Ofício x Formato | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Livro beneficente ensina concurseiros a superar desafios e conquistar sonhos
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Queen na pandemia
>>> A história do Olist
>>> Kubrick, o iluminado
>>> Mr. Sandman
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Reflexões na fila
>>> Papo com Alessandro Martins
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
Mais Recentes
>>> A Ciência Médica de House de Andrew Holtz pela Best Seller (2008)
>>> Três Mistérios de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> Cure Seu Corpo as Causas Mentais dos Males Físicos... de Louise L. Hay pela Best Seller (1988)
>>> Vinho Tinto para Leigos de Ed Maccarthy pela Mandarim (1998)
>>> Os Direitos Humanos na Sala de Aula - a Ética Como Tema Transversal de Ulisses F. Araújo e Júlio Groppa Aquino pela Moderna (2001)
>>> Radiologia Odontologica de Aguinaldo de Freitas e Outros pela Arte Medicas (1984)
>>> Infinity da Scorlatti de John Mcnally pela Irado (2014)
>>> Quero Viver de Fernando Carraro; Lima pela Ftd (2007)
>>> Vale a Pena Esperar de Tim Stafford pela Vida (1992)
>>> Além dos Marimbus de Herberto Sales pela Aché
>>> Conecte Matematica - 1 - Primeira Parte de Osvaldo Dolce; David Degenszajn; Nilze de Almeida pela Atual Didáticos (2014)
>>> Jack Sparrow - a Espada de Cortés Vol 4 de Rob Kidd pela Melhoramentos (2007)
>>> Mwninas e Meninos de Domingos Pellegrini pela Ática (2011)
>>> Out of This Century: Confessions of An Art Addict de Peggy Guggenheim pela Anchor Books (1980)
>>> Padre Germano- Memórias de Amalia Domingo Soler; Germano; Eudaldo Pages pela Instituto Lachatre (2011)
>>> Reflexoes politica-poeticas de Jose Olinto pela marx (2000)
>>> As Mil e uma Noites - as Paixões Viajantes de Rene Khawam pela Brasiliense (1991)
>>> Infância de Graciliano Ramos pela Folha de São Paulo (2008)
>>> Shanghai Girls de Lisa See pela Random House (2010)
>>> Larousse Ortografia de Reglas y 4ejercicios pela Larousse (1996)
>>> O Colecionador de Crespúsculos de Anna Maria cascudo Barreto pela Do Autor (2003)
>>> Law of Attraction de Allison Leotta pela Touchstone Books (2010)
>>> Truques, Trotes, Brincadeiras de Robert Nyberg; Lasse Rade pela Callis (1996)
>>> Sociedade dos Pais Mortos de Matt Haig pela Record (2011)
>>> Biologia para um Planeta Sustentável (em Portuguese do Brasil) de Armênio Uzunian pela Harbra (2016)
COLUNAS >>> Especial Para onde vai o jornalismo?

Quarta-feira, 15/8/2007
Ofício x Formato
Rafael Fernandes

+ de 6100 Acessos

Qual a coisa que um jornalista mais teme, mas finge desprezar? Um blogueiro. E o dono do jornal/revista? A Internet. Pois não deveriam nem de longe ter medo de blogs, muito menos da rede virtual. Esperneiam contra isso quando não deveriam; estão confundindo ofício com formato: o ofício de jornalista não vai acabar, o que muda é a forma como ele é feito e consumido. Em primeiro lugar porque, ao menos no Brasil, ainda não há muita gente "bombada" nesse formato. Segundo, um "reles" blog pode oferecer muito a um nicho, mas um jornalista bem preparado pode oferecer muito mais, se entender sobre as ferramentas blog e Internet. Acredito que blogs estão sendo ligeiramente superestimados, não são necessariamente, sozinhos, o futuro e não substituem, claro, uma opinião bem fundamentada, como provam o finado NoMínimo, este Digestivo, entre outros - ainda que, comercialmente, sites de cunho jornalístico não sejam viáveis. O futuro ainda é a Internet, que veio para mudar, sim, mas também para ajudar.

***

Acredito que blogs são acessados por quem está à procura de algo que os jornais não têm nem nunca conseguirão sozinhos: uma visão única, diferenciada, como disse no parágrafo anterior, de um nicho. Têm certas informações que não vão aparecer no jornal. Eu acesso o do Edu Carvalho não porque ele faz reportagens fantásticas, mas sim porque consegue fazer comentários precisos e de temas que nunca vou achar em outro lugar, como a cauda longa, diversos posts de negócios, ou restaurantes japoneses. Leio também o Dagomir Marquezi. É jornalista e escritor, colabora ou colaborou com revistas (impressas!) como a extinta Revista da Web, Vip, Playboy, Placar, InfoExame entre outras. Mas em nenhuma delas vou conseguir ler sobre o roteiro de uma peça que escreveu ou sobre o registro de um texto. Gosto ainda do blog do Fred Wilson. Ele é um venture capitalist. Eu não tenho nada a ver com capital de risco, mas gosto de ler a visão dele sobre música, tecnologia, negócios, Nova York e blogar. Já no do André Rizek (comentarista do Sportv) posso ler opiniões que ele não pode dizer no ar, por limite de tempo ou pauta. Também tenho um, que uso simplesmente como exercícios de escrita, digamos assim, e pela necessidade de organizar opiniões, coisas que não conseguiria de outra forma. Um blog tem uma carga de despretensão, informalidade e diversidade que dificilmente seriam atingidos nos meios "tradicionais".

***

Falando sobre a imprensa mais tradicional, acho que o Estadão pode ser um exemplo de tentativa de buscar uma "cara" na Internet. Seu site até pouco tempo atrás (e no ar até o momento) era assim: horroroso, muito confuso e não conseguia, ainda, unir de maneira eficiente conteúdo impresso com conteúdo on-line. O que era exclusivamente on-line se resumia muito a notícias, não havendo nada realmente diferenciado. Agora, a mudança: o layout está muito mais agradável, chamativo, há anúncios de formas diferentes - tanto publicidade direta com links patrocinados, há podcasts, fotos, vídeos, blogs; notícias "quentes", conteúdo do jornal. Perceberam que não dá para apenas reproduzir exatamente o que vai no impresso, pois a rede tem sua própria dinâmica. Está tentando incorporar os tais nichos à sua tradição de confiabilidade e profissionalismo (ideologias e partidarismos à parte). Acho que o que eles estão fazendo pode, realmente, ser o início de um caminho interessante. Pelo menos, é o embrião do que eu considero ideal como consumidor: conteúdo farto e diverso, numa interface limpa, elegante e na qual seja fácil fazer uma busca, com precisão de resultados.

***

A mais prestigiada revista do mundo, The Economist, continua em papel, mas já vê outros mercados, tanto que caprichou no site: coloca conteúdo da versão impressa, mas também assuntos exclusivos on-line; teve atenção com as newsletter, que são de vários tipos: divididas por assuntos, novidades, sugestões do editor e um guia mensal sobre diversas cidades do mundo. Inteligentemente busca a especialização, então o leitor pode escolher se quer receber novidades de negócios, tecnologia e outros ou informes de Nova York ou Berlim. Tudo isso sem abandonar sua cara, ou melhor, incorporando-a a novas oportunidades. E numa atitude visionária, disponibiliza na web sua revista declamada, em áudio: está de olho em iPods e celulares. Ou seja, quer evoluir com seus consumidores.

***

A Internet também tem como grande vantagem a liberdade, esse conceito tão volátil. A cada compra de um Wall Street Journal por um Rupert Murdoch, a cada Silvio Berlusconi, a cada Rede Globo, a cada pessoa ou empresa que detenha um monopólio ou faça parte de um oligopólio de comunicação, surgem milhões de sites, fóruns, blogs, overmundos, creative commons e afins em diversas partes do mundo. Eles irão divulgar uma enorme variedade de notícias, análises, manifestações artísticas como contraponto a essa mídia estabelecida, dominada por um número cada vez menor de empresas. E a livre troca de informações na Internet não tem limites.

***

Há quem diga que o formato físico de jornais e revistas ajuda, de certa forma um argumento próximo à defesa do livro em papel: o ato de pegar o livro e cheirar não pode ser repetido. Bem, há quem goste do ritual de colocar um vinil para tocar e ouvir os seus chiados, mas nem por isso o MP3 - um formato não físico - foi impedido de se disseminar. A música não acaba. Nem o jornalismo. O que muda é como são utilizados. O consumidor não parece muito disposto a pagar. Além disso, os grandes jornais perdem no impacto de notícias do dia-a-dia (não o furo, diga-se), já que ela não é mais o diferencial - estão à disposição gratuitamente, em tempo real e sem muita diferenciação nos mais diversos portais. E acho que aí há uma lacuna. Sinto que falta algo na Internet. Além de opiniões, notícias e blogs. Faltam as boas reportagens. Lá fora há o Edge, algo diferenciado - é opinião, ensaio, reportagem, de diferentes áreas do conhecimento. E acredito que não seja simplesmente mera reprodução do que é feito em papel. Talvez um mescla entre a reportagem tradicional, um blog, interatividade, vídeos, não sei, falta surgir algo assim. Ou eu que estou com pensamento de 30 anos atrás.

***

O importante é que jornais, revistas e os próprios jornalistas incorporem hábitos da Internet em seus próprios hábitos. Não há porque brigar: a Internet é apenas mais um - importante - meio de informação, com chances de se tornar o mais relevante. E no Brasil estamos prestes a ter uma explosão no acesso, pois está cada vez mais fácil de comprar um computador e navegar pela rede virtual mundial. Assim, devemos ter, para muito em breve, um impacto ainda maior no comportamento das pessoas frente ao consumo de informação. As boas reportagens, comentários, análises e afins vão continuar. Os bons jornalistas têm o principal: formação, experiência, verve; só falta achar a melhor forma de se manifestarem na rede. O ofício de escrever, de apurar fatos, de emitir opiniões nunca vai acabar. O que vai mudar é a forma como isso é feito, disseminado e consumido. Os jornais e revistas devem sobreviver, talvez não com a importância de hoje. E realmente espero que consigam. Como? Acho que ninguém sabe ao certo.


Rafael Fernandes
Sorocaba, 15/8/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Proposta Decente? de Marilia Mota Silva
02. Letras de Pilar Fazito
03. Que espécie de argumento é uma bunda? de Alexandre Soares Silva
04. Paz é conto da Carochinha de Bruno Garschagen
05. Pílulas de Sol Moras


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2007
01. Guinga e sua Casa de Villa - 1/8/2007
02. White Stripes, Icky Thump e a unanimidade burra - 26/12/2007
03. Scott Henderson, guitarrista fora-de-série - 21/3/2007
04. Ofício x Formato - 15/8/2007
05. Vale ouvir - 23/5/2007


Mais Especial Para onde vai o jornalismo?
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Para Gostar de Ler, Contos Brasileiros 2
Clarice Lispector; Outros
Atica
(2006)



O Segredo do Genesis
Tom Knox; Angela Pessoa
Suma de Letras Brasi
(2010)



O Gatinho Fofo Gueiro
Elaine de Prá
Paulinas
(2017)



Help! Sistema de Consulta Interativa - Língua Portuguesa
Estadão
Klick



Cândido Ou o Otimismo - Série Reencontro
Voltaire / José Arrabal
Scipione
(1991)



Nietzsche para Estressados
Allan Percy
Sextante
(2011)



O Livro de Jó - Saga O Turno da Noite Vol.3
Andre Vianco
Novo Seculo
(2007)



Tudo por um Feriado
Thalita Rebouças
Rocco
(2007)



Elis 1977
Folha de São Paulo
Folha de São Paulo



O Valor Terapêutico do Perdão
Francisco Cajazeiras
Eme
(2010)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês