Festival U Can Move It | Camila Martucheli | Digestivo Cultural

busca | avançada
75847 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Boates
>>> A alegria de não ensaiar
>>> Tempo vida poesia 4/5
>>> The flow state
>>> O batom
>>> Como num filme
>>> Only time will tell
>>> Política - da filosofia à neurociência.
Mais Recentes
>>> Equipes: Gerenciando para o Sucesso - Série Profissional de Debra J. Housel pela Cengage (2009)
>>> O Golpe de um Bilhão de Dólares de Paul E. Erdman pela Círculo do Livro
>>> Simplesmente Eficaz de Ron Ashkenas pela Dvs (2011)
>>> Princípios de economia monetária - Vol. 1 de Eugenio Gudin pela Agir (1976)
>>> Homo Habilis Você Como Empreendedor de Luiz Marins pela Gente (2005)
>>> A Arte do Tempo de Jean-louis Servan pela Cultura (1991)
>>> Síndrome Poética de Francisco José Soares Torres pela Rumo Editorial (2018)
>>> A Pérola de John Steinbeck pela Record (1968)
>>> O Céu Está Caindo de Sidney Sheldon; Alda Porto pela Record (2000)
>>> Regime Juridico do Capital Disperso na Lei das S. A de Erik Frederico Oioli pela Almedina Brasil Br (2014)
>>> A Moderna Sociedade Anônima e a Propriedade Privada de Berle/means pela Abril Cultural
>>> Veia Bailarina de Ignácio de Loyola Brandão pela Global (1997)
>>> Logística Internacional um Enfoque Em Comercio Exterior de Nelson Ludovico pela Saraiva (2008)
>>> As Hortaliças na Medicina Natural de Alfons Balbach pela Vida Plena
>>> Como fazer Planilhas de Robert Dinwiddie pela Publifolha (2000)
>>> Raïssa de Regis Castro pela Vozes (1984)
>>> Curso de Fotografia de John Hedgecoe pela Circulo do Livro
>>> O Manuscritro Original - Ed de Bolso de Napoleon Hill pela Citadel (2019)
>>> O Solista de Steve Lopez pela Nova Fronteira (2009)
>>> Cem Homens Em um Ano de Nádia Lapa pela Matrix (2012)
>>> Loop English For Teens Students Book W/digital Book-starter de Denise Santos; Reinildes Dias; Elaine Hodgson pela Macmillan Education (2016)
>>> Como Usar a Calculadora Hp 12c de Rafael Paschoarelli Veiga pela Saint Paul (2006)
>>> A Imagem do Mundo de Arkan Simaan e Outros pela Companhia das Letras (2003)
>>> O Inverno das Fadas de Carolina Munhóz pela Fantasy (2012)
>>> Sustentavel Mata Atlantica de Clayton Ferreira Lino; Luciana Lopes Simoes pela Senac Sp (2003)
COLUNAS

Segunda-feira, 25/12/2006
Festival U Can Move It
Camila Martucheli

+ de 7000 Acessos

Este texto poderia ser um review comum, composto por um resumo do festival, do qual foi feita a cobertura, as peculiaridades do show, momentos interessantes, principais músicas, mas não poderia deixar de tratar o evento de forma humanística. É necessário valorizar o contexto do U Can Move It com o tipo de público, de artistas, suas formas de vestir e agir. Fez-se importante relatar em detalhes o que foi e como foi esse festival que reuniu góticos de BH e grandes nomes da música industrial/ gótica/ dark wave.

Belo Horizonte é conhecida como a capital da sociedade tradicionalista, às voltas pela manutenção da moral e dos bons costumes, mas alguns grupos transgridem essa regra e um deles vai além, prefere e tenta viver à margem dessa sociedade. Eles estão nas esquinas da cidade, na Praça da Liberdade e na Savassi, mesmo que esses sejam os points da classe mais abastada de BH, e não dispensam uma balada underground. Essas pessoas também rondam por cemitérios à noite, utilizam-se de um vestuário peculiar, tendo o preto como cor predominante, e uma maquiagem carregada - tanto as moças, como os garotos. Se autodenominam góticos, darks ou simpatizantes dessa vida envolta por sombras, poesias sombrias, vampirismo e muita música eletrônica, especialmente o dark wave.

Na quinta-feira, dia 07 de dezembro, o Matriz foi sede do festival U Can Move It, que reuniu alguns dos principais DJs do cenário eletrônico voltado para o dark/ gótico: as bandas mineiras Enjoy, Rammstein Cover e a alemã Das Ich, pela primeira vez na cidade. O festival começou com uma hora de atraso, o que não acarretou problemas maiores. A casa estava cheia e muito quente, nada que uma cerveja gelada e os primeiros movimentos dançantes não resolvessem o problema.

O U Can Move It foi um evento perfeito para os góticos e simpatizantes do estilo. Os presentes capricharam no visual, olhos carregados de lápis preto, grandes saias pretas ou vermelhas, correntes, espartilhos. Os homens não fugiam muito à regra, tirando a saia e o espartilho. Pelos corredores se viam os membros das bandas se divertindo, conversando com o público, em português, inglês, alemão (os góticos adoram a língua alemã - boas bandas do estilo industrial/ gótico são advindas da Alemanha, vide Lacrimosa, Rammstein e a própria Das Ich).

Enquanto os DJs comandavam as pickups, alguns preferiram as mesas do bar, já outros permaneceram incansavelmente na pista dançando os singulares passos que se caracterizam pelo movimento sensual dos braços e quadris. Nada parecido com aqueles vistos nas raves e boates que rolam música eletrônica, dentre da vertente dance, techno, trance e por aí vai. Homens e mulheres, mulheres e mulheres, homens e duas mulheres, todos se divertindo como querem, sem qualquer tipo de pudor ou regra.

No Matriz, no Festival U Can Move It não havia diferença entre o público e os artistas. Os músicos do Enjoy se compunham por roupas normais (em relação ao que a sociedade define como sendo normal). Já a banda cover de Rammstein seguiu o mesmo figurino da original, mas o visual do Das Ich realmente é impactante. Um cara alto com apenas dois pedaços da cabeça coberta por cabelos e o resto cortado com máquina zero. Esses cabelos eram cor-de-rosa e presos para cima, o que fazia conjunto com a maquiagem dark excêntrica com riscos vermelhos, rosto extremamente branco e olhos pintados de preto. Isso sem falar na roupa, preta e vermelha, em um estilo singular, o qual não consigo descrever. Agora - desculpem-me os fãs, ou alegrem-se, vai saber - o vocalista parecia o capeta. Ele estava vermelho e com o cabelo dividido em mechas presas em cima, aos moldes dos moicanos punks, mas em forma de cone. Acreditem, era uma figura assustadora. O outro tecladista era um tipo comum, cabelos loiros e compridos, apenas.

legenda

As apresentações começaram com o Rammstein Cover, banda que sempre agrada o público por sua fidelidade à original. Em seguida, mas com os DJs se revezando entre uma banda e outra, o Das Ich sobe ao palco para uma apresentação energética e com muita atitude e excentricidade. A voz grossa do vocalista unindo-se ao ritmo alucinante do industrial fazia um som pesado e sombrio, ao mesmo tempo em que proporcionava batidas que levavam as pessoas à catarse. O show durou cerca de duas horas e na seqüência a conhecida dos mineiros Enjoy entrou em cena.

O Enjoy é uma das bandas queridinhas de Belo Horizonte, está presente em quase todas as festas do gênero e já possui uma pequena legião de fãs que saem de casa especialmente para vê-los tocar e curtir o som. No U Can Move It não foi diferente, a banda conseguiu levar mais gente para dançar na pista do que o Das Ich, já que no primeiro show grande parte do público apenas assistiu. Mesmo que o Enjoy tenha começado a apresentação depois das duas da manhã, o público não se deixou abater e curtiu tudo até o final. Foi um grande festival em um local pequeno, mas que casa muito bem com o seu propósito. Então, o dia estava quase amanhecendo quando a última batida do U Can Move It soou.


Camila Martucheli
Contagem, 25/12/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel de Jardel Dias Cavalcanti
02. A noite em que Usain Bolt ignorou nosso Vinicius de Elisa Andrade Buzzo
03. O Olhar das Bruxas: Quatro Versões de 'Macbeth' de Duanne Ribeiro
04. O romance do 'e se...' de Cassionei Niches Petry
05. A vida se elabora no Ano Novo de Elisa Andrade Buzzo


Mais Camila Martucheli
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Outro lado de mim - memórias
Sidney Sheldon
Record
(2005)



Inspiration Japon - 70 Coloriages Anti-stress
Les Blocs Anti-stress
Dessain et Tolra



Iniciação Básica À Astrologia Esotérica
Rosabis Camaysar
Pensamento
(1993)



Mad Nº 55
Vários Autores
Vecchi
(1979)



Mestiço é que é Bom
Darcy Ribeiro
Revan
(1997)



Por Trás do Véu de Isis
Marcel Souto Maior
Planeta



Bom Dia, Verônica
Raphael Montes
Darkside
(2016)



Encurtando a Adolescência - Orientação para Pais e Educadores
Alan Friedman
Record
(1999)



Medicina Da Reprodução e Bioética Reb 47
Frei Elói Dionísio Piva Org.
Vozes
(1987)



Socorro, Perdon
Frederic Beigbeder
Anagrama
(2008)





busca | avançada
75847 visitas/dia
1,8 milhão/mês