Ofício x Formato | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
41871 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Freud segundo Zweig
>>> Informação, Redes Sociais e a Revolução
>>> Raul Gil e sua usina de cantores
>>> Os Rolling Stones deveriam ser tombados
>>> Manual prático do ódio
>>> Por que Faraco é a favor da mudança ortográfica
>>> Modernismo e Modernidade
>>> A favor do voto obrigatório
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
>>> Sobre o Ronaldo gordo
Mais Recentes
>>> Como Administrar Pequenas Empresas: Série Gestão Empresarial de Hélvio T. Cury Prazeres pela Centro de Produções Técnicas
>>> De Dores Somos: Para Todas as Mães que Perderam seus Filhos de Lauricy Belletti Rodrigues pela São José (2016)
>>> A História de Águida de Águida Duarte Perdigão pela Do Autor (2004)
>>> O Ouro e o Altar de Edir Macedo pela Unipro (2018)
>>> Nascido da Luz de Marcelo Drumond Furtado pela Código (2011)
>>> Degraus de Glória de Antônio E. S. Moreira pela Do Autor
>>> O Tempo Nosso de Cada Dia de Ruibran Januário dos Reis pela Tcs (2014)
>>> De Volta à Essência de José Moreira Guedes Filho pela Sinai (2009)
>>> Esquizofrenia: Dois Enfoques Complementares de Mário Rodrigues Louzã; Luiz Barros; Itiro Shirakawa pela Lemos (1999)
>>> Work in Progress de Michael Eisner; Tony Schwartz pela First Paperback (1999)
>>> 150 Maneiras de Enlouquecer um Homem na Cama de Jennifer Keller pela Ediouro (2005)
>>> Chi Prega Si Salva de Joseph Ratzinger pela 3Ogiorni (2005)
>>> Donum Vitae: Istruzione e Commenti: Congregazione per La Dotrina Della Fedde de Joseph Ratzinger pela Vaticana (1990)
>>> Il Calice di don Mario de Associazone Amici di Mario Gerlin pela Edizioni (2004)
>>> Per l Opera di un Altro: Vita de Don Virgilio Resi de Gianfranco Lauretano pela Raffaelli (2012)
>>> Cristo Speranza dell Umanità de Don Mario Pieracci pela Pro Sanctitate (2007)
>>> Che Cosa Cercate? de Comunione e Liberazione pela Tracce Quaderni (2008)
>>> Un Metro Lungo Cinque de Lorenzo Vecchio pela Editrice (2005)
>>> Il Tesoro Nascosto e La Perla Preziosa de Tarcisio Bertone pela Fassicomo (2004)
>>> Apertura Dell Anno Della Fede de Cappella Papale pela Vaticana (2012)
>>> La Giustizia è Uguale per Tutti, ma... de Franco Coppi pela 3Ogiorni (2004)
>>> Sono Stanco di Subire! Soltanto Io? de Tommaso Calculli pela Omaggio Dell Autore (2015)
>>> Riscoprire l Eucaristia de Laici Oggi: Pontificium Consilium Pro Laicis pela Vaticana (2004)
>>> Redescubrir la Eucaristia de Laicos Hoy: Pontificium Consilium Pro Laicis pela Vaticana (2005)
>>> Un Prete di Montagna: Gli Anni Bellunesi di Albino Luciani de Patrizia Luciani pela Messagero (2003)
COLUNAS >>> Especial Para onde vai o jornalismo?

Quarta-feira, 15/8/2007
Ofício x Formato
Rafael Fernandes
+ de 6200 Acessos

Qual a coisa que um jornalista mais teme, mas finge desprezar? Um blogueiro. E o dono do jornal/revista? A Internet. Pois não deveriam nem de longe ter medo de blogs, muito menos da rede virtual. Esperneiam contra isso quando não deveriam; estão confundindo ofício com formato: o ofício de jornalista não vai acabar, o que muda é a forma como ele é feito e consumido. Em primeiro lugar porque, ao menos no Brasil, ainda não há muita gente "bombada" nesse formato. Segundo, um "reles" blog pode oferecer muito a um nicho, mas um jornalista bem preparado pode oferecer muito mais, se entender sobre as ferramentas blog e Internet. Acredito que blogs estão sendo ligeiramente superestimados, não são necessariamente, sozinhos, o futuro e não substituem, claro, uma opinião bem fundamentada, como provam o finado NoMínimo, este Digestivo, entre outros - ainda que, comercialmente, sites de cunho jornalístico não sejam viáveis. O futuro ainda é a Internet, que veio para mudar, sim, mas também para ajudar.

***

Acredito que blogs são acessados por quem está à procura de algo que os jornais não têm nem nunca conseguirão sozinhos: uma visão única, diferenciada, como disse no parágrafo anterior, de um nicho. Têm certas informações que não vão aparecer no jornal. Eu acesso o do Edu Carvalho não porque ele faz reportagens fantásticas, mas sim porque consegue fazer comentários precisos e de temas que nunca vou achar em outro lugar, como a cauda longa, diversos posts de negócios, ou restaurantes japoneses. Leio também o Dagomir Marquezi. É jornalista e escritor, colabora ou colaborou com revistas (impressas!) como a extinta Revista da Web, Vip, Playboy, Placar, InfoExame entre outras. Mas em nenhuma delas vou conseguir ler sobre o roteiro de uma peça que escreveu ou sobre o registro de um texto. Gosto ainda do blog do Fred Wilson. Ele é um venture capitalist. Eu não tenho nada a ver com capital de risco, mas gosto de ler a visão dele sobre música, tecnologia, negócios, Nova York e blogar. Já no do André Rizek (comentarista do Sportv) posso ler opiniões que ele não pode dizer no ar, por limite de tempo ou pauta. Também tenho um, que uso simplesmente como exercícios de escrita, digamos assim, e pela necessidade de organizar opiniões, coisas que não conseguiria de outra forma. Um blog tem uma carga de despretensão, informalidade e diversidade que dificilmente seriam atingidos nos meios "tradicionais".

***

Falando sobre a imprensa mais tradicional, acho que o Estadão pode ser um exemplo de tentativa de buscar uma "cara" na Internet. Seu site até pouco tempo atrás (e no ar até o momento) era assim: horroroso, muito confuso e não conseguia, ainda, unir de maneira eficiente conteúdo impresso com conteúdo on-line. O que era exclusivamente on-line se resumia muito a notícias, não havendo nada realmente diferenciado. Agora, a mudança: o layout está muito mais agradável, chamativo, há anúncios de formas diferentes - tanto publicidade direta com links patrocinados, há podcasts, fotos, vídeos, blogs; notícias "quentes", conteúdo do jornal. Perceberam que não dá para apenas reproduzir exatamente o que vai no impresso, pois a rede tem sua própria dinâmica. Está tentando incorporar os tais nichos à sua tradição de confiabilidade e profissionalismo (ideologias e partidarismos à parte). Acho que o que eles estão fazendo pode, realmente, ser o início de um caminho interessante. Pelo menos, é o embrião do que eu considero ideal como consumidor: conteúdo farto e diverso, numa interface limpa, elegante e na qual seja fácil fazer uma busca, com precisão de resultados.

***

A mais prestigiada revista do mundo, The Economist, continua em papel, mas já vê outros mercados, tanto que caprichou no site: coloca conteúdo da versão impressa, mas também assuntos exclusivos on-line; teve atenção com as newsletter, que são de vários tipos: divididas por assuntos, novidades, sugestões do editor e um guia mensal sobre diversas cidades do mundo. Inteligentemente busca a especialização, então o leitor pode escolher se quer receber novidades de negócios, tecnologia e outros ou informes de Nova York ou Berlim. Tudo isso sem abandonar sua cara, ou melhor, incorporando-a a novas oportunidades. E numa atitude visionária, disponibiliza na web sua revista declamada, em áudio: está de olho em iPods e celulares. Ou seja, quer evoluir com seus consumidores.

***

A Internet também tem como grande vantagem a liberdade, esse conceito tão volátil. A cada compra de um Wall Street Journal por um Rupert Murdoch, a cada Silvio Berlusconi, a cada Rede Globo, a cada pessoa ou empresa que detenha um monopólio ou faça parte de um oligopólio de comunicação, surgem milhões de sites, fóruns, blogs, overmundos, creative commons e afins em diversas partes do mundo. Eles irão divulgar uma enorme variedade de notícias, análises, manifestações artísticas como contraponto a essa mídia estabelecida, dominada por um número cada vez menor de empresas. E a livre troca de informações na Internet não tem limites.

***

Há quem diga que o formato físico de jornais e revistas ajuda, de certa forma um argumento próximo à defesa do livro em papel: o ato de pegar o livro e cheirar não pode ser repetido. Bem, há quem goste do ritual de colocar um vinil para tocar e ouvir os seus chiados, mas nem por isso o MP3 - um formato não físico - foi impedido de se disseminar. A música não acaba. Nem o jornalismo. O que muda é como são utilizados. O consumidor não parece muito disposto a pagar. Além disso, os grandes jornais perdem no impacto de notícias do dia-a-dia (não o furo, diga-se), já que ela não é mais o diferencial - estão à disposição gratuitamente, em tempo real e sem muita diferenciação nos mais diversos portais. E acho que aí há uma lacuna. Sinto que falta algo na Internet. Além de opiniões, notícias e blogs. Faltam as boas reportagens. Lá fora há o Edge, algo diferenciado - é opinião, ensaio, reportagem, de diferentes áreas do conhecimento. E acredito que não seja simplesmente mera reprodução do que é feito em papel. Talvez um mescla entre a reportagem tradicional, um blog, interatividade, vídeos, não sei, falta surgir algo assim. Ou eu que estou com pensamento de 30 anos atrás.

***

O importante é que jornais, revistas e os próprios jornalistas incorporem hábitos da Internet em seus próprios hábitos. Não há porque brigar: a Internet é apenas mais um - importante - meio de informação, com chances de se tornar o mais relevante. E no Brasil estamos prestes a ter uma explosão no acesso, pois está cada vez mais fácil de comprar um computador e navegar pela rede virtual mundial. Assim, devemos ter, para muito em breve, um impacto ainda maior no comportamento das pessoas frente ao consumo de informação. As boas reportagens, comentários, análises e afins vão continuar. Os bons jornalistas têm o principal: formação, experiência, verve; só falta achar a melhor forma de se manifestarem na rede. O ofício de escrever, de apurar fatos, de emitir opiniões nunca vai acabar. O que vai mudar é a forma como isso é feito, disseminado e consumido. Os jornais e revistas devem sobreviver, talvez não com a importância de hoje. E realmente espero que consigam. Como? Acho que ninguém sabe ao certo.


Rafael Fernandes
São Paulo, 15/8/2007

Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2007
01. Guinga e sua Casa de Villa - 1/8/2007
02. White Stripes, Icky Thump e a unanimidade burra - 26/12/2007
03. Scott Henderson, guitarrista fora-de-série - 21/3/2007
04. Ofício x Formato - 15/8/2007
05. Vale ouvir - 23/5/2007


Mais Especial Para onde vai o jornalismo?
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Autistas do Alem
Nelson Moraes
Petit



Livro - A Arte Mesopotâmica e Persa (col. Saber Ver a Arte)
Jaime Alvar Ezquerra
Martins Fontes
(1991)



Educação Infantil Ii
Maria de Lourdes Trüyillo de Mello
Paulus
(1997)



Fisico Quimica
Vera Lucia Duarte
Atual
(1982)



Livro - A Cabana
William P. Young
Sextante
(2008)



Moderna Plus Literatura - Caderno do Estudante Parte 1 - 10ª Ed
Maria Luiza M. Abaurre
Moderna
(2011)



Switzerland - Lonely Planet
Nicola Williams, Damien Simonis, Kerry Walker
Lonely Planet
(2009)



Consultoria Empresarial - Métodos e Cases dos Campeões - Confira !!!
Mauricio Sita; Dino Carlos Mocsanyi
Ser Mais
(2013)



Meninas Super Poderosas: os Monstros de Giz
E. S. Mooney
Nbl
(2002)



Flores da Ruína - 1ªed
Patrick Modiano
Record
(2015)





busca | avançada
41871 visitas/dia
1,4 milhão/mês