Editar bem, com Matinas Suzuki Jr. | Tais Laporta | Digestivo Cultural

busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
>>> Edital seleciona 30 participantes do país para produção de vídeos sobre a infância
>>> Joca Andreazza dirige leitura de Auto da Barca de Camiri na série 8X HILDA
>>> Concerto Sinos da Primavera
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
>>> Sementinas
>>> Lima nova da velha fome
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pesquisa e blog discutem "Marca Amazônia"
>>> Vida e morte do Correio da Manhã
>>> O site de Dorival Caymmi
>>> Entrevista à revista Capitu
>>> Figuras de linguagem e a escrita criativa
>>> Arte e Poupança
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> A Marcha da Família: hoje e em 1964
>>> A escola está acabando
>>> Co-opting creative revolution
Mais Recentes
>>> Quarup de Antônio Callado pela Circulo do Livro
>>> As Vantagens de Ser Otimista de Allan Percy pela Sextante (2014)
>>> A Turma do Arrepio Nº 22 de Globo pela Globo (1991)
>>> Mundo do Terror Nº 12- Monstro Humano de Press Editorial pela Press Editorial (1987)
>>> Elogio da Mentria de Patricia Melo pela Companhia das Letras (1998)
>>> O Chefão - a Verdade Sobre a Máfia de Mário Puzo pela Expressão e Cultura (1970)
>>> Vigiar e Punir de Michel Foucault pela Vozes (1999)
>>> Uma Constelação de Fenômenos Vitais de Anthony Marra pela Intrinseca (2014)
>>> Os Reinos Bárbaros de Luciano Ramos pela Ática (1998)
>>> Tormenta de Espadas as Crônicas de Gelo e Fogo Livro 03 de George R R Martin pela Leya (2011)
>>> Morte no Litoral - um Crime Quase Perfeito de Nádia São Paulo pela Novo Século (2009)
>>> Pedagogia do Oprimido de Paulo Freire pela Paz & Terra (1968)
>>> As Tecnologias da Inteligencia de Pierre Lévy pela Editora 34 (1993)
>>> O Outro Lado da Vida do Crime - Autobiografia de Jucelino da Silva pela Nova Letra (2005)
>>> A Costureira de Dachau de Mary Chamberlain Alyne Azuma pela Harper Collins (2015)
>>> Roberto Marinho de Pedro Bial pela Jorge Zahar (2004)
>>> Pelo Caminho de Emaús de Ir. María de Lurdes Gascho (Coord) pela Loyola (2001)
>>> Os Reinos Bárbaros de Luciano Ramos pela Ática (1998)
>>> Morte na Alta Sociedade de Georges Simenon pela Globo (1987)
>>> Agitação á Beira- Mar Série Vaga Lume de Leusa Araujo pela Ática
>>> A História É Amarela - uma Antologia de 50 Entrevistas... de Equipe Abril pela Abril (2017)
>>> The Treasure of Monte Cristo de Alexandre Dumas; John Escott pela Macmillan Education (2010)
>>> Kátia Boca de Tambor - Qualquer Um, Menos Eu de Nancy Krulik pela Fundamento (2011)
>>> Psicologia Comportamental do Adolescente de Carlos del Nero pela Edibell (1970)
>>> A Utopia do Brasil de Justo Junior pela Soler (2004)
COLUNAS

Sexta-feira, 18/1/2008
Editar bem, com Matinas Suzuki Jr.
Tais Laporta

+ de 7400 Acessos

Visão de conjunto, liderança e equilíbrio emocional. São três qualidades que todo editor precisa ter para gerir seu veículo com competência, seja ele qual for. Matinas Suzuki Jr., que carrega nas costas mais de 30 anos em edição jornalística, acrescenta a esta lista uma série de requisitos indispensáveis ao bom editor: habilidade de negociação; visão de longo prazo; reciclagem; criatividade; aprofundamento etc. Todos estes tópicos foram amplamente examinados pelo jornalista no curso "Jornalismo: O Editor", na Casa do Saber.

Matinas veio do interior de São Paulo, ainda bem jovem, para deslanchar uma carreira ascendente em importantes veículos brasileiros. Permaneceu por 16 anos na Folha de S. Paulo, período em que passou por diversas editorias, sua grande oficina profissional. Na TV Cultura, apresentou durante três anos e meio o programa de entrevistas Roda Viva. Também foi diretor editorial na Editora Abril e co-presidente do IG, desde seu surgimento. Nos últimos dois anos, participou da implantação e direção da rede de jornais Bom Dia, do grupo Traffic, que circula em cidades paulistas como Bauru, Sorocaba, Jundiaí e São José do Rio Preto.

Para Matinas, o jornalismo brasileiro sofre uma forte deficiência quanto à formação específica de seus editores. Não existem treinamentos, fora dos próprios veículos de trabalho, para aqueles que desejam entender melhor o processo de edição. Faltam critérios, segundo ele, para determinar a seleção e hierarquização de notícias nos meios impressos e eletrônicos, ao contrário da imprensa nos EUA, cuja maturidade editorial está, neste sentido, bem mais à frente de nós, como o próprio profissional observou quando esteve por lá.

"O jornalismo norte-americano é melhor que no resto do mundo porque eles criam fórmula para tudo", comenta Matinas. Os melhores manuais de redação e estilo, segundo o jornalista, são de veículos de língua inglesa, como o da The Economist. "Os americanos têm a tradição de esquematizar o fazer jornalístico. Criam roteiros com critérios para entrevistas, apuração e edição ensinados em qualquer escola de jornalismo, ao contrário dos brasileiros, que carecem deste material", lamenta. Seria o equivalente a dizer que trabalhamos num projeto às escuras, sem um esboço para nos orientar.

Matinas cita exemplos de grandes editores que fizeram a história da imprensa norte-americana no século XX, entre eles Stanley Walker, do New York Herald Tribune, William Shawn, da New Yorker e David Astor, do Observer. Por meio de seu pioneirismo, tornaram-se modelo a ser exportado para a imprensa mundial. "Qualquer aprendiz que queira entender o bom jornalismo deve conhecer a história destes grandes editores (ou publishers, como eram conhecidos os fundadores dos jornais) e também dos veículos que ajudaram a construir", aconselha.

O The New York Times, que agora abriu seu conteúdo integral pela internet, é, na visão do jornalista, um dos melhores exemplos de qualidade editorial raramente encontrada no jornalismo. Surpreendentemente, uma das seções que deveria ser das menos interessantes no jornal, é uma das preferidas de Matinas. "Os obtuaristas do NYT fazem um trabalho fantástico. Os melhores jornalistas do veículo estiveram e estão nos obituários. Eles descobrem histórias surpreendentes de famosos e anônimos, apuradas com muito cuidado, sem aquele sentimentalismo ou frieza das notas convencionais", conta, e aconselha os interessados a darem uma espiada na seção.

Os americanos não só trazem histórias surpreendentes das ruas para as redações, como também preservam a cultura do bom texto, uma preocupação meio esquecida por aqui, na opinião de Matinas. "Hoje, infelizmente, a qualidade do texto não é um 'valor' na imprensa brasileira, diferente da norte-americana, que não deixa passar uma linha sem reescrevê-la", conta. Para ele, a geração atual que ainda valoriza o bom texto no Brasil pode ser contada nos dedos: Ruy Castro, Fernando Morais, Sérgio Augusto.

Outro problema que a imprensa brasileira ainda precisa superar, de acordo com o jornalista, é a mentalidade de que o editor não passa de um jornalista em posição hierárquica superior. Na verdade, o sucesso do veículo depende, e muito, da capacidade do editor em gerir equipes, de relacionar-se com pessoas difíceis e de pensar como um verdadeiro administrador. Só assim, conhecendo a economia da empresa, vulnerável a altos e baixos, o editor pode fazer o veículo durar por mais tempo. "Não são os mais inteligentes ou mais capacitados que fazem as melhores coisas, mas os que têm equilíbrio", acredita.

Matinas lembra que o bom editor deve não apenas posicionar seu veículo, mas garantir que ele tenha personalidade. "A pior coisa para um veículo é não ter 'cara'. Toda grande publicação tem suas manias", conta Matinas. Também é do editor a responsabilidade em preservar os valores da publicação, cuidar para que a seriedade jamais seja questionada, garantir que ele tenha histórias humanas além da parte utilitária e não deixar perder a exclusividade na cobertura de certos assuntos. "Um bom editor faz a diferença no veículo", resume.

Não poderiam ficar de fora da discussão os dilemas éticos enfrentados por todo editor quando a questão financeira passa a interferir diretamente no conteúdo. Matinas reconhece a quase utopia dos veículos com independência financeira, mas defende que uma publicação deva sempre preservar seu bem maior: a credibilidade. "A maior busca por lucro pode significar menos qualidade ou independência. Por isso, o veículo deve lidar com este paradoxo de forma equilibrada", afirma.

Aos que sonham um dia tornar-se editores, Matinas alerta logo de início: "Se você quer ficar rico, talvez o jornalismo não seja o melhor caminho". E completa: "Editar é uma opção de vida, de paixão. Não é uma profissão fácil, porque deve-se tomar as piores decisões nos piores momentos. Não existe 'meio' compromisso no jornalismo. Mas se você for decente como profissional, e conseguir dizer 'não' ao dinheiro e a outras propostas quando necessário, conseguirá ter uma vida também decente", aconselha o jornalista.


Tais Laporta
São Paulo, 18/1/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O que fazer com este corpo? de Ana Elisa Ribeiro
02. Melhor que muito casamento de Ana Elisa Ribeiro
03. A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 10. O Gerador de Luz de Heloisa Pait
05. Estevão Azevedo e os homens em seus limites de Guilherme Carvalhal


Mais Tais Laporta
Mais Acessadas de Tais Laporta
01. 10 livros de jornalismo - 20/6/2007
02. O engano do homem que matou Lennon - 16/11/2007
03. Guimarães Rosa no Museu da Língua Portuguesa - 1/11/2006
04. Qual é O Segredo? - 18/7/2007
05. O que aprender com Ian McEwan - 4/1/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Vivir para Contarla
Gabriel García Márquez
Debolsillo
(2017)
R$ 50,00
+ frete grátis



Portinari, o Menino de Brodósqui
Candido Portinari
Livroarte
(2001)
R$ 25,00



Odisseia
Homero
Delprado
R$ 18,97



O Magnífico Reitor
Louis Auchincloss
Nova Fronteira
R$ 6,90



Sociedade e Território Vol. 31 32 Dezembro Revista de Estudos Urban...
Diversos Autores
Reur
(2000)
R$ 22,66



Texde Ouro Nº 68
Jake T. Forbes; Chris Lie
Mythos
(2006)
R$ 1.487,00



Explicando o Santo Sudário
Renzo Baschera
Ediouro
(2005)
R$ 7,50



Projeto Multiplo: Matemática Volume 3 - Livro do Aluno
Luiz Roberto Dante
Ática
(2014)
R$ 120,00



Iniciacao (col. Circulo Secreto) - Vol. 1
L. J. Smith
Galera Record
(1992)
R$ 10,00



Vivencias Hiperfísicas
Vera Filizzola
Luz Azul
(1995)
R$ 5,00





busca | avançada
83267 visitas/dia
2,3 milhões/mês