO CIVIL - RECURSOS
GILSON DELGADO MIRANDA E PATRICIA MIRANDA PIZZOL
ATLAS
(2001)
R$ 10,00



DISCURSO SOBRE O MÉTODO
RENÉ DESCARTES
HEMUS
(1978)
R$ 6,00



MENINOS EM GUERRA
JERRY PIASECKI
ATICA
(2011)
R$ 16,00



COLEÇÃO OBJETIVO TRIGONOMETRIA E GEOMETRIA PLANA LIVRO 24
JORGE KRIKORIAN / MAURO GRESPAN
CERED
R$ 8,00



PERCEPÇÕES DE SUSTENTABILIDADE EM INDÚSTRIAS DE CALÇADOS GRANDE PORTE
ALESSANDRO CARLONI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês