Qual é O Segredo? | Tais Laporta | Digestivo Cultural

busca | avançada
47877 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Noga Sklar
>>> Tempo vida poesia 2/5
>>> The Social Network ou A Rede Social, o filme
>>> Só notícia boa
>>> Made in China
>>> Para ler o Pato Donald
>>> Prossiga
>>> Mozart 11 com Barenboim
>>> Para amar Agostinho
>>> Discos de MPB essenciais
Mais Recentes
>>> Livro -Exercicios de matematica volume 2 funçoes e logaritmos de Manoel Benedito Rodrigues pela Policarpo
>>> Revista Trip 207 de Herson Capri; Pedrinho Aguinaga; Rebeca Nunes; Anderson Silva pela Trip (2012)
>>> Livro - Um corpo na biblioteca de Agatha Christie pela Nova fronteira (1942)
>>> Aprendizado do Coração de Clara Rennó pela Associadas
>>> Exercite Sua Mente de Reader`s Digest pela Seleções
>>> Doce Rosas para Rosa de Dolores Soler-Espiauba pela Rama (1989)
>>> Sublime Missão: Resgatando Vidas no Mundo das Drogas de Assis Azevedo; João Maria pela O Clarim (2004)
>>> Gravidez Saudável de Cynthia Howlett; Suppa (ilustr.) pela Réptil (2007)
>>> Auto Liderança: Manual para Treinadores e Consultores de Projetos Pessoais de Suryavan Solar; Cóndor Blanco pela Gran Sol (2010)
>>> Estrada da Guerra: Novos Autores: Juiz de Fora de Vítor Ribeiro Halfeld pela Funalfa (2014)
>>> Um Coração Saudável de Dr. Roque Marcos Savioli pela Canção Nova (2006)
>>> Amor Ilimitado de Festo Kivengere; Dorothy Smoker; MyrianTalitha Lins pela Bethania (1979)
>>> Geração Perdida: Jovens na Contramão de Naor Pedroza pela Vinha (2013)
>>> Revista Arte e Estilo: Ano 2 de Beatriz Milhazes; Anderson Thives; Katia Politzer; Dulce Nascimento; Teresa de Oliveira Santos pela Arte e Estilo Design (2013)
>>> Metalurgia e Desenvolvimento: A Corrida dos Metais no Brasil de Indústria Metalúrgica pela Associação Brasileira de Metais (1989)
>>> O Vinho na Cozinha de Eduardo Viotti pela Moderna; Folha de S. Paulo (2010)
>>> Filosofia: Por Uma Inteligência da Complexidade de Celito Meier pela Pax (2010)
>>> O Almanaque do Futebol Brasileiro de Marco Aurélio Klein; Sergio Alfredo Audinino pela Escala (1996)
>>> O Teatro Norte-Americano Hoje de Alan S. Downer (org.); José Paulo Paes (trad.); Edward Albee; Richard Barr; Esther M. Jackson pela Cultrix (1969)
>>> Coleção de Receitas de Knorr pela Knorr
>>> A Tragédia: Estrutura e História de Lígia Militz da Costa; Maria Luiza Ritzel Remédios pela Ática (1988)
>>> História da Inconfidência de Minas Gerais de Augusto de Lima Junior pela Itatiaia (1968)
>>> Deus Pode: Gospel de Silas Malafaia pela Central Gospel (2014)
>>> Sonhos Sem Fim: John Lennon; Michael Jackson; Ayrton Senna de Jucelino Nóbrega da Luz pela Ibrasa (2011)
>>> Compêndio de Teoria Elementar da Música de Osvaldo Lacerda pela Ricordi (1966)
COLUNAS >>> Especial Auto-ajuda

Quarta-feira, 18/7/2007
Qual é O Segredo?
Tais Laporta
+ de 9900 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Um livro em capa dura, com textura dourada, ocupa duas prateleiras em uma livraria paulistana. "Vende horrores", informa o lojista. É The secret - O segredo (Ediouro, 2007, 216 págs.), da australiana Rhonda Byrne, criadora e produtora do filme que leva o mesmo nome - e o mesmo sucesso de público. O livro de auto-ajuda estreou, de cara, na primeira posição dos mais vendidos no Brasil. Impossível não questionar o "segredo" de tanto sucesso.

A indústria bilionária da auto-ajuda oferece montanhas de títulos, todos com a promessa de entregar a receita da (F)elicidade, da (S)aúde e do (S)ucesso. Valores intangíveis, que, nas mãos de estrategistas - vamos admitir - talentosos, transformam-se em cifras generosas. Eles não são, contudo, estreantes nessa arte. A auto-ajuda sempre existiu na história ocidental, mascarada no pensamento de muitos gurus, curandeiros, escritores, cientistas e até filósofos. O que mudou foi que, na era do capital, aprendeu-se a lucrar com isso. E muito.

Nicolau Maquiavel não ajudou apenas os governantes em seu O Príncipe quando recomendou: "Não seja bom. Pareça". Os marketeiros também beberam dessa fonte, e como. Sabem de cor que nada é novidade no campo da auto-ajuda, embora tudo deva parecer inédito. Em The secret não é diferente. Mas que "segredo" é esse? Está naquela famosa frase em latim: "Quidquid latine dictum sit, altum sonatur". Tradução: "Tudo o que seja dito em latim soa profundo". Interpretação: não importa o quê se diz, mas como se diz.

De fato, nada em The secret é novo - nem no ramo da auto-ajuda, muito menos no científico que, aliás, é a base do "segredo" revelado pela autora. Ela viajou para os EUA e colheu depoimentos de metafísicos, teólogos e psicólogos que compartilham de uma mesma teoria conhecida como a "Lei da Atração". Caiu como luva no gosto de um filão de céticos, para quem a religião e mensagens de otimismo não são suficientes para suprir seu apetite espiritual. Mas esse é o detalhe mais leve. Diversos membros da comunidade científica ficaram desolados com as conclusões equivocadas dos entrevistados, já que nenhuma delas foi cientificamente comprovada e, por isso, deveriam pertencer às "pseudociências".

The secret não é a primeira obra que usou a ciência para atrair um público mais crítico em relação à auto-ajuda. O documentário Quem somos nós? (What the bleep do we know?) já havia explorado esse nicho, com grande sucesso comercial. A produção lembra uma aula sofisticada de física para leigos, mas uma pesquisinha no Google já mostra que o filme tem pretensões extra-científicas. Os três diretores, William Arntz, Betsy Chasse e Mark Vincent são devotos de uma seita, da qual uma das entrevistadas é a fundadora - uma médium que diz ser Ramtha, o espírito de um guerreiro da Lemúria. Daí entende-se porque os créditos das conceituadas fontes não aparecem durante o filme, apenas nas legendas finais, quando todo mundo já saiu da sala.

Usar referências de peso é uma velha tática. Em The secret, Rhonda Byrne se apropriou das idéias de Da Vinci, Galileu e Einstein para fundamentar a tese de que a mente humana é capaz de "mudar" a matéria. Segundo ela, seríamos poderosas torres transmissoras de ondas. Nossas "antenas" seriam capazes de atingir as mais distantes estrelas do universo. Para provar isso, ela se baseou em recentes teorias científicas sobre física quântica (um poço de perguntas ainda sem respostas). Enfim, algumas constatações sobre o universo subatômico sugeririam que podemos "alterar" a freqüência dessas ondas que passeiam por aí conforme nossa vontade.

Ciente disso, o ser humano seria capaz de irradiar ondas de amor, sucesso e otimismo mundo afora, através de seu cérebro. Não só irradiar como receber tudo de volta. Esse é o mecanismo da "Lei da Atração", segundo a qual atraímos o que emitimos (ou, ainda, como diz a lei do bumerang: "tudo que vai, volta"). Por esta tese, basta imaginar-se na cadeira do presidente ou no traje da rainha Elizabeth que lá estará você, brevemente. O discurso é atraente porque utiliza conceitos científicos que nós, leigos, não temos propriedade para questionar. Nem os físicos quânticos conseguiram provar que a tal lei funciona. Mas já foram feitas centenas de experimentos no intento de provar que o pensamento transforma a matéria.

A tentativa mais "feliz" neste sentido foi a do pesquisador japonês Masaru Emoto, que fotografou amostras de água congelada depois de submetê-las a emissões mentais da palavra "amor". Segundo ele, as gotículas influenciadas pelo pensamento amoroso ficavam mais bonitas. Ao rotular garrafas de água com tais palavras e regar as plantas, elas durariam muito mais tempo, segundo o estudioso oriental. Como a água entende fonemas em japonês, ainda é um mistério científico. Outro, ainda mais enigmático, é o conceito de beleza, que nem os mestres da arte sabem definir.

Experiências mais confiáveis sobre o suposto poder da mente mostraram que a probabilidade de o pensamento interferir em algum evento físico não ultrapassa 0,3%. A explicação é mais lógica do que técnica: as ondas cerebrais não são concretas como o movimento de uma mão, portanto, a freqüência de um pensamento otimista é demais insignificante para provocar uma mudança perceptível na matéria.

Notícia triste para quem apostava algumas fichas em The secret. Talvez, o "segredo" seja bem mais simples. Não a pseudociência, mas o mesmo mecanismo que a arte utiliza para alimentar a esperança nas pessoas. Não é por acaso que a magia é uma ilusão autocompensadora. Imaginar que é possível obter qualquer coisa num estalar de dedos, sem a ajuda de terceiros, é o sonho humano. Somos facilmente seduzíveis por promessas de um mundo impossível. A esperança em alcançá-lo já basta, e isso explica porque desejamos aquilo que não podemos ter - e normalmente desprezamos as conquistas disponíveis.

Os heróis continuam vivos nos quadrinhos, no cinema e na literatura para nos embriagar com uma sensação de poder. Precisamos de uma ilusão para respirar - de preferência em capa dura e com textura dourada. Não é segredo.

Para ir além






Tais Laporta
São Paulo, 18/7/2007

Quem leu este, também leu esse(s):
01. O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour de Jardel Dias Cavalcanti
02. 4 livros de 4 mulheres para conhecer de Ana Elisa Ribeiro
03. Bruxas no banheiro de Marta Barcellos
04. Meu Caro Amigo de Carina Destempero
05. A lebre com olhos de âmbar, de Edmund de Waal de Ricardo de Mattos


Mais Tais Laporta
Mais Acessadas de Tais Laporta em 2007
01. 10 livros de jornalismo - 20/6/2007
02. O engano do homem que matou Lennon - 16/11/2007
03. Qual é O Segredo? - 18/7/2007
04. O melhor das revistas na era da internet - 10/1/2007
05. Gleiser, o cientista pop - 24/1/2007


Mais Especial Auto-ajuda
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/7/2007
14h04min
Não pensei que fosse possível falar de um livro desses com essa elegância, ou seja, sem compactuar com a obra e sem malhar explicitamente. Só uma fina ironia. Já é o suficiente, conforme o chavão: para bom entendedor, meia palavra basta. Eu, como sempre, lembro do Millôr: "o inacreditável é até crível, mas o impossível não é possível." Beleza de texto, Tais.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
19/7/2007
13h47min
Parabéns Tais, pela ótima crítica do livro e do que ele representa e também pela coragem de enfrentar esse tipo de leitura... Bjs.
[Leia outros Comentários de Flávia Imoto]
19/7/2007
14h26min
Brilhante a sua análise dessa "obra". Eu não teria a mesma elegância, como o Guga disse. Iria detonar com vontade, de um só fôlego, e não como você fez, em doses homeopáticas, mas consistentes e eficazes. Fui obrigada a ver esse filme, pois meus alunos (jovens e adultos) insistiram. Como não queria destruir os sonhos deles, apenas elaborei umas questões que os ajudassem a pensar melhor sobre o assunto. Se na época tivesse o seu artigo, certamente o usaria. Poderia causar mais efeito. Parabéns!
[Leia outros Comentários de Adriana]
25/7/2007
07h53min
Prezada Taís Laporta: O importante é que suas considerações acerca da obra "O Segredo" contribuem para derrubar preconceitos. Como bibliotecária e leitora, sempre fui levada a dar ouvidos a intelectuais que se colocam radicalmente contra as obras de auto-ajuda. Há livreiros no RJ, inclusive, que adoram detonar clientes que entram pedindo livros desse gênero. Por quê? Bem, ou mal, alguma coisa se aproveita e, queiram ou não, de alguma forma se economiza em gastos com psicanalistas. Aceitar, ou não, o conteúdo de tais obras, isto é outra coisa. Vale ler, discutir, discordar... e não, simplesmente, correr.
[Leia outros Comentários de Lygia Dias de Toledo]
25/7/2007
16h22min
Taí uma verdade incontestável, logo no início do texto: Maquiavel, se escrevesse nos dias de hoje, iria entrar direto na lista dos livros de auto-ajuda. E certamente os politicos não o leriam, simplesmente porque politicos não lêem, nem as normas que os regem, muito menos livros, seja lá do que forem. E aqui não há segredo nenhum. Quanto ao "The Secret" propriamente dito, nada há também de novo, a não ser o fato de que há sangue novo em busca do cálice sagrado, ou, na lista de mais vendidos em auto-ajuda. Sem querer entrar para a lista dos detonadores dos livros de auto-ajuda, mas é um filão inesgotável, pois o rol dos desamparados por tudo quanto é espezinhações de origem diversa só aumenta a cada Jornal Nacional e Linha Direta da vida. E ainda tem o fantasma do des e do sub-emprego, das contas que só aumentam, do senhorio que vive alerta, do embarque em Congonhas, das vacas do Renan. Mas Taís, você deu mostras exuberantes de que com um belo texto se consegue dizer tudo com classe.
[Leia outros Comentários de Pepê Mattos]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro - O Segredo do Gênesis - um Mistério de 10 Mil Anos de Idade
Tom Knox
Suma de Letras
(2010)



Goody Two-shoes
Anonymous, Pensamento, Denise Carvalho Rocha
Createspace Independent
(2016)



Criatividade para Renovar Aulas - Confira !!!
José Predebon
Brainstore e Mcm Light
(2009)



Cuba los Protagonistas de un Nuevo Poder
Marta Harnecker
Editorial de Ciencias Socia
(1979)



Literatura Comentada - Cruz e Souza
Cruz e Souza
Abril Educação
(1982)



Livro - Big Brother Fiscal na era do Conhecimento / 2ª Ed - Confira !!!
Roberto Dias Duarte
Ideas Work
(2008)



Pantaleão e as Visitadoras
Mario Vargas Llosa
Nova Fronteira
(1973)



Marketing de Relacionamento e Competição Em Tempo Real Com Crm
M. Bretzke
Atlas
(2000)



Morcegos Negros
Lucas Figueiredo
Record
(2000)



Meus Primeiros Versos - Vol. 4
Vários Autores
Nova Fronteira
(2001)





busca | avançada
47877 visitas/dia
1,6 milhão/mês